sábado, 29 de novembro de 2014

LÚCIO,  DO PALMEIRAS, E D'ALESSANDRO. DO INTER LIDERAM CONFUSÃO E FICAM NO CAMPO ATÉ O FIM

PAU COME SOLTO NO BEIRA RIO POR CAUSA DA RUINDADE DO JUIZ MINEIRO. AQUELE DAS PERNAS COMPRIDAS E QUE NÃO APITA AQUI NEM AVALIZADO

Com o placar der 3 a 1, no Beira Rio, o Internacional conseguiu uma vaga pra Copa Libertadores. Contudo, depende de tropeço do Corinthians contra Fluminense, pra ficar na vaga direta. O jogo foi violento diante da incompetência do árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro, da Fifa - arre!. Foram expulsos quase no final, Bruno do Palmeiras e Tarcisio do Inter, que enfurecido fez uma cena tão grande que amedrontou o pusilânime árbitro mineiro. Assustado pôs fim à partida. Palmeiras continua ameaçado de descenso e terá de vencer na última rodada ao Atlético Furacão.
FERAS SOLTAS - Enquanto os treinadores e dirigentes não colocarem freios e as arbitragens falarem menos e expulsarem mais, o futebol brasileiro ficará refém de feras com as que a gente viu esses dias: Leandro Donizete, Pierre, Dátolo, Marcos Rocha, Nilton, Dagoberto e Egídio, mais Lúcio, que foi tão admirado na Copa da Ásia, e se enjaulou de novo, D'Alessandro, craque arruaceiro, criador de caso e covarde.
COELHO E BOA FICAM NA SÉRIE B -  Com todo direito, já que o Corinthians foi privilegiado no STJD, com o caso Petros e não perdeu pontos, o América vai tentar agora no Tapetão subir pra Série A. No gramado, apesar da reação espetacular sob o comando do estranho Givanildo de Oliveira, culminada com a vitória por 4 a 0 sobre o Sampaio Correia, no Horto, o Coelho fica na Série B. Os seis pontos que perdeu no Tribunal, pela utilização do lateral Eduardo,  irregularmente,  complicaram tudo. A quarta vaga ficou com o Avaí, que bateu no Vasco, na Ressacada, por 1 a 0.
O caso do Boa Esporte, time de empresários, confirmou-se agora. Não se interessa pela Série A que é mais cara e a distribuição financeira é desigual, com maiores aportes pros grandes do futebol.  O negócio do Boa na realidade é vender jogadores por preços de bananas e encher o bolso dos empresários. O Boa entrou em campo contra o rebaixado Icasa dependendo de si pra conseguir seu acesso.Tomou uma virada de 3 a 2  estacionou em 59 pontos. Ficou fora da festa final.
BARRIGAS VERDES EM FESTA - Com a vitória sobre o Vasco e a classificação pra Série A, o Avaí entra, neste momento, no batalhão dos barrigas verdes na elite do Brasil. Falta a Chapecoense que enfrenta o Cruzeiro e se vencer safa-se do descenso e os catarinenses terão 4 times. Florianópolis ficar com dois - Figueirense e Avaí; uma cidade de 450 mil habitantes. Santa  Catarina toda, com seis milhões de habitantes poderá ter mais dois - Joinville, já classificado, e Chapecoense, adversário do Cruzeiro neste domingo. E depois dizem que Minas Gerais atualmente é a Capital do Futebol Brasileiro. kkkkkkk - Affe Santa Maria do Céu!



sexta-feira, 28 de novembro de 2014

REI PELÉ TEM ESTADO CRÍTICO E VIVE COM APENAS UM RIM HÁ VÁRIOS ANOS



NAVES MATOU O REI - O excelente reporter global Mauro Naves cometeu uma gafe ao vivo no "Globo Esporte" desta sexta-feira (28). O jornalista entrou para falar do estado de saúde de Pelé e por duas vezes ele disse que o ex-jogador estava se tratando uma hemodiálise "veno-venenosa” – o correto é "venovenosa".
O apresentador foi corrigido por Leo Bianchi e Naves se desculpou por sugerir o envenenamento do “Rei do Futebol”.
"Estamos aqui para tratar e não para matar ele!", brincou.A declaração virou piada nas redes sociais. “Quase tive um treco ao ouvir o Mauro Naves falar sobre o boletim médico do Pelé. ‘Hemodiálise Venenosa’ — se sentindo preocupado”, disse um usuário do Twitter.
SOMENTE UM RIM - A ESPN apurou junto a parentes do Rei que Pelé já extraiu um dos rins. Não soube informar quando foi, mas garante que não é algo recente. Segundo a médica Maristela Carvalho da Costa, do Hospital Santa Catarina qualquer pessoa pode viver normalmente com apenas um rim. Pelé continua internado no Hospital Albert Einstein desde a última segunda-feira, sendo transferido para a UTI na quinta passada.
A Dra. Maristela Carvalho informou que a possibilidade de um transplante de rim para Pelé  é real. Mas ele tem grandes chances de recuperar a função e se caso não consiga haverá necessidade de diálise constante e ele passaria a ser candidato a transplante.
FIQUE BOM DEPRESSA REI -  Que Santa Maria do Céu não deixe que o purgativo e doloroso ano de 2014 termine com uma notícia ruim, carregando no seu seio a mudança de andar do Rei do Futebol. Que no meio entrem os deuses do futebol que tantas vezes abençoaram nosso Rei pelos caminhos da bola.
MALA BRANCA  - A Procuradoria do STJD, que devia ter algo mais importante pra fazer que denunciar jogador por receber a mala branca, e denunciar os covardes que ficam provocando violência nos gramados, como o tal de Donizete e o semi-morto Dagoberto, chamou o goleiro Fernando Prass, do Palmeiras, nas pauta do Tribunal por ter dito numa entrevista que já recebeu a visita da mala branca num campeonato, pra vencer o adversário daquela tarde em troca do incentivo bem de acordo. A pena prevista é de multa entre R$ 100 a R$ 100 mil e suspensão pelo prazo de 360 a 720 dias. E se fosse mala preta pra perder a partida?

