quinta-feira, 10 de abril de 2014

JUIZ DA 6ª VARA JÁ MARCOU ELEIÇÕES NA FMF, MAS A TURMA DE PLANTÃO QUER ADIÁ-LA PRA DEPOIS DA COPA DO MUNDO

Umas quatro chapas disputam a presidência da FMF cuja eleição foi marcada pro dia 26 de maio agora pelo Juiz da 6ª Vara Cível. Todavia, a turma nomeada como  interventora na entidade estuda o estatuto nos mínimos detalhes em busca de algum casuísmo que adie o pleito pra depois da Copa. Motivo: a boca é boa demais.

Das quatro chapas que disputariam  a eleição na FMF duas polarizarão a briga: a de Castellar Neto (Atlético) e a do ex-prefeito de Nova Serrana, Paulo de Freitas ( Cruzeiro e Perrelas). Uma terceira, a de Silvestre, de Ipatinga, chega esvaziada ao confronto, apesar de ser a responsável por tudo que aconteceu. Como advogado, enfrentou praticamente sozinho o pendenga que tirou Schettino da presidência. As duas chapas esperam o posicionamento final de Silvestre em direção de qual delas. A quarta chapa apareceu, de repente, nas redes sociais, e não tem futuro.
Uma fonte das mais sérias, que pediu pra que seu nome não fosse revelado, rebateu as informações que postei aqui na Trincheira dando conta de possíveis mudanças na estrutura da chapa do Atlético, apoiada por Alexandre Kalil, e que tem como candidato o jovem advogado Castellar Neto. Nesta chapa, ao tomar conhecimento dela, vi o nome do delegado Schettino, ex-presidente destituído por ordem do Juiz da 6ª Vara Cível.
Logo imaginei que, por baixo daquele angu, havia jiló amargo e velho. Ou seja: Castellar vence, como deve acontecer, a eleição e entrega o comando pra Paulo Schettino e seu grupo que estava no poder, através de qualquer jogada administrativa. A fonte, bem entrosada no esquema, garantiu que não ocorrerá isso. Até porque se essa jogada estivesse prevista, ele não apoiaria a chapa por ser inimigo do ex-presidente.
Outra fonte bem informada e com cerca de 20 anos de serviço na FMF confirmou que Schettino constou da chapa pra não sair pelas portas do fundo, literalmente. Desta forma, demonstra que tem - o que não é verdade - prestígio e liderança no meio do colégio eleitoral.
Também descartou a minha afirmação de que Castellar Neto funcionaria como "Rainha da Inglaterra" - me perdoe, apenas uma questão de retórica - caso funcionasse o esquema que aventei, com Schettino montando um apêndice administrativo pra gerir os negócios da entidade. "Castellar é jovem - me disse a segunda fonte - mas não aceita este tipo de situação".
-Sua disposição - continuou - é, realmente, promover uma grande reformulação no futebol mineiro, com uma frente de todos os clubes e com grande esquema de marketing esportivo por trás a fim de financiar as taxas da Federação, principal reclamação dos participantes dos eventos da entidade".

NOME BOM





Leandro Pedro Vuaden, do Rio Grande do Sul,( foto) apita o clássico que vale o título do Mineiro. Ele será auxiliado por Fábio Pereira, do Tocantins, e Alessandro Rocha de Matos, da Bahia. O quarto árbitro será Wagner dos Santos Rosa, do Rio de Janeiro. Foi Vuaden que apitou a decisão do ano passado, cujo título ficou com o Atlético.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.