quinta-feira, 1 de maio de 2014

LEVIR NÃO MUDA O GALO PRA ATROPELAR NACIONAL DE MEDELLÍN: RH-10 E TARDELLI JOGAM

Discutiu-se uma possível troca de Marion por Tardelli feita no treino tático de terça-feira à toa. Meras especulações que os analistas e repórteres usaram em seus programas de rádio e tevê na quarta-feira e que não prevaleceram. Ou Levir Culpi jogou comida aos peixes pra sentir a fome que sentiam, ou não fez ouvidos de mercador às críticas contrárias a saída de Tardelli.

O Atlético será o mesmo do jogo passado, com o quarteto ofensivo em campo. Nos treinos táticos que realizou, com certeza, Levir corrigiu as posições dos volantes Pierre e Donizete que têm corridos juntos e abrindo o meio, além da falta de cobertura dos alas. Também a questão da zaga, visto que Léo Silva e Otamendi sobem muito e nenhum fica na sobra.

O mais importante, no entanto, é a questão do meio-campo de armação: acredito na fórmula antiga, Tardelli mais pela direita e RG-10 pela esquerda, ambos procurando encostar nos seus companheiros das laterais pra fazer 2/1. Jô e Fernandinho serão os homens de frente, com assídua movimentação, de preferência ocupando mais a área que tem andado despovoada nos ataques atleticanos.

Como diria o velho e saudoso Kafunga: visto assim tá bonito demais e dá até pra fazer um quadro e colocar na parede. Mas combinaram com o time adversário?

Claro que o sarcasmo do Velho tinha lá sua razão de ser porque os analistas se prendiam demais em números: 4-3-3, ou 4-2-4, ou 4-4-2 ou mesmo o tal 4-3-2-1 que é o "desenho tático" da maioria dos times brasileiros. Levir não quer inventar e por falta de tempo deseja apenas que o time jogue no esquema mais acostumado nos últimos tempos. Depois pretende acertar tudo, com tempo pra treinar.

Ele manteve o quarteto ofensivo habitual, no que não me agradou: preferia Tardelli com Guilherme, Ronaldinho e Jô. Não entendo o motivo que se valoriza tanto as corridas desenfreadas e egoísticas, além de improdutivas, de Fernandinho. É jogador de banco, pra entrar depois com os adversários cansados. No mais não vejo problema: Victor, Alex Silva, Leonardo Silva, Otamendi, Emerson da Conceição, Pierre e Leandro Donizete. Alex Silva, apesar do erro em Porto Alegre, tá mantido. Isso é bom.
MUITOS PÊNALTIS

No treino tático, a turma cansou-se de bater pênaltis, que pode ser uma das opções de classificação. Uma vitória por 1 a 0 do Galo leva a decisão para as cobranças de penalidades. Já com dois ou mais gols de diferença assegura a classificação pras quartas-de-final. Se passar, o Galo jogará contra o Defensor que tirou - ótimo - o The Strongest da Bolívia com a vitória por 2 a 0, nos penaltis. Havia perdido na altitude pelo mesmo placar. Pode vir aí, de novo, a Beagá o excelente meia atacante, de 20 anos, Arrascaeta.

GIGANTES DE MADRI DECIDEM COPA DA UEFA


 Não era uma coisa assim parecida que a gente das Geraes sonha há muito tempo: a decisão de um campeonato ou torneio importante entre os nossos dois maiores times, Atlético e Cruzeiro, no Mineirão? Aliás, o exemplo de Real Madri e Atlético de Madri continua de pé, porque salvo melhor juízo, pode até acontecer a decisão da Libertadores no Mineirão. Ou não?

No entanto, a Liga dos Campeões da Europa, conforme já estabelecido, não terá uma decisão em solo espanhol. Será em Lisboa. Que peça o destino pregou nos promotores! Imaginem bem, tal decisão em duas partidas - em Lisboa será apenas um jogo: um no Estádio Vicente Calderon outro no Estádio Santiago Bernarbeu. Público de 200 mil torcedores nas duas partidas.

