segunda-feira, 30 de junho de 2014

ALEMANHA, A MAIOR FAVORITA, TEVE QUE SUAR SANGUE PRA VENCER A ARGÉLIA

Quem agüenta a temperatura deste pais tropical?. A França jogou sob um sol pelando de 30 graus em Basília e tirou a Nigéria da Copa com uma vitória de 2 a 0. Os times chegaram ao final da partida  quase mortos. E com razão. Mais tarde, às cinco horas, o adversário da França seria conhecido entre Alemanha e Argélia. Você jogaria suas fichas em quem? Claro que na poderosa máquina alemã. Ainda mais que em Porto Alegre fazia uma temperatura de 13 graus, do jeito que eles gostam. No entanto, um terror para os africanos da Argélia. 

Quem engrossou o jogo foi a Argélia.Sem medo, sem restrições agrediu a Alemanha e a botou na defesa. Foi assim o primeiro tempo todo e chegou até a marcar um gol, anulado pela arbitragem por impedimento. Correto. Nota 10 pra arbitragem brasileira de Sandro Meira Ricchi.

No segundo tempo, a Alemanha cercou mais o time argelino. Sua defesa se adiantou e Neur foi jogar de beque de espera. Do outro lado, o argelino Rais, dentro da meta, era uma coisa fenomenal e parava os goleadores alemães. O aperto estava tão grande que o jogo foi pra prorrogação. Aí a Argélia sem pernas entregou o ouro. Teve chance antes de mandar a Alemanha de volta, não mandou. No primeiro minuto da prorrogação levou 1 a 0, gol de Schurrle. O segundo foi de Özil, mas a Argélia mostrou que não estava morta e fez seu gol, 2 a 1, aos 13m do segundo tempo da prorrogação. Ferveram em cima, mas não conseguiram o empate que os levaria  aos pênaltis.
Alemanha e Argélia já tiveram histórias cruzadas na Copa do Mundo. Em 1982, a Alemanha interferiu diretamente na eliminação dos africanos vencendo a Áustria por 1 a 0 na partida que ficou conhecida como 'Jogo da Vergonha', pois ambos os times abdicaram de buscar o gol por se classificarem com o placar..
O 'Jogo da Vergonha' sequer é citado pelos alemães. Segundo o técnico Joachim Löw, os atletas nem eram nascidos na época do duelo. Já o comandante africano, Vahid Halilhodzic, afirma que os jogadores querem a revanche depois da Argélia ter sido eliminada desta forma. O bósnio, que naquele ano defendeu a seleção da Iugoslávia na Copa, definiu o momento como 'triste'.

NEM CALOR, NEM SECAÇÃO DERAM JEITO NA FRANÇA. VENCEU A NIGÉRIA E FOI PRAS QUARTAS DE FINAL.


O calor danado que fazia em Brasília, com a umidade de 30%, baixa portanto, passava a impressão de que a França pararia diante da Nigéria acostumada com tudo isso. O Estádio Mané Garrincha tinha público de 67.882 e, claro, a grande maioria de brasileiros, visivelmente hostis aos franceses por causa das derrotas que os impuseram em 86, 98 e 2006. Do meu sofá, num ambiente resfriado naturalmente pelas correntes que descem da Serra do Curral e invadem meu apê na comunidade do Santo Antônio, eu, também, era nigeriano desde menino.  Teve jeito não: a equipe treinada pelo campeão mundial Didier Deschamps venceu por 2 x 0.

Sem se importar com o favoritismo dos Bleus, as águias africanas começaram a partida tocando bem a bola e criaram a primeira chance de gol. Aos 18 minutos, Ahmed Musa cruzou pela esquerda para Emmanuel Emineke escorar para dentro da meta do goleiro Hugo Lloris. Porém, o lance foi corretamente anulado, pois o jogador africano estava em posição de impedimento.
No segundo tempo, as duas equipes voltaram com muita vontade, querendo decidir o jogo sem passar pelo drama dos acréscimos ou pênaltis. Desanimei ao ver o goleiro Eneyama, muito bom e pegando tudo falhar numa saída do gol, na bola cruzada da esquerda.Deu apenas um tapinha e a jogou na cabeça do marrento Paulo Pogba, que de cabeça, marcou 1 a 0. Aos 45m fatura liquidada numa jogada do excelenta Valbuena, que os narradores chamavam de Valbuená, e que o zagueiro Yobs marcou contra. Nossa vingança ficou pra depois, quem sabe na partida final.


domingo, 29 de junho de 2014

COSTA RICA NÃO PÁRA NAS OITAVAS E ENFRENTA A HOLANDA NAS QUARTAS DE FINAL


O joguinho foi chulé. Costa Rica não apresentou nem a metade do futebol que usou pra vencer o Uruguai, na primeira fase. A Grécia, que a gente já sabia que não era nenhuma Brastemp teve a seu favor o fato de os caribenhos jogarem após fazerem 1 a 0 pela tal da bola única, ou seja, à espera do erro do adversário, pegar o contra-ataque e aumentar o placar. Porém, o seu ótimo centroavante Campbel esteve numa jornada infeliz. Não ganhou uma bola sequer da zaga grega. O meia Ruiz, camisa 10, canhoto, destacou-se enquanto teve fôlego e fez o gol da  Costa Rica no melhor estilo do craque. Recebeu na entrada da área e com inclusive calma colocou a bola no canto esquerdo do goleiro.

Balançou o correto da Grécia e podia ter caído, porém Costa Rica teve o lateral esquerdo Oscar Duarte que estava amarelado e fez falta desclassificante. Com 10, Costa Rica teve que correr em dobro até os 47m do segundo tempo quando levou o gol de empate. Confusão na área e Sokratis venceu o goleiro Navas. Jogo empatado, veio a prorrogação e com heroísmo enorme, CR levou a decisão aos pênaltis.

Enquanto pôde, Pernambuco se recusou a dizer adeus à Copa do Mundo. Quando a Costa Rica parecia encaminhar a classificação às quartas de final tranquilamente no tempo normal, a Arena Pernambuco, com 41 mil torcedores,vibrava. Eis que a Grécia encontrou o empate nos acréscimos do segundo tempo. Nas arquibancadas, a torcida pernambucana que havia adotado os "Ticos" para torcer desde o começo do jogo, por ora, virou "a casaca". Comemorou a sobrevida da Copa na Arena Pernambuco. Eram mais 30 minutos de prorrogação. Mais Copa. Empate em 1 a 1 que persistiu e virou decisão nos pênaltis. "Em casa", os costa-riquenhos não deixaram a chance de fazer a história passar. Venceram.

Os costa-riquenhos foram às lágrimas quando Navas pegou a cobrança de Gekas. Bastava Umana fazer. Ele fez. Vitória por 5 a 3 nas penalidades. Torcedores e os jornalistas que estavam ao lado da reportagem do Superesportes. Emoção que contagiou. Que emocionou também os pernambucanos e fez jus a um adeus digno de Pernambuco da Copa. A partida foi vista pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter - que surpreendeu a todos e, pela primeira vez, esteve no estádio. O Copa acabou no Recife.