 AMEAÇAS PRA DÁTALO - Quem caça, acha. Dátolo fez gracinhas pra torcida do Cruzeiro, que agora o tem jurado pelo celular. Contra esse tipo de violência, mas avisei que ela viria. Outro ameaçado é que valente Marcos Rocha, metido a jogar mais de Djalma Santos e ser tão bravo quanto Almir Pernambuquinho que morreu num tiroteio com portugueses, na Galeria Alaska, no Rio, fim de gente como MR, o Imperador, nas noites e nos gramados.O principal visado é o tal Leandro Donizete que chutou a flor que não se cheira Dagoberto, por trás, xingou de filho da puta, e depois deu-lhe um soco no rosto.  Só que botou os rabinhos entre as pernas ao encarar Bruno Rodrigo.  Isso tudo provocado pelas gozações de Alexandre Kalil, pelo twitter. No caso da torcida, seria bom ela continuar ligando e ameaçando, mas sem executar a ameaça, até que os valentões atleticanos viesse pedir desculpas. Eu tenho recebido xingamentos e ameaças e respondo no mesmo nível.
RESPOSTA DO EX-PRESIDENTE - Vou transcrever ipsi-literis  a mensagem postada por Alexandre Kalil no twitter: "nao entendi nada não abri a boca e se não consegui patrocinio pra voce desculpe. FIZ AVOCE E A SEU FILHO TANTO BEM PARA QUE VOCE ME QUEIRA TÃO MAU ALEXANDRE KALIL ex-presidente" - A verdade é que o programa Jogada de Classe achou-se no direito de reivindicar a propaganda que o Atlético colocava em todas as emissoras, sem exceção. Alexandre me prometeu em nome da velha amizade  conseguir patrocinadores entre os amigos do Galo, e colocou a do patrocinador da camisa do Galo. A bola, aquela que Afonso Alberto, roda nas mãos ficou de fora. De qualquer maneira, ajudou um pouco a agência de Orlando Augusto a pagar o contrato com a emissora. Foi renovado por dois anos e metade desse, pela metade do preço, por causa da arrogância da diretora de marketing do clube, Adriano Branco e cancelado por ela, que constatei mandar mais que Kalil, presidente em fim de mandato, pra quem nem cafezinho é servido".

No caso de Flavinho, meu filho, ele passou no concurso pra jornalista de rádio na Assembleia, função exercida por muitos apaniguados sem concurso. Demorou bom tempo e ele chegou a primeiro da lista e a fase do concurso chegaria ao fim. Alexandre Kalil é amigo do presidente da época, sei lá o nome. Pegou o telefone e ligou pra ele, resolveu a questão. Somos gratos a Alexandre. Ganhou mais minha amizade, mas longe de comprar minha opinião. Seu pai Elias fez muito também quando fui pra Band e nunca me cobrou nada pelo apoio, porque era de fato meu amigo. Nesta sexta-feira, Kalil me mandou outra mensagem pelo celular, manifestando sua estranheza com meus comentários e no final usou da arrogância que não lhe sai do coração: "Vamos ficar por aqui..." Posso respeitar a ordem dele quanto as mensagens de celular. Essa coisa enche o saco mesmo. Porém, quanto meus comentários no blog e no Facebook paro quando quiser.  Não sou empregado dele e nem seus meninos de recados, nem  dessa turma da imprensa que morre de medo dele. Ou seja, não sou nenhum Jaecy Carvalho. 

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

GALO MASSACRA RAPOSA É GANHA SEU PRIMEIRO TÍTULO DA COPA DO BRASIL E JUNTA-SE AO GRUPO DO PAULISTA DE JUNDIAÍ, AO JUVENTUDE DE CAXIAS, AO CRICIÚMA, AO SANTO ANDRÉ, TODOS FELIZES POR UMA VEZ.

GALO BATE RAPOSA, GANHA SEU PRIMEIRO TÍTULO DA COPA DO BRASIL E JUNTA-SE AO GRUPO DO PAULISTA, JUVENTUDE, CRICIÚMA, SANTO ANDRÉ, TODOS FELIZES POR UMA VEZ.

