quinta-feira, 30 de outubro de 2014

OS RODAS DURAS, QUE ADORAM VELOCIDADE NAS ESTRADAS E ULTRAPASSAGENS PERIGOSAS, CUIDADO! A LEI ENDURECEU.

Se a partir deste sábado você cometer algumas imprudência nas estradas saiba que já estará em vigor uma nova lei federal que altera o Código de Trânsito e aumenta, em 12 artigos, as multas aplicadas. A nova lei veio severa pra tentar botar juízo na cabeça dos imbecis e assassinos soltos nas estradas do País
Nas ultrapassagens em que se usa manobras perigosas por causa de veículos vindos no sentido contrário, o valor da penalidade aumenta mil por cento, de R$ 191,54 para R$ 1.915,40. A multa pra quem ultrapassar pelo acostamento, não será mais de R$ 127,69;  passará a R$ 957,70, uma alta de 650%. E as ultrapassagens em local proibido sofrerão reajuste de 500%; dos atuais R$ 191,54 para R$ 957,70. A percentagem valerá ainda para infrações como ultrapassagem em subidas, curvas e locais sem visibilidade.Os rachas, se terminarem em acidente com morte, poderão levar o culpado a passar de cinco a dez anos na prisão. Sem vítimas, se a prática for flagrada, pode terminar em pena de três anos de prisão para os motoristas, e em multa mais cara: dos R$ 574,62 atuais, passará para R$ 1.915,40. Caso haja vítimas não fatais, a pena prevista no código modificado é de seis anos de prisão.Segundo o Denatran, as infrações, além de cobranças mais caras, são consideradas gravíssimas e valem a retirada de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação. A nova lei prevê ainda que ultrapassagens perigosas e rachas custem aos motoristas envolvidos 12 meses sem o direito de dirigir. Já se o culpado for reincidente, o valor da multa dobra.

VOLTA DE DOIS VOLANTES NÃO FUNCIONOU E GALO LEVA DE 2 A 0 DO FLAMENGO NO MARACANÃ



Levir voltou com dois volantes e com Pierre, sem condições psicológicas, e o Galo jogou mal


Interessante, enquanto teve apenas um volante - Leandro Donizete - o Galo mandou bem em várias partidas; com muitos problemas, inclusive sem Guilherme e o próprio Donizete, Levir Culpi teve que arrumar outro esquema. Colocou Pierre, completamente fora de sintonia, pois chegara da Bahia onde um irmão fora assassinado com seis tiros da cabeça, e Josué, tão perdido quanto o companheiro, e o Atlético não resistiu a pressão do Flamengo caindo por 2 a 0 e terá problema pra reverter o quadro no jogo de volta, no Mineirão, semana que vem, pelas semifinais da Copa do Brasil.

Outra vez o Galo jogou mal fora de casa e, principalmente no Maracanã. Tomou de 2 a 0, gols Mais uma vez, o Atlético não foi bem fora de casa. Errou muito e acabou derrotado por 2 a 0 pelo Flamengo, no Maracanã, gols de Cáceres, de cabeça, e Chicão de pênalti, numa infantilidade de Josué que se jogou nas pernas de Gabriel. Na partida de volta, outra, vez o Galo terá de apostar na mística das viradas em casa, como aconteceu na Libertadores e na Copa do Brasil diante do Corinthians.  O confronto de volta será na próxima quarta-feira no Mineirão. Mais de 23 mil ingressos já foram comprados pela torcida. A torcida se ampara no “Eu acredito”. O time terá, novamente, de se superar para levar o Galo à inédita decisão da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA: FLAMENGO 2 X 0 ATLÉTICO
Flamengo - Paulo Victor; Léo Moura, Chicão, Samir e João Paulo; Cáceres, Márcio Araújo, Canteros (Amaral) e Gabriel; Everton (Luiz Antônio) e Eduardo da Silva (Nixon). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Atlético - Victor; Marcos Rocha, Edcarlos, Jemerson e Douglas Santos (Alex Silva); Josué, Pierre (Luan) Dátolo e Maicosuel; Carlos (Marion) e Diego Tardelli. Técnico: Levir Culpi
Gols: Cáceres, 15min 2ºT; Chicão, 32min 2ºT
Motivo: Jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil
Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro
Data: 29 de outubro de 2014
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP)
Cartão amarelo: Canteros, Chicão, Cáceres, Amaral (FLA); Pierre, Marcos Rocha (ATL)

CRUZEIRO VOLTA A JOGAR COMO NO PRIMEIRO TURNO, VENCE PEIXE E LEVA VANTAGEM NA VILA BELMIRO

Pelo menos na maior parte do jogo, o Cruzeiro voltou a jogar como no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, em alta velocidade, e venceu o Santos por 1 a 0, gol de William, um placar mentiroso, porque além de prejudicado pelo assistente Rodrigo Pereira Joia que deu impedimento inexistente de Júlio Baptista, no lance em que Ricardo Goulart marcou o segundo gol azul, invalidado. Sem Álisson, lesionado, e Marquinhos impedido de atuar, o time dominou o Peixe de Robinho e só permitiu-lhe uma trégua no segundo tempo, após a saída de William, junto com Mike, os melhores em campo.
Dagoberto entrou no lugar de William e o Cruzeiro perdeu o pique. E Dagol perdeu gol feito aos 45m do segundo tempo, num cruzamento de Maike. Após as entradas de Marcelo Moreno no comando do ataque, saindo Júlio Baptista que se mostrou fora de forma, mas esteve em bom níve, e de Marlone na vaga de Everton Ribeiro, os azuis voltaram  a dominar as ações e quase marcaram mais gols.
O fato de não ter sofrido gol em casa dá uma boa vantagem ao Cruzeiro para a volta. Qualquer empate garante o time de Marcelo Oliveira na decisão do torneio de mata-mata. Na próxima semana, Santos e Cruzeiro decidem a vaga na Vila Belmiro.Antes disso, a Raposa recebe o Botafogo, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro.
A pressão inicial da Raposa surtiu efeito logo aos 10 minutos. Willian chutou da direita, a defesa santista rebateu e o próprio William, de perna esquerda, chutou rasteiro, cruzado. O  goleiro Aranha se esticou todo, mas não alcançou a bola: 1 a 0. 
Everton Ribeiro e Ricardo Goulart estiveram perto de repetir as grandes tabelas e grandes atuações. Da mesma forma William que voltou a encantar a torcida até levar uma cotovelada nas costelas. Mesmo assim aguentou até o segundo tempo.
Na primeira grande jogada do Cruzeiro na etapa, aos sete minutos,  foi prejudicado  pela arbitragem. Willian tomou a bola no meio e ligou para Júlio Baptista finalizar. No rebote de Aranha, Goulart empurrou para as redes, mas o auxiliar marcou impedimento no primeiro chute.


FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO 1 X 0 SANTOS

Cruzeiro: Fábio; Mayke, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Everton Ribeiro (Marlone), Ricardo Goulart e Willian (Dagoberto); Júlio Baptista (Marcelo Moreno)
Técnico: Marcelo Oliveira
Santos: Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Rildo (Jorge Eduardo), Gabriel (Serginho) e Robinho (Leandro Damião)
Técnico: Enderson Moreira
Gols: Willian, aos 10 minutos;
Motivo: jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Data e hora: 29 de outubro de 2014, quarta-feira, às 22h
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Rodrigo Pereira Jóia (RJ) e Rodrigo Henrique Correa (RJ)
Público: 25.714
Renda: R$ 1.029.363
Amarelos:Marcelo Moreno (Cruzeiro); Eugênio Mena (Santos)



terça-feira, 28 de outubro de 2014

SEMIFINAIS DA COPA DO BRASIL-2014

DUAS FRENTES DIFÍCEIS NO BOM COMBATE DO FUTEBOL MINEIRO: GALO NO RIO CONTRA URUBU E RAPOSA NO MINEIRÃO CONTRA O PEIXE.

