quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

FAZENDA NACIONAL BLOQUEIA DE NOVO GRANA DO GALO E PROVOCA IRA EM KALIL


O presidente Alexandre Kalil tem motivos de sobra pra usar o seu direito de protestar publicamente contra os bloqueios de receitas que a Fazenda Nacional tem feito nas contas do Atlético.
É inexplicável que o próprio governo federal esteja inviabilizando uma empresa de tocar o seu negócio cortando-lhe todos os seus créditos.
Não sei exatamente, numa linguagem popular, se a FA tem passado as chaves no cofre do clube, ou se apenas bloqueia parte do existente na conta.
Já passei por isso numa briga com a Receita Municipal por causa de multas indevidas, e sei como é desagradável e demorado.
Na Caixa Federal e no BB bloquearam-me a importância devida, Antes, como não havia saldo suficiente pra sobrar algum, não botaram a mão.
Afinal, eu precisava de encher a despensa, imaginava a Receita Municipal.
Contudo, é preciso que eu diga - não houve bloqueio sem mandado judicial. Após fazer o acordo, tive que correr 2 mil metros, entre a o Juiz e o pessoal do BH Acontece.
Céus, um terror! Paguei o que não devia e fiquei livre; afinal a dívida cabia no meu bolso esquerdo.

CASOS DO GALO

Nos dois casos do Atlético, com importâncias fora do domínio de qualquer entidade do futebol brasileiro, exceto CBF, não faria mal um acordo dentro dos padrões corriqueiros pro clube saldar as referidas dívidas tributárias.
Pelo que me consta, e meu amigo Kalil pode confirmar isso, os homens do Leão estão p. da vida e resistentes a novo acordo visto que o Atlético não cumpriu os anteriores.
Se verdade, aí o bicho pega, realmente. Outra grande questão levantada por Kalil: por que só o Atlético? Epa, há perseguição ou discriminação?
Em ano político? É pra lá de estranho!
A presidenta Dilma, atleticana confessa, mineira de Belo Horizonte, recebeu o pedido de ajuda de Alexandre Kalil e não me lembro de qualquer articulação dela, numa negativa ou numa promessa de estudo da questão.
E não me digam que o Palácio de Brasília não tem autoridade sobre a Fazenda Nacional e não se intromete nessas questões! Numa função de magistrado, nossa presidenta poderia intervir sem abrir exceção.
O próprio Kalil tem dito que não quer suas dívidas perdoadas. Quer pagá-las, como fazem as grandes empresas que devem bilhões em impostos.

DÍVIDA VELHA

A dívida atual, no valor de R$ 4 milhões, gerada em 1999, é cobrada agora porque completa cinco anos, creio. Talvez estivesse lá na prateleira de baixo e como outras situações existem contra o Atlético, foi colocada na prateleira superior.
No seu Twitter, Kalil questiona: "acho que só o Atlético deve impostos no Brasil. Qual é o nosso pecado com a PGFN?" 
Disse mais - "Eu não entendo que mal nós fizemos nem à Procuradoria, nem à Advocacia Geral da União e muito menos ao Governo Federal. Não sei que mal fizemos. Se nos falarem qual é este mal, nós podemos tentar
reparar. Por que só o Atlético?"
Pergunto: por acaso não teria, nas rodas que frequenta, o presidente Kalil manifestado sua preferência política, como qualquer cidadão brasileiro livre pra votar e apoiar quem bem entender?
Até digo mais: ele pessoalmente pode fazer a escolha que quiser - direito seu -  sem envolver o cargo que exerce no clube. De repente, seus inimigos federais entendem que ele pretenda envolver o clube nas disputas políticas estadual e federal que vêm por aí.

BRIGA LONGA

Esta pendenga do Atlético versus FN tem durado além da conta.  Desde agosto do ano passado, o Atlético trava essa luta com a FN pra desbloquear R$ 54 milhões referentes a transação de Bernard com Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. O dinheiro foi retido por conta de dívidas fiscais em outros quatro processos.
A falta de caixa no fim de 2013 trouxe sérios problemas pro Atlético cumprir alguns compromissos. Kalil apontou o bloqueio como causa do atraso no pagamento de salários. E com certeza foi.
De novo desesperado, o cartola alvinegro afirmou -  caso o dinheiro não seja liberado, terei dificuldades pra tocar o clube. Vou ter  dificuldade até pra terminar o mandato. É um valor significativo dentro do nosso orçamento. Não quero perdão de dívida. Quero pagar. Pra isso, preciso de condições que eu possa cumprir.”

BELA VAI EMBORA

Me contaram que Ana Paula, aquela bela bandeira paulista que virou participante de programa de tevê em Belo Horizonte, tá de partida, porque não teve seu contrato renovado com a TV Alterosa. Que pena! Ilustrava bem o programa Alterosa no Ataque.

ANOTEM AÍ

Nos primeiros jogos da Copa Libertadores da América, ocorridos na terça-feira, alguns times tidos como favoritos tiveram vitórias importantes. O Velez Sarsfield, por exemplo, ganhou do Universitário Peru por 1 a 0, lá em Lima, pelo Grupo 1.
O Botafogo venceu o campeão argentino, San Lorenzo del Almagro, contra a torcida do Papa Francisco, por 2 a 0 no Maracanã pelo Grupo 2.
No Grupo 4, deu o esperado: o Galo venceu apertado e em cima da hora o Zamora, lá na Venezuela, por 1 a 0, gol de Jô, aos 43m do segundo tempo. Em Santa Fé, da Colômbia, o forte time local passou pelo Nacional do Paraguai por 3 a 1.
Finalmente, no México, o Santos Laguna ganhou por 1 a 0 do Arsenal da Argentina, no Grupo 8.

Devido ao adiantado da hora dos jogos desta quarta-feira, 12, vou escrever sobre eles apenas na quinta-feira. Principalmente, Real Garcilaso x Cruzeiro, na estreia do campeão brasileiro, no Grupo 5. O jogo começa às 10 da noite.
Sou um senhor de 70 anos que precisa de sono pra chegar aos 100 e não posso ficar na dependência desses horários loucos exigidos e marcados pelas televisões detentoras dos direitos de transmissão.
Além do mais, nesta quinta-feira cedo estarei de viagem pra Caratinga, onde vou abraçar minha bela neta Sophia, aniversariante do mês.
Seguindo: a quarta-feira maluca previa Atlético Paranaense e The Strogest da Bolívia, no Grupo 1; Independiente del Valle, do Equador x Unión Española do Chile, no Grupo 2. Dois jogos no Grupo 3: Deportivo Cáli, da Colômbia x Cerro Porteño do Paraguai; Lanús da Argentina, x O´Higgins do Chile.
Grupo 5, também dois jogos: Real Garcilaso, do Peru x Cruzeiro. Nesta quinta-feira, 13, tem Universidade de Chile x Defensor Sporting, do Uruguai; Grupo 5;
Na quarta-feira, 12, Nacional do Uruguai x Grêmio de Porto Alegre, pelo Grupo 6; na quinta-feira, Atlético Nacional da Colômbia x Newell´s Old Boys da Argentina;
No Grupo 7, Leon do México x Flamengo; e no Grupo 8, Deportivo Anzoategui, da Venezuela x Peñarol de Montevidéu; Dia 14, pelo Grupo 7, Emelec  do Equador x Bolívar de La Paz.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.