FUTEBOL NÃO PODE SER COISA DE DEUS. É COISA DO DIABO, GARANTE JORGINHO MEXIDIM, FILÓSOFO CARATINGUENSE


 

Caratinga – Convidado pelo amigo Jorge Magalhães, o famoso Jorginho Mexidim, que conhece a alma do nossos conterrâneos de Caratinga mais do que ninguém, fomos ver o jogo Holanda e México no Varandão Grill, do Zé Carlos, a nova sensação em restaurante e pizzaria da  Santa Terrinha. Éramos mexicanos desde criancinha e aos 40m do segundo tempo, arrisquei minha imbecil veia profética: - "Holanda ta fora, e não vira mais este jogo". Pimba, gol da Holanda. Golaço por sinal de Sneijder. Arrisquei de novo: "este foi no rabo, não consegue mais e a decisão será nos pênaltis". Foi mesmo, só que num pênalti cavado por Robben, aos 46m e cobrado magnificamente por  Huntelaar, o terceiro na relação dos cobradores. Van Persie, o primeiro estava fora; Robben, o segundo correu da raia. Perguntaram então pra Huntelaar: "Você cobra?" Já que os cobradores estavam de fora a responsabilidade dele era menor. Cobrou e marcou: Holanda, 2 a 1.

Quem tivesse ido ao banheiro do restaurante aos 40m, por alguma necessidade mais demorada e voltasse aos 47m levaria tremendo susto: "Holanda 2 a 1?" . A veia filosófica de Jorginho sintetizou tudo e a resposta seria a melhor pro assustado telespectador de volta do banheiro: "Futebol não é coisa de Deus; é coisa do Diabo". Neste quintal, costumo transferir aos deuses do futebol certas vitórias ou derrotas; estes existem no futebol. Porém, o Deus legítimo, onipresente, eterno, criador do céu e da terra, não se mete no futebol. Jorginho ta certo.

A Holanda passa às quartas de final após estar praticamente eliminada pelo México, que fez 1 a zero com Geovani do Santos e teve parte da partida sob seu domínio. No entanto, o treinador Herrera cometeu o pecado de tirar os bons e botar os marcadores. Trouxe a Holanda pra cima de seu time. Segundo o indigesto Van Gaal, foi preciso recorrer a um plano B (arre!) pra Holanda empatar e virar sobre o México. O caminho está bem claro aos holandeses. Pegam nas quartas de final a Costa Rica ou a Grécia. Filé melhor do que esse só mesmo como presente dos Céus. 

DIA DE TRISTEZA FOI SALVO PELAS DEFESAS DE JÚLIO CÉSAR

Foi um sábado triste: antes do sofrimento pra se chegar à classificação do Brasil diante do Chile, vivi a dor de sepultar meu cunhado Sebastião Bonfim, amigo de longa data, desde 1960. Era meu companheiro de viagem, enquanto não precisou fazer hemodiálise e tinha, ainda, a mãe Almerinda viva. Alegria dos meus filhos e dos primos deles. O tiozão que segurava as barras, metia a mão no bolso a qualquer hora. Tatão, o irmão mais velho; Tião, pros amigos e sobrinhos; Sebastião pra saudosa mãe com quem foi se encontrar, e, também, com o pai João Jovem. Quando comecei a namorar a minha esposa Neusa, com 15 anos, Tião era o Tião Medonho pra nos. Bigodudo, cara fechada e dando galopes na gente. Quando fomos autorizados a namorar na sala de casa, ficamos amigos. Tremendo boêmio, era meu companheiro de noitadas. Depois, casado e ele solteirão, companheiros de viagens pra praia, levando aquele monte - mais de 20 - parentes; sempre uma enorme festa.
Por causa disso, o jogo ficou em segundo plano. Não sei se a minha tristeza prejudicou minha avaliação, porque achei o jogo fraco tecnicamente e que a maioria dos jogadores ficou devendo. Discuti isso com meu filho Flavinho,com meus sobrinhos Júnior, Marcelo, os cunhados Romeu, Edson e Plínio e apenas Edson tinha minha opinião. Hulk, Dany Alves, Fernandinho, Fred, e depois Ramirez, Jô e William não jogaram nada. Alguns elogiaram Hulk, como a Globo fez, por sua atuação tática. No entanto, considerei imperdoáveis sua participação no gol chileno e no pênalti mal cobrado que quase nos eliminou, não fosse a bola chutada na trave. Aliás, as duas: no finalzinho da prorrogação e na última cobrança das penalidades. Até nosso gol foi contra,apesar da participação de David Luiz um dos bons do jogo. Nosso goleiro Júlio César foi o herói, cantado antes pelo sobrinho flamenguista, Marcelo: "Nosso goleiro é muito bom e vai pegar os pênaltis. Pegou dois. Poderia ter sido mais fácil caso William, que chutou fora,e Hulk que bateu em cima do goleiro Bravo, tivessem cumprido direitinho seus serviços. 
O empate no tempo normal em 1 a 1 foi injusto. O nosso futebol foi abaixo da crítica, mas o do Chile foi pior. Ficamos com medo deles e eles com medo da gente. O árbitro Howard Webb, policial inglês, foi tendencioso e anulou o gol legítimo de Hulk, alegando uso do braço. Teve não. Só ele e o Carlos Simon, de triste memória como juiz, agora comentarista de arbitragem da Fox, viram. Vamos enfrentar na sexta-feira próxima a Colômbia que tem jogado demais. Derrotou o Uruguai por 2 a 0, gols de Jaime Rodrigues, fortissimo candidato a craque da Copa. Há tempos não vejo um meia canhota, camisa 10, com tanto talento quanto este rapaz. Fez um belo gol no Uruguai, de fora da área e no outro estava na área, como centroavante e apenas empurrou a bola pras redes. É uma partida de meter medo, porque, com certeza, Felipão está encrencado. Escalou mal e mexeu mal contra o Chile. Na próxima partida não terá Luiz Gustavo, suspenso pelo segundo cartão, e não tem outro jogador com a mesma característica. Colocar quem ali? Ramirez, Paulinho, Fernandinho, ou puxar David Luiz e entrar com Dante na defesa? Ainda existe a opção de Henrique, zagueiro que joga ali como médio. Não é só isso. Felipão terá que resolver o problema da lateral direita, porque Daniel Alves tem jogado mal. Do meiocampo sem criatividade. Talvez Hernanes realmente esteja merecendo nova chance.
        

sexta-feira, 27 de junho de 2014


NO MINEIRÃO, EU NÃO VOU. NUM CINEMA, TALVEZ. POR FAVOR, ME DÊEM A BOA NOTÍCIA DEPOIS, DEVAGARINHO.

Minha vontade é de me esconder num cinema e ao sair perguntar: "Quanto foi o jogo, por favor?" E que ninguém me responda de supetão: "Brasil (ou Chile) venceu!". Que faça que nem na história do cara que foi avisar ao amigo a morte da mãe: "sua mãe, sabe, subiu no telhado esta manhã". E por aí vai, já que a piada é mais velha que o rascunho da Bíblia.
Tirante as decisões de 58 e 62 que acompanhei pelo rádio e escolhendo o narrador que fizesse menos barulho, passando pelo vexame de 66, no qual fiz rádio-escuta pro Diário de Minas, as demais copas, até 78 acompanhei pela televisão.
Em 78, eu estava lá e conferi o título moral com tremenda raiva dos peruanos que entregaram o jogo para os argentinos. Em 82, após a derrocada pra Itália no Estádio Sarriá, tomei inqualificável porrete e só fui deixar a ficha cair curada a ressaca. Idêntica medida tomei em 86 no Estádio Jalisco, em Guadalajara, abraçado à uma garrafa de tequila.
Em 90, eu estava em Caratinga, com minha saudosa dona Geralda, na casa da Tia Anita,  quando a Argentina fez o gol que nos tirou da competição. Não tive qualquer reação visto não confiar nada naquela seleção de brucutus.
Em 94, outro fato interessante me passa pela memória. Juntamos uma turma boa de parentes e fomos acompanhar Brasil e Itália na cobertura do Adilson Quintela e sua Isabel. Mesa cheia, bebidas à vontade. Na hora da cobrança dos pênaltis, eu sentado numa cadeira de praia, pra lá de Marrakesch, não fiz a contagem.
Quando a Itália chutou pra fora e todos começaram a pular, eu gritei: "Peraí, gente, falta um ainda". Então um dos meus filhos me alertou: "Acabou pai, somos tetracampeões".  Como todo mundo dançava e vibrava, ainda que meio desconfiado, entrei na onda: "Brasil, Brasil, tetracampeão".
No momento, tenho o gostinho amargo de 1950 na garganta, embora nesta copa eu tivesse apenas 7 anos e futebol, ainda, não era uma das minhas prioridades. Aos 70 anos, com a Copa de novo sendo disputada no Brasil, cercada de maldades, previsões grotescas, politicagem oposicionista suja, e tantas outras coisas, vejo-me num ambiente diferente daquele de 50 quando o País todo torcia pela Seleção e o Maracanã recebeu 200 mil pessoas. A certeza da conquista era tanta que o País entrou numa depressão danada. Só quem a viveu sabe informar.