Não faço qualquer diferença entre as dificuldades que o Atlético enfrentará no Maracanã hoje à noite, contra o Flamengo, nas semifinais da Copa do Brasil, e as que o Cruzeiro terá no Mineirão, diante do Santos.  O Galo vive um momento inexplicavelmente sensacional: é o melhor time do returno do Brasileiro, mesmo com tantas contusões, suspensões e dificuldades que Levir Culpi tem pra arrumar uma equipe. Não lhe faltam disposição e raça, dois ingredientes necessários num jogo entre equipes que se equivalem. O Flamengo de Vanderlei Luxemburgo tem tocado a vida assim, pois seu elenco é bem limitado. Nas dificuldades, Levir e Luxa empatam antes do início da decisão de quem vai pra final.
No Cruzeiro, a coisa está inversa. Ganhou o primeiro turno arrasando os adversários e chegou bem lá na frente. Neste turno atual, não conseguiu fazer duas vitórias seguidas e está em décimo lugar. Viu a vantagem com o segundo colocado cair pra cinco pontos; ainda é boa, mas ele terá jogos indigestos pela frente, antes de conferir o provável bicampeonato. Por isso, a ordem do dia na Toca da Raposa é falar positivamente, contestar divisão interna do grupo, por causa das soberbas pessoais, ou o relaxamento natural por ser rotulado na mídia nacional como o provável campeão. Há uma sentença definitivamente perigosa: ninguém tira o título do Cruzeiro.

Por isso, cá de meu barraco à beira das pirambeiras do Santo Antônio, além de saudar a decisão das autoridades municipais de abrirem parte dos estacionamento no entorno do Mineirão pro jogo desta quarta-feira - apesar de entender que a coisa tem que ser mais ampla e a abertura total - penso que a participação das chamadas torcidas organizadas, na Toca da Raposa, dando apoio aos atletas e acreditando neles, possa ser um aviso definitivo a gente que como Dagoberto, Lucas Silva, Ricardo Goulart, Everton Ribeiro, e outros menos votados tenha caído em descrédito por culpa própria, que a fé de alguns sofredores se mantém em pé. 

sábado, 25 de outubro de 2014

UM PREGUIÇOSO, OUTRO GUERREIRO: O CRUZEIRO SE ARRASTA EM CAMPO E LEVA GOL DE EMPATE NOS ACRÉSCIMOS, GALO VENCE E ASSUME 2º LUGAR

Preguiçoso, displicente, autossuficiente, menosprezando o adversário e deixando de disparar na liderança isolado, o  Cruzeiro voltou a jogar sem interesse, achando que já é campeão brasileiro, o que eu temia há tempos, e foi ridículo contra o Figueirense , em Santa Catarina. Fez um gol, na pura sorte, numa cobrança de lateral que Marquinhos aproveitou. Depois foi dominado inteiramente pelo Figueirense e estava trazendo pra BH um placar injusto até que levou o gol de empate, aos 47m. quando Pablo veio driblando do meio-campo, sentiu que a defesa cruzeirense estava a fim de não disputar mais nada e chutou de fora da área. Fábio aceitou: 1 a 1.
Marcelo Pacote Oliveira só justifica, e não age. Escalou a equipe sem dois titulares importantes Lucas Silva e Maike, apesar de que Lucas decepcionou ao entrar porque de suas reboladas no meio-campo surgiu o gol de empate. Tomaram a bola dele e correu atrás com passo de urubu malandro. Em momento algum o Cruzeiro se impôs em campo e no segundo tempo foi inteiramente dominado pelos barrigas verdes.
Com o empate, o Cruzeiro chegou aos 61 pontos e repetiu a ruindade dos dois últimos meses, quando a equipe não conseguiu duas vitórias seguidas. O Atlético reduziu a diferente entre eles e assumiu o segundo lugar, sete pontos atrás. Porém, caso o São Paulo vença o Goiás, segunda-feira, no Morumbi, volta a assumir a vice e a diferença cai pra cinco pontos.
Convém o presidente Gilvan Tavares e o diretor Alexandre Matos conversarem com o grupo, porque há uma divisão entre eles, insatisfeitos com a falta de pagamento de bichos e dos direitos de arena. Também uma ala já não obedece Pacote e se sente desprestigiada pelo treinador. Nesta reta final da conquista do título, tudo serve pra acender as fogueiras. Os bobões, alienados, parecem não entender o que seria perder o bicampeonato após botar 12 pontos na frente.A torcida vai cobrar contra o Botafogo, próximo jogo, no Mineirão. No meio da semana, o Cruzeiro cuida da Copa do Brasil.
FICHA TÉCNICA- Figueirense 1 x 1 Cruzeiro
Figueirense:
Tiago Volpi; Jefferson, Marquinhos, Thiago Heleno e Cereceda; Paulo Roberto, França (Leo Lisboa), Marco Antônio e Giovanni Augusto (Clayton); Mazola e Marcão (Pablo).Técnico: Argel Fucks
Cruzeiro:  Fábio; Ceará, Dedé, Leo e Egídio; Henrique (Willian Farias) e Nilton; Everton Ribeiro (Willian), Ricardo Goulart (Lucas Silva) e Marquinhos; Marcelo Moreno.
Técnico: Marcelo Oliveira
Gols: Marquinhos aos 35’ do primeiro tempo; Pablo aos 46' do segundo tempo
Motivo: 31ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis
Data: 25 de outubro de 2014, sábado
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Leonardo Mendonça (ES)
Cartões amarelos: Lucas Silva (Cruzeiro)

FALTA TÉCNICA, SOBRA GARRA E GALO VENCE ATÉ COM 10 EM CAMPO -  Até nesta segunda-feira, falem o que quiserem falar, mas o Galo Doido estará na posição de novo vice-líder do Campeonato Brasileiro. Na segunda-feira dependerá do São Paulo vencer ou não o Goiás, no Morumbi. Se não vencer, melhor para Cruzeiro e Atlético que ficarão tranquilos em suas posições no G-4.
Além de atuar sem titulares importantes, com Diego Tardelli, Guilherme, Luan e Edcarlos, e com um atleta a menos desde o início do segundo tempo – o goleiro Victor foi expulso ao cometer falta em Wendel –, o Galo se mostrou valente e venceu o Sport, de virada, por 3 a 2. Tiago, zagueiro estreante, Dátolo e Carlos assinalaram os gols mineiros no Independência. Rodrigo Mancha e Danilo marcaram para os pernambucanos.
Segundo colocado do Brasileiro com 54 pontos – sete a menos que o líder Cruzeiro –, o Atlético volta suas atenções pras semifinais da Copa do Brasil. Na quarta-feira, enfrentará o Flamengo, no Maracanã, às 10 da noite, enquanto o Cruzeiro enfrentará o Santos no Mineirão. no mesmo horário.
Sem Luan, Guilherme e Tardelli, o Galo tinha o desafio de superar o Sport retrancado e disposto a jogar no contra-ataque. Levir Culpi manteve o estilo de jogo da equipe, com Maicosuel e Cesinha sendo opções de velocidade pelas pontas, Marcos Rocha na condição de armador e Carlos centralizado. Mas o início foi complicado. Os pernambucanos fechavam bem a defesa e eram precisos em suas investidas. Numa delas, aos 17m, Rodrigo Mancha teve assistência de Diego Souza e o rebote de Victor pra abrir o placar no Estádio Independência: 1 a 0.
As jogadas aéreas viraram alternativas. O zagueiro Tiago, estreante, deu seu cartão de visita: aos 32m, numa falta fora da área, Tiago soltou a bomba e empatou o jogo:1 a 1. No intervalo, Levir fez uma substituição certa: tirou Alex Silva e botou Pierre, liberando Dátolo. Funcionou. Logo aos 2m, Maicosuel fez boa jogada pelo meio e achou Dátolo na entrada da área. O argentino driblou seu marcador e bateu no ângulo: Galo, 2 a 1.
1.  Num contra-ataque do Sport, Victor saiu do gol e calçou Wendel. Foi expulso. O reserva Wilson entrou no lugar de Cesinha e foi pra meta. O Galo tinha mais 40m, com um homem a menos pra segurar o placar. E na base do coração, o Galo Doido marcou 3 a 1, com o menino Carlos. Valentia pura. Nada de preguiça. Eram 23m do segundo tempo e o time arriou as meias. Pressionado, o Atlético tomou o segundo gol do Leão aos 33m, marcado por Danilo.

