terça-feira, 24 de junho de 2014

COM A VELHA GARRA URUGUAI, CELESTE OLÍMPICA MANDA ITÁLIA EMBORA DA COPA

O primeiro tempo não foi legal. Estudado, medroso, duas seleções capazes porém receosas. O Uruguai precisava vencer pra ficar com uma das vagas. À Itália, com saldo de gols zero, bastava o empate. Bem no seu estilo, os italianos tocavam a bola, cozinhavam o jogo, faziam faltas táticas e prendiam a Celeste Olímpica na defesa. Em oito minutos de bola correndo o mexicano Marco Rodrigues - por sinal bem fraquinho - já havia marcado sete faltas. Quase uma por minuto.

Não choveu em Natal na hora do jogo, ainda bem. A capital potiguar tem sofrido com as torneiras abertas por São Pedro. De qualquer forma, a temperatura na Arena das Dunas era quente dentro e fora de campo.

Santa Maria do Céu! O segundo tempo foi um fervedouro total. Teve de tudo. Aos 6m, Bonucci fez pênalti em Cavani que o mexicano ignorou. Luizito Suarez se aproximou mais da área italiana e eu dou razão ao Roger Flores que comentou na Globo: "Por que Suarez cobra escanteios e faltas quando na verdade, como sobe bem e é goleador, devia estar na área?" Também acho. Continuou assim até o fim, e por causa disso o famoso goleador foi apenas lutador e discreto.

O jogo mudou seu perfil aos 14m. Na frente do árbitro, Marchisio entra com a sola mais alta, no meio da canela de Arévolo e foi expulso. Buffon passou a fazer milagres na meta italiana. Fez três, principalmente no lance em que Luizinho Suarez apareceu na cara dele, na marca do pênalti e só São Genaro sabe explicar o que o veterano Buffon, 36 anos, três Copas, um título mundial em 2006, conseguiu fazer pra evitar o gol uruguaio.

A elegância e a frieza de Pirlo - 35 anos, sua última Copa, jogou 102 vezes pela  Seleção, três Copas, e o título mundial de 2006 -  somadas à sua qualidade técnica conseguiam equilibrar a partida no meio-campo. Entretanto, a Itália não passava da intermediária. Então entrou em campo a malícia do técnico Óscar Tabarez.

Como a Itália perdera Balotelli por lesão e Marchisio expulso, Tabarez tirou Cáceres da zaga e o colocou na lateral esquerda. Tirou o lateral Álvaro Pereira - do São Paulo - e entrou com o atacante Stuani. Arriscou mais ainda, quando mandou o zagueiro Godinho jogar na área da Itália. O zagueirão do Atlético de Madrid é célebre pelos gols decisivos de cabeça.

Aos 37m, após intensa pressão, escanteio pela direita e Luizito Suarez cobra. No meio da confusão na área, voa Godinho de frente, vira de costas, sobe mais que todo mundo, e a bola bate em sua nuca e entra. Gol uruguaio. Gol da classificação. Mais uma campeã do mundo europeia volta pra casa antes da hora. E a Itália seria a única que poderia alcançar o Brasil em número de título, caso fosse campeã, e o Brasil não chegasse lá. Azar deles!

Outro lance que vai dar o que falar: Luizinho Suarez disputa a bola com o zagueiro Chiellini e lhe dá uma mordida no ombro esquerdo. O italiano revidou com cotovelada no boca do artilheiro. O árbitro foi ao local por que parou o jogo com os dois atletas no chão. Não viu nada e nem consultou seu assistente que estava bem perto. A Fifa tem a fita do jogo, e como normalmente faz, deve examiná-la e possivelmente punir os dois jogadores. Pior para o Uruguai que continua na competição.

COSTA RICA, PRIMEIRO LUGAR


No Mineirão, numa partida bem fraquinha, Inglaterra e Costa Rica ficaram no 0 a 0, ótimo pra seleção da América Central que chegou aos 7 pontos, um na frente do Uruguai, segundo colocado no Grupo D. O Uruguai joga contra a Colômbia no Maracanã pelas oitavas de final. A Costa Rica espera a decisão da segunda vaga do Grupo C. A disputa está entre Costa do Marfim, com 3 pontos; Japão e Grécia com um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.