sexta-feira, 13 de junho de 2014

NO REPETECO DA DECISÃO MUNDIAL DE 2010, A VICE HOLANDA HUMILHA E GOLEIA A CAMPEÃ ESPANHA NA FONTE NOVA.




                                     Robben comemora seus dois gols e Casillas chora sua falha

Coube à Arena da Fonte Nova, em Salvador, sediar o grande clássico entre as seleções que fizeram a decisão da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Na época, a Espanha venceu por 1 a 0 e ganhou seu primeiro título mundial. A Holanda chegava à sua terceira decisão - 74, 78 e 2010. Perdeu os títulos sempre como a melhor seleção do torneio, mas amarelando na final.
Desta vez, pagou com juros brasileiros a derrota na decisão da África do Sul. Não há outro expressão pra definir o resultado da partida de abertura do Grupo B, de onde sairá o adversário do Brasil: a vice Holanda arrasou com a campeã  Espanha. Um jogo histórico que os baianos, torcendo pra Holanda, jamais esquecerão. Lembrarão, também, pra sempre da dupla Robben e Van Persie.
ESPANHA NA FRENTE
No primeiro tempo a Fúria saiu na frente, graças a um pênalti bem mandrake marcado pelo italiano Nicola Rizzoli, do zagueiro De Vrij sobre o brasileiro naturalizado brasileiro, Diego Costa. Xabi Alonso cobrou e marcou 1 a 0. A Holanda, no entanto, empatou aos 43m, num golaço de Van Persie. O perfeito lançamento de Blind permitiu o artilheiro holandês sair na cara de Casillas. Num peixinho sensacional botou a bola no ângulo. 1 a 1.
No segundo tempo, os holandeses desandaram a fazer gols, comandados por Robben, uma fera solta no gramado. Aos 7m, Robben fez 2 a 1. Recebeu outro belo lançamento de Blind, dominou na perna direita, driblou dois zagueiros, o goleiro Castilas e mandou uma bomba de perna esquerda - 2 a 1.
Aos 19m, a Holanda, dona da partida,  fez 3 a 1.Uma falta cobrada por Sneijder da ponta esquerda, contou com a falta de Van Persie sobre o goleiro Castilas, e o zagueiro do falso pênalti, De Vrij entrou no segundo pau e empurrou a bola pras redes. Os espanhóis reclamaram, porém o italiano Rizzoli não deu atenção.Outro terrível erro da arbitragem da Copa.
Aos 21m, a Espanha ensaiou uma reação e até aconteceu o gol de Davi Silva, porém completamente impedido.
Aos 26m. Castilas pensou em sair jogando e driblando logo Van Persie, que lhe tomou a bola e marcou 4 a 1. Restou ao excelente goleiro espanhol, de quatro copas do mundo, ficar olhando pro céu e chorar.
Pouco depois, Van Persie mandava uma bola na trave superior e Castilas redimiu-se fazendo duas defesas seguidas espetaculares em chutes de Robben e Van Persie,
Aos 34m, entretanto, não teve jeito: Robben foi lançado na frente. Estava na sua intermediária ao lado de Sérgio Ramos e Piquê. Ganhou dos dois na corrida, driblou Casillas e marcou o mais belo gol da partida, ou da Copa do Mundo até aqui. - Fechou a tampa do caixão espanhol: 5 a 1.
CROÁCIA DÁ VEXAME
O comportamento da seleção da Croácia nos vestiários do estádio de Itaquera foi criticado depois da partida contra o Brasil. O responsável corintiano pelas obras no estádio, Andrés Sanchez, reclamou de uma inundação no local, e o clube enviou à Fifa as fotos do vestiário.
“Eles bagunçaram tudo, sujaram tudo. Ficaram ainda três dedos de água nos corredores”, afirmou o dirigente, à rádio Bandeirantes. O clube alega que os croatas inundaram o vestiário nas duas vezes que o utilizaram.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o Corinthians informou que a Croácia utilizou piscinas portáteis depois do reconhecimento do gramado, na quarta, e também ao término da partida de quinta. Ao esvaziá-las, os europeus inundaram o vestiário.

TRINCHEIRA: Depois vão dizer lá fora que encontraram um estádio inacabado, sujo e inundado. Que somos do terceiro mundo, realmente. Mas quem gosta de fazer guerra são eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.