segunda-feira, 2 de junho de 2014

SELEÇÃO FAZ AMISTOSO CHULÉ SOB RISCO DE LESÕES















 Paulinho (foto) Thiago Silva e Fernandinho não viajaram: ficaram em tratamento na Granja Comary.

Não sou favorável a estes amistosos políticos ou caça-níqueis, que eu chamo de chulé, por fazerem mal e federem muito. Em Goiânia esta tarde, a Seleção da Copa do Mundo treina contra o Panamá, que no ranking fajuto da Fifa deve estar lá nos 265º lugar. O perigo é que nós vamos treinar e eles vão jogar. Ganhar do Brasil, em qualquer circunstância, dá prestígio. E a gente ganhar do Paraná, num amistoso chulé? Dá nada. É a mesma coisa que empurrar bêbado ladeira abaixo.

As seleções do México e da Itália tiveram a desagradável experiência desses amistosos chulés. Cada uma perdeu, por contusão séria, divididas maldosas, jogadores da maior importância e que não virão à Copa do Mundo. Com certeza, bom público comparecerá no Serra Dourada, nem que seja pra protestar, porque Goiânia ficou fora da Copa do Mundo, apesar de seu estádio bonito e pronto. Justo por isso: coisa pronta não dá dinheiro para as campanhas políticas. 
O jogo começa às quatro da tarde.Na quinta-feira, os rapazes de Felipão viajam pra São Paulo, onde farão outro amistoso chulé, no Morumbi, contra a Sérvia.

JUSTIÇA CORRE ATRÁS DE TEIXEIRA

(Agência Estado) Ricardo Teixeira (foto) está entre os cartolas investigados por conta de seu apoio ao Catar para sediar a Copa de 2022. O Estado obteve confirmações de que o ex-presidente da CBF é um dos alvos por conta de sua relação de amizade com Mohammed Bin Hammam, ex-presidente da Confederação Asiática de Futebol e um dos principais agentes do futebol do Catar, e também por causa de suspeitas de transações financeiras entre o Catar e a CBF logo antes da votação, em dezembro de 2010.
Teixeira, que era na época membro do Comitê Executivo da Fifa, não escondeu de ninguém que votou pelo Catar. Um ano depois, ele apoiaria Bin Hammam para a presidência da Fifa, contra Joseph Blatter. Agora, pelo menos três suspeitas pairam sobre ele. A primeira se refere ao fato de que a CBF recebeu um cachê fora dos padrões para realizar um amistoso da seleção brasileira, justamente no Catar. Em novembro de 2010, semanas antes do voto, o Brasil jogou em Doha contra a Argentina.

Pessoas envolvidas na partida relataram que dois contratos foram assinados. Um, com a empresa que de fato organizou a partida. Outro teria sido fechado diretamente com a CBF, valendo cerca de US$ 14 milhões, para ser dividido entre as duas federações envolvidas.

Outro foco é o envolvimento de Bin Hammam com a empresa ISE, que detém todos os direitos sobre os amistosos da seleção brasileira até 2022. Teixeira e a ISE assinaram o acordo no Catar. A ISE ainda teria dado à Confederação Asiática de Futebol outros US$ 14 milhões para o “uso pessoal” de Mohamed Bin Hammam.

Os investigadores ainda querem saber se há alguma relação entre a votação do Catar na Fifa e o fato de que um amigo próximo de Teixeira, Sandro Rosell, fechou com o emirado um acordo histórico para patrocinar o Barcelona, dias antes da eleição em 2010. Rosell, ex-presidente do Barcelona, mantinha diversos acordos comerciais com a CBF e com a ISE.

COELHO VOLTA A CAMPO

Chorar tem que ser na cama que é lugar quente e macio. Não houve tempo pro América nem lamentar a segunda derrota seguida e já tem que enfrentar outra pedreira nesta noite de terça-feira, no Canindè, diante da Lusa, ameaçada de descenso. O técnico Moacir Júnior convocou 18 jogadores, porém a lista pode aumentar caso Obina e Henrique se recuperem de lesões. Os dois atacantes serão submetidos a tratamentos e estão com passagens aéreas reservadas para a capital paulista.

Moacir não conta com Gilson e Elsinho, expulsos na derrota diante do Náutico, por 3 a 1, em Muriaé. Assim, os prováveis substitutos serão Willians e Carlos Renato. O volante Pablo deve ser deslocado para a lateral direita. No ataque, Júnior Negão é o substituto imediato de Obina e o garoto Rubens vira opção no banco de reservas.
O provável Coelho terá Matheus; Pablo, André, Renato Santos (Vitor Hugo) e Carlos Renato; Leandro Guerreiro, Andrei Girotto, Mancini, Willians e Ricardinho; Júnior Negão. 

DANIEL ALVES E CORAÇÃO DE VACA GERA POLÊMICA



(Globoesporte.com) Daniel Alves entrou em tremenda gelada junto com outros nomes famosos da Europa que posaram pra um anúncio segurando um coração. De vaca. Além dele, outros atletas, como Podolski e Nani, também seguram órgão que seria de vaca em peça de marca alemã, que vira alvo de grupos defensores de animais
A fornecedora de material esportivo alemã Adidas lançou um novo anúncio para promover a Copa do Mundo que já está causando polêmica no exterior. Na peça publicitária, que tem o slogan "Durante a Copa, vou dar meu coração pela causa", astros como Lukas Podolski, da Alemanha,Diego Costa, da Espanha, Nani, de Portugal, Arjen Robben, da Holanda, e Daniel Alves, do Brasil, seguram um coração que seria de vaca.
Daniel Alves, Arjen Robben e Diego Costa com o coração na mão.
O jornal inglês, Daily Mail escreveu:
 - O anúncio diz que eles vão dar o coração pela causa, mas não é o coração deles, é o coração de um animal inocente. Deveria ser algo sintético. É ruim que animais sejam assassinados para virar comida, mas mostrar um coração sangrando é uma péssima maneira para se fazer propaganda.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.