terça-feira, 30 de setembro de 2014

AZUIS PEGAM ABC PELA COPA DO BRASIL SEM TIRAR FOCO DO INTER NO SÁBADO




 Foto Washington alves - Light Press
    Manoel é titular agora ao lado de Dedé. 

Devido respeito ao ABC de Natal, que não se encontra nas quartas de final da Copa do Brasil por acaso. Tá bom! Porém, o jogo é em casa e qualquer tropeço aqui ainda dará condições de reabilitação na partida de volta em Natal. Portanto, é justo que o Cruzeiro entre com uma equipe mesclada esta noite no Mineirão porque qualquer leigo vê desgaste físico e psicológico em várias peças importantes do time. Por exemplo, o trio Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e Marcelo Moreno, além do lateral Maike estão no limite.
A realidade é que no sábado, contra o Internacional, vice-líder, seis pontos atrás do Cruzeiro, o time de Marcelo Pacote Oliveira precisa estar na ponta dos cascos. Uma derrota, fora dos planos azuis, colocaria fogo na caminhada em busca do bicampeonato visto que a diferença se reduziria a três pontos. Que o Cruzeiro jogue contra o ABC hoje à noite no Mineirão, fazendo um treino de luxo, pelo bem ou pelo mal, pra ficar bem resguardado e focado no colorado gaúcho. Que Pacote bote os meninos esfomeados no gramado logo.
HORA DA DESFORRA - Chegou a hora da desforra, e o momento é próprio pra isso. Cheio de moral após tirar o Corinthians do G-4 e ocupar o seu lugar, com uma boa série invicta e surpreendendo todos adversários com a velocidade de sua equipe mesclada, o Galo Doido pega o Timão, no Itaquerão, nesta quinta-feira, no jogo de ida pelas quartas de final da Copa do Brasil. É a hora da desforra porque os corintianos têm sido o grande carrasco dos atleticanos : em seis disputas foram seis eliminações.
No Brasileirão, o Galo Doido tem quatro vitórias seguidas enquanto o Timão paulista vem de duas derrotas, caiu fora do G-4 e seu treinador Mano Meneses está na berlinda. As eliminações impostas pelos paulistas aos mineiros foram nas quartas de final do Brasileiro de 1990, semifinal do Brasileiro de 94, oitavas de final da Copa Brasil de 97, decisão do Brasileiro de 99, quartas de final da Libertadores de 2000 e quartas de final do Brasileiro de 2002.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

MINISTÉRIO PÚBLICO CONTRA-ATACA E SUSPENDE ORGANIZADAS DE ATLETICO E CRUZEIRO POR SEIS MESES (Flávio Anselmo 29-9-14)



PELO MEU GOSTO O BANIMENTO das torcidas organizadas deveria ser uma medida legal, votada no Congresso Nacional e com sanção da Presidência da República. Só que o pessoal lá de cima tem medo de que tais decisões acabem no Supremo Tribunal Federal por ferir algum direito do cidadão previsto na Constituição Federal. Duvido. A nossa carta máxima protege o cidadão contra medidas que privem seus direitos individuais, sem que haja um processo legal, com ampla defesa. No caso das organizadas, não é tirado o direito do cidadão de Bem se reunir. Eles se reúnem, mas quando estas associações transformam-se em quadrilhas de vândalos e assassinos não existe nenhuma cobertura constitucional.
ESSAS ORGANIZADAS há anos, desde quando foram inventadas, não se sabe por quem, mascararam-se de entidades filantrópicas, ou transformaram-se em entidades secretas, sem donos, perigosas e vivendo longe do alcance da lei. Foi preciso que cometessem vários desatinos, mortes, atos de vandalismo praquê a sociedade tomasse providência através de seus órgãos de representação: a mídia, que os denunciou; o Ministério Público que despertou do seu marasmo e a Justiça morosa que resolveu caminhar, lentamente, alguns passos.
SÓ SÓCIOS TORCEDORES - É preciso que a ação da Justiça ande mais depressa.  Que puna os culpados e pregue suas caras na Imprensa, pra mostrá-los à sociedade e pra que ela se livre deles. Os acontecimentos do último Atlético e Cruzeiro criam uma expectativa de punição apenas para os clubes, os menos culpados na história. Já fizeram de tudo, inclusive com grandes perdas financeiras pra se livrarem deste câncer.
A melhor sugestão esta Trincheira tenha dado outro dia: não se vender mais ingressos nas bilheterias nem anonimamente. Torcedor que quiser ingresso pra qualquer jogo terá de apresentar carteirinha de sócio-torcedor, fichado no clube, com setor estabelecido no ingressos, sem poder mudar de lugar. Melhor, ainda, que na entrada apresente sua carteira de identidade que será cadastrada num desses aparelhos que usam nos aeroportos.
MP SUSPENDE ORGANIZADAS - A repercussão dos atos de selvageria cometidos por torcidas organizadas e torcedores bandidos isolados no último clássico Cruzeiro e Atlético azedou as relações que o MP tentava manter com as entidades. O Ministério Público deu o troco nesta segunda-feira, porque alguns problemas voltaram a acontecer no jogo Atlético x Vitória, com rojões explodindo.  As organizadas foram convocadas pra uma audiência na Promotoria de Justiça da Capital e tomaram conhecimento de que a Máfia Azul, Pavilhão Independente - do Cruzeiro - e a Galoucura, do Atlético estão banidas temporariamente dos estádios nacionais e dos seus arredores, num raio de cinco quilômetros nos dias de jogos.  A decisão vale por seis meses e se estende, também, por cinco clássicos futuros entre os dois clubes.  
As medidas punitivas, no meu entendimento, são mínimas pelo tamanho do estrago que as organizadas fizeram. O banimento, por se tratar de atos repetidos diversas vezes, apesar do termo de adequação firmado entre o MP e as organizadas, deveria ser perpétuo.  Elas terão o direito de defesa, claro, num prazo de 30 dias. Essa medida do MP, chamada de Educativa - kkkkkkk- pra gente sem educação, restringe os elementos vinculados às organizadas de usar qualquer vestimenta, boné, faixa, bandeira, ou o diabo-a-quatro alusivos à sua agremiação no período do banimento. Não poderá haver exposição dos nomes das organizadas punidas e nem a cessão de ingressos, conforme a cartolagem gosta de fazer por esse Brasil afora.
COMO EVITAR A PRESENÇA DELES? - Este é o problema. Os caras não tem estrela na testa. Podem ir aos jogos como torcedores comuns, comprarem todos ingressos de um só setor se reunirem num canto e provocarem as mesmas confusões. Quem irá identificá-los? Por isso, eu sugiro que o ingresso seja vendido apenas aos sócios-torcedores. Quem quiser tem que associar e lá o clube faz a triagem. Não aceita o pessoal que tá fichado na Polícia como o currículo de fazer inveja a qualquer Al Capone. Nos dias de clássico entre Atlético e Cruzeiro e até nas datas de partidas do clube rival,  as organizadas punidas estão proibidas de utilizarem suas sedes, sob risco de multa de R$ 50 mil.
GALOURA BEM VISADA -  A torcida Galoucura deixou de cumprir um acordo firmado com o MP e de um pacto com a PM, no deslocamento para o estádio colocando em risco a vida de seus integrantes e de outras pessoas. Isso ficou comprovado quando vários integrantes da Galoucura se encontraram com membros da torcida Pavilhão Independente, trocaram ofensas verbais, ameaças e subiram a temperatura no entorno do Mineirão. Houve, ainda, a agressão de um cruzeirense por membros da Galoucura no trajeto pro Estádio, e a tentativa de saque no comércio local.  Como isso pode ser respeitado como torcida organizada?
O relatório da PM diz, também, que "bombas tipo "garrafão", um soco inglês e rojões foram apreendidos pela PM com membros da Galoucura. Ainda houve briga generalizada entre integrantes da própria torcida e uso da manobra conhecida como "cavalo doido", na qual a tentativa de tumultuar a entrada nas bilheterias é feita para forçar a passagem sem o ingresso".
TIROS CONTRA ATLETICANOS - Pra não ficar apenas na atuação da Galoucura, é bom que se destaque a atuação da Pavilhão Independente fora do Mineirão, que mereceu recriminação na audiência com o Ministério Público. Um de seus membros, resolveu queimar um rojão na pracinha defronte o estádio e ainda afrontou a Polícia quando foi cercado. A Máfia Azul, citada em diversos relatórios, segundo a PM teve também problemas sérios no clássico, numa briga generalizada - incrível - entre seus próprios torcedores. A Polícia prendeu um vândalo da Máfia Azul com quatro artefatos explosivos, unidos por fita adesiva e pregos. Isso mata, cara! Lembram-se daquele caso do garoto boliviano, num jogo do Corinthians, lá nas alturas?
Constou do relatório o arremesso de um rojão em direção à Galoucura, nas arquibancadas, sem citar o nome de qual torcida celeste o atirador está vinculado. Claro, que aquela situação dos disparos contra quatro atleticanos, parados num ponto de ônibus, com o suspeito preso, também foi discutido na audiência.