FICHA TÉCNICA: - ATLÉTICO 3X2 SPORT -


ATLÉTICO - Victor; Alex Silva (Pierre, no intervalo), Jemerson, Tiago e Douglas Santos; Josué, Dátolo, Marcos Rocha e Maicosuel (Marion, aos 39 do 2ºT); Cesinha (Uilson, aos 8 do 2ºT) e Carlos
Técnico: Levir Culpi
SPORT - Magrão; Vitor, Henrique Mattos, Durval e René (Zé Mário, aos 40 do 2ºT); Ronaldo (Danilo, aos 18 do 2ºT), Rodrigo Mancha, Wendel (Ananias, aos 8 do 2ºT), Ibson e Felipe Azevedo; Diego Souza - Técnico: Eduardo Baptista
Motivo: 31ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Independência, em Belo Horizonte
Data: Sábado, 25 de outubro
Gols: Rodrigo Mancha, aos 17, Tiago, aos 32 do 1ºT; Dátolo, aos 2, Carlos, aos 23, Danilo, aos 32 do 2ºT
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa/PR) e Anderson José de Moraes Coelho (SP)
Cartões amarelos: Rodrigo Mancha, aos 18, Diego Souza, aos 31, Durval, aos 41 do 1ºT; Marcos Rocha, aos 21 do 2ºT
Cartão vermelho: Victor, aos 7 do 2ºT
Público e renda: 13.115 pagantes e R$ 262.095,00

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

DESCONHECIDO NO BRASIL, CONVOCADO POR DUNGA, EIS O GOLEADOR FIRMINO, HERÓI NA ALEMANHA.




(GLOBO.COM) Convocado por Dunga para os amistosos da seleção brasileira contra Turquia e Áustria, em novembro, Roberto Firmino, 23 anos,  pode ser desconhecido em seu próprio país, mas já faz sucesso na Alemanha. Atacante do Hoffenheim, ele marcou 16 gols na última edição da Bundesliga, a ponto de o site oficial do torneio compilar em vídeo alguns de seus melhores lances. om novidades na lista, Dunga terá a oportunidade de observar de perto outros jogadores. Diego Alves, do Valencia, Roberto Firmino, do Hoffenheim, Luiz Adriano, do Shakhtar Donetsk, Casemiro, do Porto, Douglas Costa, do Shakhtar Donetsk, e Lucas, do Paris Saint-Germain, foram convocados nesta nova era Dunga pela primeira vez.
A partida contra a Turquia será no dia 12 de novembro, em Istambul. Já o jogo contra a Áustria será realizado em 18 de novembro, em Viena. Esta foi a última convocação da Seleção Brasileira em 2014.
NÃO É VERDADE - Roberto Firmino sempre acompanha as convocações da seleção brasileira. Mas nesta quinta-feira, logo no dia em que foi chamado, não viu. Só foi saber que havia uma lista e que estava nela quando seu empresário na Alemanha o avisou por telefone. Foi à loucura. Pensou num trote. Aos 23 anos, o atacante que joga no Hoffenheim ganha a primeira chance. Dunga vai levá-lo para os amistosos contra Turquia, dia 12 de novembro, e Áustria, dia 18. 
- Nem sabia que ia ter convocação hoje. Sempre olho, sempre. Mas desta vez nem olhei. Deu vontade de correr, gritar, uma gritaria aqui em casa, fiquei emocionado por estar realizando mais um sonho. Muito importante, muito legal – disse, por telefone, ao GloboEsporte.com.
O dia 23 de outubro, que já seria de comemoração, ganhou ainda mais importância.  
- Que dia, que isso?! Dia abençoado. É aniversário do meu pai, José Roberto, que completa 53 anos, e agora a convocação. Eu sempre tive esperança, pelo trabalho que venho fazendo. É um sonho, a gente sempre tem esperança. 
Firmino está no clube alemão desde o fim de 2011. Destaque da equipe, fez 16 gols e deu 11 assistências na temporada passada. O alagoano sonha em defender gigantes europeus em breve. No Brasil, é rosto desconhecido, mas quer mostrar a cara o quanto antes.  
- Comecei no CRB, joguei no Figueirense, mas só um ano como profissional. Saí muito jovem, ia fazer 18 anos. O torcedor brasileiro não chegou a me conhecer. Fui convocado uma vez para a seleção sub-20, mas não pude ir, o clube não me liberou. Agora tenho essa chance na Seleção principal. Vão conhecer um menino alegre, que ri muito de tudo, mas é sério dentro de campo, aguerrido, batalhador, lutador. Qualidade de todos os brasileiros. 

TRINCHEIRA: Não gosto de assistir aos amistosos da Seleção Brasileira. São jogos caça-níqueis. Mas esses vou acompanhar por causa das novidades. Eu não sabia que existia o tal de Roberto Firmino. Vai ser desinformado assim lá no Socapó... (foto Richard Souza)

DEUSES DO FUTEBOL JOGAM COM O CRUZEIRO, MAS ATÉ QUANDO?

    Marcelo tá preocupado com a pontaria do ataque - foto Rodrigo Clemente - EM-DA Press

ALÉM DE NÃO CONSEGUIR emplacar duas vitórias seguidas desde agosto, o Cruzeiro está com as marchas trocadas no ataque: seu maior artilheiro, Marcelo Moreno, esqueceu o caminho das redes e tem perdido gols incríveis. Parece apressado, ansioso. Os outros têm mostrado menor apetite e não chutam quando a defesa se abre nas deslocações do boliviano. Só Álisson tem chutado mais de meia distância, enquanto Everton Ribeiro perdeu aquele sentido voraz de penetração entre os beques adversários e as finalizações decisivas. Parece deslumbrado, atrás de gols extraterrenos. São coisas fáceis de se corrigir, principalmente agora com a volta de Ricardo Goulart, basta que Marcelo Pacote Oliveira continue insistindo com eles que o título tá tão perto. Basta emplacar quatro vitórias seguidas.
VENTOS CONTRA E A FAVOR - A favor do Cruzeiro correm os ventos soprados no momento por alguns deuses do futebol. Falo em alguns como os que o ajudaram nesta última rodada: empatou com o Palmeiras em cima do laço por 1 a 1, após levar o gol aos 43m, fruto de um contra-ataque rápido que o argentino Mousse concluiu forte sem defesa pra Fábio. Dagoberto, com mais vontade de jogar, evitou a derrota ao aproveitar a largada de bola do goleiro palmeirense Fernando Prass, que até então fechara a sua meta,não segurou o chute de longe de William, e entregou a bola nos pés de Dagol, aos 47m.
O placar foi enganoso: o Cruzeiro teve maior posse de bola, cerca de 63%, desperdiçou várias oportunidades, chutou 21 vezes à meta Palmeiras, contra seis vezes do adversário. Passava a impressão de massacre, com Fernando Prass sendo o herói da partida. Pegou até pensamento. Álisson saiu no primeiro tempo, com estiramento, mas o Cruzeiro não perdeu a força porque entrou Ricardo Goulart.
BENEFÍCIO GERAL - Os deuses favoráveis sopraram seus ventos em outros lados. Tudo bem que o Corinthians tenha vencido o Vitória (2 a 1) e se aproximado de novo, mas o Internacional foi derrotado pelo Flamengo (2 a 0) no Maracanã e o São Paulo quase foi derrotado na Arena Condá, pelo Chapecoense, e ganhou de presente o empate sem gols. Por causa disso, o Cruzeiro manteve a distância de sete pontos do segundo colocado. Entretanto, que se cuide, porque no sábado à tarde joga em Floripa, contra o Figueirense, um indigesto adversário em casa, enquanto o SP pega o Goiás, no Morumbi, segunda-feira. De novo, jogará sabendo o resultado do Cruzeiro.


