domingo, 2 de fevereiro de 2014

TEVE DE TUDO NO HORTO: DUAS EXPULSÕES NO JOGO, OUTRA APÓS APITO FINAL, PERNA QUEBRADA E A PRIMEIRA VITÓRIA DO GALO NO COMANDO DE PAULO AUTUORI.


Depois de deixar o campo com séria lesão na perna direita, no segundo tempo da vitória atleticana sobre o Nacional por 2 a 1, neste domingo, no Independência, o zagueiro Emerson foi levado a um hospital para exames, que constataram o pior. Além de fratura na fíbula, o jogador sofreu ruptura de ligamentos do tornozelo direito. Ele será submetido à cirurgia na tarde desta segunda-feira.(Foto Bruno Cantini -Atlético)

A perna quebrada do zagueiro Emerson não diz que a partida tenha sido violenta. Nada disso. Foi até bem disputada, com o Nacional mandando no jogo no primeiro tempo e  obrigando o goleiro Victor a praticar duas defesas fantásticas.
Quem avacalhou o confronto foi o árbitro Wanderson Alves de Souza, bem fraco e disposto a  aparecer mais que os atletas. Desandou a distribuir cartões amarelos  e terminou por expulsar Emerson de perna quebrada e o zagueiro Márcio Alemão, depois da partida.
Dátolo foi aprovado, por enquanto, como lateral esquerdo e serviu pra Autuori modificar o esquema tático, sem trocar jogador. Quando preciso Dátolo foi atuar na armação e se deu bem.
O Galo levou 1 a 0 aos 26m do segundo tempo, gol de Jonathas, após Victor fazer duas defesas seguidas sensacionais. Já tinha 10 em campo, com Emerson expulso aos 19m.
Emerson estava amarelado e matou a jogada de velocidade do Nacional, derrubando Nei Mineiro com carrinho por trás, quando ele entrava na área. Emerson fraturou a perna e saiu de maca pra ambulância, expulso pelo complicado juiz.
O time melhorou com a entrada de Berola e a ida de Dátolo pro meio. Também, Tardeli tornou-se mais objetivo abrindo espaços pra Jô. Pouco depois de levar o gol, o Atlético empatou com Jô, de cabeça, numa bola levantada na área por Dátolo.
Aos 44m. Dátolo deu passe espetacular pra Jô, que na cara do goleiro João Carlos, com categoria, aplicou-lhe o lençol e confirmou a virada pra 2 a 1.
Achei o meio-campo do Galo bem burocrático com Pierre e Josué; Marcos Rocha sem aquela volúpia ofensiva costumeira, mais preso.
Destaco Victor, Dátolo e Tardeli os melhores. Jô apareceu no segundo tempo, com os dois gols.

ATRÁS DE MAIS GENTE

Agora já não é mais apenas lateral direito,  esquerdo e meia. O presidente Alexandre Kalil e Eduardo Maluf terão de correr atrás também de um zagueiro. Rever não jogou contra o Nacional, porque teve uma lesão de última hora. Emerson fraturou a perna.
Jemerson substituiu Guilherme e foi recompor a zaga. Pode ser que Paulo Autuori confie neste menino e não dará um bote errado, não.

CALDENSE PARA CRUZEIRO

Nas duas partidas que fez no Campeonato Mineiro ( vitória sobre a URT por 1 a 0 e empate com a Caldense, sábado,por 0 a 0, em Poços de Caldas) o Cruzeiro esteve bem abaixo de suas possibilidades.
Mostrou futebol sonolento, frustrante nas atuações individuais das estrelas e sem a velocidade que o caracterizou no Brasileiro.
Em Poços de Caldas escapou da derrota porque São Fábio de novo fez defesas incríveis, enquanto o ataque goleador esteve nulo. O melhor do jogo foi Lucas Silva. Perfeito.
Everton Ribeiro foi de novo uma decepção, individualmente e no coletivo, o mesmo sucedeu com Ricardo Goulart.
Aos 26m do primeiro tempo, Borges sentiu uma fisgada na coxa e Marcelo Moreno entrou no lugar dele. O primeiro não fazia nada, e o segundo nada fez. Só fez número em campo.
O goleiro Gilberto da Caldense nem sujou o uniforme.
A Caldense reclamou, ainda, pênalti em Dinei cometido por Ceará, outra figura ruim da partida. O fraco juiz da FMF deu cartão amarelo ao atacante do Verdão por simulação.
As mudanças diferentes que Pacote fez no segundo tempo - Júlio Baptista no lugar de William e Elber no de Everton Ribeiro não renderam nada.
Júlio nem apareceu no jogo; pior que Moreno. Elber entrou meio saliente pelo lado direito e, também, não produziu nada efetivo. Souza e Egídio, ridículos.