LEVIR DEFINE FASE DE TARDELLI: "É UMA ALEGRIA VÊ-LO JOGAR".


 
 

MONTAGEM Thiago de Castro/Superesportes


A expressão que os analistas de futebol gostam muito de repetir, "tirando leite de pedra", serve perfeitamente pra nomear o trabalho que Levir Culpi tem feito nessa  sua nova passagem pelo Atlético. Rapaz, fazer uma equipe capaz de sair lá da rabeira do campeonato brasileiro e figurar alguns jogos depois no seleto clube do G-4. O Galo já tem 43 pontos e 12 vitórias. E o treinador nunca teve o elenco completo à sua disposição e por isso, recorreu à divisão de base do clube encontrando resposta imediata às necessidades que tinha pra montar uma equipe. Poucos acreditaram no sucesso desta montagem.

As coisas vieram acontecendo aos poucos. No princípio, o discurso do Levir era de que o time ia bem, mas negava fogo na hora da finalização. Que as bolas dos adversários tinham sempre a direção das redes do Atlético e os chutes atleticanos no máximo acertavam as traves. As coisas foram mudando e os ventos favoráveis vieram. Na última partida, contra o Vitória de Salvador, no Horto, a torcida recorde achou que a má fase estava de volta. A bola não entrava, apesar da excelente atuação de Diego Tardelli, Guilherme, Marcos Rocha e, enfim, quase todo time. Veio só no segundo tempo, quase no final, quando Guilherme e Tardelli marcaram a vitória por 2 a 0 e que trouxe o galo de volta pro G-4.

O treinador alvinegro sabe que perderá Tardelli pra seleção brasileira por uns três jogos importantes, porém teve a boa notícia da liberação do Departamento Médico dos jogadores Dátolo, Luan, Jô e Marion. Estarão já a disposição de Levir pro jogo contra o Corinthians, em São Paulo, pela Copa do Brasil.

Seguirão no DM: o volante Rafael Carioca, com estiramento na coxa e que tem sido bem substituído por Leandro Donizete. No meio da zaga, ainda estão em recuperação Rever e Emerson, que não fazem falta com a segurança de Jemerson, outro garoto da base. Lucas Cândido, Pedro Botelho, Maicosuel e Claudinei, outros lesionados não liberados. É gente demais pra tirar o sono de Levir Culpi

sábado, 27 de setembro de 2014

CRUZEIRO CANSADO SE ARRASTA EM CAMPO E EMPATA SEM GOLS COM O LEÃO NO RECIFE.

Cruzeiro pareceu-me time cansado, atrás apenas de um ponto fora, contra adversário que pensou seria mais complicado e, no entanto, o Sport não saiu da defesa, não molestou Fábio uma vez sequer e aceitou o empate sem gols contra o líder como excelente resultado na sua busca da manter-se na faixa intermediária do Brasileirão, em oitavo lugar.
Tenho a nítida impressão que Marcelo Pacote Oliveira já no vestiário preparou a equipe apenas pra não perder e vencer se a chance aparecesse. Apareceu em três oportunidades. Em todas elas, seus artilheiros fracassaram ou por cansaço, por falta de foco ou por excesso de arrogância. Everton Ribeiro teve uma delas e chutou fraco, de perna direita e com má vontade. Nas outras chances que clarearam, ele tocou de lado e correu do chute à meta. Prendeu excessivamente a bola e inventou outros estilos que o colocaram longe do meia criativo e consciente que o levou à Seleção. Outra decepção, maior ainda que Everton Ribeiro, foi Ricardo Goulart. Teve duas oportunidades claras e, numa delas, furou ridiculamente na cara do goleiro Magrão. O meio campo esteve lento e o time todo preguiçoso, exceto a nova dupla de zagueiro Dedé e Manoel que não deixaram os atacantes pernambucanos nem se aproximarem da área.
Como eu disse, existe a desculpa justificada de cansaço dos dois craques do time e do volante Lucas Silva, bem sonso. Marcelo Pacote, com, certeza, projetou este empate no Recife, porque o Cruzeiro enfrenta o ABC no meio da semana, em BH, pela Copa do Brasil e no outro sábado tem o encontro de seis pontos contra o Internacional., novo vice-líder e a natural decisão que o Cruzeiro tem pela frente no returno. Vai descansar todo mundo pra ter o elenco em forma, inteiro, contra o Inter. Daí aquela atuação pastosa, arrastada, do time na Arena Pernambuco. Coisa calculada.
Sport 0 x 0 Cruzeiro
Sport - Magrão; Patric, Durval, Henrique Mattos e Renê; Rithely, Wendel (Willian), Ibson (Augusto) e Diego Souza; Felipe Azevedo e Neto Baiano.