O Cruzeiro não jogou nada. Cansado pelas comemorações do bicampeonato por dois títulos antecipados e seguido e do tetra brasileiro, intercalado, permitiu ao Galo a conquista do título inédito. 
Aliás, em 2003, na conquista celeste da tríplice coroa, campeão do Mineiro, da Copa do Brasil e do Brasileiro, o ex-presidente Alexandre Kalil, como sempre, faltou ao respeito pela conquista e desmereceu a tríplice coroa, criticando a CB, que lhe encheu os olhos de lágrimas, o sangue do bom malte e gozou o arquival mais sua torcida. 
Na época, ao desmerecer o título do arquirrival, coisa que seu pai Elias jamais teria a descompostura de fazer, Alexandre com certeza nunca pensou que o seu time conseguisse tal título. Melhor ainda, em  cima do arquirrival. E o mata-mata que vale uma vaga na Libertadores, passou a ter importância pra Kalil, pelo detalhe de ser em cima do Cruzeiro cansado, desinteressado pelo penta da CB, não jogou. Talvez tenha ficado a noite toda comemorando o Bi, conquistado dois dias antes. Certamente, as gracinhas de Kalil filho provocaram cenas de violências pelas ruas, iguais aquela que o covarde do Donizete quase provocou no gramado, ao dar um tapa no rosto de Dagoberto, que, também, não é nenhuma flor perfumada. No primeiro lance entre eles, Donizete tomou  falta desclassificante de Dagoberto por trás e o xingou de filho-da-puta, visto pela leitura labial na TV. Como assombração sabe pra quem aparece no lance seguinte, o macho Donizete tomou uma trombada de Bruno Rodrigo e não foi tão valente em xingá-lo. 
No terceiro lance, pegou pra valer Dagoberto, deu-lhe o tal soco no rosto, e o babaca do Dagoberto afrouxou e  não incendiou o jogo. Quando eu jogava, o troco seria imediato, chute no saco e puxava a confusão no gramado, briga geral onde todos batem e todos apanham. Coisa da melhor supimpitude. Como Kalil fez depois gozando os cruzeirenses e ameaçando incendiar às ruas, eu teria incendiado o gramado socando a cara do imbecil do Donizete, E olha que tenho 72 anos, mas a vida me ensinou não ter medo de homem de qualquer tamanho e idade. E que uma briga de gramado é coisa inesquecível na vida do atleta. 
A conquista do Atlético foi merecida e boa. Ganhar título é sempre bom. Mas deveria ficar no limite disso, com festa do torcedor e respeito a qualquer outra pessoa. Jamais torci pra time algum numa disputa como essa, porque sou cronista esportivo e torço pra todos os times mineiros. Desde o princípio sabia que o Atlético tinha mais força na competição, após fazer 2 a 0 no primeiro jogo. No segundo, o Cruzeiro não existiu. Seus craques estavam exaustos pelo bi do brasileiro, título do qual a Copa do Brasil não representa nem 2%. Vou aumentar mais 2% porque foi sobre o Cruzeiro. Mas não tolero a falta de respeito de ninguém, nem dos meus parentes mais próximos, porque os que me respeitam como cronistas sabem que nesses momentos sou neutro. Qualquer gozação comigo me tira do sério e isso pode custar o fim de uma amizade que sempre é grande por causa da legenda Anselmo. Então vamos com calma nessa bosta aí, se não quiserem que eu dê troco à altura da grosseria de Alexandre Kalil.
Eu disse que o Atlético jogou bem mais que o Cruzeiro nas duas partidas e cheguei a escrever aqui nesta Trincheira, que nada tiraria o título do Galo. Mas se me provocarem, digo na cara ou aqui neste quintal, que o Galo ganhou  o que alguns times pequenos ganharam uma vez. Os grandes ganharam mais,, como o Cruzeiro, e de times na época melhores que o time atual do Atlético cheio de cabeças de bagre, como Donizete, Pierre, Léo Silva, Marcos Rocha – outra figura grotesca, ridícula e caricata, e Maicosuel.
Os méritos todos são pra Levir Culpi, revelador de vários garotos bom de bola e sem os defeitos de medalhões fracos como Donizete, Léo Silva e Marcos Rocha . Levir conseguiu o absurdo de fazer esses cabeças de bagre jogarem bola. Léo Silva foi parar na Seleção, que mágica!! Posso afirmar que apenas treinar na segunda partida do mata-mata, o jogo desmascarou Marcelo Pacote, que apesar de bicampeão brasileiro, alisado por muitos, é fraco. Adora brucutus como Nilton e William volante, e não tem nenhum diploma de revelador como antes decantado. É desagregador porque dividiu o plantel do Cruzeiro e foi responsável por várias derrotas, quando os atletas o ignoravam. Ou de várias vitórias quando os craques do time resolviam jogar. Nesta partida contra o Galo mostrou sua preferência pra ação entre amigos amigos achando uma vaga praquele brucutu, cabeça de bagre, Willam, que ele trouxe do Paraná e que, com certeza, é representado pelo mesmo empresário de Pacote. Ou seja, ação entre amigos. Trouxe até o tal de Souza pra dispensar depois, e discriminou o garoto da base Lucas Silva, que perdeu a posição de novo, mas agora porque sonha com o Real Madrid. Pacote preteriu Maike, que a mídia nacional pede pra seleção principal em favor do veterano Ceará, que só de ver chuva e gramado pesado tem distensão. E de mais a mais tá na hora de parar, aos 30% de sua melhor forma física. Manteve Ricardo Goulart e Everton Ribeiro passeando em campo, como se tivessem comido uma feijoada mineira completa. Será que enganar tanta gente em 3 anos.
Quem não gostou do que escrevi, rebatendo a infelicidade de muita gente me faltando com o respeito e tirando sarro inexplicável com a minha cara, mete o dedo...na boca e rasgue. Quem continua pensando que o Galo foi campeão do Mundo . Quem come pouco melado se lambuza mesmo com os títulos insignificantes como esse, tá enfiado numa camisa de força. Loucura pura.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