Tardelli xingou ao vivo e pediu desculpas pelo twitter - foto Juarez Rodrigues - Superesportes

TARDELLI PEDE DESCULPAS -Tudo bem que Diego Tardelli tenha reconhecido que fez um monte de besteiras no jogo contra o Bahia (1 a 1) e que tenha pedido  desculpas ao árbitro goiano Elmo Resende, por tê-lo xingado de safado e de merda. Mas como pedir perdão à torcida por sua ausência obrigatória diante do Sport do Recife no sábado, no Horto? Tudo bem que seja ídolo e tá no crédito. Mas como ele próprio disse no twitter, "minha conduta tem que ser exemplar". Disse, também, que "isso não é da minha índole"'. E, realmente, não é. São enormes os elogios à educação e ao temperamento do craque. Por isso,Tardelli, não se deixe levar por novos arroubos em jogos seguintes porque o Atlético sempre precisará de você e de seu futebol alegre.
APERTOS DE LEVIR - O técnico do Atlético tem feito das tripas o coração pra conseguir montar uma equipe neste campeonato. Tem dado certo, ou como costuma dizer, tirado leite de pedra. Agora, além dos já vetados por lesões, depende de Léo silva. Já sabe que Edcarlos, Luan, Diego Tardelli e Guilherme não podem jogar. Até seu esquema tático de tanto sucesso corre risco. Deve voltar ao esquema de dois volantes com Pierre e Josué. Na defesa, se Léo for vetado joga Thiago que veio lá do Sul. Talvez, Levir até decida manter o 4-1-4-1 com a escolha entre Maicosuel, Cesinha, André e Marion quem ocupará as três vagas ao lado de Carlos, Josué e Dátolo.
DUNGA SEM BRASILEIROS - O técnico da Seleção Brasileira decidiu poupar os clubes brasileiros envolvidos alguns em duas competições paralelas e não convocou nenhum jogador que atue no território tupiniquim para os amistosos Turquia e Áustria. Nesses amistosos caça-niqueis jogarão apenas os "estrangeiros". Bom demais!!!


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

TEVÊ MOSTRA TARDELLI FAZENDO FALTA NO BEQUE DO BAHIA E XINGANDO JUIZ DE SAFADO E DE MERDA.


Impressionante a cara de pau do Diego Tardelli na entrevista ao Sportv após o empate com o Bahia, na Fonte Nova, afirmando que não fez falta no lance, não ouviu o apito e nem se lembra do que xingou o árbitro goiano Elmo Alves Resende. O vídeo tape mostra, pela câmera colocada nas redes, o atacante empurrando o zagueiro Demerson com as duas mãos. Em seguida, parte pra cima do juiz e na leitura labial, - nem sou mestre nela-  pode-se ver, claramente, Tardelli torrando com palavrões o árbitro. Foi tudo colocado na súmula da partida decisão do árbitro.
Diego Tardelli com certeza irá a julgamento no STJD e será punido com rigor, baseado nas ofensas relatadas em súmula pelo árbitro goiano. Sua escapatória será o artigo da lei que ampara a indisciplina no futebol brasileiro: o tal efeito suspensivo. Que o moço goiano é ruim de apito, tem demonstrado há tempo. Porém, esta facete arrogante e cínica de Diego Tardelli só vim conhecer no jogo em Salvador. E ele encerra a entrevista com exemplar declaração:
-"Estava precisando, também, de um descanso. Claro que não queria ser expulso, mas aconteceu". Simples assim. Como se tivesse tomando um sorvete de creme com coco queimado, sentado no meio-fio da Cidade do Galo assistindo seus companheiros, debaixo de escaldante sol, treinando feito loucos pra evitar que o Galo saia da posição ocupa no G-4 com grande sacrifício de todos.
Aí vem o treinador, longe pacas do lance, e avaliza: "Não sei o que aconteceu, ele ficou nervoso porque fez o gol e não fez a falta. Talvez não tenha percebido; não sei se um outro atleta nosso fez a falta. Ele reclamou com razão, por ele. Mas, de qualquer forma, se ele foi desrespeitoso, é um erro do atleta. Tem que ter equilíbrio, porque em uma hora dessa, se estava ruim, ficou pior”.
Com certeza, vendo o vídeo tape depois, os dois - Tardelli e Levi - morreram de vergonha e devem desculpas à pessoa do árbitro Elmo Alves Resende Cunha, principalmente Tardelli, que o chamou de safado e merda, várias vezes. Eu gostaria de vê-lo tendo idêntica reação com aquele guarda-roupa gaúcho ou mesmo com Leandro Vuadem.
SÚMULA PESADA - Sei lá se Dunga levará em conta a indisciplina de Tardelli na próxima convocação. Se houver punição, o técnico da Seleção deveria sim analisar e deixar de fora o atacante atleticano. Serviria de exemplo para outros endeusados. O árbitro Elmo Alves Resende Cunha (GO) fez o seguinte relato sobre a expulsão na súmula do jogo: "Expulsei com cartão vermelho direto de campo de jogo aos 45 minutos do segundo tempo, o atleta de numero 9 sr. Diego Tardelli Martins da equipe clube atlético mineiro, por ter me ofendido moralmente com as seguintes palavras: "você é um merda, seu merda, seu merda! desde o primeiro tempo você só complica! seu fraco!" . Após a expulsão, o atleta em pauta continuou dizendo as seguintes palavras: "safado,safado,safado, seu merda!" fato ocorrido logo após a marcação de uma falta contra sua equipe
 OUTRA REAÇÃO ESTÚPIDA - Também o Bahia pagou alto preço por uma reação estúpida do lateral Guilherme Santos, ex-jogador do Atlético. Ao marcar o gol de empate, Guilherme tirou a camisa pra comemorar, num gesto que considero desrespeitoso ao clube e aos anunciantes da camisa. A lei pune com cartão amarelo tal gesto. Como já tinha cartão amarelo, Guilherme tomou o vermelho e seu time ficou com 10 homens.
QUE COISA, GENTE! - 0 Guilherme vinha se tornando um dos jogadores mais importantes nessa recuperação do Atlético. Perito em assistências, passes milimetricamente certos até em longa distância, gols decisivos, porém a bruxa das contusões não sai dos seus calcanhares. Dois jogos espetaculares e dois fora, no estaleiro. Saiu do jogo contra o Bahia no início do segundo tempo e acabou substituído por Maicosuel. A diferença entre eles é o QI e a velocidade. Um joga com inteligência e cabeça alta. O outro corre feito louco, de cabeça baixa; sua velocidade é tamanha que ele larga o QI pra trás.
EMPATE RUIM: O empate em Salvador foi ruim pro Atlético e, também, pro Bahia. As torcidas em pequenos amontoados na Fonte Nova saiu ganhando. O jogo foi aberto e cheio de chances perdidas dos dois lados.
COELHO VAI QUE VAI - Não está nada fácil para o América chegar ao G-4 e se classificar pra série A. Porém, os jogadores deixarão uma lição pra diretoria: "só não chegamos lá por incompetência de vocês. Prestem contas agora à torcida!" Nesta terça-feira, o Coelho conseguiu outra boa vitória fora de casa, por 3 a 1 sobre o Oeste, em Ritápolis, pela 31ª rodada, gols de Tchô, e dois de Willians. Lelê marcou pro time da casa. O América chega a 45 pontos e à certeza de que não cai mais, conforme previsão de vários bocas azedas após a ferrada do STJD. Está a 7 pontos do quarto colocado, o Avaí, e tudo pode acontecer, até urubu voar de costas. Na próxima rodada, sexta-feira, o América joga em casa, contra seu xará de Natal e com certeza subirá mais, secando a turma de cima.

BOA NUMA BOA - Outro que tá com a corda toda na Série B é o Boa Esporte, que derrotou o Náutico por 1 a 0, no Estádio Melão, em Varginha. O time já garantiu sua vaga na Série B do ano que vem e agora, em sexto lugar - na frente do Coelho - briga por uma vaga no G-4. Tem 47 pontos e está a três pontos do quinto, o Ceará e a cinco do Avaí. Na próxima rodada, uma parada torta: o Boa enfrenta o Bragantino, em Bragança Paulista. 

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

GALO, COELHO E BOA EM CAMPO NESTA TERÇA-FEIRA.