Técnico: Eduardo Baptista
Cruzeiro - Fábio; Mayke, Dedé, Manoel e Egídio; Henrique (Nilton) e Lucas Silva; Everton Ribeiro (Marlone), Ricardo Goulart e Marquinhos; Marcelo Moreno (Dagoberto). Técnico: Marcelo Oliveira
Cartões amarelos: Wendel e Willian (Sport). Mayke (Cruzeiro)
Motivo: 25ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Arena Pernambuco
Data: 27 de setembro (sábado)
Árbitro: Marielson Alves da Silva (BA) - boa atuação
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Cleriston Clay Barreto Silva (SE)
VIREI IMORTAL DE ACADEMIA - Recebi com o maior orgulho desta terra, o ofício da Academia Caratinguense de Letras, assinado pelo jornalista e meu amigo particular, Monir Ali Saygli, cujos termos reproduzo a seguir: Prezado Senhor,
             A Academia Caratinguense de Letras - ACL - representa a casa do intelectual caratinguense, do filho ilustre que, diuturnamente, trabalha e divulga  terra maravilhosa, berço da paz, da luz e da tranquilidade.
              Com esse pensamento, convidamos V.Sª para fazer parte do nosso grupo, na condição de Membro Correspondente da Academia Caratinguense de Letras - ACL - escolha que fizemos em consideração ao seu bom e respeitado nome dentro da nossa sociedade, pessoa honrada e culta, capaz de engrandecer cada vez mais o nome da Entidade.
                Disse Humberto de Campos que "Cada um, ao nascer, traz no coração, ou nas mãos, a história de seu destino".
                Na certeza de que o nosso convite será aceito por V.Sª, agradecemos a gentileza da atenção e colocamo-nos à sua disposição para suas prezadas ordens.
                  Sem mais para o momento apresentamos-lhe as nossas
                  Cordiais Saudações
                p/Academia Caratinguense de Letras - ACL
                   MONIR ALI SAYGLI
                   Presidente


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

COM TRÊS VITÓRIAS SEGUIDAS GALO JÁ É UM DOS MELHORES DO RETURNO, JUNTO COM O INTERNACIONAL


Foto Alexandre Guzanshe - Superesportes

Com a vitória sobre o Santos, o Atlético completou o seu terceiro resultado positivo e seguido pelo mesmo placar - 3 a 2, o que o coloca ao lado do Internacional, como um dos times de melhor campanha do returno do Brasileiro. Os dois somam 10 pontos, com o time gaúcho levando vantagem no saldo de gols: 4 a 2. Isso mostra duas coisas importantes: a recuperação da equipe, que saiu lá de baixo e agora é integrante do G-4 e os placares repetidos, construídos quase da mesma forma dizem que algo anda errado no segundo tempo do Galo.
Basta lembrar que, contra o Goiás, em pleno Serra Dourada, o Atlético começou avassalador e terminou recuado e assustado, perto de levar o gol de empate após abrir 3 a 0. Contra o Cruzeiro abriu 2 a 0, tomou o empate, quase levou a virada e foi conseguir a vitória no minuto final. Já contra o Santos, no Horto, fez 3 a 0, e no segundo tempo tomou bola na trave, Victor teve de fazer defesas heroicas e, felizmente, ganhou a partida por 3 a 2. Aqui existe ainda o agravante de Levir Culpi ter alterado o esquema tático pra dois volantes de marcação e, ainda, ter entrado com Pierre quando o jogo estava em 3 a 0.
NEGATIVO X POSITIVO - Este lado negativo, contudo, não deve pesar mais que o lado positivo das vitórias, e, também,  do fato de que os ventos dos deuses do futebol passaram a soprar favoravelmente. Vejam contra o Santos: no primeiro gol, Tardelli foi cruzar e a bola pegou efeito e enganou Aranha. No segundo, Marcos Rocha cruzou e Cicinho, ridiculamente, enfiou a perna esquerda no caminho e quase furou as redes de Aranha.
O terceiro sim, uma bela enfiada de Guilherme e pegou Tardelli nas costas da zaga. Chutou cruzado e sem chance pro goleiro santista.  Aliás, justo que Diego Tardelli seja considerado o carrasco santista: em oito jogo contra o Peixe, o atleticano marcou nove gol. Mais que um por jogo. Thiago Ribeiro e Geuvânio fizeram os gols do time da Vila Famosa.
Esta arrancada do Galo o levou ao G-4 superando o Grêmio e o Corinthians, que, também, têm 40 pontos, mas perdem no saldo de gols e no número de vitórias.
TAPETÃO VEM AÍ - No próximo domingo, o Galo deverá fazer sua última partida em casa neste Campeonato. Enfrenta o Vitória, no Horto, e depois sai pra visitar o Botafogo, no Rio, e o Atlético Paranaense, em Curitiba. Na próxima quarta-feira, o STJD julga os acontecimentos do clássico e os especuladores falam em até 20 jogos de perda de mando de campo. Se isso acontecer,  o Galo ficará devendo jogos até o ano que vem. Cruzes!
CRUZEIRO GANHA TEMPO
- O Cruzeiro já estuda onde jogar caso tome punição de perda de mando de campo no STJD - o que é mais que certo - porém junta documentação necessária pra evitar a aplicação da pena máxima de 20 partidas. Eu também considero exagerada nos dois casos, do Atlético e do Cruzeiro.
Entretanto, uma saída legal alivia bastante a barra do líder do campeonato: os seus jogos contra o Internacional e o Corinthians poderão,ainda, ser no Mineirão.  Isso porque o cumprimento da pena só vale após 10 dias do julgamento, conforme estabelece o Regulamento Geral de Competições da CBF e então ela passaria a ser cumprida apenas no jogo contra o Palmeiras, dia 22 de outubro, na 30ª rodada.
O jogo contra o Inter, atual vice líder, a oito pontos atrás, será disputado no sábado, dia 4 de outubro. Já a partida contra o Corinthians será em 8 de outubro (quarta-feira), às 10 da noite. Como o julgamento será realizado no dia 1º, esses dois jogos já estão garantidas no Mineirão. Além do Palmeiras, a Raposa teria de enfrentar Botafogo, Criciúma, Goiás e Fluminense a pelo menos 100 quilômetros de distância de Belo Horizonte.
ISONOMIA - Existe um fator favorável a Cruzeiro e Atlético. O Corinthians, no mesmo artigo, será julgado, também, dia 1º. Aí a gente verá se o tratamento dado à Corte é diferente do dado às províncias. Ou todos serão punidos e por causa de um, os demais receberão penas menores. Veremos
CASO DO GALO -  O caso do Atlético é diferente, porque ele tem mais uma partida pra fazer agora em casa, contra o Vitória no domingo, que se espera seja batido, afinal estará caindo no Horto, onde se chega morto. Depois sai pra duas fora: contra o Criciúma em Santa Catarina e depois o Fluminense, dia 08, no Rio de Janeiro. Portanto, as duas partidas estariam dentro do prazo de 10 dias. A partir do jogo seguinte, contra o São Paulo, o Galo teria de cantar em outro quintal que não o Horto. Na sequência, os outros jogos da punição até o final da competição são Chapecoense, Sport, Figueirense, Corinthians,  e Coritiba. Dependendo do tamanho da ferrada, passa pra 2015.