FINAL DE SEMANA PRA LÁ DE FELIZ: CRUZEIRO BI ANTECIPADO, BOTAFOGO CAI E FORTALECE A SÉRIE E PAUL MAcCARTNEY EMBALA NOSSAS LEMBRANÇAS COM UM ESPETÁCULO MEMORÁVEL.


BRASILIA - Bem que tentaram tirar-me do sério nos dois jogos de sábado. Com o tal de Bassol, soprador de apito carioca, escandalosamente, roubando do Atlético diante do Internacional, dois pênaltis claros. E mais um acréscimo de cinco minutos, incompreendidos visto que o jogo, corrido e disputados não teve tanto tempo a ser recuperado. Resultado: os meninos do Atlético tomaram o gol da derrota (2 a 1) quando faltavam 8 segundos para o término do jogo.  O senhor Bassol foi uma vergonha vista em todo Brasil. Pênalti em Eduardo, no primeiro tempo e de Gilberto, zagueiro colorado, que pra evitar o gol do mesmo Eduardo meteu as duas mãos na boa, na área.

A sina catastrófica do domingo seguia em ritmo de tsunami. Quando a ESPS passou a mostrar imagens do Mineirão vi uma catástrofe. Gramado de péssima qualidade, buracos, áreas importantes transformadas em lamacentos brejos, o campo de jogo impedido da bola rolar normalmente , impedida por imensas poças d'água. O narrador Nilton Leite sentenciava: "E não choveu tão forte assim! Tem algo podre nessa drenagem do Mineirão, renovava e pronta pra Copa do Mundo". Culpa de quem? Da incompetente empresa paulista Minas Arena, presente da Administração Aécio Neves e que continuou dando tombo no governo do professor Anast-Azia , tomo como aquele de R$ 850 milhões por causa da falhas descobertas e recuperadas a toque de caixa com mais uma injeção de dinheiro sem licitação. Sem falar na multa de R$ 1.0000,00 aplicada pelo governo, por fraco desempenho no atendimento ao público e nunca pago. Como será agora o Mineirão, ou Minas Arena, com a questão das chuvas e de seus  problemáticos drenos que envergonharam o estádio mineiro o único a passar por tal vexame no país no futebol.

O Cruzeiro superou tudo isso, a chuva pesada, a marcação forte do Goiás pra chegar a 1 a 0, no primeiro tempo, gol do artilheiro do campeonato. Tomou o empate num belo gol de Samuel no início do segundo tempo. Pressionou à vontade, mandou bola na trave e perdeu boas chances. Mas aqui, até no encharcado Mineirão, os azuis são quase imbatíveis. O Baixinho Everton Ribeiro, de novo o craque da competição, desequilibrou e marcou 2 a 1, de cabeçada. Parte do lado de cá feita, enquanto o São Paulo vencia o Santos por 1 a 0, Não se deve confiar em ninguém.

POIS É, MEU DOMINGO terminaria assim não fosse a movimentação dos Anselmo brasilienses, nativos e agregados em torno do show Paul McCartney – Out There, no Estádio Mané Garrincha. Brasília se infernizou à noite com o espetáculo maravilhoso do ex-Beatle. Nem a chuva torrencial, nem a falta de taxi, nem a falta de estacionamento tirou o humor da agora transformada em súcia da Anselmada. Entre o jogo Cruzeiro x Goiás, um encontro na casa de Rodrigo (meu sobrinho), Bruna – esposa e os filhos Pedro e Rafael, este um ente delicioso que chegou no bico da cegonha otrodia mesmo. Encontro recado, a vinhos e espumantes internacionais, tira-gosto e cachaça várias, cerveja gelada e a famosa quiaba da mana Dodora, divina, comida dos deuses.

