domingo, 15 de junho de 2014

OUTRA VIRADA ESPETACULAR: SUÍÇA BATE EQUADOR POR 2 A 1, EM BRASÍLIA, NUM JOGO BEM MOVIMENTADO

Foi uma partida pobre tecnicamente, mas cheia de entusiasmo e de emoção, porque Suíça e Equador se entregaram de corpo e alma atrás da vitória. O jogo, disputado no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, teve público razoável, arbitragem boa e marcou estreia das duas seleções no Grupo E da Copa do Mundo Fifa, o mesmo de França e Honduras.
Em campo um importante tabu: a Suíça nunca havia vencido uma seleção sul-americana, nas cinco Copas do Mundo que disputou e pela primeira vez enfrentava o Equador nessa competição. Eu esperava, por isso mesmo, um jogo difícil e disputado, aberto, apesar da fama de retranqueira da Suíça. Foi ela quem criou  o famoso "Ferrolho Suíço" ao parar a Seleção Brasileira na Copa de 50 num empate de 0 a 0, em São Paulo.
O Equador veio bem preparado e fez 1 a 0 aos 22m, numa bola parada. Falta cobrada pela esquerda, e Ernnie Valencia subiu livre pra cabecear e vencer o goleiro Benário.  A torcida suíça, minoria no Mané Garrincha, foi abafada pelos sul-americanos, todos torcendo pelo pelo Equador. Mas a Suíça foi quem teve mais garra até o último minuto.

Nem o incentivo de quase todo estádio ajudou o Equador. A Suíça estava com sangue nos olhos. Mehmedi empatou a partida numa bola parada, também, lançada na área. No entanto, o lance mais bonito e que calou o estádio foi aos 47 minutos do segundo tempo. Os equatiorianos chegaram à frente em condições de marcar, mas Valencia foi travado por um zagueiro que puxou o contraataque. Coube a Seferovic, que havia saído do banco, marcar o gol da vitória aos 47m. Mostrou que a bola, realmente, castiga: o Equador teve tudo pra fazer o gol da vitória, esnobou e tomou o contragolpe decisivo. Suíça 2 a 1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.