segunda-feira, 16 de junho de 2014

ENFIM, NENHUMA ALEGRIA DURA PRA SEMPRE:  IRÃ E NIGÉRIA FAZEM PRIMEIRO 0 A 0 E DEIXAM O GRAMADO DEBAIXO DE VAIA

A bela Curitiba e a Arena da Baixada, majestoso estádio do Clube Atlético Paranaense - o Furacão - não mereciam o triste espetáculo de futebol mostrado por Irã e Nigéria. Pior, ainda, foi o placar de 0 a 0. Sem falar que os dois times fizeram subir a média de faltas de 25 por jogo - um bom patamar - pra 35 faltas.

Nos padrões, por exemplo, do Campeonato Brasileiro, é média razoável. Porém, numa Copa do Mundo, foge do padrão Fifa. Concordo com Juninho Pernambucano, outro comentarista inventado pela Poderosa: "foi o pior jogo da Copa até agora".

A decepção ficou por conta da Nigéria que tem uma seleção considerada das mais fortes da África e com alguns talentos conhecidos no futebol europeu. Não teve nada de interessante na partida, apitada pelo equatoriano Carlos Veras, com excelente trabalho. Do Irã não se esperava muita coisa, mesmo sob o comando de Carlos Queiroz, ex-técnico da Seleção Portuguesa e do Real Madrid.


O público tem apoiado a Copa do Mundo com participações ativas e aplaudindo o vencedor, qualquer que seja ele, exceto os argentinos. Por mais esforço que tenha feito para levantar a qualidade da partida na Arena da Baixada, não teve jeito: a torcida mandou sonora vaia nos dois times.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.