Não dá nem tempo nem pra uma soneca tranquila, comer umas goiabinhas vermelhas, e lá vão nossos rapazes para o gramado cumprir o doloroso compromisso do Campeonato Brasileiro. Após o difícil  confronto contra a Chapecoense no Independência, com a vitória por 1 a 0, que o manteve no quarto lugar do G-4, o Atlético de Levir Culpi já teve que pegar um voo pra Salvador, onde joga nesta terça-feira, à noite, contra o desesperado Bahia. O técnico alvinegro, afora o cansaço físico do elenco, não reclama de nada e acha que a vida na Cidade do Galo tá mamão com açúcar. Falta apenas a recuperação de uma turma entregue ao DM e que os salários sejam, definitivamente, colocados em dia.
Sendo assim, o time que joga na Fonte Nova será o que derrotou a Chapecoense, com Victor a muralha na defesa; Guilherme, o cérebro do meio-campo e Diego Tardelli, a soma geral de todas as qualidades da equipe de Levir Culpi. O Atlético pode até dormir na vice liderança provisória e ficar por lá caso vença o Bahia e haja uma combinação de resultados com tropeços de São Paulo e Internacional, o que não é nada impossível. O São Paulo (52) joga na Arena Condá contra a perigosa Chapecoense; e o Internacional (50) vai ao Rio enfrentar o Flamengo no Maracanã, jogos na quarta-feira.
A partida de Salvador está marcada para às sete e meia da noite.
VOLTA PRA CASA - Após vencer o Vitória por 1 a 0, gol de Dedé num belo cruzamento de Maike, e ser descaradamente roubado pelo trio de arbitragem paulista, o Cruzeiro volta, realmente, pra casa. Recebe o Palmeiras, que levou um passeio (3 a 1) da meninada santista e está na bica de entrar para o Z-4, em 14º lugar, com 34 pontos. O Verdão vinha em boa recuperação com quatro vitórias até trombar com a rapidez dos meninos santistas, comandados por Enderson Moreira.
O Cruzeiro teve três derrotas seguidas, duas no Campeonato Brasileiro, e a turma da boca azeda fazia coro de que o time naufragaria. Derrotou o Vitória, recuperou Dedé e botou 7 pontos na frente do São Paulo, agora vice líder. A volta de Everton Ribeiro foi importantíssima. Deu qualidade à equipe e melhorou o rendimento do meio-campo. A defesa errou menos, com Dedé atuando com algum destaque, além do gol. Apenas Manoel voltou a demonstrar-se fora de sintonia atuando pelo lado esquerdo e na cobertura da avenida Egídio.
Este jogo contra o Palmeiras seria fora do Mineirão por causa do mando de campo que o Cruzeiro perdeu no STJD. Joga garantido por um efeito suspensivo concedido pelo mesmo Tribunal. Não será desta vez que Ricardo Goulart retorna à equipe o que assegura a permanência de Marquinhos pela direita. O meio-campo terá Henrique, Lucas Silva, Álisson e Everton Ribeiro; além de Marquinhos, o ataque será formado com Marcelo Moreno que não é mais o artilheiro isolado do campeonato. Tem 13 gols e foi ultrapassado por Henrique, do Palmeiras, com 14. Outro duelo bom de se acompanhar na noite desta quarta-feira, a partir das sete e meia da noite, no Mineirão.
OUTROS BONS JOGOS - Também nesta terça-feira, pela 31ª rodada da Série B, o América que empatou o último jogo com o Paissandu, em Belém (1 a 1) em Belém do Paraná e fez uma partida muito boa, merecia até a vitória, pega outra pedreira, o Oeste lá em São Paulo, A chance de Givanildo aumentar sua série invicta no Coelho é grande. Pelos cálculos dos entendidos, o Coelho precisa de mais quatro pontos pra ficar livre do risco de rebaixamento.

O Boa Esporte, com excelente campanha, oitavo lugar com 44 pontos, recebe o Náutico Capibaribe que briga pelo G-4.  Esta é sexto lugar com 45 pontos, ou seja, apenas um ponto na frente do time de Varginha. Se vencer nesta terça-feira no Melão, o Boa dá bom pinote na tabela de classificação.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

CRUZEIRO JOGA A PRIMEIRA EM CASA CONTRA SANTOS E GALO FARÁ DECISÃO COM FLA NO MINEIRÃO, SEGUNDO SORTEIO NA COPA DO BRASIL

COROAÇÃO FINAL - Pra coroar de vez a supremacia atual do futebol mineiro torço pra que os ventos da sorte soprem em favor de nossos dois principais times e que a Copa do Brasil seja decidida em duas partidas no Mineirão. Para que isso aconteça, conforme sorteio realizado na CBF,  nesta sexta-feira, o Atlético e Cruzeiro terão de superar nos jogos de ida o  Flamengo, no de Rio de Janeiro, e o Santos no Mineirão, respectivamente, dia 29 de outubro, uma quarta-feira.
Os jogos de volta serão dia 05 de novembro. O Galo recebe o Flamengo no Mineirão e o Cruzeiro irá a São Paulo. São dois clássicos que marcaram época no futebol brasileiro. Na Taça Brasil de 1966, o Cruzeiro conquistou seu primeiro titulo importante com duas vitórias sobre o time de Pelé - uma goleada aqui e uma vitória de virada no Pacaembu. Nas decisões de 80 e 82, quando tinham os melhores times do País, Atlético e Flamengo imortalizaram mais as arbitragens tendenciosas de José de Assis Aragão e José Roberto Wright.
TUDO DIFERENTE NO MOMENTO - Nas semifinais da Copa do Brasil que começam dia 29 as histórias estão bem mudadas. O momento dos quatro times é completamente distinto do quadro que se mostrava naqueles saudosos anos. Não existe mais Pelé, nem Tostão, Reinaldo, Zico, Dirceu Lopes, Zito, Cerezzo e outros craques famosos.
Hoje vale o conjunto, a entrega e o apoio das torcidas o que não faltará em nenhum dos casos. No Campeonato Brasileiro o Atlético atravessa uma fase excelente; na base do conjunto e do esquema tático devido a Levir Culpi ocupa o 4º lugar no G-4, após pífia participação no primeiro turno. O Flamengo de Vanderlei Luxemburgo luta, ainda, pra fugir da confusão do descenso, com uma campanha bem instável no Brasileiro.
LIDER X SANTOS - O Cruzeiro é o líder isolado do Brasileiro, com seis pontos na frente do segundo colocado. Só que atravessa aquela fase de indefinição. Classificou-se diante do ABC por causa dos dois gols marcados no campo do adversário. Fez 2 a 0 e tomou a virada de 3 a 2. Como havia vencido por 1 a 0 no Mineirão, ficou com a vaga. Não funcionou a história de que até o time alternativo do Cruzeiro ganharia o Campeonato Brasileiro. Não é verdade e o time tem negado fogo nos jogos importantes. O Cruzeiro vem de três derrotas seguidas - Corinthians, e Galo, no Mineirão, e ABC, em Natal. Seu adversário, o Santos, longe da disputa do título do Brasileiro, confia na meninada de sua base pra ganhar a Copa do Brasil, e conseguir a vaga na Libertadores. Eliminou o Botafogo, com placares agregados, por 8 a 2. No Pacaembu, enfiou 5 a 0 nos cariocas.
PROJEÇÕES FATAIS - Pelo que vi, li e ouvi aqui no meu recinto de tranquilidade, do alto das montanhas nada verdejantes do Santo Antônio, nem Aécio Neves vai ganhar da presidente Dilma Rousseff, e a final da Copa do Brasil será feita por Atlético e Santos. Pelo menos essa foi a projeção de Caio Ribeiro, no Sportv. Pelo que vejo, o rapaz que exibiu babas elásticas bovinas, como diria o mestre Nelson Rodrigues pelo futebol do Cruzeiro, com justificadas razões teve uma recaída. Retornou ao berço natal da Pauliceia Desvairada.
BRUXA CONTINUA SOLTA - Com bruxas ou sem elas, o Galo tem cumprido suas metas nessa fase do Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil. Do jogo contra o Curintia, além da alegria com a goleada e a classificação da equipe sobraram preocupações pra partida contra a Chapecoense, neste sábado à noite. Luan saiu antes por causa de dores nas costas, na região onde teve costelas fraturadas no clássico. Maicosuel ficará de sobreaviso. Outra dúvida é Leandro Donizette, que deixou o jogo, queixando-se de dores musculares. Outra problema. Se não der, joga Josué. Quando esta relação de 14 nomes de jogadores será extinta, ninguém sabe. Coitado do Levir!
PREOCUPAÇÃO NORMAL - Os torcedores do Cruzeiro não param de mandar-me mensagens, ou me xingando ou me dando razão quanto à fase do time. Levar seis gols em dois jogos - Flamengo e ABC - de times fracos é pra deixar qualquer um preocupado. Seis pontos de diferença sobre o Internacional, com ainda 30 pontos em disputa e a queda visível da equipe não garante nenhum título antecipado ao Cruzeiro.
Já escrevi aqui nesta Trincheira que o puxa-saquismo de alguns companheiros da grande mídia, dando o Cruzeiro como virtual campeão brasileiro, de novo, é um perigo. É uma armadilha pra desfocar o elenco e enfiar alguns atletas na camisa de força da arrogância e da autossuficiência. Outros tremem diante da responsabilidade da situação. A defesa do Cruzeiro, por exemplo, com Dedé e Manoel virou um bagaço. O meio-campo precisa urgente de Everton Ribeiro e Ricardo Goulart. O primeiro volta contra o Vitória domingo à noite, no Barradão.
FORA ESQUEMA MEDROSO - Porém, Marcelo Pacote Oliveira, também assustado com a caída do time, tem procurado esquema medroso e que inutilizam a força do contra-ataque do Cruzeiro sua grande arma. A fase não está nada boa e os deuses do futebol estão contra: os árbitros não marcam mais pênaltis existentes em favor, nem os inexistentes como faziam no primeiro turno. E andam marcando os inexistentes ou não contra. As bolas dos cruzeirenses chutadas a gol, ou vão na trave, ou fazem o cartaz do goleiro ou passam rente à meta. As dos adversários entram até quando mal chutadas; os beques azuis desviam pras redes. Até o goleirão Fábio, o homem das bolas impossíveis, não tem pego nem as possíveis. Tá danado, Pacote!
Espero que o time anunciado pra domingo, Fábio, Maike,Dedé, Manoel, Egídio, Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro, Marquinhos, Álisson e Moreno funcione contra o perigoso Vitória, puto da vida por ter sido eliminado outro dia da Copa Sul Americana.


