sábado, 26 de julho de 2014

CRUZEIRO MOSTRA FUTEBOL DE LÍDER E ATROPELA FIGUEIRENSE NO MINEIRÃO: 5 a 0.

foto de Rodrigo Clemente/ Superesportes


Pensar que o futebol mineiro tem dois times na principal divisão nacional, enquanto Santa Catarina tem três não dá pra criticar, porque os times do Sul conquistaram suas vagas no campo de jogo. Como na Primeira Divisão o buraco é mais em baixo, os três levaram 11 gols neste sábado de 12º rodada: 5 a 0, no Mineirão; 3 a 0, em Florianópolis e 3 a 0, na Vila Belmiro.
Em Floripa, o Avaí não resistiu ao Vitória e tomou 3 a 0 em casa; o Santos recebeu a Chapecoense e enfiou 3 a 0, também. E finalmente, no Mineirão, debaixo de chuva, gramado alagado, campo escorregadio e os azuis jogando como campeão Brasileiro e líder isolado da competição goleou o Figueirense, sem dó ou piedade. E o técnico derrotado Argel, ex-zagueiro do próprio Cruzeiro, reclamou do pênalti em cima de Ricardo Goulart, aos 40m do primeiro tempo. Segundo ele, não houve nada e a fase inicial tinha de acabar em 0 a 0. A cobrança de Lucas Silva - com o artilheiro da competição, Ricardo Goulart em campo, faltou solidariedade ao Marcelo Pacote ao ordenar a cobrança do menino Lucas, - foi forte e assustou, porque bateu na trave antes de entrar.
Só a turma do Figueirense, o que é natural, e o comentarista Bob Faria não viram o pênalti. Ricardo Goulart subiu numa bola rebatida pelo goleiro Tiago Volpi e foi derrubado pelo zagueiro Nirley, ex-Cruzeiro, pelas costas. Bem marcado.
Se o Cruzeiro teve dificuldades de passar pela retranca do Figueira no primeiro tempo, na outra fase não deixou os barrigas verdes nem respirarem. Logo no primeiro minuto, Marcelo Moreno ajeitou de calcanhar e Marquinhos bateu de primeira, no canto direito de Tiago Volpi: 2 a 0. Golaço, o mais bonito do jogo. Marquinhos voltou a jogar muito bem. - Cruzeiro 2 x 0.
Três minutos depois, aos 4m, disparou. Everton Ribeiro, em jogada ensaiada e cantada por Pacote, cobrou uma falta na cabeça do gigante Dedé. De testa, botou a bola no canto esquerdo do goleiro catarinense. Cruzeiro 3 x 0. Dedé deveria sair no intervalo, por medida de precaução pois vem de longo período em tratamento. Quis voltar e voltou pra terminar o jogo como um dos melhores em campo, após ficar dois meses sem atuar. A conversa de jogar sério e mais fixo entre ele e Pacote deu certo. Dedé deixou Manoel boquiaberto. E eu, também.
Como não bateu o pênalti e me parece que é artilheiro de bola em jogo, Ricardo Goulart marcou seu oitavo gol no Brasileiro. Everton Ribeiro, sempre ele, arrancou do meio-campo, com velocidade e cruzou de pé direito na cabeça de Goulart. Bola na rede, Cruzeiro 4 x 0 e mais líder do que nunca.
Teve mais ainda: o quinto gol cruzeirense saiu em jogada do pessoal que estava no banco. Marlone entregou a Maike, rápido no contra-ataque, e o lateral que havia entrado no lugar de Ceará, resguardado, cruzou rasteiro pra área. Ricardo Goulart passou pela bola, mas Dagoberto, que substituiu Marquinhos, sentou a pua pras redes de Tiago: Cruzeiro 5 x 0, aos 33m. Podia ter feito mais, porém o técnico Marcelo Pacote Oliveira pediu que a bola fosse administrada pra evitar contusões e a torcida nadou, literalmente, de braçada debaixo da chuva, gritando "olé,olé,olé".
O Cruzeiro chegou aos 28 pontos, a nove vitórias, quatro seguidas e a um punhado de gols com saldo alto. Seu próximo jogo é no Rio de Janeiro contra o Botafogo. Neste domingo torce pelo tropeço do Corinthians diante do Palmeiras pra ficar com folga maior ainda na liderança. A vantagem no momento é de oito pontos sobre o Santos que assumiu a vice-liderança vencendo a Chapecoense.

CRUZEIRO 5 x 0 FIGUEIRENSE

Cruzeiro

Fábio; Ceará (Mayke), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e Marquinhos (Dagoberto); Marcelo Moreno (Marlone)
Técnico: Marcelo Oliveira
Figueirense
Tiago Volpi; Luan, Nirley, Marquinhos e Roberto Cereceda (Felipe); Paulo Roberto, Rivaldo, Kleber e Marco Antônio; Pablo (Everaldo) e Ricardo Bueno
Técnico: Argel Fucks
Gols: Lucas Silva, aos 40' do 1º tempo; Marquinhos, a 1'; Dedé, aos 4'; Ricardo Goulart, aos 28'; Dagoberto, aos 33' do 2º tempo
Motivo: 12ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: 26 de julho de 2014
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Júnior (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Albino Andrade Albert Júnior (PE)

Renda e Público: liguem pra Minas Arena e pergunte lá. Ou então pra Rádio Itatiaia que o indefectível Tião das Rendas tem esta informação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.