Fomos em seguida para o show do Paul, no Mané Garrincha. Matei dois coelhos de uma cajadada só: assistir meu ídolo dos anos 60, lamentando as ausências de John, Ringo e George, mas presentes nas interpretações com Paul, com sua voz aveludada, seu agudo inexplicável. Foram três horas de show direto, mas nas pedidas de volta, Paul veio cantar Hei Jude, Yesterday e no auge na interpretação de Vive e deixe Viver, tem do filme de007 explosões de canhões e uma fumaceira geral assustou e divertiu a plateia de 43 mil. Domingo maluco pra este macaqueiro de Caratinga, que, invés de vibrar, dançar e cantar, ficou emudecido, machucado e chorado de saudade por dentro. Santa Maria do Céu!!!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CRUZEIRO DERRUBA OS PESSIMISTAS E TÁ A UMA VITÓRIA DO BI


BRASÍLIA - Foi uma rasteira bem dada no pessimismo que invadiu a cabeça dos eternos desconfiados da esmola em excesso, que deixa o santo meio cabreiro. Entre estes tá lá o filho de dona Geralda, remoendo suas goiabinhas vermelhas de Rio Casca e deixando as unhas de lado antes do jogo no Olímpico, na esquentada Porto Alegre, ter início. Estádio lotado, uns 50 mil gremistas, e num cantinho encurralado, uns mil cruzeirenses animados. O pessimismo aumentou quando o Grêmio fez 1 a 0, com Riveros, num chute rasteiro, indefensável, no canto de Fábio. E à medida que os gremistas apertavam o cerco, que Fábio se safava, que a bola batia na trave, corria a linha da meta e não tomava o rumo das redes azuis, este pessimismo graduava-se.

Eu assistia à partida, ao lado do corintiano Gustavo, casado com minha sobrinha Letícia e pai de Helena, mais meu irmão candango Fábio, atleticano Comentei , por falta de assunto, com o Gustavo que o Cruzeiro costumava voltar com outra postura no segundo tempo, principalmente quando tá perdendo. Não deu outra: de acuado o Cruzeiro empurrou o Grêmio pra trás. O time de Marcelo Pacote sofrera uma  perda por lesão – Ceará -  e estava mal escalado, com William, Maike e Lucas Silva no banco;  acabou bem escalado pela fatalidade. Primeiro, com a entrada de Maike, no lugar de Ceará e depois com Egídio na vaga de Samúdio, que, também, se lesionou.  O time melhorou na saída de bola, Everton Ribeiro teve mais apoio na armação das jogadas pelos lados. Júlio Baptista tornou-se importante no desarme e Ricardo Goulart foi jogar na área. Só dava Cruzeiro e o empate veio após uma confusão na área e a bola sobrando pra RG que, com calma, a colocou por cima do goleiro Marcelo e empatou.

O jogo esquentou como era de se esperar. Abandonei as goiabinhas e me abandonei nos braços de um conhaque turco, quente e gostoso. O Grêmio caiu na armadilha preferida do Cruzeiro. O time gaúcho soltou-se em busca do segundo gol e largou de mão a defesa. Tome contra-ataque. Num deles, após uma cobrança de escanteio do Grêmio, Maike recebeu a bola e viu a chegada de Everton Ribeiro por dentro. Passe perfeito. Uma aula de contra-ataque e o chutaço do craque, forte, no canto esquerdo do goleiro gremista. Cruzeiro 2 a 1, em pleno Olímpico. Eu esperava tudo, menos uma vitória tão graúda do Cruzeiro que agora só precisa de mais uma vitória pra chegar ao bicampeonato brasileiro. Domingo pega o Goiás no Mineirão e tem que jogar com a mesma seriedade; os goianos são cascavéis prontas pro bote. Não almejam mais nada, nem correm nenhum risco. São francos atiradores o que os torna mais perigosos. Contudo, a torcida fiel, a China Azul, aquela que acredita sempre, sem nenhum pessimismo, pode preparar a grande festa e encher sua alma de fé pra outra decisão, dia 26, contra o arquirrival pela Copa do Brasil..

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

GALO MASSACRA URUBU DE NOVO E ESTÁ PRONTO PRA FINALÍSSIMA DA COPA DO BRASIL


Dupla do barulho, Luan e Tardelli, arrebentam o Flamengo de novo no Horto. Foto de Alexandre Guzanshe - EM, Superesportes, DA Press


CAI NO HORTO MORRE MESMO - O Atlético treinou e o Flamengo aplaudiu. Desta vez valendo pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, o time de Levir Culpi meteu um sapeca ia-iá no Flamengo e o treinador garantiu que seu time está pronto pra decisão da CB contra o Cruzeiro dia 26. Além da qualidade do futebol, o que o credencia como o melhor time do returno do Brasileirão, o Galo chegou aos 61 pontos e está de volta ao G-4, abrindo duas frentes na corrida pela Libertadores 2015.
Os gols foram de Luan, de novo a melhor figura do jogo, Tardelli e o garoto Dodô, que marcou seu terceiro gol no time titular em três partidas.