A diferença agora é que me vejo num ambiente meio dividido entre o Bem e o Mal. O Mal armazenou foguetes e engrossa as fileiras da torcida chilena. Uma parcela talvez pequena mas barulhenta porque se esconde atrás da mídia reacionária, que já satisfeita com o sucesso do evento, no qual, na realidade,  não acreditava e  procurava denegrir, subliminarmente, pelos interesses próprios, cruza os dedos pelo anseio de ver a Seleção fora já nas oitavas de final. Santa Maria do Céu. Tal desastre seria pior que o de 50, pois atrás da pura depressão da derrota inesperada viria o tsunami das acusações indevidas, dos recalques oprimidos, e a baixaria da campanha política residual e virtual do Mal.  

KALIL DESISTE DA POLÍTICA E AVISA QUE PALANQUE SÓ COM ANAST-AZIA

Deu na Rádio Itatiaia: "O presidente do Atlético, Alexandre Kalil (PSB), desistiu de sair candidato a deputado federal. A decisão do mandatário foi tomada depois que o partido decidiu lançar candidato próprio ao Governo de Minas. “Eu sou candidato a subir no palanque do' senador'  Anastasia e de mais ninguém”, avisou Kalil, que preferiu não criar polêmica sobre a opção do PSB. “A maioria é maioria, uai.  Fui presidente do Conselho Deliberativo do Atlético sete anos. Sou acostumado com voto, com decisões, com vitórias e com derrotas”, disse.
Kalil disse ainda que o futebol é mais complicado do que política. “A gente disputa uma eleição quarta e outra domingo”, brincou. 

O presidente do Atlético avisou que não subirá no palanque para o pré-candidato à Presidência da República Aécio Neves. “Eu vou subir no palanque do professor Antonio Anastasia, que é meu compromisso desde o dia que fui filiado aqui”, disse. “Não subo em palanque de mais ninguém e não sou candidato a nada”, avisou. 
O candidato do PSB será Tarcísio Delgado, ex-prefeito de Juiz de Fora. O nome foi escolhido nessa quinta-feira, após seis horas de reunião entre representantes da legenda.
O PSB, Partido Socialista Brasileiro, decide lançar candidatura própria ao Governo de Minas. A decisão saiu após seis horas de reunião entre representantes da legenda.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

ARGÉLIA FAZ FESTA PELA CLASSIFICAÇÃO E MANDA A RUSSIA EMBORA E COMPLETA A LISTA DAS 16 SELEÇÕES DAS OITAVAS DE FINAL

Brasil x Chile, neste sábado, à uma da tarde no Mineirão é o jogo que abre as oitavas de Final da Copa do Mundo. Aquela que os azarões, seca-pimenteiras, bocas-azedas, fdp, diziam que não aconteceria no nosso País, ou se acontecesse seria enorme fracasso, por causa dos estádios construídos nas coxas, obras atrasadas e mal executadas.

A primeira fase passou e o com ela veio o sucesso de jogos espetaculares, média de público alta, nenhuma confusão, e a vitória da humildade dos pequenos diante dos gigantes despachados antes.

O primeiro sul-americano a cair foi o Equador. Os demais estão vitoriosos e, com certeza, o Chile será o próximo, porque o Brasil de Felipão passará como um trator por cima do adversário, que não tem nada com isso, a fim de calar outra porção de maldosos, incoerentes, vendilhões que se entregaram à política de quanto pior agora melhor pra eles.

O futebol é o esporte do povo brasileiro e mexe com a sua alma, mas nunca deve ser misturado com a mesquinhez da política que torce pela derrota nacional na Copa, para derrubar o conceito da Presidente Dilma, candidata à reeleição,  como se fosse ela a responsável pela preparação do escrete e não o Felipão.

Os oito confrontos estão formados e os jogos marcados: Brasil x Chile abrem a fase; Colômbia x Uruguai, sem Luizinho Suarez, que já retornou a Montevidéu, jogam no Maracanã, às cinco da tarde.
Domingo, 29, serão disputados estes jogos:
Holanda x México, às 13h, no Castelão, em Fortaleza;
Costa Rica x Grécia, às 17h, na Arena Pernambuco, no Recife;
Partidas do dia 30/06 - Segunda-feira
França x Nigéria, às 13h, no Mané Garrincha, em Brasília;
Alemanha x Argélia, às 17h, no Beira-Rio, em Porto Alegre;
Jogos do dia 01/07 - terça-feira:
Argentina x Suíça - às 13h, no Itaquerão, em S.Paulo
Bélgica x Estados Unidos, 17h, na Fonte Nova, Salvador.

VIDA OU MORTE

Na bela Arena da Baixada, em Curitiba, com arbitragem ruim de Cunyet Cakir, da Turquia, a disputa entre Rússia e Argélia pela segunda vaga do Grupo H foi sensacional, cheia de emoções e bem movimentada. O gramado da Arena, no entanto, pela tevê me pareceu prejudicado e machucado demais. E olha que o estádio foi considerado dentro do Padrão Fifa, o melhor da Copa. Com certeza, foi analisado por alguém do Atlético Furacão, dono da praça, ou por algum cego da Fifa.

Quanto ao jogo, a primeira impressão é que a Rússia ficaria com a vaga pelo histórico e por se mostrar melhor nas eliminatórias. Abriu a contagem aos 6m do primeiro tempo e Fábio Capelo mandou o time recuar pra segurar o placar e contra-atacar.  Sua fama de retranqueiro é antiga, vem da época de treinador do Milan. Deu-se mal, porque a Argélia jogava pelo simples empate, já que a Rússia tinha apenas um ponto e a Argélia três.
Mais uma vez, a segunda nesta Copa, a Rússia foi entregue à sanha dos adversários pelo seu goleiro Akinfeev, cuja fama que o precedia era de igual ou melhor que o saudoso Yashin, o Aranha Negra, da Copa de 1958.

Que nada! Um frangueiro de marca maior: saiu mal do gol aos 15m do segundo tempo e deixou Slimani subir e cabecear paro gol vazio, estabelecendo o empate e a classificação da Argélia.  Na mesma hora, já classificada, a Bélgica garantia 100% de aproveitamento na fase de grupos ao derrotar a Coréia do Sul por 1 a 0, no Itaquerão.

ADEUS DO HANNIBAL

A pena imposta pela Fifa começou a ser cumprida e Luizito Suárez. Ele não está mais com a delegação uruguaia, que viajou para o Rio de Janeiro. onde enfrenta a Colômbia, neste sábado. O atacante permaneceu em Natal, pra viajar à noite de volta à Montevidéu.