quinta-feira, 25 de setembro de 2014

DUAS FRENTES - SUCESSO NAS DUAS: NO SHOW DO CLUBE DA BOSSA NOVA E NA VITÓRIA DO CRUZEIRO SOBRE OS COXAS



Meu bom, tive que me desdobrar nesta quarta-feira. Como qualquer supersticioso, intuí que se deixasse de assistir ao jogo Cruzeiro e Coritiba o líder do Campeonato levaria ferro. Tinha até o placar me atormentando - Coritiba 2 a 1. Dei um jeito de conciliar o show que obrigatoriamente teria de ver, no Teatro do Minas Tênis, "Amigos do Pacífico Mascarenhas", no qual estaria inserido apresentações do Clube da Bossa Nova. Não é porque meu sobrinho Raymundinho faz parte dele, mas a turma é boa de fato. Canta músicas de Tom, Vinicius e outras feras da BN de maneira a botar a gente dentro do Céu, ao lado dos eternos Maestro e Poetinha.
Conseguir cumprir as duas tarefas: assisti integralmente ao show maravilhoso, e grande parte da vitória que contrariou meu pessimismo e, o mais interessante, manteve o placar do meu pesadelo, só que ao contrário: Cruzeiro 2 x 1 Coritiba, lá no Couto Pereira.
Os azuis chegam aos 52 pontos, agora oito na frente do vice, que passou a ser o Internacional. Marcelo Moreno, artilheiro do Brasileiro, com 12 gols abriu a contagem cobrando pênalti sofrido por Nilton e Everton Ribeiro fez 2 a 0. Esta vantagem foi alcançada no primeiro tempo quando o time jogou como autêntico candidato disparado ao bicampeonato seguido, aos 7 e 38m. Martinucio, ex-Cruzeiro, fez o gol paranaense aos 16m da fase final.
Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrentará o Sport, no sábado, às 18h30, na Arena Pernambuco.
CORITIBA 1 X 2 CRUZEIRO
Coritiba:
Vanderlei; Norberto, Luccas Claro, Leandro Almeida e Carlinhos; Helder (Dudu), Rosinei, Germano (Martinuccio) e Alex; Zé Eduardo e Joel.- Técnico: Marquinhos Santos

Cruzeiro: Fábio; Ceará, Dedé, Manoel e Egídio; Henrique e Nilton; Everton Ribeiro (Lucas Silva), Ricardo Goulart (Marlone) e Willian (Marquinhos); Marcelo Moreno.Técnico: Marcelo Oliveira
Gols: Marcelo Moreno aos 7’ e Everton Ribeiro aos 38’ do primeiro tempo; Martinuccio, aos 16’ do segundo tempo
Motivo: 24ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Couto Pereira, em Curitiba
Data: 24 de setembro, quarta-feira, às 19h30
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Vicente Romano Neto (SP)
Cartões amarelos: Germano, Alex, Carlinhos (Coritiba); Willian e Dedé (Cruzeiro)
RODADA FAVORÁVEL - O Cruzeiro fez sua parte e com exceção do jogo Internacional 3 x 0 Criciúma ganhou pontos em outros jogos de perseguidores. Com a vitória, a perigosa equipe de Abel Braga assumiu a vice liderança - Cruzeiro 52, Inter 44 - enquanto o São |Paulo, ao empatar no finalzinho com o Flamengo, em 2 a 2, desabou pro terceiro lugar com 43 pontos. O G-4 tem novo ocupante, o Grêmio, com 40 pontos, igual ao Corinthians, mas com uma vitória a mais. O Time tá fora do grupo de elite.
Apesar de o Grêmio chegar mais, o empate dele com o Fluminense contou ponto, também, pro Cruzeiro. Afastou mais o tricolor carioca que agora é sexto, com 37 pontos. Os jogos de quarta-feira, no entanto, não ajudaram ao Atlético, que, com um jogo a menos, está em sétima, mas se vencer o Santos, no Horto, pula pra 40 pontos junto de Corinthians e Grêmio. E como passaria a ter 11 vitórias empatando com os gaúchos, venceria no r saldo de gols, ultrapassaria, também, o Timão que tem 10 vitórias e assumiria a quarta vaga no G-4.
GALO NO G-4 - Portanto, a vitória sobre o Santos nesta quinta-feira à noite no Horto tem a confirmação maior da excelente recuperação imposta por  Levir Culpi ao time do Atlético, superando todos os problemas possíveis. Culpi inventou fórmulas e atletas e chega mais depressa do que se imaginou ao grupo da Libertadores.
NO TAPETÃO DE NOVO - Mais uma vez, por causa de suas torcidas organizadas, que não temem nada, nem a Polícia Militar, nem as punições impostas aos clubes de seus corações, a procuradoria do STJD oficializou denúncia contra Cruzeiro e Atlético. A assessoria do tribunal distribuiu nota oficial dizendo que "os clubes mineiros responderão pelas confusões ocorridas no clássico do último domingo, no Mineirão. Denunciados por infração dupla ao artigo 213, ambas as equipes responderão por desordens e lançamentos de objetos no estádio. Caso sejam condenados, a multa aplicada pode chegar a R$ 200 mil e a perda de até 20 mandos de campo por infração".
OUTRA BOMBA NO GALO - Estourou, também, como uma bomba a declaração de Levir Culpi, reproduzida com exclusividade pelo programa Jogada de Classe, do Orlando Augusto, na TV Horizonte. Não pretende continuar no futebol BRASILEIRO no fim de seu contrato com o Galo. Ou vai aposentar e curtir os milhões guardados, ou vai treinar uma equipe no exterior. De preferência no Japão.  Isso aqui, segundo ele, tá um rolo difícil de suportar. Tá muito chato. Concordo com Levir, em gênero, número e grau.
SOLIDARIEDADE À BAND - Vi horrorizado a reportagem dos companheiros da Band, assustados com o fogaréu que subia nas encostas da Raja Gabaglia e destruía os carros dos funcionários da emissora. A reportagem revelou outro fato interessante, que a censura administrativa e comprada dos governos tucanos - leia Aécio Neves - não nos deixava ver. Após a separação entre as organizações de PM e dos Bombeiros, o segundo ficou com apenas mais de 5 mil homens pra cuidar de todas Minas Gerais. São 850, parece, municípios. Em BH, existem apenas 1.800 homens que prestam excelente serviço, mas dificilmente chegam na hora. Este é o governo de segurança total de Aécio e de Anast-azia.  

terça-feira, 23 de setembro de 2014

MINHA PIRÃMIDE POLÍTICA TEM DILMA NA CABEÇA E PIMENTEL COMO A  ESPERANÇA DAS GERAES

PRA FICAR livre de uma vez das mensagens fajutas, reacionárias que me chegam de todos os cantos enviadas por amigos, parentes e leitores, quero renovar de uma vez pra todas, já na esquina das eleições, que estou liberado pela Justiça Eleitoral de votar porque tenho mais de 70 anos. Mas quero exercer meu sagrado direito, pra lascar vários votos contra o esquema tucano que domina as Geraes e pra evitar que ele, via o Garoto de São João Del Rei ocupe o lugar de Dilma Rousseff no Planalto.
 O meu é secreto, porém faço questão de revelar o meu porque é meu direito democrático.  Votarei num novo mandato pra Presidente Dilma, e praquê Fernando Pimentel assuma o Palácio da Liberdade. Meu candidato a deputado federal é o garoto Marcelo Aro, uma nova geração pensante na política brasileira. Deputado estadual, meu amigo Sinval Ladeira, que já devia ter ganhado este mandato desde a primeira vez que concorreu. Estes dois não são petistas, mas eu os conheço bem. Pra Senador, dou meu voto de coerência em Josué Alencar, filho do ex-vice-presidente José Alencar, com raízes em Caratinga. Agora, por favor me deixem em paz. Não há menor possibilidade de que eu seja doutrinado a mudar de opinião.

