terça-feira, 6 de maio de 2014

SOBE OUTRO FORA DE HORA: MEU SOBRINHO LINCOLN, VÍTIMA DO INSS.

Não vou falar, de novo, sobre futebol apesar da convocação da Seleção e do jogo do Cruzeiro, à noite. Vou usar a Trincheira pra manifestar a revolta de minha irmã viúva, 84 anos, de que o maldito INSS já tomou dinheiro de volta, após decisão do Supremo do Batman Joaquim Barbosa, ao tentar acordar o filho Lincoln, cujo costume era acordar cedo, fazer café pare ele, sua mãe Dodora e o irmão Raymundo. Depois, sentava-se na sala e colocava a perna onde sofrera uma trombose, sob a mesinha de centro.
Minha irmã viu sua perna e estranhou que ela estivesse fixa. Foi lá e encontrou o filho com a cabeça no encosto de braço da poltrona. Tentou acordá-lo, balançou-o e desesperada chamou o outro filho. Este chegou fez massagem, respiração boca a boca, chamaram o Samu que atendeu de pronto. Tudo foi feito, mas meu sobrinho Lincoln, um camaradão, cheio de amigos por onde passou, 62 anos apenas, estava morto sem realizar seu sonho: aposentar-se pelo INSS, com aquela merreca de um salário mínimo.
Há cinco anos teve um AVC cerebral e como estava dois anos atrasado no recolhimento não teve como se aposentar. Começou a pagar de imediato o seu carnê de autônomo na esperança de aposentar um ano depois, como motorista, sua profissão. Como dirigir naquelas circunstâncias, com as pernas bambas. Fez até um pedido de renovação de carteira de motorista e, incrível, deram-lhe outra só que de amador. Não condição de dirigir veículo algum. Há cerca de dois anos teve trombose. Passou vários dias hospitalizado em Nova Lima. Deram-lhe três meses de licença. Quando voltou, renovaram-lhe a licença por um mês. Nada da aposentadoria.
Aconselhei-o a entrar com um recurso no próprio INSS. Até hoje, antes da sua morte, nem resposta lhe deram. Enquanto roubam milhões, enquanto as Georginas e os Lalaus tentam e rolam na Previdência, o pobre que tem direito à aposentadoria leva bomba constantemente nos peritos de araque, malditos peritos que irão se queimar no inferno, digo em meu nome e da minha irmã.

A barra tá pesada, meu Bom. Há três meses morreu meu amigo Tonico, também de infarto. Sem nenhum aviso. Estava conversando antes e caiu pra trás, morto. E quanto gente má tem por aí, enchendo a terra de violência e de maldade, sem que uma providência seja tomada, de quem quer que seja, ou da Terra ou das Divindades. Os bons vão embora, sob o consolo de que pelo menos não sofreram nada, e os que ficaram por aqui sofrendo, como consolá-los?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.