domingo, 9 de fevereiro de 2014

MISTÃO AZUL DE FAZER INVEJA TRITURA COELHO

A melhor atuação do Cruzeiro no Campeonato Mineiro até agora foi esta do mistão que derrotou o América por 2 a 0, gols do zagueiro Léo, iguaizinhos e ambos no primeiro tempo.
No segundo, os azuis administraram com toque de bola e só não fizeram mais gols porque o excelente goleiro do América Matheus fechou a meta.
Viram no jogo o dedo de Pacote? Nas duas faltas cobradas por William do mesmo jeito, dois gols de Léo. Tudo ensaiadinho nos conformes.
As situações de ambos, após o clássico, estão bem diferentes na tabela de classificação: o Cruzeiro é líder com 10 pontos e o Coelho vice-lanterna com 2.
Abre bem os olhos, professor Paulo Silas.

MÃO À PALMATÓRIA - I

Léo sempre se declarou cruzeirense desde menino. Frequentava as arquibancadas do Mineirão pra ver seu time jogar. Quase entrou na barcaça de dispensa agora, mas não topou sair. Só não foi o melhor do clássico por causa do americano Matheus.
E grande parte da China Azul não gosta dele. Como eu, também, fazia-lhe reticências.
Prefiro não fazer mais.

MÃO À PALMATÓRIA - II

Foi com surpresa que vi a escalação do Cruzeiro pro clássico, com relação ao meio-campo. O novato Rodrigo Souza, ex-Boa; o veterano Tinga, que andava sumido; o menino Marlone e o experiente Henrique.
Marcelo Pacote Oliveira me pegou e, também, o seu colega Paulo Silas de surpresa. Ganhou o setor, o jogo e mais admiradores.
Quanto a Tinga, pelo que jogou no clássico, melhor deixá-lo em paz a caminho de sua santa aposentadoria. Ele merece.

REALIZAÇÃO TOTAL

Sinto-me realizado ao ver o futebol que o time mesclado do Cruzeiro mostrou no clássico. Não apenas por retificar minhas impressões anteriores sobre certos jogadores, como porque ratificou a tese da renovação que defendo.
Em certa parte do confronto, o Cruzeiro tinha cinco atletas da base em campo.
Todos jogaram muito: Maike dispensa novos comentários; Wallace encheu os olhos de todos com seu futebol elegante e seguro. Eurico, Alisson e Elber entraram e não deixaram o ritmo do time cair.

PRONTO PRO GARCILASO

Marcelo Pacote botou 22 jogadores na sacola e seguiu de astral alto pra estrear na Taça Libertadores contra o Real Garcilaso, do Peru, quarta-feira próxima. Após a parada em Lima, haverá voo fretado pra Huancayo, a 3.200 metros, o maior adversário dos mineiros.

BOA MANTÉM 100%

Não aconteceu do jeito que o presidente do Minas Boca, Edson Paredão, contava nos jogos na Arena do Jacaré. O Minas até que ensaiou uma reação ao fazer 1 a 0, gol de Jonathas. Mas depois Alexandre marcou dois gols e promoveu a virada que colocou o Boa Esporte na vice-liderança do campeonato mineiro.
O Boca de Sete Lagoas caiu pra lanterna, com apenas um ponto, devido a vitória do Nacional, em Muriaé, sobre o Guarani por 3 a 2, numa partida movimentada e fantástica.


TOMBENSE EMPATA

O Tombense não repetiu a boa atuação na vitória sobre o Galo, no Independência, e apenas empatou com a Caldense, em  Tombos.  No meio da semana, venceu por 2 a 0 o mistão do Atlético e quase perdeu pra Caldense em casa.
Saiu atrás no placar, gol de Diney e conseguiu empatar, logo depois, com o zagueiro André.
A briga entre eles, no entanto, continua. A Caldense está em quinto lugar e o Tombense, com o mesmo número de pontos, mas com um jogo a menos, ocupa a quinta posição.

DERROTAS NÃO ABALAM

A fixação do Galo no bicampeonato da Libertadores corre feito sangue quente nas veias dos seus principais atletas. Ronaldinho Gaúcho chegou a Barinas, na Venezuela, pra enfrentar o Zamora, confessando que tá inteiro e pronto pra repetir 2013.
O grupo todo confessa que as derrotas seguidas e a má performance no Mineiro em nada afetarão o time na estreia da Libertadores.  
Do time que perdeu sábado pro Tupi, em Juiz de Fora, seguiram pra Venezuela Alex, Lucas Cândido, Claudinei, Renan Oliveira, André, Leonardo e Marion.
Já se juntaram aos demais em Barinas e esperam a partida contra o Zamora, nesta terça-feira, às 10 da noite, no Estádio La Carolina.
Bonitinho e com capacidade pra 25 mil pessoas.
O time de Paulo Autuori tá indefinido na lateral esquerda, por causa da ideia fixa do técnico em colocar Lucas Cândido na lateral esquerda e trazer Dátolo pra meia.

FÓRMULA VENCIDA

A fórmula de Lucas Cândido na lateral esquerda ficou superada na Copa do Mundo de Clubes. A inexperiência e incapacidade de adaptar-se à uma posição que não é a  sua e que exige velocidade na subida ao ataque e na volta à defesa influíram na derrota do Atlético pro Raja Casablanca.
Cuca entendeu que errou e, com certeza, todos que viram o confronto sabem disso, também. Pode ser que Paulo Autuori não tenha visto. A presença de Dátolo na meia-esquerda, por outro lado, é um contrassenso, visto que RG-10 estará de volta.
Os dois ocuparão o mesmo espaço do campo pelo lado esquerdo, onde, também, gosta de jogar Diego Tardelli.
O ideal seria manter Dátolo na lateral e Josué ao lado de Pierre no meio-campo, atrás de Ronaldinho e de Tardelli. Na frente, Fernandinho e Jô. O time ficaria com a cara do Atlético que agrada ao torcedor.

OLHO NA TEVÊ

Além de Zamora x Atlético, pelo Grupo 4, nesta terça-feira, 11, na Venezuela, a Copa Libertadores da América será assunto em transmissões diretas de vários outros jogos.
No Maracanã, o Botafogo inicia o confronto brasileiro versus argentino ao receber o San Lorenzo de Almagro, às 10 da noite, pelo Grupo B.
No México, na mesma noite, jogam Santos Laguna x Arsenal da Argentina pelo Grupo 7. Outro time argentino estará envolvido nessa rodada: o Velez Sarsfield irá ao Peru jogar contra o Universitário, pelo Grupo I.
Na quarta-feira,  12, estreia o Cruzeiro no Grupo 5 visitando a altitude de 3.200 metros pra derrubar lá de cima o Real Garcilaso. O Flamengo viaja ao México e pega o Leon, pelo Grupo 7. 

Como todos sabem não tem nada fácil nesses jogos e quem ao final, ganha o caneco, merecia receber um saco de 60 quilos cheio de ouro e euro. E com algumas goiabinhas vermelhas pra saborear enquanto curte a vitória. Merecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.