DURA REALIDADE - Esta eu li no site da MSN: - "O ex-atacante Gabriel Batistuta deu uma declaração impressionante em entrevista ao canal "TyC Sports". Aposentado desde 2005, quando pendurou as chuteiras aos 36 anos, o ex-jogador da seleção argentina afirmou que pediu para ter as pernas amputadas depois de parar de jogar.
"Fui ver meu médico e pedi que cortasse as minhas pernas. Ele me olhou e perguntou se eu estava louco. Eu insisti, não aguentava mais, vivia mal-humorado. É impossível descrever o quanto eu sentia dor. Eu vi (Oscar) Pistorius (atleta paralímpico) e disse que aquela era a solução. Mas o médico disse que não ia fazer aquilo", disse.
Ídolo da Fiorentina, Batistuta sofreu com seguidas lesões já nos últimos anos da carreira, quando defendeu Inter de Milão e Al Arabi, do Catar. Ele contou que, por causa das dores nos tornozelos, chegou a urinar na cama.
"Deixei o futebol e, de um dia para o outro, não podia mais caminhar. Urinei em mim mesmo na cama, tendo um banheiro a três metros de distância, porque não queria levantar. Eram quatro horas da manhã, e eu pensava o que iria me doer o tornozelo se eu levantasse", afirmou.
"Ele (o médico) colocou parafusos no meu tornozelo. Perguntou para eu escolher em qual perna eu queria fazer isso, porque não poderia ser nas duas. Foi a direita, não fazia diferença. Meu problema é que não tenho cartilagens e tendões. Meus 86 quilos estão apoiados sobre os ossos, e osso contra osso me dava dor", contou.

ABRA OS OLHOS, CRUZEIRO - Com lesão muscular agravada no clássico,  Alisson não enfrentará o Coritiba, nesta quarta-feira, às sete e meia  no estádio Couto Pereira. Será num pesado desfalque como foi após deixar o gramado domingo. Sem ele, o time caiu de produção., piorada com a entrada do preguiçoso Dagoberto. Pacote não revelou o nome do seu substituto e espero que desta vez seja mais consciente e não deixe William de fora. Apesar da péssima campanha do Coritiba, com 23 pontos ganhos em 23 jogos e dentro da zona de rebaixamento, o Cruzeiro terá de botar as barbas de molho. Gordura pra queimar ainda possui - os sete pontos de vantagem sobre o São Paulo - mas se bobear tudo isso some entre os dedos.
Marcelo Pacote Oliveira anunciou que poderá fazer outras mudanças no time, a fim de preservar alguns jogadores desgastados com a sequência de jogos. No entanto, não revelou quais. O time do Cruzeiro, portanto, na nossa vã consciência deverá ser o que perdeu do Atlético, apenas com a dúvida no ataque:  Fábio; Mayke, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e Willian (Dagoberto ou Marquinhos); Marcelo Moreno.
AMÉRICA EMPATA - Quase que o Coelho se vingou do Joinville, autor da denúncia ao STJD e que fez o time mineiro perder 21 pontos na Série B. Agora lanterna da competição, com 16 pontos, o América fez 1 a 0 no Joinville, lá na casa deles, e era melhor no jogo. Aí quase no final do primeiro tempo, Obina foi expulso. Aí lascou tudo. O Coelho teve que se desdobrar pra segurar a vitória, mas levou o empate após os 30m da fase final.  Na classificação de momento, o América é o lanterna da competição, com 16 pontos, atrás de Vila Nova-GO, 17; Portuguesa, 19 e Icasa, 21. Esta foi a 25ª rodada, e faltam 13. Ou seja, 39 pontos. Com base nas competições anteriores, o América precisará de 45 pontos pra fugir do rebaixamento.  Em 39 possíveis, terá de ganhar 29. É troço demais.

Enquanto isso, o Boa Esporte vem brilhando. Passou a incomodar e por isso terá de ficar de olho nos bastidores pra não ser derrubado que nem o Coelho. Nesta terça-feira, o Boa, em Varginha, derrotou a Luverdense por 2 a 1 e chegou à quinta posição com 41 pontos. É o primeiro fora do G-4.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

CLÁSSICO DE VENCEDORES SÓ QUE OS DEUSES ESTAVAM, DE NOVO, AO LADO DO GALO DOIDO. (Flávio Anselmo)

Foi daqueles clássicos mineiros decididos no detalhe. Levir Culpi pagou pra ver e apostou num meio-campo com apenas um volante de marcação, apoiado na raça e versatilidade do argentino Dátalo. que fez uma partida fantástica. Apoiou e teve que correr atrás de Everton Ribeiro que, também, jogou muito. Só que a estratégia do Atlético funcionou: atacou com eficiência.
 O Cruzeiro teve maior posse de bola, mandou duas bolas na trave, obrigou Victor a praticar grandes defesas e perdeu oportunidades claras. Então chega a vez do detalhe: o artilheiro do campeonato e dos azuis, Marcelo Moreno, foi importante no esquema de abrir espaços, mas não cumpriu o papel de goleador. O menino do Galo, Carlos, tornou-se o herói do jogo com dois gols. Outro detalhe que deveria merecer atenção da Comissão Técnica cruzeirense: os gols no finalzinho dos jogos.
DESTAQUES DO GALO - No Atlético Victor teve a sorte dos grandes goleiros. Vencido, duas bolas fora à trave; ou então os atacantes adversários chutaram pra fora. Excelente atuação de Marcos Rocha, menos solto e mais marcador. A dupla de zaga deveria acender velas aos deuses. No segundo tempo,  Léo Silva e Jemerson abriram uma brecha no meio. No lance do gol de Ricardo Goulart, o talentoso Everton Ribeiro passou por ali como que passeando num parque e fez o passe pra Goulart livre, em cima da linha. A troca de Conceição por Douglas foi outro acerto de Levir Culpi. O menino fechou a porta do lado esquerdo da defesa e levou o time à frente. Eduardo também entrou no momento certo: Guilherme tava morto.
DESTAQUES NO CRUZEIRO. No Cruzeiro, Fábio não teve trabalho além de buscar a bola três vezes no fundo das redes. Maike marcou mal e bobeou no lance da vitória atleticana. Marcou a bola e se esqueceu de Carlos. Dedé no conjunto foi uma tristeza, continua afoito. Melhor na zaga Léo. Na esquerda, Egídio foi aquele buraco de sempre e violento: covardemente agrediu Luan e quebrou-lhe duas costelas. Na hora do jogo não dei pela coisa, porém vendo o teipe, claramente se nota que houve pênalti de Egídio em Luan.  O ataque do Cruzeiro estava bem, até Marcelo Pacote resolver, como sempre aos 15m, mexer. Colocou o preguiçoso Dagoberto e depois o inoperante Borges. Aliás, quase queimara minha língua: fizeram uma tabela e Dagoberto perdeu a bola da vez, seria o terceiro gol cruzeirense. 
Os melhores; Alisson e Everton Ribeiro, excelentes. Ricardo Goulart e Moreno foram bem.  O pior em campo foi o técnico Marcelo Ribeiro. No momento em que o Cruzeiro mandava, já havia empatado, ele entrou com as mudanças e o Galo equilibrou o jogo. Ali, na saída de Alisson, sentindo um desconforto muscular, era pra entrar com William. Aliás, não entendi o que pretendia ao colocar William aos 46m do segundo tempo.
A próxima rodada é mortal às pretensões do Cruzeiro que sai duas vezes. A primeira contra o desesperado Coritiba, no Couto Pereira., nesta quarta-feira; depois pega o Sport, no Recife. O São Paulo joga duas em casa.  Flamengo, nesta quarta e Fluminense, no domingo. O Galo com cristal alta e moral elevado joga em casa: na quinta-feira contra o Santos e depois contra o Vitória.

