segunda-feira, 11 de agosto de 2014

MARCOS ROCHA CHORA PELA FILHA DISTANTE E CRITICA ESQUEMA DE LEVIR.

Foto Superesportes

 CRAQUE NO GRAMADO - Não é de hoje que admiro o futebol de Marcos Rocha. Fiz até força pra que ele voltasse ao Atlético após o bom período no América. Porém sempre o achei um chato de galocha. No campo tem enorme intimidade com a bola e é de uma ranzinzise sem igual com os árbitros e os adversários. Respeito a sua qualidade técnica, mas a impressão que tenho é que ele se julga o Leandro, o Djalma Santos, o Cafu,  o De Sordi, o Nelinho, o Carlos Alberto Torres da atualidade.
NA LISTA DE DUNGA - Após o jogo contra o Palmeiras, no qual foi uma das peças mais importantes, e praticamente garantindo sua convocação pra Seleção de Dunga na próxima lista - o técnico brasileiro já pediu sua ficha de atleta, além da de Dedé, de Ricardo Goulart e de Everton Ribeiro, do Cruzeiro - Marcos Rocha transmitiu duas impressões bem diferentes.
Na primeira, chorou pela presença da filha distante que foi ao estádio vê-lo jogar. Emoção que tem de ser respeitada, afinal era Dia dos Pais e a criança vive com a mãe em Maceió. Foi com a avó ver o pai jogar e teve até medo do Galo Doido. Ficou no início sem coragem de entrar em campo, até que quebrou o gelo, mandou beijo e pegou na mão dele. Pro pai é emocionante e não há quem resista.
MOMENTOS DE INCERTEZA - Além do Rocha viveu momentos de incertezas antes da excelente fase de agora, pois passou 70 dias para recuperando-se de uma lesão. Até aí, tudo bem. Depois, baixa sua excessiva autoconfiança, que alguns chamam de "máscara", e pisa até nos companheiros que ficaram tapando seu espaço enquanto se recuperava.  "Fiquei vendo o que estava acontecendo com o time e vi a importância que tinha dentro de campo e o valor que tinha na equipe do Atlético".
Isso é coisa pros analistas dizerem. Marcos Rocha não respeitou aqueles que lutaram pela posição. Ninguém duvida que ele tenha de ser o titular. Disse mais besteiras: "Isso foi importante para o meu crescimento e a minha volta dentro de campo. Graças a Deus os resultados vêm acontecendo". Passou a impressão que bastou ele voltar para os bons resultados acontecerem.
FALTA DE ROSCA - Então veio a declaração mais sem rosca do lateral:  apontou uma dificuldade dos jogadores na adaptação ao sistema de marcação por zona de Levir Culpi. Falou o seguinte: “A gente faz marcação por zona e não estamos conseguindo. A nossa jogada defensiva aérea era um ponto forte. Tenho certeza que o Levir vai consertar. São gols bobos que estamos tomando e estamos ficando p... com essa situação".
Foi aquele mal-estar desnecessário contra o falastrão. Na coletiva, perguntado a respeito das declarações de Marcos Rocha, o treinador respondeu que " me sinto traído, porque ninguém me falou isso nos treinamentos. Quem foi que falou? O Rocha? Vamos conversar”. E informou que " deve continuar acontecendo por zona. Eu não gosto muito da marcação individual no escanteio, por exemplo. Mista pode ser, com um ou dois. Mas individual não gosto. Deve continuar do jeito que eu prefiro. A não ser que todos os jogadores achem que deve ser da outra maneira”.
FASE ZEN - Nessa sua fase zen, Levir Culpi sentiu que deu um certo pontapé na barraca e resolveu amenizar: “Acontece. O que eu acho é que o comando, principalmente do técnico, de você mandar fazer, é uma coisa. Agora você fazer o jogador entender o que se pede, é o ideal. Minha ideia é essa. Por isso abro para todos os jogadores quando vamos fazer uma jogada ensaiada por exemplo. Quero saber o que eles pensam”.
Tá bom, Levir! Mas bem que o Marcos Rocha podia ir lá curtir a filhinha que veio de longe e guardar sua boca pra comer sua farinha. Levar o assunto pra discussão no grupo, durante um treino. Que tem direito de falar tem, mas certos assuntos é melhor discutir com a rapaziada e com o treinador. Na Imprensa, dá um bafafá disgramado.
SELEÇÃO DESFALCA CRUZEIRO - O Cruzeiro pode se preparar pra ser estropiado de novo pela CBF, afora as arbitragens recomendadas, as seleções vão levar vários jogadores importantes do time. Dois foram convocados agora, pelo técnico Alexandre Gallo, da sub-21, Lucas Silva e Alisson, vão jogar nos amistosos contra Egito, Catar e Líbano.  Que coisa sensacional pros currículos dos garotos!

   Lucas Silva/ foto Superesportes



As três partidas da Seleção sub-21 serão disputadas entre 1º e 10 de setembro, no Catar. Assim, Lucas Silva e Alisson desfalcarão o Cruzeiro na partida contra o Fluminense, no Maracanã, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Há ainda a possibilidade de que os dois atletas não possam jogar contra Chapecoense, em 30 de agosto, e Bahia, no Mineirão, em 11 de setembro.
MAIS GENTE DE FORA - O Cruzeiro corre risco de ficar sem mais jogadores na partida contra o Fluminense. No dia 19, terça-feira da próxima semana, Dunga divulgará a convocação para amistosos contra Colômbia e Equador, nos Estados Unidos, nos dias 5 e 9 de setembro. Atletas cruzeirenses que estiverem nessa lista não poderão enfrentar o Tricolor Carioca. Estão cotados Dedé, Ricardo Goulart e Everton Ribeiro. Do AtlQue maravilha para os concorrentes!
Outro fato interessante. Na lista de Alexandre Gallo,  constam, também, os nomes de a dois jogadores revelados nas categorias de base do Cruzeiro: o zagueiro Wallace, do Braga-POR, e Vinícius Araújo, do Valencia-ESP. Eis a lista:
GOLEIROS 
Ederson (Rio Ave - Portugal)
Jacsson (Internacional)
ZAGUEIROS 
Dória (Botafogo)
Marquinhos (Paris Saint-Germain - França)
Vinicius (Lazio - Itália)
Wallace (Braga - Portugal)
LATERAIS 
Fabinho (Monaco - França)
Gilberto (Internacional)
Wendell (Bayer Leverkusen - Alemanha)
Douglas Santos (Udinese - Itália)
MEIAS
Alison (Santos)
Danilo (Braga - Portugal)
Lucas Silva (Cruzeiro)
José Wellison (Vitória)
Luan (Grêmio)
Rafael Alcântara (Barcelona - Espanha)
ATACANTES 
Ademilson (São Paulo)
Alisson (Cruzeiro)
Douglas Coutinho (Atlético Paranaense)
Otávio (Internacional)
Vinicius Araújo (Valencia - Espanha)
Vitinho (CSKA - Rússia)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.