segunda-feira, 24 de março de 2014

COMO NASCE UM ROMANCE DE AMOR

Lá estava eu no meu tradicional local de inspiração e criação, comendo minhas goiabinhas vermelhas, que já podem ser encontradas nos sacolões a R$2,90 o quilo, e ouvia o romântico Júlio Iglésias interpretando "História de un amor", uma das mais belas páginas do cancioneiro internacional pra quem, como este filho de dona Geralda, adora boleros, tangos e música brasileira do passado.

Prestei mais atenção na letra do que fizera em outras oportunidades, até mesmo quando assisti ao filme homônimo, interpretado pela bela Libertad Lamarque. A composição é do escritor panamenho Carlos Eleta Almaran que a fez após acompanhar o sofrimento de seu irmão mais novo com a morte da esposa.
Então comecei a ruminar a ideia de escrever pela primeira vez um romance de amor. Estou na fase final de acabamento do meu romance "A Ordem", com o qual pretendo concorrer ao prêmio literário Cidade de Belo Horizonte, caso o termine a tempo e me sobre mais entusiasmo que agora.
Tenho um livro infanto-juvenil já escrito na frente. Pretendo prepará-lo para entregá-lo à editora, enquanto cuido, também, da segunda edição de Divinas Marias que eu gostaria de atualizar. Muita coisa! Todavia tenho certeza de que terei espírito e vida suficientes pra escrever sobre uma história de amor, por se tratar de um tema que sempre iluminou meu interior.
A letra de "História de un Amor" está abaixo, no original. Sua versão, também bonita, foi interpretada aqui no Brasil pelo imortal Altemar Dutra e mais de duas centenas de cantores, pelo mundo afora, também tiveram suas versões e seu sucesso com este lindo bolero.

HISTÓRIA DE UN AMOR
(autor: Carlos Eleta Almaran - panamenho)


Ya no estás más a mi lado, corazón
En el alma sólo tengo soledad
Y si ya no puedo verte
¿Porqué Dios me hizo quererte?
¿Para hacerme sufrir más?

Siempre fuiste la razón de mi existir
Adorarte para mí fue religión
Y en tus besos yo encontraba
El calor que me brindaba
El amor y la pasión

Es la historia de un amor
Como no hay otro igual
Que me hizo comprender
Todo el bien, todo el mal
Que le dio luz a mi vida
Apagándola después
¡Ay que vida tan oscura!
Sin tu amor no viviré..

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.