quinta-feira, 15 de maio de 2014

RAÇA NÃO FALTOU, MAS CRUZEIRO FOI ANSIOSO E PAROU NO APITO URUGUAI E NO GOLEIRO TORRITO


Vontade não faltou ao time do Cruzeiro no empate em 1 a 1 que o tirou da Copa Libertadores e classificou os argentinos do San Lorenzo del Almagro. Faltou tranquilidade desde o início, faltou acerto no novo esquema tático inventado por Marcelo Pacote Oliveira e, principalmente, gols.

Até que Marcelo Pacote escalou boa parte do time que a torcida e a imprensa sugeriam: Nilton no meio-campo e Marcelo Moreno na frente, puxando Júlio Baptista pro lugar de Ricardo Goulart.  Não deu certo.
Nilton fracassou redondamente e não conseguiu ir além de chutões pra cima e pra frente. Trombou o tempo todo com Henrique e Júlio Baptista e sobrou apenas pra Everton Ribeiro, prendendo demais a bola, organizar as jogadas de ataque.
Aí residiu o erro de Pacote: não devia tirar Lucas Silva que tem mais visão de gol e melhor virada de bola que Henrique. Pacote quis um time mais experiente e seus velhos amigos fracassaram.
Marcelo Moreno bem que queria jogo e foi um leão na área. Teve pra empatar a partida aos 46m do primeiro tempo, mas a bola caprichosa, bateu numa trave, correu a linha do gol, bateu na outra e foi para os braços do goleiro Torrito. Aliás, o goleiro argentino teve participação efetiva: evitou dois gols de Moreno, com belas defesas. Fábio fez apenas um "milagre" no primeiro tempo. Na única bola bem chutada, o San Lorenzo marcou 1 a 0, aos 9m do primeiro tempo com Piatti que aproveitou uma falha de Dedé, driblou Ceará e marcou 1 a 0.
Este gol dava o recado final: o Cruzeiro precisaria de marcar 3 a 1 pra continuar.
Aos 25m, pênalti claro em Júlio Baptista. O árbitro uruguaio Martins Vasquez fingiu que nada havia acontecido. Pouco depois, Samúdio se contundia e era trocado por Egídio - Santo Deus!  No intervalo, Pacote botou Dagoberto no lugar de Nilton; pouco depois, aos 10m, entrou com Ricardo Goulart na vaga de JB. Melhorou um pouco, não o suficiente pra furar a retranca dos hermanos. Quando furava, o goleiro Torrito pegava. Ou então era pênalti, como de novo aconteceu, mas sobre Marcelo Moreno, seguro e derrubado na área. Juiz uruguaio mandou tocar.
Aos 25m do segundo tempo, Bruno Rodrigo, um dos bons da partida, e salvador de Dedé, recebeu um cruzamento de Dagoberto e marcou o gol cruzeirense de cabeça: 1 a 1, placar final. Agora, resta ao Cruzeiro se juntar aos outros cinco eliminados e serem escalados pra Copa do Brasil, nas oitavas de final.

FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO 1 X 1 SAN LORENZO
Cruzeiro:

Fábio; Ceará, Dedé, Bruno Rodrigo e Samudio (Egídio); Henrique e Nilton (Dagoberto); Everton Ribeiro, Júlio Baptista (Ricardo Goulart) e Willian; Marcelo Moreno.
Técnico: Marcelo Oliveira
San Lorenzo:
Torrico; Buffarini, Valdés, Gentiletti e Emanuel Más; Mercier, Ortigoza, Villalba e Piatti (Kannemann); Correa (Romagnoli) e Mauro Matos.
Técnico: Edgardo Bauza
Motivo: jogo de volta das quartas de final da Libertadores
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: 14 de maio, quarta-feira, às 22h
Gols: Piatti (San Lorenzo), aos nove minutos, Bruno Rodrigo (Cruzeiro), 25 do segundo tempo
Árbitro: Martín Vazquez (URU)
Assistentes: Miguel Nievas (URU) e Carlos Pastorino (URU) 
Cartão amarelo: Dedé (Cruzeiro), Mercier, Matos, Kannemann, Torrico (San Lorenzo)
Cartão vermelho: Romagnoli (San Lorenzo)
Pagantes: 41.986
Renda: R$ $ 2.678.137,50

VIDA QUE SEGUE

Educado, como sempre, Jayme de Almeida evitou estender a polêmica sobre as rasteiras que levou do Flamengo há dois dias. Afirmou estar relaxado e renovado com o carinho e o reconhecimento do torcedor rubro-negro. Planeja, em pouco tempo, voltar a trabalhar. Foi firme em dizer que jamais acertará com um clube que ainda tenha um profissional empregado". Carapuça serve no meu conterrâneo Ney Franco. Caladão, caladão.

TORCIDA CONTRA

O Arena Sportv fez enquete com a pergunta: "O Flamengo acertou ao trocar Jayme de Almeida por Ney Franco?" De 3.986 votantes, 2.921 (74,97%) não apoiaram a troca. Apenas 975 defenderam a decisão. Creio que a escolha de Jaime não se dá, entre os torcedores, pelo critério técnico. Mas a forma como Jaime saiu da Gávea. Afinal, é prata-da-casa, ex-jogador e muito humilde.

ACERTO DA MULTA

Segundo o presidente do Vitória, o técnico demissionário Ney Franco não deixará de pagar a multa pela rescisão de seu contrato. -"Ney vai pagar a multa sim", afirmou categórico o cartola baiano. Informou que no acerto final, sobre o montante a receber, as partes chegarão ao acerto final.

TANABI APRONTA

O pequeno Tanabi, time da quarta divisão paulista, tem jogado firme no marketing esportivo, a fim de levar o nome do clube pra todo Brasil.  Primeiro contratou o paraguaio Salvador Cabañas, atacante que levou um tiro na cabeça, quando jogava no México. Agora acertou, também com Gessé, o acreano que marcou o gol antes do meio-campo, mostrado pela tevê pro mundo todo.
Cabañas recuperou-se há tempos da tentativa de homicídio que sofreu numa briga no México e voltou ao Paraguai. Tentou jogar como profissional numa equipe do interior, sem sucesso. Gordo e velho, Cabañas decidiu apostar junto com o pessoal de Tanabi nessa jogada de marketing.
Ele e Gessé farão a dupla de ataque num amistoso contra o Grêmio Barueri, na cidade de Tanabi. Ambos jogarão apenas este amistoso: Gessé, depois, voltará ao Atlético acreano onde tem contrato até julho. Cabañas, também, não ficará porque tá com o passaporte vencido.

VIDA MUDADA

Depois de marcar esse gol que nem Pelé conseguiu fazer, rebatendo a bola colocada em jogo pelo goleiro adversário e chutada da intermediária do Atlético-AC,  sem que ela tocasse no chão, Gessé virou estrela. Túlio Maravilha pediu que a fita de seu gol fosse enviada à Fifa pra concorrer ao Prêmio Puskas, do gol mais bonito do ano, visto que "nem eu, nem o Pelé fizemos um gol assim".


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.