Existe uma corrente forte entre os jogadores, diretores, clubes e até jornalistas favoráveis à revisão da pena do craque, afinal ele não poderá jogar mais na Copa e durante quatro meses não poderá, também, jogar pelo Liverpool, seu atual clube, que negocia sua transferência para o Barcelona.


VOLANTE QUE O GALO QUERIA VAI JOGAR NO CITY AO LADO DE FERNANDINHIO

(Globoesportes.com) O Manchester City anunciou a contratação do volante Fernando junto ao Porto. O brasileiro de 26 anos estava desde 2007 na equipe portuguesa, onde ganhou quatro títulos nacionais e uma Liga Europa, e vestirá a camisa 6 na Inglaterra. O atual campeão inglês pagou 12 milhões de libras (R$ 45 milhões) para fechar com o jogador.
No Manchester City, Fernando jogará ao lado de outro brasileiro, o também volante Fernandinho. Além do jogador da seleção de Felipão, o ex-jogador do Porto brigará por uma posição no meio de campo com o marfinense Yaya Touré.


CENSURA VIVE AINDA



   
Depois de a Justiça suspender a venda da edição de junho da "Playboy", que traz na capa Patrícia Jordane, apontada como ex-caso de Neymar, o diretor de redação da revista, Sérgio Xavier, afirmou que a publicação ainda não foi notificada.


Penso que as medidas judiciais tomadas pelo Neymar só servem mesmo pra botar mais lenha na fogueira. E daí se uma ex dele posou pelada pra revista masculina? Eternamente então não vai poder fazer nada por que é ex-namorada de Neymar? Para com isso, menino! Deixa o mundo admirar, também, sua arte fora dos gramados!
SUAREZ, CURRÍCULO MAIS SUJO QUE POLEIRO DE POMBOS, ESTÁ SUSPENSO DA COPA



    AFP PHOTO - Emmanuel Dunand

Luisito Hannibal Suarez está fora da Copa do Mundo. Por causa da mordida que deu no zagueiro Chiellini, da Itália, a Comissão Disciplinar da Fifa deu-lhe uma suspensão de nove jogos.Ele também tá banido por quatro meses de qualquer atividade ligada ao futebol e terá que pagar multa de 100 mil francos suíços. Sua entrada foi proibida em qualquer estádio de futebol no mundo, nesse período de suspensão. Santa Maria do Céu!

A decisão foi tomada por 19 membros da Comissão Disciplinar da Fifa. Suaréz foi enquadrado nos artigos 22, 48 e 57 do código disciplinar da entidade. O uruguaio ainda pode recorrer.

Sem o atacante em campo, o Uruguai ainda não conseguiu vencer nesta Copa do Mundo. Foi apenas uma partida, na estreia, contra a Costa Rica (derrota por 3 a 1, em Fortaleza), mas o suficiente para mostrar a dependência da Celeste ao jogador.


Na partida seguinte, Suárez fez os dois gols na vitória sobre a Inglaterra (2 a 1), em São Paulo. Contra os italianos, teve algumas oportunidades, mas não balançou as redes. Sua presença é vista como imprescindível pelos próprios atletas uruguaios.

Histórico 

Esse tipo de incidente não é novidade na carreira de Luis Suárez. Na Holanda e na Inglaterra, em jogos com as camisas de Ajax e Liverpool, respectivamente, ele também usou os dentes contra os adversários.
Em 2010, o atacante mordeu o ombro do holandês Otman Bakkal, então no PSV. Por causa do episódio, foi suspenso por sete jogos.
No ano passado, pegou dez jogos após mais um ataque com os dentes. Na ocasião, o alvo foi o sérvio Ivanovic, do Chelsea.

Racismo

As polêmicas acompanham a carreira do uruguaio, que também já se envolveu em um suposto caso de racismo. Em 2011, ele chamou o francês Evra de negro durante confronto pelo Campeonato Inglês. A alegação do uruguaio é que em nenhum momento usou a palavra no sentido pejorativo. Mesmo assim, foi punido com oito jogos de suspensão e multado em R$ 115 mil.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

FRANÇA TIRA PRIMEIRO SUL-AMERICANO E TEM COMPANHIA DA SUÍÇA NO GRUPO E

Não gostei das vaias que França e Equador levaram depois do empate de 0 a 0, encerrando as disputas do Grupo E, no Maracanã. Não foram justas. Nas duas seleções não faltou luta ou vontade de vencer. Foi uma partida muito interessante e cheia de emoções. Não merecia as vaias que vieram de torcedores brasileiros. Os franceses festejaram e os equatorianos aplaudiram o esforço de sua equipe.

O Equador, inclusive no segundo tempo, quando teve praticamente todo tempo com 10 jogadores em razão da expulsão do seu capitão Antônio Valência, segurou o placar na defesa e nos contra-ataques criou várias oportunidades de marcar e ficar com a segunda vaga.

A França, já classificada, com duas vitórias, queria manter os 100% de aproveitamento, mas esbarrou na grande atuação do goleiro Dominguez. Nem com Benzema e Giroud na frente e Pogba no meio, les bleus conseguiram furar a retranca equatoriana.

Público espetacular no Maracanã: 73.749 presentes. A arbitragem excelente foi do africano Noumandiez Doue, de Costa do Marfim. O destaque do jogo foi o goleiro Dominguez, que fez oito defesas sensacionais e travou um duelo particular com o goleador Benzema, este atrás de seu quarto gol na competição.

A Copa do Mundo no Brasil já tem 12 classificados para as oitavas de final. Faltam quatro que serão conhecidos nos Grupos G, da Alemanha, e H, da Bélgica. Os emparelhamentos conhecidos são os seguintes:

Brasil x Chile, 28/6 - sábado, no Mineirão, à uma da tarde.
Colômbia x Uruguai, 28/6 - sábado, às cinco da tarde no Maracanã
Holanda x México, 29/6-  domingo, no Castelão, à uma da tarde
Costa Rica x Grécia - 29/6 - domingo - na Arena Pernambuco - às cinco da tarde.
França x Nigéria, 30/6, segunda-feira, à uma da tarde, no Mané Garrincha, em Brasília
Argentina x Suíça, 01/7, terça-feira, à uma da tarde, no Itaquerão.

MASCARADO, MAS NEM TANTO


O atacante Mário Balotelli, (foto) sisudo, cara de poucos amigos, tido como mascarado, no entanto foi simpático pelas redes sociais. Postou elegante mensagem de despedida do Brasil: Disse que sentirá saudades do país sul-americano e frisou sua torcida pelo escrete canarinho.
“Valeu Brasil! A Copa não foi ótima para mim, mas estar com vocês foi "nota 10"! Os brasileiros estão no meu coração e deixarão saudades. Agora, mostrem que são o país do futebol e sejam os reis dessa festa! Vai Seleção!”, escreveu.  

GANA E SUA GREVE

 (Superesportes) Durou apenas um dia a greve dos ganeses em Brasília. Antes de chegar à capital federal, ainda em Maceió, a seleção prometeu boicotar o treino de terça-feira — e assim eles fizeram — caso não recebessem cada um, em espécie, cerca de R$ 220 mil (U$ 100 mil) referentes aos direitos de imagem no Mundial. “Mesmo que não recebamos o dinheiro, estamos na Copa, com o mundo inteiro olhando para nós, então não vamos deixar de jogar”, disse o meia Christian Atsu.
A greve ocupou a maior parte do tempo da entrevista coletiva, no Mané Garrincha. A história tomou proporções mundiais. Atsu foi questionado até sobre a maneira como guardaria os 100 mil dólares — valor não confirmado por ele ou pelo técnico James Appiah. Constrangido, ele disse que guardará o montante em sua mala.

