sexta-feira, 13 de junho de 2014

CHILE VENCE AUSTRÁLIA POR 3 A 1 E ASSUME SEGUNDO LUGAR NO GRUPO B


   Valdívia, do Palmeiras, deixou sua marca com a camisa do Chile contra a Austrália. 

Com 15 minutos de jogo, o Chile passou a impressão de que a gente assistiria à segunda goleada da rodada desta sexta-feira, na Copa do Mundo Fifa. Dominou inteiramente a Austrália que não conseguia passar do meio-campo e marcou dois gols com incrível rapidez: o primeiro aos 11m, num trabalho de todo ataque, com a bola virada pra ponta-direita onde Alexis Sanches dominou e com categoria botou no fundo das redes. Aos 14m, voltou a marcar: Alexis Sanches trouxe a bola pro meio e fez o passe a Valdívia, livre na meia lua. O chute dele saiu colocado no ângulo, sem defesa pro goleiro australiano. Como estava fácil demais, o Chile cometeu o erro de relaxar e alguns jogadores desapareceram em campo. Tais como: Vargas, Aranguiz, Vidal, Diaz e Mena. Na base do coração, sem qualquer técnica, a Austrália equilibrou a partida e marcou seu gol aos 36m, através de Cahill, em sua jogada característica: bola aérea.

Foi outro jogo no segundo tempo. Outra Austrália e outro Chile. As estrelas foram se apagando e o técnico Jorge Sampaoli trocou até onde a regra estabelece. Tirou Vidal, Valdivia e Vargas. Porém, a coisa funcionou apenas com a entrada de Beausejour, que entrou na vaga de Valdívia, pelo lado esquerdo. Antes disso, o goleiro Brava teve que trabalhar muito, a Austrália reclamou de um pênalti aos 6m, em cima de Cahill, e o próprio teve gol anulado aos 7m, porque estava impedido.  Aos 10m, Bravo fez uma defesa espetacular em outro chute de Cahill. Sumido no jogo, Vargas deu uma aparecidinha aos 16m, pra testar o novo sistema eletrônico de chips na bola. Recebeu livre, tocou por cima do goleiro, mas o beque Wilkinson de carrinho salvou. O relógio do juiz não apitou, então a bola não passou a linha fatal.

Debaixo de tremendo sufoco, sem conseguir acertar o contra-ataque, o Chile preparava-se pra levar os 2 a 1 até o final, quando ganhou o presente aos 47m. Chute violento de Alexis Sanches - o melhor em campo - que o goleiro Mat Ryan não conseguiu segurar. No rebote, outra bomba de Beausejour pro fundo das redes. Final, Chile 3 a 1.
Apesar da reclamação dos australianos de pênalti sobre Cahill, na verdade ele, também, segurou o zagueiro Jara. Ou seja, ambos cometeram falta e o árbitro  Noumandiez Douê, da Costa do Marfim, preferiu ignorar. Aliás, ele foi o melhor apitador destes jogos iniciais.

QUATRO JOGOS SÁBADO

A Globo anunciou a transmissão de quatro jogos em diferentes horários neste sábado: Colômbia x Grêcia, pelo Grupo C, à uma da tarde, no Mineirão. Pelo mesmo grupo, jogam Costa do Marfim x Japão, às 10 da noite, na Arena Pernambuco. Já pelo Grupo D, teremos a estreia de três seleções campeãs mundiais: as quatro da tarde, no Castelão em Fortaleza, o Uruguai, duas vezes campeão do mundo, pega a Costa Rica; e às seis da noite, na Arena Amazonas, um clássico mundial: Inglaterra x Itália.

FIM DE POLÊMICA

 Inglaterra deu um ponto final à polêmica em torno do gramado da Arena Amazônia, em Manaus. A equipe realizou seu primeiro treino no local no fim da tarde desta sexta-feira, pouco depois da coletiva de imprensa com o meia Steven Gerrard e o treinador Roy Hodgson. Antes mesmo da coletiva, o capitão passou rapidamente pelo campo e gostou do que viu. Ao analisar as condições que terá no jogo deste sábado, contra a Itália, ele amenizou a questão do calor e elogiou o gramado, que vinha sendo duramente criticado pela imprensa inglesa. 

TRINCHEIRA; a imprensa inglesa não deve ter gostado mesmo foi do sabor do gramado. Hehehehe!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.