quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

TOMBENSE QUEBRA ESCRITA HISTÓRICA DO GALO NO HORTO

Demorou 57 jogos pro Atlético perder sua longa invencibilidade no Independência - lembram-se do caiu no Horto, tá morto - e o destino foi bondoso com o humilde time do interior de Minas, da cidade de Tombos, comandado por um jovem e competente treinador, conseguiu esta façanha no Campeonato Mineiro.
O Tombense, no seu segundo jogo na competição, fez 2 a 0 no campeão da Taça Libertadores e poderia até fazer mais, não fosse a excelente atuação do goleiro Victor.
Nada deu certo pro Galo. O árbitro Emerson Ferreira errou contra ele, ao expulsar Marcos Rocha, e ao seu favor, ao dar pênalti em Berola fora da área, quando o placar era de 1 a 0. Mas Tardelli bateu e o goleiro Flávio pegou.
Pra selar a noite de vampiros e lobisomens, Paulo Autuori , já no seu terceiro jogo como treinador do time, foi vaiado e chamado de burro. Affe Maria!!

ERA JOGO DE PREPARAÇÃO

Era pra ser jogo de preparação visando a estreia na Copa Libertadores, terça-feira que vem contra o Zamora, na Venezuela. No sábado, o Galo joga de novo pelo Mineiro contra o Tupi, em Juiz de Fora, mas usará time alternativo.
Bobagem analisar a atuação do Atlético como o time de maior volume de jogo e que teve oportunidade de abrir a contagem nos primeiros 13 minutos de jogo. Na realidade foi uma equipe sem norte, perdida tática e individualmente, com Tardelli correndo de lado pra lado, sem nenhuma função ou produtividade.
O Tombense sim, teve um time organizado. Seu técnico Moacir Júnior, pro qual chamo a atenção há tempos, desde quando trabalhou com sucesso no Tupi de Juiz de Fora. Tem, ainda, muito tempo pela frente.
Com certeza, pra ser acreditado nessa terra de cegos, precisará fazer a mesma trilha de Ney Franco e Marcelo Pacote Oliveira pra subir à prateleira de cima no futebol mineiro.

OS GOLS DO TOMBENSE

Aos 25, o primeiro gol. Victor não alcançou a bola na cobrança de escanteio e Júnior Negão marcou. Se errou nesse lance, o goleiro salvou o Galo aos 44 minutos, ao desviar a finalização de Thiago Azulão.
No segundo tempo, o técnico Paulo Autuori apostou em Neto Berola no lugar de Guilherme. Aos 18 e aos 20 minutos, Autuori fez novas mudanças. Tirou Fernandinho e Josué pras  entradas de Leonardo e Rosinei. Recebeu vaias. Foi também chamado de “burro.” 

Marcos Rocha foi expulso aos 22 minutos, após receber o segundo cartão amarelo, numa falta que não aconteceu, erro terrível do tenebroso soprador de apito Emerson de Almeida Ferreira. Aos 38m, ele deu pênalti em Berola, numa falta fora de área. Sorte dele que o goleiro Flávio pegou o chute de Tardeli. 

AZUIS VENCEM LEÃO

Cruzeiro usou toda sua capacidade no primeiro tempo, administrou o segundo e venceu sem problemas o Villa Nova por 3 a 1no Mineirão. 0 time azul campeão brasileiro-2013 reapareceu em boa parte da fase final, com total domínio do adversário até fazer 3 a 0, com ótimas atuações individuais.
Com cinco minutos, Dagoberto, um dos bons do time, obrigou o goleiro Braz a grande defesa. Aos 10m, Egídio foi no fundo e cruzou forte. O goleiro rebateu e seu zagueiro Fidélis marcou contra - Cruzeiro l a 0.
O Leão só levava perigo à meta de Fábio com Mancini e Ferrugem em bola parada, ou chutes de longe. E foi num chutaço de fora da área dado por Dagoberto que o Cruzeiro marcou 2 a 0, aos 33m.

CHORO DO GOLEADOR

O terceiro gol foi emocionante. Everton Ribeiro, o melhor do jogo, abriu pela esquerda e cruzou na medida pra Marcelo Moreno, de peixinho, fazer seu primeiro gol nessa nova temporada na defesa do Cruzeiro.
Na comemoração, com a torcida gritando seu nome, Moreno chorou copiosamente. No intervalo saiu pra ser poupado, substituído por William, nessas alterações de Pacote que acabam prejudicado ao menos dois jogadores.  Como é o caso de Ricardo Goulart.
Marlone, também, estreou pouco tempo e não apareceu quase nada.
Mancini marcou seu terceiro gol no campeonato ao entrar livre e com categoria colocar a bola entre as pernas de Fábio. Apesar desse gol, o Cruzeiro continuou dono do jogo e só administrou o placar no segundo tempo, subindo pra liderança.

