sexta-feira, 16 de maio de 2014

UM DIA, QUEM SABE, CHEGAREMOS LÁ...


( Agência Estado) Não é de hoje que a Uefa vem tentando fazer os clubes se adequarem à nova política de "Fair Play Financeiro" estabelecida para o futebol europeu. Mas foi nesta sexta-feira que a entidade deu sua cartada mais forte para que isso aconteça e puniu severamente os clubes que ainda não se enquadraram. Pior para Paris Saint-Germain e Manchester City, que terão que abrir os bolsos.
Dois dos principais novos ricos do futebol mundial, PSG e City esbanjaram em grandes contratações nos últimos anos, mas isso teve um preço. Por não se enquadrarem na nova política, os clubes foram multados em 60 milhões de euros (cerca de R$ 182 milhões) cada. Além disso, poderão inscrever na próxima edição da Liga dos Campeões apenas 21 jogadores, e não 25 como prevê o regulamento da competição.

MAIOR MULTA APLICADA

O expressivo valor das multas é o maior já aplicado pela entidade europeia. No entanto, a própria Uefa fez questão de esclarecer que boa parte da quantia, 40 milhões de euros, será devolvida a cada clube caso eles consigam cumprir as obrigações financeiras nos próximos dois anos.
O "Fair Play Financeiro" da Uefa está em vigor desde 2011, quando foi estabelecido que os clubes precisariam "provar que não têm dívidas em atraso em relação a outros clubes, jogadores, segurança social e autoridades fiscais. Por outras palavras, têm que provar que pagaram as contas", como explica a própria entidade.
Desde o meio do ano passado, no entanto, a política implica que os clubes também têm de respeitar uma gestão equilibrada, sem gastar mais do que recebem. Com isso, os times precisam provar que têm recursos suficientes para bancar aquilo que se comprometeram a gastar ao longo da temporada.
Trincheira: - Este é o tipo de política que a CBF devia aplicar aqui pra moralizar a vida financeira dos clubes. Gastam e investem mais do que têm e recebem. Vivem dependurados, salários atrasados e canos um atrás do outro. Nenhum deles escapa desta lista de mau pagadores.

GUARDIOLA VERSUS RIBERY


( Gazeta Press) Parece que os jogadores do Bayern de Munique ainda não se adaptaram totalmente à filosofia do técnico Pep Guardiola, mesmo depois de quase uma temporada sob o comando do espanhol. Nesta semana, quem criticou o treinador foi o francês Franck Ribéry, que demonstrou incompreensão com as mudanças em excesso feitas por Guardiola.
“Às vezes você joga, em outras fica no banco e em algumas é deixado em casa. Foi uma situação nova para todos os jogadores. Pessoalmente, preciso jogar. Preciso de cinco, seis jogos antes de descansar, e não de um”, afirmou Ribéry à revista Kicker.

PRONTO PRA JOGAR

Ainda se recuperando de uma lesão nas costas, o meio-campista é dúvida para a final da Copa da Alemanha, neste sábado, contra o Borussia Dortmund.
“Talvez esteja pronto para ficar no banco e jogar alguns minutos”, afirmou Ribéry, convocado por Didier Deschamps, técnico da França, para a Copa do Mundo.

TRINCHEIRA: - Quando começa assim a tendência é a coisa piorar até mesmo para um mestre como Pep Guardiola. Na hora do vamos ver a cartolagem prefere dispensar o treinador e ficar com o elenco que é bem mais caro.

( Superesportes) Os quatro semifinalistas da Copa Libertadores estão definidos. Nacional-PAR, Defensor, San Lorenzo e Bolívar terão a oportunidade de decidir o título continental após a pausa para a Copa do Mundo. Os remanescentes da competição possuem um fator em comum: nunca conquistaram o torneio em questão.
Há 22 anos que esse fato não se repetia. A edição de 1992 foi a última na qual todos os semifinalistas nunca haviam sido campeões da Libertadores. Na ocasião, São Paulo, Newell's Old Boys, Barcelona de Guayaquil e América de Cali fizeram as quatro melhores campanhas da competição. Naquela oportunidade, o título ficou com a equipe brasileira, que voltaria a levantar a taça em 1993 e 2005.
Dessa forma, a Libertadores terá pela terceira vez consecutiva um campeão inédito. Os últimos dois foram Corinthians e Atlético; nas edições de 2012 e 2013, respectivamente.

*Matéria feita por Arthur Sala Minoves,com a colaboração de Rafael Miguel/Rádio UFMG



TRINCHEIRA: Ninguém se lembra mais que seis times brasileiros entraram na disputa da Libertadores e apenas o Cruzeiro chegou ás quartas de final. Espero que não estejam debitando apenas ao time mineiro o vexame de não chegar à final, e ser campeão, contra times como San Lorenzo, Bolívar, Defensor e Nacional do Paraguai, uma turma de perebas de dar dó.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.