sábado, 27 de setembro de 2014

CRUZEIRO CANSADO SE ARRASTA EM CAMPO E EMPATA SEM GOLS COM O LEÃO NO RECIFE.

Cruzeiro pareceu-me time cansado, atrás apenas de um ponto fora, contra adversário que pensou seria mais complicado e, no entanto, o Sport não saiu da defesa, não molestou Fábio uma vez sequer e aceitou o empate sem gols contra o líder como excelente resultado na sua busca da manter-se na faixa intermediária do Brasileirão, em oitavo lugar.
Tenho a nítida impressão que Marcelo Pacote Oliveira já no vestiário preparou a equipe apenas pra não perder e vencer se a chance aparecesse. Apareceu em três oportunidades. Em todas elas, seus artilheiros fracassaram ou por cansaço, por falta de foco ou por excesso de arrogância. Everton Ribeiro teve uma delas e chutou fraco, de perna direita e com má vontade. Nas outras chances que clarearam, ele tocou de lado e correu do chute à meta. Prendeu excessivamente a bola e inventou outros estilos que o colocaram longe do meia criativo e consciente que o levou à Seleção. Outra decepção, maior ainda que Everton Ribeiro, foi Ricardo Goulart. Teve duas oportunidades claras e, numa delas, furou ridiculamente na cara do goleiro Magrão. O meio campo esteve lento e o time todo preguiçoso, exceto a nova dupla de zagueiro Dedé e Manoel que não deixaram os atacantes pernambucanos nem se aproximarem da área.
Como eu disse, existe a desculpa justificada de cansaço dos dois craques do time e do volante Lucas Silva, bem sonso. Marcelo Pacote, com, certeza, projetou este empate no Recife, porque o Cruzeiro enfrenta o ABC no meio da semana, em BH, pela Copa do Brasil e no outro sábado tem o encontro de seis pontos contra o Internacional., novo vice-líder e a natural decisão que o Cruzeiro tem pela frente no returno. Vai descansar todo mundo pra ter o elenco em forma, inteiro, contra o Inter. Daí aquela atuação pastosa, arrastada, do time na Arena Pernambuco. Coisa calculada.
Sport 0 x 0 Cruzeiro
Sport - Magrão; Patric, Durval, Henrique Mattos e Renê; Rithely, Wendel (Willian), Ibson (Augusto) e Diego Souza; Felipe Azevedo e Neto Baiano.

Técnico: Eduardo Baptista
Cruzeiro - Fábio; Mayke, Dedé, Manoel e Egídio; Henrique (Nilton) e Lucas Silva; Everton Ribeiro (Marlone), Ricardo Goulart e Marquinhos; Marcelo Moreno (Dagoberto). Técnico: Marcelo Oliveira
Cartões amarelos: Wendel e Willian (Sport). Mayke (Cruzeiro)
Motivo: 25ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Arena Pernambuco
Data: 27 de setembro (sábado)
Árbitro: Marielson Alves da Silva (BA) - boa atuação
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Cleriston Clay Barreto Silva (SE)
VIREI IMORTAL DE ACADEMIA - Recebi com o maior orgulho desta terra, o ofício da Academia Caratinguense de Letras, assinado pelo jornalista e meu amigo particular, Monir Ali Saygli, cujos termos reproduzo a seguir: Prezado Senhor,
             A Academia Caratinguense de Letras - ACL - representa a casa do intelectual caratinguense, do filho ilustre que, diuturnamente, trabalha e divulga  terra maravilhosa, berço da paz, da luz e da tranquilidade.
              Com esse pensamento, convidamos V.Sª para fazer parte do nosso grupo, na condição de Membro Correspondente da Academia Caratinguense de Letras - ACL - escolha que fizemos em consideração ao seu bom e respeitado nome dentro da nossa sociedade, pessoa honrada e culta, capaz de engrandecer cada vez mais o nome da Entidade.
                Disse Humberto de Campos que "Cada um, ao nascer, traz no coração, ou nas mãos, a história de seu destino".
                Na certeza de que o nosso convite será aceito por V.Sª, agradecemos a gentileza da atenção e colocamo-nos à sua disposição para suas prezadas ordens.
                  Sem mais para o momento apresentamos-lhe as nossas
                  Cordiais Saudações
                p/Academia Caratinguense de Letras - ACL
                   MONIR ALI SAYGLI
                   Presidente


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.