  Foto Superesportes

PREÇO DA BAGUNÇA - Os vândalos e bandidos torcedores que transformaram o domingo de clássico e de bom futebol num inferno, com gente ferida a tiro, quebra-quebra no estádio, ônibus do Galo atacado com latas de cervejas cheias, rojões atirados na arquibancada, uns nos outros, criaram um sério problema  para Atlético e Cruzeiro. A gente não cansa de avisar e os imbecis não ouvem. O STJD já tem a fita do jogo e promete ser rigoroso. E tem sido. Com certeza, os dois times mineiros serão punidos com perda de mando de campo. Parabéns seus imbecis...


  Superesportes

NO PAPEL DELE - Torcedores cruzeirenses me enviaram mensagens irados com a brincadeira do presidente Alexandre Kalil. Fazer o quê, meus bons? Ele está no papel dele de torcedor número um do time alvinegro. Claro que tem que fazer festa. O Atlético não perde pro Cruzeiro há cinco jogos.
Quando Kalil disse que "O Cruzeiro não é freguês, é cliente”,  retratava uma realidade.
Kalil disse mais numa entrevista a ESPN: " já tem muito tempo que não ganham da gente. A gente vai sempre com muita fé jogar contra eles, independente de classificação ou time. A gente gosta muito de jogar contra o Cruzeiro, ao contrário deles. Tem gente que jogou dos dois lados e diz que eles tremem mesmo, que tem medo do Atlético. Isso está provado em números. É diferente de Grêmio e Internacional, Vitória e Bahia. O Atlético tem um mundo de vitórias a mais que o Cruzeiro. É normal. Disputamos seis pontos e ganhamos os seis”.
Pra torcida celeste tirar sarro de volta com o Kalil só o ano que vem e ele já não será mais presidente do Galo.
DIREÇÃO ERRADA - Ninguém contesta que Marcelo Pacote tem feito um trabalho digno dos maiores elogios no Cruzeiro. Mas isso não o torna imune a erros. E Pacote tem errado muito, nos últimos jogos, talvez até por excesso de confiança. Melhor do que xingar o presidente do Atlético o que a torcida celeste devia fazer e cobrar de Marcelo mais treinamento do ataque, menos filigranas dos famosos e maior raça dos seus protegidos, como o caso de Dagoberto.


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

GALO DESFALCADO EM GOIÃNIA BRIGA POR UMA VAGA NO G-4






GALO DOIDO ESQUENTADO - Cobrado nas arquibancadas, entre conselheiros cornetas e, até mesmo, pelos próprios atletas, o Galo Doido pensa que dará o primeiro passo programado esta noite no Serra Dourada: vencer o Goiás. No atual currículo tá gravado que o Atlético não vence fora de casa desde o dia 25 de maio, quando bateu no Vitória por 3 a 2, com muita dificuldade, porém venceu.
Dá até pena ver o Galo Doido cheio de problemas pra escalar uma equipe forte que nem a tradição da equipe. Nesta partida de hoje não terá Marcos Rocha, uma das forças do time; Léo Oliveira, Carioca e Pierre.
CHEIOS DE DESFALQUES - O time achado por Levir Culpi no coletivo desta terça-feira, em Goiânia, é de Victor, Alex Silva, Jemerson, Edcarlos e Douglas Santos; Claudinei, Leandro Donizete, Dátolo e Guilherme; Carlos e Jô. Olho no menino Douglas Santos, que o Galo buscou na Udinese da Itália, porque ele entra jogando de cara na vaga do vaiado Emerson Conceição.
Outra novidade, até por falta de opção, é o centroavante Jô que não faz um golzinho sequer há 20 jogos.  O Atlético é oitavo colocado com 31 pontos ganhos, ou seja, 15 pontos atrás do Cruzeiro, seu adversário de domingo, no Mineirão.
TODOS JOGOS VALEM - Tá bom, o Levir quis dar um descanso a Tardelli, Luan e Leonardo Silva pra que entrem inteiro no clássico. Pergunto: os três pontos de Goiânia, ganhados fora de casa, não teriam um peso mais importante que o clássico, este apenas maior pela rivalidade? A diretoria do Atlético e o próprio Levir Culpi entendem que se derrotar o Cruzeiro, o Galo doido deslancha, além de ser campeão moral do Brasileiro 2014. É de gargalhar...
CHEIO DE CHULÉ - Cheio de chulé no tênis e na cabeça, um torcedor do Sport provocou um  lance, no mínimo curioso, ao atirar o pé direito de seu tênis no gramado da Arena Pernambuco, durante a partida  contra o Internacional. Imediatamente, o dito material foi devolvido pelo lateral esquerdo Renê, sob argumento que fedia demais e que poderia trazer punição ao Leão do Norte. O referido imbecil foi preso, denunciado pelos próprios torcedores e irá "aos costumes" na delegacia especial, na unidade do Juizado Especial, instalada no estádio, de codinome Jetep. Ceus!
CABEÇA DE CAMARÃO -  Emerson Sheik, mandado embora do Corinthians e emprestado ao Botafogo, provocou cenas inusitadas na partida entre seu time e o Bahia, no Maracanã, no qual os baianos viraram espetacularmente por  3 a 2.
Quando recebeu o primeiro cartão amarelo do árbitro mineiro Igor Junio Benevenuto, no primeiro tempo, Sheik pediu, ironicamente, que a câmera da Globo se aproximasse e bem baixinho, constatado apenas na leitura labial, xingou a CBF, afirmando que ela é uma vergonha. Até aí tudo bem, acertou em cheio..
Mas a reação de Emerson Sheik ao cartão vermelho aplicado aos 14m após novo amarelo, no segundo tempo o moço foi mais irônico, ainda, e afirmou consistentemente por várias vezes o que dissera antes. Deve-lhe render uma suspensão meritória do STJD por tanta bobagem dita. "CBF, você é uma vergonha". Repito, não tá errado, mas é coisa pra cartola e imprensa dizerem.
SÚMULA SUJA - A súmula do juiz mineiro, carregada de palavrões, está mais suja que poleiro de pombo. Ela será base da denúncia que deve render rigorosa punição ao atacante do Botafogo pelo STJD. O juiz relatou ter sido xingado pelo jogador e também citou o fato de ele ter se dirigido à câmera de TV, após a expulsão, para dizer: “CBF, você é uma vergonha”.  