Levir Culpi escalou o mesmo time titular que deverá entrar em campo daqui uma semana na finalíssima da Copa do Brasil contra o Cruzeiro, no Mineirão. No meio-campo, dois volantes com qualidade de passe: Leandro Donizete e Rafael Carioca. Agora, o Galo acompanha o duelo do rival celeste fora de casa contra o Grêmio, nesta quinta-feira. O time gaúcho, com vitória ou empate, pode recuperar seu posto no G-4, empurrando o Atlético para a quinta colocação.
Atlético 4 x 0 Flamengo
Atlético - Victor, Marcos Rocha, Jemerson, Leonardo Silva e Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete, Luan (Dodô) e Dátolo (Eduardo); Diego Tardelli e Carlos (Marion). Técnico: Levir Culpi
Flamengo -   Paulo Victor, Léo Moura, Wallace, Marcelo e Anderson Pico (João Paulo); Márcio Araújo (Luiz Antônio), Canteros, Lucas Mugni (Amaral) e Everton; Gabriel e Nixon. Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Gols: Luan (24min/1ºT e aos 18min/2ºT), Diego Tardelli (44min/1ºT), Dodô (27min/2ºT)
Cartões amarelos: Luan e Marcos Rocha (ATL)
Público: 10.123 pagantes
Renda: R$ 322.375,00
Motivo: 36ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data/hora: quarta-feira, 19/11/2014, às 22 horas
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza - SP (CBF-2)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos - BA (FIFA) e Luiz Carlos Silva Teixeira - BA (CBF-1)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

PACOTE ESCALA CRUZEIRO PRA JOGAR PELO EMPATE CONTRA GRÊMIO NO OLÍMPICO




TEORIA CONTRARIADA - Imagino que a intenção de Marcelo Pacote Oliveira (foto) é contrariar as teorias de que o Cruzeiro é um time ofensivo, ou pelo menos foi no primeiro turno, e em alguns jogos do returno do Brasileirão. Ou que seja sua intenção preservar alguns atletas que mostram estar no auge da exaustão, como são os casos de Maike, Egídio, Lucas Silva e William, que ficarão no banco de reserva esta noite no Olímpico, contra o Grêmio.

O time celeste já não contará com Marcelo Moreno, por força de contrato, visto que o atacante pertence ao Grêmio. Egídio retorna  de lesão e ficará no banco, porque Pacote entende  Samúdio é melhor marcador. O mesmo pensamento ele tem com relação a Maike e Ceará, este melhor marcador e mais experiente. As últimas atuações fracas de Lucas Silva configuraram no entendimento da comissão técnica azul estresse e cansaço. William  vai pro banco pra Marquinhos voltar ao time, mas aposto que o Bigodinho retomará a vaga no segundo tempo, aos 12m, como gosta de mudar Pacote.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

CHINA AZUL FAZ AS CONTAS PRO PENTA CHEGAR NO DOMINGO.

O CRUZEIRENSE  já faz as contas pra celebrar a quarta taça do Campeonato Brasileiro, ou o bicampeonato direto ou o tetracampeonato. A matemática do título ficou ainda mais viva depois da vitória sobre o Santos,( 1 a 0). Apesar dos quatro pontos acima do São Paulo e um jogo a menos na tabela,  não é bom contar com o ovo na bunda da galinha.
Ainda que a  Raposa tenha várias hipóteses pra conquistar o tetra nas rodadas finais. 
São três as situações que favorecem ao time do técnico Marcelo Pacote Oliveira: a) se o time vencer dois dos últimos quatro jogos restantes - Grêmio, Chapecoense, Goiás e Fluminense. b) se vencer um jogo e empatar outros três; c) ou se vencer uma partida e o São Paulo tropeçar.
DECISÃO EM POA - Sem dúvida o jogo desta quinta-feira em Porto Alegre, contra o Grêmio, que vive uma fase espetacular com Felipão, é o confronto mais difícil e complicado que o Cruzeiro, teoricamente, terá pela frente. Dois dos quatro jogos serão no Mineirão - Goiás e Fluminense. São bem  difíceis, também, mas acredito que a motivação dos azuis será bem maior que a dos adversários.
Marcelo Oliveira tem duas dores de cabeça pra escalar a equipe contra o Grêmio. Henrique, com terceiro cartão amarelo, e Marcelo Moreno, por força de contrato - pertence ao Grêmio - não jogam.No entanto, Mayke , Léo e Álisson estarão à disposição de Pacote. Depois da vitória de domingo, em Santos, o Cruzeiro já assegurou matematicamente sua vaga na Libertadores.
Os azuis chegaram a 70 pontos e não pode mais ser ultrapassado por mais de três concorrentes. Corinthians, Grêmio e São Paulo podem alcançar o Cruzeiro, porém gaúchos e paulistas têm um confronto direto na 36ª rodada.
FALTA MUITO POUCO - Os matemáticos apresentam números, segundo eles confiáveis, de projeção sobre a conquista do título do Brasileirão. O Cruzeiro tem 94,7% de chances; o São Paulo, 5,1%; Grêmio, 0,12%; Corinthians, 0,03%; Galo,  Fluminense e Internacional, 0,00%. Matemática é uma ciência precisa. Porém, números de projeção, no futebol, não são definitivos. Daí, tudo cuidado é pouco.
A BOLA DE DODÔ - A bola que este menino Dodô jogou contra o Figueirense me deixou entusiasmado. As revelações do futebol são, pra mim, tão importantes quanto os títulos. O Galo tem este diamante bruto pra Levir Culpi lapidar. Como fez com Jemerson, que me assombra a cada jogo que o vejo mostrar calma, categoria e precisão de um zagueiro moderno. Marion é outro atacante cheio de qualidades que Levir revelou. Se nada tivesse feito no Atlético, Levir já estaria consagrado com estes três nomes.

