domingo, 15 de junho de 2014

BÓSNIA ENGROSSAVA CONTRA ARGENTINA NO MARACANÃ. AÍ APARECEU O GENIAL LIONEL MESSI



   Por favor, deixem a fera em paz: não a provoquem durante a Copa do Mundo

As informações e análises prévias não favoreciam a seleção da Bósnia, estreante em Copas do Mundo Fifa, diante da poderosa Argentina, bicampeã mundial, no Maracanã, que, com certeza, seria colorido de azul e branco pela fanática torcida do vizinho país.

Esta era outra facilidade; vir de carro, à pé, de bicicleta, de trem, navio ou avião tudo é fácil entre nossos territórios. A invasão dos hermanos aconteceu como o esperado e o Rio de Janeiro virou um reduto argentino. No Maraca, então, calcula-se que dos 74 mil presentes, pelo menos 45 mil eram verdadeiramente argentinos.

Mal o jogo começou a Bósnia resolveu colaborar e meteu gol contra feito pelo lateral esquerdo Kolasinac. Não deu nem pra eu fazer aquela avaliação científica e mágica do time europeu. Sabia que ele trazia vários jogadores que atuam fora do País e em clubes importantes, como a estrela Dzeco, 28 anos, e 1,93, artilheiro do Manchester City. Pelo tamanho até que tem a leveza de uma pulga nas bolas rasteiras e é perigoso nas aéreas. Foi bem neutralizado pela defesa de Sabella que não é nenhuma brastemp.

O diabo é que a Argentina sobrevive, também, da inspiração de Messi ou de Di Maria. Nenhum deles esteve bem entre as duas metades do jogo. Messi ainda foi o autor da cobrança da falta cuja bola bateu na canela do zagueiro Kolasinac e entrou. Di Maria não conseguia nada e nem encontrava apoio de Aguero lá na frente. No meio-campo, o 4-5-1 do técnico Alessandro Sabella não funcionava. Mascherano brigava sozinho, sem ajuda de Maxi Rodrigues e os dois alas Zabaleta e Rojo iam mal. No segundo tempo, as entradas de Gago e Higuaín, tornaram o time mais guloso e soltaram a fera Messi.

Da arquibancada, brasileiros mexeram com o menino do Barça com os gritos de "Neymar, Neymar". Lionel Messi começou a se agigantar no gramado e fez o segundo gol em seu melhor estilo. Pegou a bola na ponta-direita e os companheiros fizeram barreira pra ele. Driblou dois da Bósnia e da entrada da área, de perna esquerda, mandou a bola no canto direito do goleiro Begovic, que se esticou todo, sem sucesso. A pelota bateu na trave, pegou efeito e entrou. Aos 20m, Argentina 2 a 0.

O recado foi dado aos brasileiros: não provoquem o garoto do Barcelona. A Argentina e Messi tiveram uma estreia modesta, mas os três pontos foram garantidos.
Restava, ainda, levar o placar até o final contra um adversário valente. A Bósnia teve a premiação de seu esforço com o gol de Ibisevic, por entre as pernas do goleiro Romero, aos 40m. O primeiro gol, gol histórico, da Bósnia numa Copa do Mundo. A arbitragem do salvadorenho Joel Aguillar foi boa, sinal de que a Fifa está tirando seus coelhos da cartola.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.