RELAÇÃO DE DOER - Olha só a relação de jogos que o Cruzeiro tem pela frente antes de comemorar o bicampeonato brasileiro: Vitória, neste domingo, fora; Palmeiras, em casa; Figueirense, fora; Botafogo, em casa; Criciuma, em casa; Santos, fora; Grêmio, fora; Goias, em casa, Chapecoense, fora e Fluminense, em casa. Só mesmo o mais fanático dos cruzeirenses, como Flávio Carvalho, acha esta relação um filé. Céus!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

MASSA GRITA 'EU ACREDITO' E TIME RESPONDE NO GRAMADO: COMO FOI NOS BONS TEMPOS DA LIBERTADORES - Flávio Anselmo (16-1-14).

APLAUSO PRA QUEM MERECE - Seu Palmiro, capataz da antiga Fazenda dos Anselmo, ao lado do Rio Preto, em Piedade de Caratinga, tinha o costume de dizer, após encerrar o papo com meu pai, na sala de visitas, chegando a hora de ir embora: "me sentei e já desasentei. Pé no caminho". Fiz que nem ele após os jogos de quarta-feira à noite. Meia-noite, sob o entusiasmo da sensacional apresentação do Galo contra o Corinthians, me  assentei na frente do micro. Novas palavras, no entanto não me vinham. Apenas velhos chavões. Como enaltecer, então, a brilhante virada do Atlético, como nos bons momentos da Libertadores de 2013.
Fui colher os dados do jogos dos mineiros naquela noite e piorou meu estado de letargia com a derrota e a covardia do time do Cruzeiro diante do ABC. Classificou-se graças ao gol de Léo marcado no Mineirão. Mesmo assim terminou o jogo sob pressão, porque mais um gol, e o time de Marcelo entraria ralo a fora.
NOITE ESPECIAL - Além do quê aquela noite era especial. Noite de heróis, valentes, destemidos. Nada de falsos heróis, rotulados e medrosos. Engolidos por uma pusilanimidade que permitiu a virada do pequeno ABC, após chegar a 2 a 0 no primeiro tempo, pro assustador placar de 3 a 2, que o levou às semifinais da Copa do Brasil, sem nenhum merecimento. Mas encontrei o lead de um  texto admirável do jornalista Rodrigo Fonseca para o Superesportes, que resume exatamente os sentimentos deste filho da Dona Geralda, com relação aos poderes do Atlético, da entrega de Guilherme, Luan e, principalmente, Diego Tardelli, e da fé inabalável dessa Massa, que não há nada igual no Brasil.
Permita-me Rodrigo Fonseca, repetir o lead de sua matéria para o Superesportes:
"Foi na técnica de Guilherme. Nas mãos salvadoras de Victor. No esforço de Diego Tardelli. Na raça do time. No "Eu acredito" da torcida. No gol salvador de Edcarlos aos 41 minutos do segundo tempo. O Atlético reviveu dias de glória da Copa Libertadores 2013 e conseguiu uma virada heroica sobre o Corinthians na Copa do Brasil"
O texto de abertura (lead) mostra depois o que a torcida sabia antes. " Depois de perder o jogo de ida por 2 a 0, sair em desvantagem nesta quarta-feira, o Galo fez 4 a 1 no Timão e deixou o Mineirão classificado às semifinais da Copa do Brasil. O adversário será o Flamengo. As partidas estão previstas para os dias 29 de outubro e 5 de novembro".
 Neste sábado, o Atlético volta a campo pelo Campeonato Brasileiro. Depois de assumir a posse, também, do Mineirão, o Atlético volta ao Independência no sábado pra pegar a Chapecoense, na sua luta pra ficar no G-4.
NADA IGUAL - Confesso que diante do marasmo do Cruzeiro em Natal, que eu passei a acompanhar na Fox-Sports, após o Atlético levar o gol de Guerrero, aos 5m, que não acreditava em mais nada. Resolvi dar um basta no calor e fui tomar banho. Quando voltei, o Galo já vencia por 2 a 1, com gols de Luan (?) e Guilherme. E o Cruzeiro tinha feito 2 a 0 no ABC. Fui atrás de qualidade e fiquei na Globo onde se discutia, numa roda de cinco comentaristas, se o gol foi de Luan ou de Guilherme. Coitadinho do Luan! Os analistas deram o gol pra Guilherme e mostraram que a bola nem roçou naquela cabeleira de Luan. Além do mais, Guilherme estava com o capeta no corpo.
Lasquei uma mordida na goiabinha de Rio Casca que me acompanha nesses momentos, e prescrevi:- "Este jogo não vai terminar bem pro Mano Meneses".  Diego Tardelli, tresnoitado, após chegar às quatro horas da tarde da viagem com a seleção brasileira, parecia estar de brincadeira no seu quintal. Seu gás acabou aos 28m do segundo tempo e entrou Marion.  Pouco depois, Guilherme encerrava seu show particular fazendo 3 a 1. A infernal torcida do Atlético. no clima do "Eu Acredito", empurrou o time até que outro desacreditado - Edcarlos - fizesse 4 a 1 classificando o corajoso time de Levir.
Justo na hora que outra discussão entrava em pauta na Globo e o bom moço Caio Ribeiro tropeçava no bairrismo paulista: um telespectador perguntou quem era melhor Cássio ou Victor? Ambos faziam uma partida notável. Caio tentou ficar em cima do muro, mas escorregou - "Victor é melhor, porém o momento é de Cássio".  Levando quatro gols.

FICHA TÉCNICA : ATLÉTICO 4 X 1 CORINTHIANS

Atlético - Victor; Marcos Rocha, Edcarlos, Jemerson e Douglas Santos; Leandro Donizete (Josué), Luan (Maicosuel), Dátolo e Guilherme; Diego Tardelli (Marion) e Carlos. Técnico: Levir Culpi
Corinthians: - Cássio; Fagner, Felipe, Anderson Martins e Fábio Santos; Guilherme Andrade (Elias), Bruno Henrique, Petros e Renato Augusto (Danilo); Malcom (Luciano) e Guerrero. Técnico: Mano Menezes
Gols: Guerrero, 4min 1ºT; Luan, 23min 1ºT; Guilherme, 31min 1ºT e 29min 2ºT; Edcarlos, 41min 2ºT
Motivo: quartas de final da Copa do Brasil
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: 15 de outubro de 2014
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Alessandro Rocha Matos (BA) e Kleber Lúcio Gil (SC)
Cartão amarelo: Jemerson (ATL); Guilherme Andrade (COR)
Pagantes: 32.640
Renda: R$ 1.704.425,00

ÁRBITRO RUIM E COVARDIA TÁTICA LEVAM CRUZEIRO A NOVA DERROTA.

