segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

FAZENDA NACIONAL TEM OBRIGAÇÃO DE INFORMAR OUTROS CLUBES BRASILEIROS QUE SOFREM NA MESMA SITUAÇÃO DO ATLETICO

Recebo telefonema do Doutor Antônio P. Souza, o Dr. Tonico de Ibirité, preocupado com a investida geral do Governo Federal sobre o Atlético.
Como atleticano de nascença leu a informação nos sites de que Alexandre Kalil se reuniu com o Advogado Geral da União, Luiz Inácio Lucena, sem conseguir acordo pro parcelamento das dívidas tributárias do clube.
Falou Tonico: - O que você pensa de mais este lance, Anselmo? - Respondo, com base numa declaração de certo personagem de Stanislaw Ponte Preta, na época da ditadura, perguntado sobre o que achava da situação política do País: - Não acho nada. O último que achou, acharam ele e ele nunca mais foi achado.

DEMOCRACIA SÓ CHEIRO

Hoje existe apenas cheiro de democracia no ar, em outras partes deste Brasil.
- Aqui nas Geraes, quando a gente acha algo, eles acham a gente e dependendo do tamanho da ira deles, a gente nunca mais é achado. Guardo minha boca pra comer minha farinha (outro aviso do famoso personagem de Sérgio Porto).
Doutor Tonico insistiu - Cê leu a resposta da Secom da AGU? - Confirmei que sim. Dizia que as ações foram discutidas e novos encontros serão marcados.
-Isso vai funcionar? - perguntou meu interlocutor.
Diz que " o tema não se esgotou e novas reuniões deve ocorrer". Imagino, Flávio, que isso não vai acabar nunca. E tome juros, sobre juros e correção monetária" registrou Dr. Tonico.  
Pior que os tais juros sobre juros, nesta pendenga que o Atlético tava com a Fazenda pra liberar a verba da venda de Bernard ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por dívidas tributárias, novas verbas são retidas.
Semana passada, outros R$ 18 milhões relativos as negociações passadas, foram bloqueados pela Justiça Federal. A dívida já chega a R$ 72 milhões.
-Céus, assustou-se Dr. Tonico, então meu time terá de queimar incenso, fazer "Trabalhos" de encruzilhadas, com galinha nova e vela de cera de carnaúba.

JUIZ MANDA LEILOAR SEDE

Botei mais lenha na fogueira- Tem mais, na mesma sexta-feira, o Juiz da 25ª Vara da Justiça Federal de Belo Horizonte, autorizou o leilão da sede do Atlético, em Lourdes, por conta de dívidas fiscais. Nessa não o peguei de surpresa:
-Ouvi o nosso diretor jurídico, Lásaro da Cunha, do qual você fala maravilhas na área jurídica, como o melhor tributarista do Brasil, que ele dorme tranquilo nesse caso.
Verdade. O competente Dr. Lásaro "antes de ocorrer o leilão de fato, a gente tem vários recursos na Justiça. Existe um longo percurso jurídico para se percorrer, antes da excussão do leilão. E quando não houver mais alternativas ao clube tem a opção de retomar os pagamentos".
Então pedi: - Explica aí pros leigos o que quer dizer excussão, Dr. Tonico.
- Excussão é o direito que tem o credor de se fazer pagar pelo produto da venda da coisa dada em penhor ou hipoteca, esclareceu o Dr. Tonico.

