domingo, 23 de fevereiro de 2014

CHEGOU O MOMENTO DO BASTA; ESCRITOR NÃO ESCREVE SEM INSPIRAÇÃO

Minha autocrítica é suficientemente inteligente pra estabelecer que não passo nem perto do Chico Buarque de Holanda ou de Fernando Pessoa. Deles extraio apenas a lição de que não se deve escrever quando não se tem vontade.
Por menor que seja o escritor - talvez apenas dele mesmo - a inspiração é fator preponderante. Sinto que minha inspiração - se por hora ou em definitivo, sei lá - extinguiu-se.
Seja pra terminar meu romance "A Ordem", seja pra completar meus livros infanto-juvenis "O Sapo que se cansou de ser beijado" e  "A Borboleta que queria ser arco-íris".  
Sinto cansaço de espírito, que não me deixa agir.
Como esta Trincheira é a porta de minha alma intumescida de pragas trazidas pelos maus ventos deste início de 2014, vou mantê-la acesa até que essa escuridão intelectual passe. Se passar. 
Porém, peço licença aos sites que sempre explorei atrás de boas informações pra usá-los, literalmente, em parte, ou total, com algumas pitadas de opinião minha pra não deixar meus leitores do mundo inteiro na mão.
Quanto às minhas colunas virtuais acabarão, até porque tenho recebido a cada semana, mais desistências de leitores que mudam de endereço e não me comunicam.
Os jornais que sei onde minhas colunas saem serão preservados pelas trincheiras publicadas no blog e reproduzidas neles. Caso assim desejem.

GALO VIRA EM CIMA DO COELHO

Fiquei com enorme pena do meu amigo Moacir Júnior. Bem que tentou vencer o clássico e o América chegou a fazer 2 a 0 no primeiro gol, com gols de Obina. Mas não tem elenco.
De virada, o Atlético superou o América, por 3 a 2, Independência, pela sétima rodada do Mineiro. O Galo mostrou poder de reação após levar 2 a 0 num decepcionante primeiro tempo.
A cabeça de Paulo Autuori foi colocado na forca, com a torcida bicanca da vida.
Na etapa final, reapareceu o Galo Vingador de outros tempos e o Coelho foi acuado e tomou a virada, com uma espetacular atuação de Tardelli, que marcou duas vezes,e criou várias jogadas de gol. Jô marcou o outro gol atleticano.
Com o resultado, o Galo enfim entrou no G4 do Estadual. Agora é o terceiro colocado, com 11 pontos, seis a menos que o líder Cruzeiro. O América segue distante da zona de classificação à semifinal. Com cinco pontos, é o nono colocado.
Nesta quarta-feira, o Atlético entra em campo pelo Copa Libertadores. No Independência, recebe o Independiente Santa Fe, da Colômbia. No próximo sábado, o América joga, também no estádio do Horto, contra o Nacional, pelo Mineiro.

CRUZEIRO MAIS LÍDER QUE NUNCA

SUPERESPORTES - Com os reservas o Cruzeiro venceu o Boa Esporte por 3 a 1, em Varginha, na noite de sábado, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro. Marcelo Moreno (duas vezes) e Júlio Baptista marcaram os gols celestes; Bruno Aquino fez o tento do time do Sul de Minas.
Com o resultado, o time do técnico Marcelo Oliveira foi a 17 pontos, abrindo quatro de vantagem para o Boa. 
Além de valer a ponta do Estadual, a partida em Varginha era a oportunidade de muitos reservas mostrarem serviço. Os titulares foram poupados porque a Raposa enfrenta a Universidad de Chile, nesta terça, às 17h30, no Mineirão pela Copa Libertadores.
Mesmo que pese o desentrosamento, o Cruzeiro atuou bem em muitos momentos do jogo sendo mais incisivo que o adversário do interior mineiro.
Destacaram-se os meias Marlone e Elber, os mais lúcidos em campo, e o atacante Marcelo Moreno, autor de dois gols.
O Cruzeiro agora foca as atenções na Libertadores. Uma vitória fundamental pra que o time se recupere, uma vez que a estreia foi marcada pelo revés diante do Real Garcilaso, no Peru. Por sua vez, o Boa busca recuperação contra o Guarani, no próximo sábado, pelo Estadual.
De minha parte, gostei, também, do beque Wallace. Impressionante como em todas as análises os zagueiros são esquecidos como se não fizessem parte da partida.

TUPI EMPURRA NACIONAL PRO BURACO

O Tupi venceu o Nacional por 1 a 0, na tarde deste sábado, no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora, em jogo válido pela sétima rodada do Campeonato Mineiro.
Com o resultado, o Galo Carijó da Zona da Mata se reabilitou do empate sem gol em Juiz de Fora com o Villa Nova. Está no G-4 em quarto com 11 pontos. Já o Nacional segue na vice-lanterna do Estadual com apenas quatro.
O único gol foi marcado pelo atacante Núbio Flávio aos 45 minutos do 1º tempo. Ele aproveitou um rebote do goleiro na grande área e empurrou a bola para a rede. N

FATOS CURIOSOS

Dois fatos curiosos no clássico Vovô do Maracanã. No primeiro, foi o goleiro Diego Cavalieri receber cartão amarelo antes da partida começar apenas porque fez uma marca com o chuteira na linha da pequena área, coisa de superstição de todos os goleiros do mundo.
Que nem cachorro quando faz xixi num lugar, marcando seu território.
O segundo, é que o Botafogo após tropeçar com seus titulares no jogo passado diante do Flamengo, recuperou-se com a goleada por 3 a 0 sobre o Fluminense.
Desta foram, os alvinegros chegaram a 15 pontos e se aproximaram de vez do G-4 da competição. Já os tricolores perderam a liderança e uma sequência positiva de vários jogos.
O Botafogo foi melhor durante os 90 minutos. Com mais objetividade, abriu o placar com Henrique, no primeiro tempo. Na etapa final, decretou a vitória em dois minutos.
Primeiro, Henrique aproveitou rebote de Diego Cavalieri para fazer o segundo. Depois, Bolatti apareceu na área para marcar o terceiro.

TERCEIRO DESTAQUE

Ainda no clássico teve uma destaque espetacular: aos 44m do segundo tempo, o juiz inventou um pênalti contra o Botafogo, que já vencia por 3 a 0. Fred foi na cobrança e sapateou como sempre faz. Na meta, Helton Leite - filho de João Leite - sapateou, também, e se adiantou. Fred parou a cobrança e reclamou do fraco árbitro. Depois do barraco armado, Fred correu e bateu forte, mas Helton Leite defendeu com as pernas. Fred ainda não aprendeu a bater penais.

SORIN NA TEVÊ


Já viram e ouviram o meu ex-ídolo Juan Pablo Sorin comentando futebol na ESPN? Assistam não! É uma decepção enorme. Desaprendeu a falar o portunhol que a gente entendia. Agora fala um dialeto estranho, completamente ininteligível .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.