PLACAR INJUSTO

A Caldense mereceu ganhar a partida. O time de Leonardo Condé, uma das boas revelações como treinador que o interior tem mostrado, entrou no jogo com uma disposição incrível, e alguns valores individuais como Maradona, Léo Andrade, Michel, Marcelo e Luiz Eduardo. Com o empate por 0 a 0, os azuis somam quatro pontos e os donos da casa chegaram aos dois. 

COELHO XINGA CALOR

O América, também, não faz bom início de campeonato. Empatou com o Tombense por 0 a 0 em Tombos, com um jogador mais desde o início do segundo tempo.
O Tombense, em casa, é sempre adversário perigoso. Porém teve o zagueiro Pablo expulso logo no início do segundo tempo e, ainda assim, criaram mais oportunidades que o Coelho.
O América xingou e reclamou barbaridade do calor em Tombos, como se apenas aquela cidade da zona da Mata estivesse debaixo dessa canícula impertinente que ataca todo País.
O empate por 0 a 0 somou mais um ponto ao Coelho que agora tem dois na tabela, enquanto o Tombense, que fez sua estreia, conquistou seu primeiro ponto.

PACOTE QUER BORGES QUARTA

Borges saiu no primeiro tempo em Poços de Caldas por causa de uma fisgada na coxa direita. Marcelo Pacote, entretanto, não acredita que o seu poste ofensivo deixe de figurar entre a zaga do Villa Nova, nesta quarta-feira no Mineirão.
Na realidade o pensamento de Pacote deveria ser outro. Borges machucou-se, sem seriedade e será preservado pra estreia na Libertadores. E coloca logo Marcelo Moreno contra o Leão.
Ou gostaria que, em vez de Moreno,  estivesse ali pela Toca da Raposa o garoto Vinicius Araújo, já vendido pro Valência, só pra fazer raiva na gente, deixando-o no banco?
Aliás, VA chega à Espanha com seu time em alta. Ganhou do Barça em pleno Camp Nou.
O médico Sérgio Freire, que é que nem o Diretor de Imprensa do Cruzeiro, porque gosta de esconder informação da torcida, afirmou que não é tão otimista no caso de Borges. Tá booom!

NOVO LÍDER

O novo líder do Campeonato Mineiro, após o fechamento, da segunda rodada, quem diria!,é o Boa de Varginha, que sapecou goleada por 4 a 1 na URT, em Patos de Minas, e de virada. Chegou aos seis pontos.
O time local começou cheio de entusiasmo e marcou 1 a 0 aos 38m com Marcel Silva. Foi o placar do primeiro tempo.
No segundo, o Boa entrou em campo feito boi bravo, daqueles Miúras das touradas espanholas. Marcou o empate aos 17m com Bruno Aquino.
Oito minutos depois fez a virada pra 2 a 1 com Marinho Donizete. Então, com a URT totalmente batida, o Boa ampliou com Alexandre, aos 35 e novamente Alexandre, de pênalti, aos 42.
Na próxima rodada, o Boa vai a Sete Lagoas em busca da terceira vitória seguida, contra o Minas Boca.

LEÃO VENCE NO ALÇAPÃO


Um gol de Mancini, ex-Atlético e ex-Roma, deu a primeira vitória ao Villa Nova em Nova Lima. Foi o segundo gol de Mancini no Mineiro. Agora, cheio de moral o Leão do Bonfim vem nesta quarta-feira a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro de Marcelo Pacote no Mineirão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.