NOME DOS DEVEDORES

Tenho comigo que a Fazenda Nacional obrigou-se ao criar essa balbúrdia na mídia especializada em torno do clube mineiro,  a dar publicidade a todos os nomes de clubes que se encontram em situação idêntica à do Atlético.
Afinal, não acredito que apenas o clube mineiro passe por essa perseguição sem limites por parte da Fazenda Nacional. É preciso se respeitar a multidão de atleticanos espalhada pelo País e exterior. O Atlético está entre os 10 maiores clubes de futebol do Brasil.
Duvido que FA tome qualquer decisão igual contra o Flamengo, cuja dívida é bem maior que a do Atlético, ou o Corinthians, clube do ex-presidente Lula.
Penso, também, que o reparcelamento decente da dívida seja direito do Atlético, como em qualquer caso de pessoas físicas ou jurídicas.
O fato de o Juiz da 25ª Vara da Justiça Federal mandar a leilão a sede administrativa do Atlético já é um desrespeito aos 100 anos do clube. E não me venha dizer que isso é normal em todas as situações idênticas.
Não é nada. Não é porque jamais vi qualquer clube ameaçado de perder sua sede por conta de dívidas fiscais.
Enquanto isso, torcedores sérios como o Doutor Antônio P. de Souza, continuarão a sofrer com as notícias veiculadas diariamente, cada uma de conteúdo diferente, e rindo delas, pois sabem que no Brasil isso é foguete molhado.

NOVOS EPISÓDIOS

A novela dos bloqueios financeiros de recursos do Atlético ganhou novos episódios, segundo anunciou nesta segunda-feira, o vice-presidente de Planejamento, Dr. Rodolfo Gropen, outro imenso tributarista da diretoria de Kalil.
Segundo ele, foi fechado um acordo preliminar com a AGU e a Fazenda Nacional, em Brasília, onde Alexandre Kalil se encontra pra repactuar as dívidas tributárias superiores a R$ 200 milhões.  Com isso a novela pode se encerrar nos próximos 30 dias.
Os detalhes, conforme a diretoria alvinegra, serão acertados até a segunda quinzena de março. Até lá, as execuções fiscais seriam suspensas.
O Galo reclamava com razão de discriminação, visto que outros clubes haviam obtido renegociação, enquanto ele não obtinha sucesso em seus pedidos de reavaliação.

AGU NEGA TUDO

A assessoria de imprensa da AGU falou apenas que foi aberto um canal de negociação e que novos encontros serão marcados.
Segundo ela, a reunião entre o presidente Alexandre Kalil, e o Advogado-Geral da União "não teve caráter decisório, mas de encaminhamento. Foram discutidas medidas e ações para equacionar as dívidas tributárias do Clube Atlético Mineiro. O tema não se esgotou e novas reuniões devem ocorrer”.
O que sempre qualquer Assessoria de Imprensa notifica.
De minha parte, que nem estou metido no imbróglio, mas enxergo longe quando me ponho a matutar sobre qualquer assunto pertinente ao futebol, sentado na varanda da Mansão do Santo Antão, comendo minhas goiabinhas vermelhas, tem cheiro de perseguição política mesmo.
E só acredito num acerto quando Sargento Garcia prender o Zorro. Até lá...
Dou crédito ao excelente amigo e homem forte do Atlético, Dr. Rodolfo Gropen. Afinal, se ele tá otimista, eu estou, também.
Diz ele: - Foi reaberta a negociação e a expectativa é finalizar esse acordo em 30 dias. E uma vez feito o acordo, esperamos a liberação de pelo menos parte do dinheiro bloqueado”.
Gropen disse mais: "as contrapartidas que o clube apresentaria não foram definidas neste encontro desta segunda-feira. Não se falou ainda em garantias. Vamos trabalhar nisso a partir de terça-feira".
 Nas negociações anteriores, a Fazenda Nacional não aceitou as garantias patrimoniais apresentadas pelo alvinegro pra repactuar a dívida.



2 comentários:

  1. Não queremos ANISTIA. Se eu posso dividir no cartão até cerveja e tira gosto no bar do “Manel” que não tem essa OBRIGAÇÃO, porque pagar a vista? http://www.euvistoacamisadogalo.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O referido clube pagou as parcelas do refis feito a anos atrás, seria perseguição, pois não vi a imprensa mineira mostrar a realidade do debito.... é mais de 200 milhões.... 1 bilhão é mais de 200 milhões não é..... deve tem que pagar, pois como reclamar que o Estado não cumpre seu dever se não cumpre o seu.

    Desculpe mas essa historia está mal contado, pois o clube não estava sanado e não sabia deste débitos, obvio que tem caroço nesse angu.....

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.