O juiz mineiro, que não é nenhuma brastemp e complicou o jogo, aceitando as pressões botafoguenses, escreveu mais:   -  Expulsei aos 14m do segundo tempo o atleta de número 7, Sr. Márcio Passos de Albuquerque, ao receber uma segunda advertência na partida, por atingir com um chute na altura da coxa direita de seu adversário de número 8, na disputa de bola. Cumpre informar que o referido atleta havia sido advertido anteriormente por reclamação ao proferir as seguintes palavras a mim: "Apita essa porra!". Após ser expulso, o mesmo veio em minha direção e proferiu as seguintes palavras: "Safado, sem vergonha, você é um merda, vagabundo, não apita nada!".  Mais dois jogadores do Fogão foram expulsos e um deles após o apito final.
FOI UMA NOITE PRA LÁ DE ESTRELADA - VITÓRIA NO MINEIRÃO SOBRE FURACÃO E CRUZEIRO GANHA MAIS  7 PONTOS EXTRAS COM TROPEÇOS DO INTER, DO FLU E A DERROTA DO S.PAULO. OS SETE PONTOS DE VANTAGEM ESTÃO DE VOLTA


Os acontecimentos desta noite no Campeonato Brasileiro não caem no quintal de qualquer equipe. Após ver a diferença entre ele e o São Paulo cair no último domingo a quatro pontos, o Ibope do Cruzeiro subiu outra vez nos jogos que fecharam a rodada, inclusive com a derrota do seu carrasco paulista em Curitiba, diante de uma pequena torcida no Estádio Couto Pereira incrédula, por 3 a 1, de virada.
Os coxas brancas estavam na zona do rebaixamento desde a quarta rodada e pularam fora com esta vitória. A torcida azul do Cruzeiro agradeceu em Beagá com fogos e apitaço.  Michel Bastos abriu a contagem pros bambis no final do primeiro tempo. Na fase final, a entrada do ex-cruzeirense, garoto Elber, deu mais velocidade e soltou o camaronês Joel. Liderado pelo mágico Alex, o Coxa foi atrás da vitória. Helder empatou com um chutaço de fora da área, pegando uma sobra da disputa de Elber com Toloi. Daí pra frente só deu o camaronês Joel. Marcou a virada com o gol vazio, após chute de Elber e completou no final, arrancando do próprio campo, num lançamento perfeito de Alex. Driblou o goleiro Denis e fez 3 a 1 em cima do time Robin Hood. Aquele que toma pontos dos times grandes e entrega contra os pequenos. Domingo o São Paulo tem o Corinthians no Itaquerão.
Outros resultados importantes pro Cruzeiro nesta quarta-feira. O Vitória de Ney Franco virou em cima do Fluminense e tacou-lhe 3 a 1, em Salvador.
O Flu continua tá fora do G-4, como quinto colocado com 35 pontos.




quarta-feira, 17 de setembro de 2014

CRUZEIRO PASSA COM AUTORIDADE PELO FURACÃO E TORCE PELO COXA CONTRA O SÃO PAULO MAIS TARDE.

Marcelo Moreno foi às redes inimigas pela 11ª vez e lidera a artilharia - foto Rodrigo Clemente/EM DA Press e Superesportes






O Cruzeiro voltou a jogar pelos dois lados com a volta de Egídio que repercutiu até na atuação de Maike, menos vigiado e, apesar das dificuldades contra o ferrolho do Furacão paranaense conseguiu uma vitória tranquilo por 2 a 0, no Mineirão. Teve atuação segura, rodou bem a bola pelas beiradas do campo e marcou com Alisson, aos 26m do primeiro tempo e com o goleador do campeonato, o matador azul Marcelo Moreno, aos 9m do segundo, com uma tijolada de fora da área.
Aliás, foi assim todo primeiro tempo, com o Atlético Paranaense do técnico Claudinei Oliveira plantado na defesa, jogando por apenas uma bola na velocidade de Marcelo e Douglas Coutinho. O retorno de Henrique ao lado de Lucas Silva, também, cercou os contra-ataques do Furacão e tranquilizou Dedé mais Léo. O Furacão usou esquema de três zagueiros, e obrigou os azuis a chutarem de longe. Henrique tentou duas vezes e foi mal.
Pra abrir o placar, a equipe de Pacote recorreu ao talento de Alisson pela ponta.  No lance de seu gol,  Alisson recebeu pela esquerda, driblou pra dentro e finalizou, com a bola desviando no ex-cruzeirense Gustavo e entrando no ângulo do bom goleiro Weverton.
O Atlético chegou ao gol do Cruzeiro apenas uma vez e meteu a bola nas redes de Fábio, mas com William Rocha totalmente impedido. tempo. Já o segundo gol do Cruzeiro saiu aos nove minutos da fase final, com MM acertando o canto direito de Weverton, sem defesa. O 11º gol dele no campeonato, desgarrando-se de Ricardo Goulart, suspenso no jogo desta quarta.
FICHA TÉCNICA DA PARTIDA -
Cruzeiro 2 x Atlético Paranaense 0.
Cruzeiro - Fábio; Mayke, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Lucas Silva; Everton Ribeiro (Nilton), Júlio Baptista (Willian) e Alisson (Marlone); Marcelo Moreno. Técnico: Marcelo Oliveira
Atlético-PR - Weverton; Gustavo, Willian Rocha e Cleberson; Sueliton, Deivid, João Paulo (Hernani), Marcos Guilherme e Natanael (Sidcley); Douglas Coutinho (Mosquito) e Marcelo
Técnico: Claudinei Oliveira
Motivo: 22ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 17 de setembro
Estádio: Mineirão
Gols: Alisson, aos 26 minutos do 1º tempo; Marcelo Moreno, aos 9 minutos do 2º tempo
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Rogério Pablos Zanardo
Cartão amarelo: Alisson (Cruzeiro)




CAIU NO HORTO, TÁ MORTO. QUASE QUE NARRADOR LEVA O DITO AO PÉ DA LETRA.

LITERALMENTE MORTO - Por pouco, o narrador  Antero Neto  virou outro lamentável número na estatística pouco favorável aos locutores e comentaristas esportivos em 2014. Sofreu mal-estar durante o primeiro tempo de Atlético-MG x Botafogo, neste domingo, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, e teve que ser substituído na transmissão do Premiere pelo locutor Guto Nejaim.
Antero encarou o problema com bom humor e enviou uma mensagem em uma rede social para tranquilizar os seus seguidores.
- Amigos, tá tudo bem... Só um mal-estar que estava atrapalhando a qualidade da transmissão. E ainda brincou com o fato do problema ter acontecido no Estádio Independência, onde os torcedores do Galo costumam dizer que o adversário que "caiu no Horto, tá morto".
- Ah, não foi a comida (espetacular por sinal). E, apesar de ser no Horto, tô vivinho! Hahahahah. (A Gazeta).

