domingo, 10 de agosto de 2014

VERDÃO ENGROSSOU, MAS NÃO RESISTIU O VELHO DITADO DA MASSA: CONTRA O GALO DOIDO CAIU NO HORTO, TÁ MORTO.


Tardelli abriu a contagem com um belo gol e comemorou como sempre: atirando. Coisa feia, Diego!






A mansão dos morros do Santônio estava cheia: netinhas de todas as idades, belezas do Olimpo, algumas exigindo a atenção do avô, outras nem tanto, a família - os três filhos, noras e genro - mais a irmã Dodora, os parentes Adilson , Isabel e Isabela, movimentavam os ambientes e não deixavam dona Neusa parar de correr, atrás do almoço - uma bela bacalhoada - em homenagens aos pais. Garrafas de vinhos de qualidade, uvas de boas safras, eram destampadas e esvaziadas em ritmo frenético. A roda com os nomes citados acima e mais Alexandre (Rita), Flavio Jr (Fabiana) Juliana (Gustavo) e este locutor que vos fala curtiam a felicidade de ver aquele bando maluco de andorinhas num corre-corre frenético, liderados pela mais velha, Vitorinha, 12, seguida de perto por Luana, 10, Ana Flávia, 10, Sophia, 8, Maria Tereza, 2, e Stela, um ano e pouco. Que jardim! Que futebol que nada! Estou aposentado e o que faço é por róbi. Este final de semana passou em branco e quando arrisquei assistir algum jogo logo cai no sono, por causa de Baco, deus do vinho.
COLEGAS ME AJUDAM - No jogo do Cruzeiro em Criciúma recorri depois à combativa turma da Rádio Itatiaia. No jogo do Atlético contra o Palmeiras, deixei por conta do confiável Superesportes. Então vou deixar que o repórter Thiago de Castro conte aos leitores desta impávida Trincheira como foi o jogo, no qual o Galo se safou do empate na última hora:

SUFOCO PURO - O Atlético teve que se esforçar muito para vencer o Palmeiras por 2 a 1 neste domingo, no Independência. O gol da vitória, marcado por Dátolo, saiu aos 42 minutos do segundo tempo, após muita pressão ofensiva.
Diego Tardelli havia colocado o Galo em vantagem na primeira etapa. Mas Henrique empatou no início da etapa final. A pressão alvinegra teve que durar até o fim para o time sair com os três pontos, chegar aos 22 no campeonato e à sexta colocação.
PÊNALTI NÃO MARCADO - A vida do torcedor atleticano poderia ter sido mais fácil, caso a arbitragem tivesse marcado um pênalti de Tobio em Luan.Agora, o elenco ganha folga até a tarde de quarta-feira. O próximo compromisso será no domingo, contra o Figueirense, às 18h30, fora de casa.
PRIMEIRO TEMPO: Passes errados, impedimentos e um golaço de Diego Tardelli marcaram a etapa inicial da partida. O Atlético conseguiu dominar o Palmeiras e abrir a vantagem. O camisa 9 acertou um belo chute longo aos 43 minutos, após passe de Dátolo. O goleiro Fábio não conseguiu fazer a defesa e viu o placar ser aberto em favor do Galo.
Tardelli já havia incomodado Fábio anteriormente. O chute do gol foi forte, no canto direito. Antes, ele tentou uma “finalização colocada”, na esquerda. Esta, o goleiro palmeirense defendeu.
Atlético e Palmeiras abusaram dos erros de passe em um primeiro tempo ainda marcado por muitos lances de impedimento. Duas vezes (uma para cada equipe), os auxiliares acertaram em jogadas que até seriam gols.

SEGUNDO TEMPO: -
O time alvinegro jogava melhor nos primeiros minutos. A movimentação de Jô e Tardelli tentava furar o bloqueio paulista. Contudo, o Palmeiras chegou ao empate aos 8 minutos.
Em jogada de escanteio, Pierre esqueceu de olhar para a bola e ficou de frente para Henrique, assistindo ao atacante palmeirense finalizar e igualar o marcador.
Na sequência, Jô teve uma excelente chance para encerrar um jejum que agora é de 11 partidas. Renato recuou mal a bola para a defesa e deixou o camisa 7 atleticano cara a cara com Fábio. Uma finalização mal feita facilitou a vida do goleiro rival.
Outro gol do Galo poderia ter saído aos 20 minutos. Luan foi derrubado por Tobio na área mas a arbitragem não marcou nada, ignorando a penalidade máxima.
GALO MANDA NO TERREIRO - O jogo foi marcado praticamente pelo domínio ofensivo atleticano. A insistência finalmente deu certo aos 42 minutos. Em jogada iniciada pela dupla de volantes, a bola parou em Luan na ponta direita. Um cruzamento rasteiro achou Dátolo na área. O argentino finalizou e agitou a arquibancada do Horto, garantindo os três pontos para o Atlético e a subida para a sexta colocação.
FICHA TÉCNICA DE ATLETICO 2 X 1 PALMEIRAS
Atlético: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Pedro Botelho; Pierre, Josué, Diego Tardelli, Guilherme (Dátolo) e Maicosuel (Luan); Jô (André). Técnico: Levir Culpi
Palmeiras: Fábio; Weldinho, Lúcio, Tobio e Victor Luis; Renato, Wesley (Josimar), Felipe Menezes e Allione; Leandro (Mouche) e Henrique (Diogo). Técnico: Ricardo Gareca
Gols: Diego Tardelli (43min/1ºT), Henrique (8min/2ºT) e Dátolo (42min/2ºT)
Cartões amarelos: Josué (ATL), Wesley (PAL)
Público: 14.089 torcedores
Renda: R$ 460.980,00
Motivo: 14ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Asp. Fifa/RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (ESP-1/RJ) e Eduardo de Souza Couto (CBF-1/RJ)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.