Eu lamento que Marcelo Pacote não me escute, porque se fizesse isso evitaria transtornos pro seu time, como aconteceu quarta-feira em Natal. Tá bom, o ABC venceu de virada, após levar 2 a 0 no primeiro tempo, ganhou por 3 a 2, mas não levou nada. O Cruzeiro está nas semifinais da Copa do Brasil. E o prestígio do líder do Campeonato Brasileiro, considerado no momento como o melhor time do País e com um elenco de fazer inveja, pra onde foi este prestígio?
A turma do Ibope negativo, que tem atazanado a vida da Presidente Dilma com falso números a favor de Aécio, vai encarnar, também, no Cruzeiro. Os seis pontos de vantagem sobre o segundo colocado, que este futebol acovardado, cheio de volantes e com esta zaga atrapalhada, que leva seis gols em dois jogos, sumirão nas duas partidas seguintes. No domingo, o Cruzeiro enfrenta o Vitória de Ney Franco em Salvador. Se Pacote não mudar a cara do time, dando-lhe a forma autêntica de líder, sem três volantes - o Galo tem jogado só com um volante, Leandro Donizette, e não poupa os adversários. - e com uma zaga (Dedé e Manoel) menos atrapalhada, perde o título que estava ganho há umas cinco rodadas atrás.
O time vinha bem com  Manoel e Léo, no período de contusão de Dedé. O cartaz do ex-mito do Vasco obrigou o treinador a escalá-lo. Se são ordens superiores a fim de deixar Dedé na vitrine, pra vendê-lo, aviso que ele está que nem maça podre num balaio. Também é preciso que Manoel volte à sua posição original, jogando pelo lado direito, pra recuperar sua confiança. No caso de Egídio, não há solução mesmo. A defesa do Cruzeiro, exceto na meta com Fábio e na lateral direita com Maike está uma porcaria. Os três volantes só pensam em apoiar; volte logo a jogar com dois: Lucas Silva e Henrique; complete o meio com Everton Ribeiro e Álisson; Na frente, Moreno e Marquinhos, na falta de outro aqui. Chega de Marrone e Neílton, foguetes molhados; do chinelinho Borges, Dagoberto e Júlio Baptista, William e William Faria!
Tenho aconselhado aqui nesta Trincheira a Marcelo Pacote que faça um estudo bem detalhado do time do Atlético. Dizem que o elenco dele é inferior ao do Cruzeiro. Já não acredito mais nisso. Só sei que Levir Culpi armou uma equipe de machos, com um só volante e todos apaixonados pelo Atlético, como se atleticanos fossem desde meninos.
ROBÔ NA ARBITRAGEM - O tal juiz Anderson Daronco do Rio Grande do Sul tem pinta de bravo. É enorme, corre como um robô e apita mal pacas. Ou então estava mal intencionado. Dois pênaltis a favor do Cruzeiro, que poderia abrir 4 a 0 e depois marcou um para o ABC - como sempre de Dedé - existente. Só que o atacante Rodrigo Dias, que sofreu o pênalti estava impedido. Xuxa bateu e começou a reação do ABC. Que fase, hein Fábio? Seis gols em dois jogos e um deles de Xuxa. Céus! Tudo bem que o árbitro gaúcho devia apitar jogos do campeonato de várzea no RS, mas que foi feio demais, o time alternativo do Cruzeiro tomar aquela virada em Natal, foi.


FICHA TÉCNICA: - ABC 3 x 2 CRUZEIRO

ABC - Gilson; Madson, Sueliton, Marlon e Samuel; Daniel Amora, Fábio Bahia, Patrick (Alvinho), Xuxa, João Paulo (João Henrique, depois depois Beto) e Rodrigo Silva . Técnico: Moacir Júnior 
CRUZEIRO - Fábio; Ceará, Dedé, Manoel e Egídio (Leo); Willian Farias, Nilton, Henrique, Willian e Alisson (Neilton); Borges (Marlone). Técnico: Marcelo Oliveira
Estádio: Arena das Dunas
Data e horário: 15 de outubro de 2014, às 22h
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Fábio Pereira (TO)
Cartões Amarelos: Alisson, Nilton, Fábio e Dedé (Cruzeiro). Daniel amora e Xuxa (ABC)
Gols: Willian e Henrique (Cruzeiro). Rodrigo Silva, Xuxa e Alvinho (ABC)
Público pagante: 18.530
Renda: R$ 772.000

terça-feira, 14 de outubro de 2014

BRASIL GOLEIA JAPÃO COM SHOW DE NEYMAR EM CINGAPURA

NEYMAR MARCA 4 VEZES - Rapaz, fiquei impressionado com a disposição dos velhinhos chamados por Dunga - Robinho e Kaká - que incendiaram a Seleção Brasileira  no pouco tempo que estiveram em campo, em Cingapura. Robinho entrou no lugar de Tardelli e Kaká no de Elias. Aumentaram a qualidade do time, e o brilho de Neymar, autor de todos os gols na vitória por 4 a 0 dos brasileiros. O atacante do Barcelona esteve impossível. Everton Ribeiro entrou no segundo tempo e foi bem. A delegação será desfeita e os jogadores voltam aos seus clubes, alguns deverão jogar no próximo final de semana.

VINICIUS BRILHA - Outro que brilhou na Seleção Brasileira, mas sub-21, que se prepara para disputar as Olimpíadas de 2015 foi o atacante Vinicius Araújo, ex-Cruzeiro. Quando entrou em campo, o Brasil vencia os Estados Unidos, num amistoso em Brasília, por 1 a 0. Dominava o jogo, porém sofria com os contra golpes ianques. Vinicius entrou no lugar de Thales, do Vasco, e fez 2 a 0 e deu assistência pro terceiro gol. Final, Brasil 3 a 0. 

CRUZEIRO USA JOGOS NO NORTE/NORDESTE PRA QUEBRAR SEQUÊNCIA DE RESULTADOS RUINS.

   Pacote garante que time não perdeu foco no Brasileiro e busca reabilitação nos próximos jogos -          foto Rodrigo Clemente/- EM e DA Press

Numa de minhas trincheiras atrás, quando nenhum time dava conta de parar o Trem Azul escrevi  que o Cruzeiro só perderia o título deste ano pra ele próprio. Apesar da feia derrota no Maracanã, com a goleada de 3 a 0 aplicada pelo Flamengo e o ensaio de olé aos gritos da boa torcida rubro-negra presente no estádio,  continuo com o mesmo pensamento.Nessa fase toda ruim, que levou parte da torcida a sentir calafrios. só se tomou um ponto dos celestes. A diferença que era de sete, caiu pra seis. Verdade, também, que chegou a nove, muito exagerada. Do jeito que tá só tiram o título dos azuis se Marcelo Pacote Oliveira deixar.
Não existe desânimo ou falta de camisa no elenco, exceto num deles que Pacote teve de encostar, porque o próprio grupo não tem gostado de suas atitudes no gramado. Leia-se Dagoberto. Arrumaram pra ele problema no púbis, de difícil recuperação, exatamente pra não contar mais com "os seus préstimos". Arre!

TOMA LÁ, DÁ CÁ - Muito bem. A questão não é apenas tirarem os seis pontos atuais que separam o Cruzeiro dos seus perseguidores nas 10 rodadas  restantes. Até porque a sorte, ainda, venta pros lados da Toca da Raposa. Não com a força esperada, como antes quando suas bolas entravam e as dos adversários iam pra fora, ou na trave. Agora, estão indo às redes, chutadas pelos seus zagueiros. Né Dedé?
 é que os adversários não aproveitam as chances dadas pelo líder e perdem, também. Então o caminho continua livre para o Cruzeiro conquistar o título até antecipadamente. Convém, no entanto, Pacote olhar com carinho a questão da zaga, as atrapalhadas de Dedé que têm atrapalhado Manoel, atuando pelo lado esquerdo, que não é a boa pra ele. E até estudar a volta de Léo ou de Bruno, com Dedé comendo uma cerca até recuperar seu equilíbrio emocional. se conseguir.

VIAGEM NORTE/NORDESTE - Vejam o exemplo do Internacional. Levou de cinco da Chapecoense, virou motivo de gozação e lavou a alma diante do Fluminense, retornando à vice-liderança. A chance do Cruzeiro é esta semana: joga na quarta-feira em Maceió, contra o ABC, podendo até empatar, mas convém ganhar bem, pra não dar o que falar. Depois passa por Salvador e pega no domingo o Vitória, time de Ney Franco, em fase de recuperação pra fugir do rebaixamento. O Cruzeiro tem que vencer outra vez. Volta a Beagá de moral bem alto e pronto pra caminhar em busca do título.