Os jogadores ameaçaram a greve por não querer os direitos de imagem transferidos eletronicamente, como havia sido combinado com a Associação Ganesa de Futebol (GFA), e sim em espécie. “Pagar em espécie é uma prática comum no nosso país. Alguns jogadores não têm nem conta bancária em Gana, e isso dificulta o depósito”, disse Appiah.
O treinador demonstra ser um dos mais abalados com a repercussão negativa do boicote. Paciente e visivelmente cansado, o técnico respondeu a todas as perguntas sobre o tema. “Estou há dois dias sem dormir”, entregou. Segundo Appiah, o avião fretado pelo governo ganês com cerca de três milhões de dólares, de acordo com a imprensa de Gana, aterrissaria à tarde em Brasília. A GFA informou, em comunicado, que os direitos de imagem serão pagos pelo governo federal, e que o valor será ressarcido quando, ao fim da Copa, a Associação Ganesa receber da Fifa o prêmio por participação no torneio.

De acordo com a nossa Receita Federal, quantias acima de R$ 10 mil devem ser declaradas no desembarque no Brasil. Portanto, os U$ 3 milhões só podem ser confiscados se o governo ganês não informar que chegou ao Brasil com esse valor. Não há tributação sobre ele.


DOR DE COTOVELO FAZ JORNALISTA ESPANHOL ESCULHAMBAR A COPA

Já vi reações feias, como aquela da Copa na França quando inventaram que a nossa Seleção havia vendido a partida para o governo de Paris e outras bobagens mais. Como essa do jornalista espanhol do jornal el Mundo, Julián Ruiz,  confesso que nunca vi. As reações estremas são coisas de torcedores; profissional de qualquer setor envolvido numa Copa do Mundo chegar às besteiras que esta espanhol escreveu, só pode estar maluco.
Vou transcrever a coluna que li num site do qual não me lembro o nome. Quem transcreveu o texto do espanhol e deu uma porretada bem nada, também não me lembro. Estou desta maneira. Esqueço até quando tenho fome. Só esqueço das minhas goiabinhas vermelhas que mando vir de Rio Casca.
Disse a coluna brasileira: "Para Júlio Ruiz, o motivo para a fragorosa desclassificação da Espanha não é outro se não a péssima qualidade da Copa do Mundo do Brasil. É tudo culpa da corrupção da Fifa e do Brasil, dos estádios cuja construção terminou em cima da hora e do calor e umidade "insuportáveis" no Brasil. Ele também diz que são esses os motivos que fizeram as seleções de Inglaterra e Portugal se despedirem tão cedo da Copa - na verdade, Portugal ainda tem uma chance de se classificar.
O jornalista define o Mundial no Brasil como "o pior que já sofri em toda a minha vida". "Um Mundial que começou com a corrupção da Fifa ao admitir a candidatura do Brasil, que se sabia putrefata, repleta de falcatruas capitalistas, que desembocaram nos protestos nas ruas brasileiras, no medo do caos nos próprios estádios, que estavam em cima da hora sem terminar. Depois, o horroroso calor e umidade na maioria das cidades-sede. Impossível jogar futebol para as melhores seleções. Espanha, Inglaterra, Portugal etc... estão fora só com duas partidas. É um exemplo grotesco."
Pensa que acabou? Pois não acabou não, o jornalista continua: "Este calor, esta umidade, está adulterando toda a competição, com a cumplicidade de árbitros a serviço do poder mais corrupto, onde os dirigentes só recebem o dinheiro de capitalistas brasileiros ou sultões do dinheiro como os dos países árabes.(...) É o novo futebol do Terceiro Mundo, mas com dinheiro, com corrupção".
Para finalizar, o desgostoso jornalista coloca em dúvida a lisura da competição: "É o suplício de um Mundial que está adulterado, absolutamente manchado pela corrupção da Fifa. Não me estranha que Van Gaal (treinador da Holanda) tenha denunciado um Mundial que é uma merda."
TRINCHEIRA: Já tive várias dores de cotovelo. Dói pacas...

MORDIDA DE HANNIBAL SUAREZ RENDE DINHEIRO NA SUÉCIA

A Fifa anunciou que vai se pronunciar a respeito da mordida de Hannibal Luizito Suarez, mas não será por esses dias. A Colômbia queria antes de seu jogo e que o esfomeado atacante uruguaio sofresse dura punição em suspensão. Pode acontecer, mas por enquanto ele continuará livre pra morder à vontade.
No Uruguai, a classificação para as oitavas de final foi comemorada. Na Itália, a eliminação da Copa do Mundo foi lamentada. Mas, na Suécia, a mordida de Luis Suárez no zagueiro Chiellini foi mais celebrada que qualquer gol. Um apostador do país escandinavo, Mats Johansson, cravou (no sentido figurado) que o atacante uruguaio morderia um adversário durante o Mundial no Brasil. Com a "previsão", ganhou mais de R$ 5,7 mil. Na Noruega, outro apostador também lucrou.
Esta informação foi jogada no ar pelo escritor Xico Sá, no "Extra Ordinários". Para ganhar, Mats apostou apenas 10 coroas suecas (cerca de R$ 33). A casa de apostas pagaria 175 vezes o valor depositado, se Suárez realmente mordesse alguém. Com o "ataque" a Chiellini, o torcedor sueco ganhou 1.750 coroas (cerca de R$ 5.770).


ACHO QUE CHEGA, NÉ PULGA! TERCEIRO JOGO QUE MESSI SEGURA A BARRA ARGENTINA E EMPATA COM NEYMAR NA ARTILHARIA DA COPA

Hordas de los hermanos invadiram Porto Alegre. Mais de 100 mil argentinos atravessaram a fronteira pra ver sua Seleção jogar contra a Nigéria, no Beira-Rio, cuja capacidade atual não chega a 50 mil lugares.

O estádio estava totalmente tomado. As ruas no entorno dele, também, Nem precisava de tanto, visto que a Argentina já estava classificada no Grupo F, com seis pontos, e disputava um óbvio primeiro lugar contra a Nigéria, com três pontos, e mais interessada nos acontecimentos do jogo entre Irã e Bósnia, na Fonte Nova. No final, ficou tudo como esperado, apesar da vitória argentina por 3 a 2: o time de Lionel Messi em primeiro e a Nigéria em segundo, porque a Bósnia derrotou o Irã por 3 a 1.
Outra vez, o craque do Barcelona foi o personagem principal do jogo. Marcou os dois primeiros gols da sua Seleção: aos 2m, pegando o rebote de um chute de Di Maria, que pegou na trave e na nunca do goleiro Enyeama, antes de sobrar para o Pulga. Ele mandou o pé no meio do gol: Argentina 1 a 0. O jogo começou quente e disputado. Um minuto depois, a Nigéria empatou com um belo gol de Musa, após driblar Zabareta. 1 a 1.
Aos 37m, os argentinos perderam Agüero por lesão. Entrou Lavezzi e o time ficou mais agressivo ainda. Messi deu um daqueles seus famosos piques e foi derrubado perto da área. Ele fez toda a cerimônia da cobrança e mandou por cima da barreira, no canto esquerdo do goleiro Enyeama que ficou só espiando. Foi sair a bola e o árbitro Nicola Rizzoli, que teve excelente atuação, terminou o primeiro tempo. Com os dois gols marcados, Messi pegou Neymar na artilharia da Copa - 4 gols cada.
Começando o segundo tempo, a Nigéria empatou: de novo Ahamed Musa, entrou pelo meio, aproveitou do cochilo da zaga argentina e desviou de Romero: 2 a 2. Jogão. Só que do outro lado estava Lionel Messi, o melhor jogador do mundo,e foi ele quem criou a jogada de escanteio que Higuain cobrou e Rojo, sem querer, com a bola batendo-lhe no joelho e enganando Enyeama, desempatou - Placar final, Argentina 3 a 2.
Tava bom demais e os dois times decidiram acabar com a correria e se pouparem. A Bósnia mexia mais no placar, na Fonte Nova, e garantia a classificação da Nigéria em segundo lugar no Grupo F. Tanto que Sabella resolveu poupar Lionel Pulga Messi e o tirou aos 19m pra entrada de Álvares. Com os gols desta partida, a Copa chegava a 126 em 42 jogos. Média de 3 por partida.