BRUXA MUDA PRA TOCA

O goleiro Rafael está fora da fase de grupos da Copa Libertadores da América. Ele sofreu uma lesão no menisco do joelho esquerdo e foi submetido a uma artroscopia. A cirurgia foi realizada pelo médico Ernane Avelar, no Hospital Lifecenter.  A previsão de volta de Rafael é de 30 a 40 dias.
O novo reserva de Fábio será Elisson, enquanto Alan ficar com a camisa 24, na segunda vaga. Os dois foram revelados na base do clube e treinados por Raul Guilherme Plasmann, o maior goleiro da história celeste.

É O QUE DISSERAM

Olhaí o testamento que o Francis Bicca, leitor importante deste espaço, escreve de Brasília: "Flavio, segue algumas impressões minhas sobre os temas da tão amada Trincheira :
1) Neymar : mais enrolado que o pai do Neymar somente a direção do Barcelona. Neymar é a ponta do iceberg,imagina se levantarem a fundo cada transação daquele Clube .
Logo eles, os espanhóis que amam apontar os dedos de jamon ibérico besuntado em belota para nossos rostos esquálidos no saguão do aeroporto de Barajas e nos barrar por falta de condição "moral". Ora, imagine se o Ministério Público de lá resolve mesmo passar um pente fino nessas negociações, bem como do Real Madri. etc.
Como diria aquele samba antigo: " se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão!!"
2) Cruzeiro, Galo, etc: queria comentar isso tentando isenção mesmo sendo cruzeirense: vi o jogo do Cruzeiro no falso magro 1x0(foram 36 finalizações !); vi pedaços de jogos dos grandes de SP e Rio e vi somente o resultado do Galo, 0x0 contra o Minas Boca.
Flavio, o Cruzeiro tem tudo para arrebentar a boca do balão esse ano.mesmo sendo um jogo somente e seja URT, o volume de jogo esta algo fantástico, jogando com alegria e recursos . Eu vi Fla, Bota, Atlético PR, Grêmio e pode cravar: não vão andar perto do Cruzeiro.
A não ser que haja um "piriri de carreirinha" coletivo, esse ano será da Raposa. anota aí! Só não diga ao seu irmão senão ele não divide mais a mesa do bar do mercado municipal aqui em BSB comigo!

GILVAN EXPLICA VENDA

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares fez enorme exercício pra explicar a precipitada venda dos 50% dos direitos de Vinicius Araújo ao Valência  por irrisório valor:
A torcida tem que entender que o ano é atípico, depois de ficarmos parados dezembro e janeiro sem receita de bilheteria, teremos junho e julho sem realização de partidas de futebol, isso acarreta um prejuízo enorme, já que a gente tem no Brasileiro e na Libertadores a certeza de uma bilheteria acima de 1,5 milhão por partida. Com três partidas por mês no Mineirão, seria um prejuízo de, no mínimo, 4,5 milhões por mês”.
Pergunto: se não haverá jogos não haverá necessidade de estádios. A Copa está prevista há anos e o Cruzeiro devia ter se preparado pra tal problema! 

PITACO DE CARTOLA

Os leitores assíduos desta intragável coluna devem lembrar-se que ano passado, ao sentir o desprezo de Marcelo Pacote na escalação de Vinicius Araújo, apesar de seus nove gols, eu escrevi: " tem linguiça podre debaixo desse angu!".
Ao Cruzeiro interessava VA pouco valorizado pra fazer algum dinheiro nele.
Se ele vira titular e desanda a fazer gol seu passa valeria 35 milhões de euros ou mais. Poucos times no mundo poderia contratá-lo, inclusive o Valência. Lembram-se que chegaram a plantar notícias que de a Internazionale, e outros italianos, todos quebrados estariam interessados nele?
Não se falou em qualquer clube inglês, no Barça  e no Real que, realmente, têm caixa pra contratar um super centroavante.
Imaginem bem vender Vinicius Araújo por 3,5 milhões de euros artilheiro da equipe no Brasileiro ou na Copa do Brasil? A torcida não perdoaria Gilvan.

EDCARLOS DE REFORÇO


Edcarlos é jogador limitado, mas pode ser importante ao Atlético. Tem ótimo currículo, atuou em vários clubes importantes e aos 28 anos tem experiência de sobra. Já foi jogador de Autuori e a indicação partiu do técnico. Outra coisa: é o que estava disponível, de graça, na praça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.