ERROS INDIVIDUAIS - A derrota do Cruzeiro no Maracanã foi fruto dos erros individuais do próprio Cruzeiro, que não podem e não devem acontecer mais. No primeiro gol, quando os azuis dominavam, o indigesto Egídio quis  driblar com a defesa desorganizada, saindo para o ataque e perdeu a bola pra Alexsandro, que cruzou fraco e iria nas mãos de Fábio. A bola resvalou em Manoel e o atabalhoado Dedé, mais uma vez, se meteu no meio e mandou de canela no ângulo da meta de Fábio, que gritou " é minha" pro zagueiro. Gol contra faz desabar qualquer time.
No segundo gol, bola nas costas de Egídio e Manoel faz a cobertura pra evitar a entrada de Canteros; Fábio titubeia pra sair do gol e o atacante do Flamengo se mete entre eles, rouba a bola e sem ângulo rola pra meta vazia. Erro de Manoel, Fábio e, porque não, de Egídio, avenida adversária.
No terceiro, o goleiro do Flamengo chuta pra frente, Alexsandro pega, passa por Egídio e cruza na área, onde não há marcação de Dedé ou Manoel e Gabriel entra livre e marca.
BOAS COINCIDÊNCIAS - Interessante: gosto dessas coincidências no futebol. Como em 2013, quando ganhou o título, aconteceu, também, do time de Marcelo Pacote perder duas vezes seguidas na 27ª e 28ª rodadas, naquela ocasião no Mineirão - São Paulo 2 a 0 - e no Independência - Atlético, 1 a 0. No jogo seguinte, o time reagiu e venceu o Fluminense por 1 a 0, em casa. O que difere a campanha de agora da do ano passado é que mesmo com essas derrotas, o Cruzeiro manteve 10 pontos sobre o segundo colocado.

NOVO DESAFIO PRO GALO DE LEVI: REPETIR FEITO DA LIBERTADORES E  REVERTER VANTAGEM DO TIMÃO




QUAL SERÁ A MÁGICA DE LEVIR CULPI PRA DOBRAR O TIMÃO?






Meu bom, estou, realmente, impressionado com o time remendado do Levir Culpi no Atlético. Talvez por conta de uma certa desavença que houve entre nós dois quando eu, ainda, fazia o Minas Esportes, na Bandeirantes, que registro, mas considero-a totalmente superada, eu tinha cá pouca fé no trabalho de Levir. Ele voltou diferente desta longa temporada no Japão. Voltou mais zen. E eu fiquei mais temperado, paciente, depois dos 70 anos. Nunca mais nos falamos, mas isso não importa. Levir é o fato do dia, conseguido com trabalho, competência e sorte, nada igual, por exemplo, ao candidato a presidente, Aécinho Never, fabricado pela imprensa que ele uma época censurou economicamente.
Eu de minha parte, aposentado, tornado escritor, mais longe do futebol, tenho dedicado a comer minhas goiabinhas e a assistir alguns jogos pela televisão. Além claro de produzir esta Trincheira, participar duas vezes por semana do Jogada de Classe, na TV Horizonte, por complacência do meu ex-aluno Orlando Augusto.
Por isso, me sinto à vontade pra dizer que este Levir de hoje, não é um "burro com sorte", como o título de seu livro. É um ex-zagueiro de muitas limitações e que aprendeu a ser treinador estudando e com uma inteligência digna de superar os seus pares de momento.
PROVA FINAL - O ex-técnico do Atlético, Cuca, que com brilhantismo levou o time ao título continental teve duas provas duras na Libertadores. Resolver a questão contra o Newells Old Boys e o Olimpia com dois gols porque havia perdido na ida por este placar. Conseguiu empatar a competição, passou pela prorrogação no "Deus me Acuda", com apoio de São Victor, e decidiu nas penalidades. Levir Culpi será de novo o mágico que saberá como tirar leite da pedra contra o Corinthians, nesta quarta-feira, à noite? Terá que ser.Na primeira partida, o Timão venceu por 2 a 0. Sua vantagem é enorme; com 2 a 0 aqui também em seu favor, o Atlético apenas levará a decisão às penalidades. Só clássifica direto se fizer 3 a 0. Numa dureza dessa, nem com Dreher!!!

COM OS DEUSES DO FUTEBOL - Não será nada fácil pra Levir Culpi que, ainda, terá 14 desfalques, inclusive de Tardelli, que joga nesta terça-feira pela Seleção em Cingapura. Alguns pensam que ele voltará a tempo, mas só se for todo quebrado, moído pelo cansaço da longa viagem.
Além disso, o Galo na atual temporada conseguiu  uma vitória por 2 a 0 (levaria o duelo para os pênaltis) ou por mais de dois gols de diferença (classificação direta) em nove oportunidades. Foram 59 jogos disputados, com 31 vitórias por qualquer resultado até o momento.
O Corinthians perdeu pouco. Foi derrotado por 2 a0 pelo Bragantino e tomou de 5 a 1 do Santos.
LIÇÃO DO LEVIR - Qualquer que seja o resultado deste jogo contra o Corinthians pela Copa do Brasil é importante que se analise a conduta tática do Galo de Levir Culpi desde o clássico contra o Cruzeiro, usando apenas um volante - Leandro Donizette - e recuperando Dátolo pra uma função de marcador e apoiador, supervalorizando esta contratação do Atlético. Sem falar na presença do garoto Jemerson, confirmado como quarto zagueiro, nos momentos mais críticos do time com a lesão dos outros zagueiros e, principalmente de Rever. No ataque, efetivou o menino Carlos, afastou os medalhões criando espaços pra Marion e Dodô. Agora tenta recuperar o Bebezão.

Luan que era considerado um quebra-galho no banco de reservas, sem capacidade pra atuar um tempo todo, é hoje o coringa de Levir Culpi. Marca, apoia, e faz gols importantes. Joga o tempo todo e não pede pra sair. É sem dúvida, junto com Tardelli e Victor, um dos ídolos da torcida. Acho que chega, né? O resto fica para depois da partida desta quarta-feira contra o Corinthians.


segunda-feira, 13 de outubro de 2014


Cante comigo  - Cuida Bem de Mim
Compositor e cantor: Dalto
Hoje me veio no cantinho das recordações boas, aquela música Mujto Estranho ou Cuida bem de mim - composição e sucesso de Dalto, um jovem de Niterói, nascido em 1949, que depois de estourar com esta canção nas paradas de sucesso e mover muitos corações apaixonados, sumiu da mídia. Por onde anda Dalto?  O que tem feito o Dalto? Quem souber me informe.  No Google encontrei uma postagem de alguém que, também, sente falta de Dalto.
Transcrevo abaixo:
Alguns artistas fazem muito sucesso com uma música ou filme e depois “somem”, não se ouve mais falar deles. Infelizmente é o caso de Dalto, há anos não o vejo na TV nem ouço nenhuma música sua. É uma pena porque ele tem um som bem diferente e acho que teria muito a acrescentar à música brasileira, tão rica em ritmos e gêneros e que comportaria muito bem suas criações.
Será que seu “sumiço” se deve ao fato de não fazer música comercial? Talvez “Muito Estranho”, seu maior sucesso, tenha acidentalmente caído no gosto popular mas isso não tenha feito com que o cantor mudasse seu estilo. Será que é isso? Não sei. Alguém aí sabe do Dalto? (Zailda Coreano)
A letra segue aí, mas vale a pena baixar a música no Youtube. Já fiz isso.
Muito Estranho
Hum! Mas se um dia eu chegar
Muito estranho
Deixa essa água no corpo
Lembrar nosso banho
Hum! Mas se um dia eu chegar
Muito louco
Deixa essa noite saber que um dia
Foi pouco
Cuida bem de mim
Então misture tudo dentro de nós
Porque ninguém vai dormir nosso sonho
Hum! Minha cara, pra que tantos planos?
Se quero te amar e te amar
E te amar muitos anos
Hum ! Quantas vezes eu quis
Ficar solto
Como se fosse uma lua
A brincar no teu rosto
Cuida bem de mim
Então misture tudo dentro de nós
Porque ninguém vai dormir nosso sonho