OS ELIMINADOS


Mesmo eliminados, Bósnia e Irã fizeram jogo movimentado em Fonte Nova e terminou com a vitória da Bósnia por 3 a 1, gols de Vrsajevic, Pjanic e Dzeco. Pro Irã marcou Ghoochannejhad. Fala aí o nome dele, se for capaz. Os narradores deram graças a Alá que mandou o Irã e seus nomes complicados de volta.

terça-feira, 24 de junho de 2014

OITAVAS TÊM QUATRO JOGOS CERTOS: BRASIL X CHILE; HOLANDA X MÉXICO; COLÔMBIA X URUGUAI E COSTA RICA X GRÉCIA.

A Colômbia já estava classificada no Grupo C com seis pontos, talvez ameaçada nessa posição por Costa do Marfim que tinha três; Japão possuía  alguma chance caso derrotasse os colombianos, ou até mesmo se empatasse, desde que Costa do Marfim e Grécia empatassem também. Deu tudo diferente, bem próprio da falta de lógica do futebol.

Tranquila, a Colômbia foi para o jogo na Arena Pantanal, em Cuiabá, apoiada pela massa humana de seus compatriotas que invadiram o Brasil, e sem seis titulares. Aos japoneses restavam a coragem e a garra de sempre, coisas que não foram suficientes.

No primeiro tempo, os japas seguraram, ainda, o empate em 1 a 1, gols de Cuadrado aos 16m, cobrando pênalti de Konno em Ramos. Konno levou cartão amarelo, o centésimo da Copa, mantendo uma média de 2,6 por jogo, que, segundo Leonardo Gaciba, da Globo, é muito baixa. Ótimo.

Os japoneses empataram aos 46m, nos acréscimos, bobeira do meia Quintero que perdeu a bola no ataque, e houve o contra-ataque rápido que terminou no passe de Honda pra Okasa marcar 1 a 1.

No segundo tempo, a Colômbia resolveu ganhar e colocou Jaime Rodrigues no lugar de Quintero. Mudou a cara do time. Rodrigues, destaque da Copa, fez de tudo. Aos 11m, recebeu a bola de Árias e apenas rolou pra Jackson Martinez, assistência genial, e o centroavante do Porto marcou 2 a 1.
Aos 38m,contra-ataque rápido e Jackson Martinez marcou seu segundo gol e o terceiro da Colômbia, novamente com assistência de Jaime Rodrigues.  3 a 1.

Logo depois, o técnico da Colômbia, José Pekerman, resolveu homenagear o interminável Mandragon, 43 anos, completados este mês e o colocou no lugar de Ospina. E não é que no final da partida, Mandragon fez uma defesa espetacular!

Antes, porém, a Colômbia marcou seu quarto gol, uma pintura, através de seu craque Jaime Rodrigues. Recebeu de Jackson Martinez e jogou com leve toque, de cobertura, para as redes japonesas. Colômbia, 4 a 1.

BRIGA PELA VAGA
Enquanto a Colômbia liquidava as pretensões do Japão, no Castelão, em Fortaleza, Grécia e Costa do Marfim faziam um jogo eletrizante e carregado de emoções. A Grécia mandou melhor no primeiro tempo, chutou bola na trave e marcou através de Samara. A segunda vaga do grupo passou a ser sua. No segundo tempo, entretanto, Costa do Marfim empatou em 1 a 1, com Boni, e a vaga voltou pra ela.

Ia assim até aos 47m, com os analistas já prevendo o jogo Costa Rica e Costa do Marfim, quando houve o pênalti corajosamente anotado pelo árbitro inglês Howard Webb. Samara cobrou e fez 2 a 1 Grécia. A segunda vaga do Grupo C tornou-se grega, a última colocada. A classificação ficou assim: Colômbia, 9; Grécia, 4; Costa do Marfim, 3 e Japão, 1. Como diria o saudoso treinador do EC Caratinga, Eloi Ristóris: "futebol, realmente, não tem losma..."(sic)

NO ENTORNO DA COPA

* Sérgio Prandeli, técnico da Itália, nem esperou a volta ao País pra informar que deixava a direção técnica da Azurra. Foi atrás do Presidente da Confederação Italiana que, também, renunciou ao cargo.




 Depois de morder Chiellini, Suarez ainda palitou os dentes e revoltou o mundo do futebol que o quer fora da Copa.


*Novo apelido de Luizito Suarez, após a mordida que deu no zagueiro Chiellini, durante a partida Uruguai x Itália: Hannibal Suarez. Afinal, esta é a terceira vez que Luizinho Suarez tenta tirar um naco de carne de algum adversário. Fez isso na Liga Inglesa e na Francesa. Já tomou 10 jogos de suspensão por este apetite exagerado nos jogos.
FUTEBOL MEIA-BOMBA PARA PÚBLICO RECORDE NO MINEIRÃO

Costa Rica e Inglaterra não fizeram uma partida muito emocionante dentro de campo. Porém, fora dele, está marcado na história com o recorde de público pagante do novo Mineirão: 57.823 torcedores.

Este número superou os 57.698 presentes na partida Argentina e Irã, no último sábado, que até então detinha o recorde do estádio. Ao contrário do jogo dos “hermanos”, quando a maioria das arquibancadas era composta por estrangeiros com camisas azuis e brancas, no jogo da Inglaterra a maior parte do público foi de brasileiros, que adotou Costa Rica e vibrou com a sua classificação.
Nas partidas entre clubes, os recordes pertencem aos jogos entre Cruzeiro e Grêmio, pelo Brasileirão do ano passado (56.864), e Atlético e Olímpia, pela final da Libertadores 2013.

COM A VELHA GARRA URUGUAI, CELESTE OLÍMPICA MANDA ITÁLIA EMBORA DA COPA

O primeiro tempo não foi legal. Estudado, medroso, duas seleções capazes porém receosas. O Uruguai precisava vencer pra ficar com uma das vagas. À Itália, com saldo de gols zero, bastava o empate. Bem no seu estilo, os italianos tocavam a bola, cozinhavam o jogo, faziam faltas táticas e prendiam a Celeste Olímpica na defesa. Em oito minutos de bola correndo o mexicano Marco Rodrigues - por sinal bem fraquinho - já havia marcado sete faltas. Quase uma por minuto.

Não choveu em Natal na hora do jogo, ainda bem. A capital potiguar tem sofrido com as torneiras abertas por São Pedro. De qualquer forma, a temperatura na Arena das Dunas era quente dentro e fora de campo.

Santa Maria do Céu! O segundo tempo foi um fervedouro total. Teve de tudo. Aos 6m, Bonucci fez pênalti em Cavani que o mexicano ignorou. Luizito Suarez se aproximou mais da área italiana e eu dou razão ao Roger Flores que comentou na Globo: "Por que Suarez cobra escanteios e faltas quando na verdade, como sobe bem e é goleador, devia estar na área?" Também acho. Continuou assim até o fim, e por causa disso o famoso goleador foi apenas lutador e discreto.