VITÓRIA DA RAÇA

Que time é este do argentino Diego Simeone que não respeita mais nenhum grande na Europa? Vencer por 3 a 1 o Chelsea nas duas partidas da decisão pras semifinais é uma proeza. Fez 1 a 0 em casa, no Vicente Calderon, e arrasou no jogo de volta, usando sua marca principal: a força de marcação, aliada à velocidade dos contragolpes.

Primeiro adversário de sua atual carreira foi o frágil, porém tradicional. Tratava-se do Milan, que o Atlético Madri venceu, sem maiores problemas. Depois ficou frente a frente com o poderoso Barcelona, de Messi e Neymar. Ganhou de novo. E aí veio, então, o multimilionário Chelsea.

E o Atlético de Madrid, como já virou rotina nesta temporada, voltou a desafiar a lógica de que no futebol vencem apenas os gigantes ou os ricos. Com uma vitória de virada por 3 a 1, no Stamford Bridge, os colchoneros - como são chamados -  eliminaram os Blues de José Mourinho e garantiram vaga na decisão da Liga dos Campeões, um retorno após 40 anos. Em 1974, a equipe espanhola perdeu o título para o Bayern de Munique.

FESTA ESPANHOLA

Agora, o Atlético tem um último gigante para derrubar antes de comemorar de vez. E o adversário é mais do que conhecido: o rival Real Madrid, que eliminou o Bayern de Munique na terça-feira. Pela primeira vez na história, a Liga dos Campeões será decidida por times de uma mesma cidade – na quinta oportunidade, equipes do mesmo país se enfrentarão na decisão.

O jogo está marcado para o dia 24 de maio, em Lisboa.Conforme minha proposta seria mais interessante, caso o futebol europeu fosse desorganizado e improvisado como o brasileiro, que a decisão fosse levada pra capital espanhola. Mas, lá, dá tempo de trocar a sede pra Madri?


CRUZEIRO FOI DOIS TIMES EM ASSUNÇÃO: AZAR DO CERRO QUE ESTEVE MELHOR NO PRIMEIRO TEMPO E LEVOU BAILE NO SEGUNDO.


Dedé, de cabeça, 35m, após uma bela cobrança de falta por Everton Ribeiro, e Dagoberto, aos 42, aproveitando-se de uma trapalhada da zaga paraguaia, marcaram os gols. O Cruzeiro classificou-se para as quartas de final, e enfrenta o San Lorenzo del Almagro, time do Papa Francisco, que eliminou o Grêmio por 4 a 2, nos pênaltis, após vencer por 1 a 0 no tempo normal. O gol gremista foi de Dudu, aquele mesmo garoto revelado pelo Cruzeiro, e vendido pra Ucrânia.
Vinte e sete mil pessoas lotaram o Estádio La Ola, campo do Cerro, acreditando na sua classificação. Ela esteve perto, principalmente no primeiro tempo quando Oscar Romero obrigou a Fábio ser São Fábio por alguns minutos e depois Angel Romero mandou uma bola na trave. Funcionou de novo a estrela do excelente goleiro azul.

Aos 19m, Bruno Rodrigo fez falta violenta em Oscar Romero e levou amarelo. Marcelo Pacote Oliveira cometeu a imprudência de deixá-lo no jogo, até porque logo depois Dedé, também, foi amarelado. No segundo tempo, Samúdio foi outro que levou amarelo.Só que de cabeça quente com o 0 a 0 Bruno Rodrigo fez outra falta desclassificante e foi expulso.
Corretamente, Pacote deixou o time como estava. O resultado veio depois. O Cruzeiro voltou diferente no segundo tempo e mandava na partida, mesmo com 10 jogadores. Dois minutos após a expulsão, veio o gol de Dedé. Aí agiu rápido Marcelo Oliveira colocando Dedé no lugar de Borges, que havia entrado aos 15m no lugar de Júlio Baptista, enquanto Dagoberto vinha pra vaga de William.

Aos 38m, tudo ficou melhor ainda. Corujo foi expulso por chutar Dagoberto sem bola. Aos 42m, dois zagueiros do Cerro subiram numa bola e apenas um deles raspou a cabeça. Ela sobrou pra Dagoberto pela ponta-direita. Ele entrou livre na área e chutou sem muita força, mas o bom goleiro Fernandes aceitou: 2 a 0.Fatura liquidada e o Cruzeiro conservou sua invencibilidade em solo paraguaio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.