TEM GENTE NOVA NO TIME DO GALO - Os alvinegros que andaram xingando e excomungando o lateral esquerdo Emerson Conceição, poderão abaixar o colesterol ao conhecerem de uma vez pra sempre o menino  Douglas Santos - pela tevê, ainda -  nesta quinta-feira, no jogo contra o Goiás.  Vindo da Udinese-ITA, o moço de 20 anos, convocado pra Seleção sub-20 do treinador Alexandre Gallo é considerado uma solução pra posição no Atlético. Douglas Santos, 20 anos, foi revelado pelo Náutico. Ele já defendeu Granada-ESP e Udinese-ITA. Emprestado ao Galo até o meio da próxima temporada, ele fez apenas uma partida pelo clube, contra o Coritiba.

ROBIN HOOD TRICOLOR - Não é a primeira vez que o São Paulo recebe este apelido, pelo costume de bater nos chamados grandes - nem em todos, claro - e deixar pontos importantes com a turma sem muito cartaz. A vitória sobre o Cruzeiro reafirmou o titulo de Robin Hood, rouba dos ricos pra dar pros pobres. No entanto, pra acabar com tal sina, o time de Murici precisa mudar de postura.Nesta quarta-feira pega o Coritiba, que faz campanha de time pequeno, no Couto Pereira. É contra adversário assim que o Bambi perde seus pontos importantes. Até aqui foram 11 partidas contra rivais que estão na segunda metade da tabela, do 11º ao 20º lugares, e contra eles o São Paulo conseguiu a merreca de 19 pontos em 33 disputados. Um exemplo: contra o Coxa o time de Pacote já pegou três pontos, no Mineirão, numa vitória por 3 a 2, enquanto o SP, no Morumbi, ficou no empate por 2 a 1.

VERDADE SOBRE A QUEDA DE PATRÍCIA POETA NO JC - William Bonner, eu não sabia, é um tremendo traíra. O famoso marido de Dona Fátima Bernardes, que deixou o JN pra comandar um programa seu na Poderosa não queria Patrícia em substituição à sua dona.  Ela foi-lhe imposta pelo diretor de programação da emissora carioca, Amaury Soares.  Longe da bela mulher amada, o sortudo do Bonner ganhou outra beleza universal pra sentar-se ao seu lado na bancada do JN. Mas não gostou da escolha. Tanto fez que tirou Poeta, após três anos da linda chamar a atenção na posição.  Pra ficar calada, Patrícia anunciou que está trocando o jornalismo pelo entretenimento, como fez a Senhora Bonner.

TRAÍRAÇO HEIN!!!!





PACOTE, CUIDADO HOJE COM ESTE ATLETICO QUE VOCÊ CONHECE TÃO BEM

TAÍ UM JOGO que me faz tremer nas bases. Será preciso de uma dosagem maior de vontade do cabeça pensante da equipe, Everton Ribeiro e que Júlio Baptista use toda a sua experiência pra substituir bem um dos goleadores do Campeonato, Ricardo Goulart. Acima de tudo, paciência: da torcida, dos atacantes na cara do gol, dos zagueiros nas intervenções, notadamente o afoito Dedé, e estratégia de Marcelo Pacote Oliveira não mexendo no time aos 15m do 2º tempo, como sempre faz, pro bem ou pro mal, mas desnecessariamente.  Ainda que seja no Mineirão, este jogo contra o Furacão mete medo. Alguns analistas falam em queda momentânea do time de Pacote, só porque perdeu pro São Paulo, no Morumbi, e venceu APENAS por 2 a 1 o Bahia. Neste jogo teve tudo pra enfiar uma goleada nos bons baianos.  Vejam os dados do jogo abaixo:

Ficha Técnica do Jogo: Cruzeiro x Atlético

Cruzeiro - Fábio; Mayke, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Júlio Baptista, Everton Ribeiro e Alisson; Marcelo Moreno. Técnico: Marcelo Oliveira
Atlético-PR - Weverton; Sueliton, Cleberson, Gustavo e Willian Rocha; Deivid, Hernani, Marcos Guilherme e Bady; Douglas Coutinho e Marcelo.
Técnico: Claudinei Oliveira
Motivo: 22ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 17 de setembro, às 19h30
Estádio: Mineirão
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Rogério Pablos Zanardo


CRUZEIRO X ATLÉTICO-PR


ESTATÍSTICAS

Jogos: 50

Vitórias do Cruzeiro: 19

Empates: 17

Vitória do Atlético-PR: 14

Gols do Cruzeiro: 79

Gols do Atlético-PR: 65

Saldo de gols do Cruzeiro: 14

 












CAMPEONATO BRASILEIRO

As equipes se enfrentaram 38 vezes pelo Campeonato Brasileiro, desde 1968. O Cruzeiro venceu 14, o Atlético-PR ganhou 10 e houve 14 empates. O Cruzeiro marcou 64 gols e sofreu 50.

Recordes do Campeonato Brasileiro:

- Maior número de pontos ganhos (100) – 2003
- Maior número de vitórias (31) – 2003


MINAS GERAIS
Cruzeiro e Atlético-PR se enfrentaram 25 vezes no estado de Minas Gerais, em Belo Horizonte (estádios Independência e Mineirão) e em Sete Lagoas (Arena do Jacaré). O Cruzeiro conquistou 11 vitórias, 8 empates e perdeu 6 jogos. A Raposa marcou 41 gols e sofreu 29. Pelo Brasileirão, em Minas Gerais, foram 20 partidas, com 8 vitórias da equipe mineira, 7 empates e 5 vitórias do time paranaense. O Cruzeiro marcou 32 gols e sofreu 22.


MINEIRÃO
Foram 20 partidas no Mineirão. O Cruzeiro ganhou 10, empatou 6 e perdeu 4, com 34 gols marcados e 23 sofridos. No Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro, houve 16 confrontos entre as duas equipes, com 7 vitórias da Raposa, 5 empates e 4 triunfos do adversário, que fez 18 gols enquanto o time celeste marcou 26.


DECISÕES
Cruzeiro e Atlético-PR se enfrentaram em duas decisões. Em 1999, o Atlético-PR foi campeão do Torneio Seletivo da Libertadores, com vitória por 3 x 0, em Curitiba, e derrota por 2 x 1, em Belo Horizonte. Em 2002, o Cruzeiro foi campeão da Copa Sul-Minas com duas vitórias, 2 x 1, em Curitiba, e 1 x 0 em Belo Horizonte.


Marcelo tem pedido muita atenção da zaga e, principalmente, de Dedé. Egídio volta, o que dá uma tranquilidade a mais, porque é jogador da posição e Júlio Baptista substitui Ricardo Goulart, eu teria preferido alguém mais leve e mais rápido, time William. (Foto de Edésio Ferreira/EM-DA Press).