O jogo mudou seu perfil aos 14m. Na frente do árbitro, Marchisio entra com a sola mais alta, no meio da canela de Arévolo e foi expulso. Buffon passou a fazer milagres na meta italiana. Fez três, principalmente no lance em que Luizinho Suarez apareceu na cara dele, na marca do pênalti e só São Genaro sabe explicar o que o veterano Buffon, 36 anos, três Copas, um título mundial em 2006, conseguiu fazer pra evitar o gol uruguaio.

A elegância e a frieza de Pirlo - 35 anos, sua última Copa, jogou 102 vezes pela  Seleção, três Copas, e o título mundial de 2006 -  somadas à sua qualidade técnica conseguiam equilibrar a partida no meio-campo. Entretanto, a Itália não passava da intermediária. Então entrou em campo a malícia do técnico Óscar Tabarez.

Como a Itália perdera Balotelli por lesão e Marchisio expulso, Tabarez tirou Cáceres da zaga e o colocou na lateral esquerda. Tirou o lateral Álvaro Pereira - do São Paulo - e entrou com o atacante Stuani. Arriscou mais ainda, quando mandou o zagueiro Godinho jogar na área da Itália. O zagueirão do Atlético de Madrid é célebre pelos gols decisivos de cabeça.

Aos 37m, após intensa pressão, escanteio pela direita e Luizito Suarez cobra. No meio da confusão na área, voa Godinho de frente, vira de costas, sobe mais que todo mundo, e a bola bate em sua nuca e entra. Gol uruguaio. Gol da classificação. Mais uma campeã do mundo europeia volta pra casa antes da hora. E a Itália seria a única que poderia alcançar o Brasil em número de título, caso fosse campeã, e o Brasil não chegasse lá. Azar deles!

Outro lance que vai dar o que falar: Luizinho Suarez disputa a bola com o zagueiro Chiellini e lhe dá uma mordida no ombro esquerdo. O italiano revidou com cotovelada no boca do artilheiro. O árbitro foi ao local por que parou o jogo com os dois atletas no chão. Não viu nada e nem consultou seu assistente que estava bem perto. A Fifa tem a fita do jogo, e como normalmente faz, deve examiná-la e possivelmente punir os dois jogadores. Pior para o Uruguai que continua na competição.

COSTA RICA, PRIMEIRO LUGAR


No Mineirão, numa partida bem fraquinha, Inglaterra e Costa Rica ficaram no 0 a 0, ótimo pra seleção da América Central que chegou aos 7 pontos, um na frente do Uruguai, segundo colocado no Grupo D. O Uruguai joga contra a Colômbia no Maracanã pelas oitavas de final. A Costa Rica espera a decisão da segunda vaga do Grupo C. A disputa está entre Costa do Marfim, com 3 pontos; Japão e Grécia com um.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

ESTE É O BRASIL QUE FELIPÃO PROCURA E A TORCIDA QUER: O DA GOLEADA EM CAMARÕES




 Foto de Jefferson Beernandes - VIPCOMM

Se Luiz Felipe Scolari não for cabeçudo e teimoso, posso afirmar sem medo de errar que ele achou a Seleção Brasileira da Copa do Mundo no Brasil. É o time que jogou o segundo tempo contra Camarões e goleou por 4 a 1, garantindo o primeiro lugar do Grupo A no saldo de gols, visto que o México, também, venceu: 3 a 1 na Croácia e ambos chegaram a 7 pontos. Neymar desequilibrou de novo: marcou dois gols e foi da maior importância quando o jogo estava parelho.

No primeiro tempo, o Brasil começou bem, deu impressão de que venceria fácil, porém a partir dos 17m, após fazer 1 a 0, gol de Neymar, a seleção deixou Camarões equilibrar e até empatar, aos 27m.

O talento de Neymar apareceu de novo. Em jogada individual, driblou o marcador, após receber de Marcelo, e chutou de fora da área sem defesa pro goleiro Itandje. O resultado era bom, porque em Curitiba México e Croácia empatavam sem gols.

Só que a Seleção jogava mal. O esforço de Neymar, Luiz Gustavo, Marcelo, Thiago Silva e David Luiz não encontrava apoio em Hulk, Fred, Paulinho,Oscar e Daniel Alves. Camarões atacava em velocidade e em bloco, sempre tendo o rebote das bolas de meio-campo.

Na fase final, Felipão botou o dedo na ferida. Primeiro tirou Paulinho e entrou com Fernandinho. O time melhorou de água pra vinho. Fernandinho combateu, desarmou e apoiou.
Além do que, o Brasil marcou 3 a 1 logo aos 4m, em trama bem trabalhada pelos homens de armação e após um escanteio.
David Luiz que estava pela ponta esquerda, no lugar de Marcelo, recebeu a bola e fez a assistência perfeita.  Na cabeça de Fred. Ele desencantou: Brasil 3  a 1.

Aos 20m, Neymar tentou uma lambreta em cima, zagueirão de dois metros de altura, por um metro e meio de fundura, mas não deu certo. O camaronês gozou Neymar, que não gostou e o mandou tomar naquele lugar. Felipão começou a se preocupar. O maior jogador do Brasil já tem um cartão amarelo e se levasse outro estaria fora da próxima partida.

Então, melhor seria tirá-lo. Entrou William, com uma fome de leão.
Aos 40m, William, Oscar, Fred e Fernandinho tomaram a bola da defesa, triangularam na entrada da área e Oscar rolou pra Fernandinho entrando entre os zagueiros. Como Oscar fez no jogo contra a Croácia, Fernandinho fez agora. Meteu o bico na bola: Brasil 4 a 1, placar final.

OS GOLS DO CRAQUE

E vocês acham que eu deixaria de descrever os gols de Neymar? Aconteceram no primeiro tempo, conforme disse, no período mais difícil pra Seleção. Aos 17m, Luiz Gustavo chega na lateral ao lado de Marcelo na marcação de dois camaroneses. Toma a bola deles e arrisca ir ao fundo. Como canhoto,  autêntico ponta, fez o cruzamento rasteiro pra Neymar, no meio. A Joia da Seleção e de Bruna Marquesini com um leve toque tirou do alcance do goleiro Itandje.

O segundo foi aos 36m, nove minutos após o empate de Camarões. David Luiz, como já tinha feito antes, tentou uma ligação direta com Neymar. A defesa se interpõe, mas a bola sobra pra Marcelo, que apenas a entregou a Neymar, pela meia esquerda. O craque levou pro meio, tirou o marcador da jogada, e soltou o pé. Golaço, Brasil 2 a 1. O 35º gol de Neymar pela Seleção Brasileira.

PÚBLICO ESPETACULAR

Estiveram presentes ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília, 69.121 torcedores, Espetacular, lotação completa e que vem comprovar mais uma vez o sucesso da Copa do Brasil.
Apitou bem o sueco Jonas Eriksson e desta vez ninguém pode se queixar que o anfitrião foi ajudado pela arbitragem.

MÉXICO VENCE


 Foto de Jamie McDonaldi/Getty Images

Em determinado momento dos jogos, em Brasília e em Curitiba, o México chegou a igualar-se ao Brasil, também, em saldo de gols - 4 a 4. Mas o Brasil vencia em outro critério: gols marcados. Tinha dois gols a mais. Quando Fernandinho fez 4 a 1, e a Croácia diminuiu em Curitiba, o céu clareou e o Brasil confirmou o primeiro lugar do Grupo A.
Assim jogará sábado no Mineirão contra o perigoso Chile, outra fera deste Mundial.
O México terá de ir ao Castelão, em Fortaleza,  na quinta-feira, enfrentar a Holanda, à uma hora da tarde. Azar dele. Vai pegar um solão brabo. Talvez até melhor pra ele, México, do que para os branquelos da Holanda.

O México fez 3 a 1 na Croácia, gols marcados por Rafa Marques, Guardado e Chicarito Hernandes no segundo tempo. Pra Croácia descontou Perisic.

HOLANDA 100% NO GRUPO B: VENCE CHILE NA INTELIGÊNCIA E VELOCIDADE DE ROBBEN

O técnico da Holanda, Van Gaal, é mascarado, mal-educado, marrento e até asqueroso segundo a maioria dos repórteres que fazem a cobertura da seleção holandesa. Todavia, vou tira-lhe o meu Panamá legítimo: o cara é bom de serviço e o time dele é, disparado, o favorito da Copa do Mundo Fifa 2014.  Fez ótima campanha nas eliminatórias, saindo invicto. Veio pro Brasil cercado de todo prestígio de melhor Seleção da Europa e confirmou no gramado: goleou a campeã Espanha (5 a 1), teve alguma dificuldade contra a força física da Austrália (3 a 2) e bateu o Chile, já classificada com muita inteligência e aplicação tática.

A impressão que Chile e Holanda passaram nesta partida do Itaquerão, totalmente tomado, foi de respeito mútuo e que nenhum deles queria perder sob o risco de enfrentar, pressupostamente, o Brasil. Por que pressupostamente? Porque o Brasil jogaria depois, às cinco da tarde, em Brasília, contra Camarões, este já eliminado. México e Croácia, no entanto, teriam chances e jogariam no mesmo horário. O Brasil e o México com 4 pontos e a Croácia com 3.

0s números, os adivinhos, a maior torcida, enfim tudo apontava àquela altura para o Brasil em primeiro lugar no Grupo A. Desta forma não enfrentaria o primeiro do Grupo B nas oitavas de final. Daí surgiu a especulação de que Chile e Holanda fizeram o primeiro tempo cuidadoso, de olho nos brasileiros. No segundo tempo, a coisa continuou em banho-maria. Quem buscava mais o gol era o Chile. O empate favorecia a Holanda com enorme saldo.

Van Gaal então puxou o tapete de Jorge Sampaolo, do Chile, que nervoso, andando de um lado pra outro na área técnica, não pressentiu a armadilha. O técnico holandês Sneijder meia atacante longe da área e colocou o gigante Fer, de 1,90 no meio dos zagueiros de 1,70 do Chile e o velocista Depay pelo lado direito.

Ficou pronto pro contra-ataque, pois puxou Robben para ajudar no meio e sair em velocidade pelo lado esquerdo como normalmente faz. Não deu outra: aos 32m, Depay levantou a bola do lado direito e pegou Fer livre na marca do pênalti. De cabeça, marcou 1 a 0 Holanda.
O Chile saiu louco atrás do gol de empate, que não resolveria nada, e abriu a guarda. Aos 45m, De Jong tomou a bola na defesa, lançou-a no espaço vazio pra Robben. Foi aquele conhecido pique em alta velocidade. Antes da linha de fundo cruzou; a bola pegou Depay entrando pelo meio. Holanda, 2 a 0.
Holanda com 100% de aproveitamento pega o segundo do Grupo A; Chile, com seis pontos, em segundo, pega o primeiro do Grupo A, que se espera seja o Brasil. De qualquer maneira ficamos naquela: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. São duas seleções - Holanda e Chile - que metem medo em qualquer outra da Copa.

DESPEDIDA DA CAMPEÃ


Eliminada prematuramente da Copa do Mundo, a campeã Espanha despediu-se do Brasil com a vitória por 3 a 0 -gols de Davi Villas, Fernando Torres, e Mata. O jogo foi em Curitiba e apenas cumpriu a tabela visto que a Austrália, também, foi despedida sem qualquer vitória.

domingo, 22 de junho de 2014

FELIPÃO SOLTA OS CACHORROS NO TÉCNICO HOLANDÊS QUE FALOU BOBAGENS E OFENDEU ATÉ CAMARÕES -
Flávio Anselmo - 22-6-14

 Fiquei bem amolado quando ouvi parte da entrevista coletiva de Luiz Felipe Scolari rebatendo críticas ou declarações de alguém. Pensei comigo: "Chiii, Felipão teve uma recaída e voltou a ser o mal educado e intolerável de sempre". Quando Luiz Roberto, o narrador global, revelou que logo diria a quem estavam dirigidas aquelas palavras de Felipão na coletiva, refiz minha críticas.

Eram para o treinador da Holanda, Louis Van Gaal, que mais cedo mostrou contrariedade sobre os horários diferentes do Grupo B - o dele - com o Grupo A - o nosso. Dava a entender que seríamos beneficiados, como sempre acontece com os anfitriões, porque poderíamos escolher nossos adversários na outra fase.

Pô, mas nem estamos classificados. Este arrogante treinador holandês foi deselegante com Camarões, nosso adversário desta terça-feira e, ainda, candidato à uma vaga.

Luiz Felipe Scolari, após confirmar a presença de Hulk no time titular, esquentou o clima pras oitavas de final. A primeira pergunta da entrevista coletiva oficial no Estádio Mané Garrincha, foi sobre quem ele preferia enfrentar na próxima fase.

Felipão começou a responder brincando, mas depois mostrou contrariedade com o que o treinador Louis Van Gaal, da Holanda, disse mais cedo. Van Gaal deixou entender que o Brasil pode escolher o adversário do mata-mata - caso a equipe verde-amarela fique em primeiro lugar da chave, duela com o segundo colocado da outra.

Felipão respondeu na bazófia: - Eu prefiro a Espanha. Já não está mais aqui. Seria WO. Primeiro, temos que pensar que temos que ganhar amanhã, temos que classificar. Alguns se manifestam dizendo que vamos escolher adversários. Ou são burros, ou mal-intencionados. Se perdermos, nós podemos não classificar. Não temos que escolher ninguém - afirmou arrancando risos dos jornalistas.
Ele se recusou a citar o nome do técnico da Holanda. Quando foi questionado sobre a quem estava se referindo, respondeu apenas "vocês sabem". Depois, insistiu no assunto e disse que as acusações significavam "desrespeito a Camarões".
classificarem em qualquer uma das duas posições. Mas já saberão quem poderão enfrentar nas oitavas, pois Holanda e Chile, garantidos antecipadamente na próxima fase, duelam pela liderança do Grupo B, às 13h (de Brasília), na Arena Corinthians.
  
TIME CONFIRMADO

Na entrevista coletiva, o técnico também confirmou o time que vai enfrentar Camarões - será o mesmo da estreia, que venceu a
Croácia por 3 a 1. Assim, Hulk volta a estar entre os 11, e Ramires retorna para o banco de reservas.
-  Confio no time que coloquei no primeiro jogo. Eu confio nos jogadores, eles sabem disso. Nós somos um grupo, tem uma pessoa que tem o comando, que lidera, trabalha com os jogadores e tem que escolher os jogadores. Vou começar com o time do primeiro jogo, e as mudanças que vou fazer durante o jogo já sei quais são.
Luiz Felipe Scolari voltou a afirmar que o time mostrou evolução nos dois jogos que fez até aqui na Copa do Mundo. E despejou elogios sobre Paulinho, que contra Croácia e México não mostrou o mesmo futebol da Copa das Confederações, no ano passado.

Vem voltando a retomar sua produção. Confio cegamente no Paulinho, gosto como jogador, admiro a pessoa e a dedicação que mostra em todos os treinamentos e jogos. Amanhã estará num nível melhor. (Com o Superesportes)