VITÓRIA DA RAÇA -  A seleção brasileira de Dunga mostrou  outras qualidades no amistoso contra a Áustria, que venceu com dificuldade por 2 a 1. Foi o primeiro gol que o time de Dunga levou nesta nova fase comandada por ele. Neymar foi discreto, mas David Luiz, autor do primeiro gol, numa bela cabeçada, Fernandinho, Oscar, Felipe Luiz e Thiago Luiz que entrou no lugar de Miranda, lesionado, jogaram bastante. A mais agradável surpresa foi o desconhecido Roberto Firmino. Entrou no lugar de Luiz Adriano e arrebentou. Foi dele o gol da vitória, após a Áustria empatar de pênalti. Firmino, com personalidade, recebeu de Neymar, deu um toque, abriu espaço e mandou a bomba de fora da área. Um golaço! Vai longe este moço de 23 anos, que joga no futebol alemão. A seleção brasileira agora só volta a jogar ano que vem e em junho/julho disputará a Copa América, no Chile.
CHIADEIRA ATLETICANA - Ricardo Sakamoto, BH,  atleticano, chia com o preço que o Cruzeiro colocou pra cota da torcida alvinegra no jogo do dia 26: R$ 1.000,00. Como se trata da partida decisiva e puxando  a corrente da estupidez crônica dos preços absurdos lançada por Alexandre Kalil, no primeiro jogo, não vejo nada de anormal no preço do Mineirão. Anormal seria se o Galo tivesse cobrado um preço justo no Horto, cujas condições são bem inferiores, em termo de acomodação, que o "Gigante da Pampulha".  Ah, que saudade do Waldir Rodrigues, o mais internacional dos locutores esportivos, hoje vivendo em Rio Casca, feito rei da província.  Sakamoto, no entanto, pergunta: "que país esses caras acham que a gente mora? Quantos por cento da população conseguirão pagar esse valor por um jogo de futebol? Depois dessa, não comento mais nada. Abs."

JULIANA PÁRA CARATINGA

Minha querida filha Juliana, a locomotiva das promoções em Caratinga, com o seu corpo de balé da Aplauso, escola de dança que ela criou, colocará em êxtase a República Independente com o festival do final do ano. Veja o cartaz abaixo: 


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

TRIBUNA DOS INCONFORMADOS

Se o Cruzeiro estivesse brigando pra não cair, até justificaria esta quantidade de mensagens cobrindo o pau no time, individualmente, e até no comando de Marcelo Pacote Oliveira. Penso que o pessoal misturou as coisas. As críticas que faço a alguns jogadores e ao treinador é pra que recuperem a autoestima, a determinação e a vontade de jogar pra conquistar o título. De uma hora pra outra, não vejo Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, Lucas silva, Marcelo Moreno, indignos de vestirem a camisa azul porque são cabeças de bagre, porque não jogam nada, ete, etc., passando por cima de tudo que fizeram a fazem na Toca da Raposa. Caramba, caras, o Cruzeiro está na bica de conquistar um bicampeonato brasileiro, seus jogadores são decantados no Brasil inteiro, e como qualquer elenco, pessoal normal, podem estar estressado no fim da temporada. Porque esses críticos cruzeirenses não voltam para os seus ninhos, deixam de fingir que pertencem a China Azul e estão revoltados?  Porque não ignoram este plano de pretender desestabilizar o time líder do campeonato com falsas campanhas? Tá mal, não tem jogado como no início da temporada? Mas tá indo. Pode até perder para o Grêmio que ainda assim não deixa o primeiro posto e jogará por mais três ou quatro pontos. Que bobagem, gente! Tudo por causa da tamancada que levou do Galo e corre o risco - muito grande - de perder a Copa do Brasil? Quem estabeleceu que o Cruzeiro tem que ganhar todos os títulos que disputar em 2014? Leiam as discussões abaixo:

FÁBIO PAGA PATO - "Caro Flavio , o que matou o Cruzeiro não foi o gol de impedimento. O que mais espanta , é quem transmite o jogo , comenta o jogo , escreve em jornais  , etc , não perceber que a jogada poderia ser facilmente antecipada e neutralizada pelo goleiro Fabio .  Dois ou três passos seriam suficientes .  Parece que o treinador de goleiros não corrige erro recorrente do velho goleiro . Parece que o treinador do Cruzeiro , também nunca viu a jogada que redundou nos dois gols do Atlético. Pelo andar da caravana , pelos dois lentos zagueiros , vai ser difícil o Cruzeiro não tomar gol no Mineirão". (Paulo Hamacek - BH - sobre Galo 2 x Cruzeiro 0, pela decisão da Copa do Brasil - jogo de ida).
TRINCHEIRA -  Concordo em parte no caso de Fábio. Está mal treinado nas bolas vindas pelo alto e por baixo das linhas de fundo.Não o considero velho e penso que terá, ainda, muita lenha pra queimar em defesa do Cruzeiro, como um dos melhores na posição neste País de corneteiros.
MATEMÁTICA FURADA - " Sobre a última coluna, não brigue com a matemática! É uma ciência milenar e já bastante testada! Ora, na parte sobre a questão da perda de pontos de Flamengo e Portuguesa, você diz que "...Fluminense, Portuguesa e Flamengo, que se safaram do rebaixamento pra Série B, ano passado, exceto à Lusa...". Como mostra a tabela final do Brasileirão 2013, não é possível afirmar que ambos, Fluminense e Flamengo, se salvaram da série B às custas da Lusa. Afinal, só havia uma vaga na série B para um dos três (afinal Vasco, Ponte Preta e Náutico foram os três últimos). Não seria possível que Fluminense e Flamengo caísse. Logo, apenas um deles se salvou às custas da Lusa.E a matemática nos ajuda, mais uma vez, a constatar quem se salvou com o erro da Lusa; Como a tabela mostra que o Fluminense terminou com 46 pontos e o Flamengo com 44 pontos, caso a Lusa não tivesse errado no domingo, cairia o Flamengo, que escalou o jogador suspenso um dia antes, no sábado!" ( Mário Sérgio Carraro, tricolor bom de matemática e ruim de entendimento, apesar de caratinguense.)
TRINCHEIRA: Conta eu sei fazer e conheço bem o regulamento. Não escreveria uma bobagem assim, por mais caduco que esteja. Segundo o dicionário português, pode-se imaginar ou escrever a "alternativa com exclusão ou- "lutaremos ou morremos, lucharemos o morirremos". Com um pouco de boa vontade, sem tamanho espírito crítico, Mário, vc teria entendido o que eu quis dizer, como todo mundo entendeu. Apenas vc reclamou.
JUIZ CRUZEIRENSE - O juiz de direito que mandou bloquear indevidamente a renda do Galo é conselheiro do Cruzeiro, segundo minha fonte...(  Iraq Rodrigues - Lagoa Santa - atleticano e o melhor, meu primo
TRINCHEIRA - Só você é o Kalil sabem disso. Sua fonte foi o Urso Bravo?
CRUZEIRENSE REVOLTADO - " Caro Flávio Anselmo.Sei que é difícil manifestar nosso ponto de vista sobre o futebol mineiro, principalmente pela parcialidade da impressa, que é manipulada a favor do Atlético/MG. (cortei as críticas a meus colegas de Imprensa, Escreva direitamente para eles) . Contudo gostaria de falar do CRUZEIRO. Impressionante a incapacidade dos homens da Toca de não enxergar o óbvio. Everton Ribeiro e Ricardo Goulart são os maiores "engodos" que vestiram a camisa celeste.
Vejamos: em 2013 com a vantagem na tabela do brasileiro eles fizeram boas partidas, mas, tratando de jogo com caráter decisivo eles são um verdadeiro fracasso. Nos jogos da copa do Brasil contra o Flamengo, o Ribeiro foi medíocre e o Goulart péssimo.
Na Libertadores deste ano o Ribeiro foi o pior jogador em todas as partidas e o Goulart e segundo pior. Nos jogos pegados, eles sempre tiveram a conduta ridícula. Contra o Atlético no brasileiro, péssimas atuações, na CP do BR contra o Santos uma lástima.
Agora, na primeira partida da final da CP do BR, outra atuação de envergonhar a torcida azul.
É preciso avisar ao Gilvan e o Alex Matos que, para o Cruzeiro voltar a ser um time copeiro, precisa montar dois grupos: um para pontos corridos com os pobres Ribeiro e Goulart e outro para as disputas diretas, pesadas sem os dois. Ambos não tem o perfil de homens machos, a vozinha do Ribeiro retrata esta posição.
Ademais, o enganador, cabeça de bagre, horroroso, perna de pau e medíocre do Marcelo Moreno deveria ser dispensado urgentemente. Tem futebol de série C, no máximo ser reserva do Tombense. Depois culpam o Dedé pela tremedeira os pseudos atletas. ( Marcos Souza, Ipatinga).
TURCADA DO KALIL -"Flávio, a torcida mineira esperou por décadas por esse momento, e o meu presidente Kalil acabou com tudo. Quem não sonhou com Galo x Cruzeiro decidindo um dia uma competição nacional em dois jogos com Mineirão lotado com as duas torcidas? Kalil me vem com ingressos à 400, 600 e 700? Ingresso com valor equivalente ao salário mínimo. Realmente esses dirigentes querem mesmo é os estádios vazios e o crescimento do torcedor da telinha. Infelizmente, meu amigo Flávio, esses dirigentes , cada dia mais, destroem com nosso futebol. É uma pena." (Ricardo Sakamoto - BH -


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

CRUZEIRO VIRA PIADA NAS REDES SOCIAIS

A terceira derrota consecutiva para o Atlético e o tabu de sete jogos de invencibilidade valeram ao Cruzeiro uma série de gozações nas redes sociais. Sigam aí: 


     É melhor, então, a Raposa não perder o segundo jogo e se puder devolver com um gol a mais.

AMIGOS E INIMIGOS DOS HOMENS DO APITO; CRUZEIRO TÁ ENTRE OS INIMIGOS E FLU DOS AMIGOS

(De Walmir Storti - Globoesporte.com) O Fluminense é o clube mais beneficiado pelos erros na marcação de impedimentos até a 33ª rodada do Brasileirão-2014. Dos 31 erros cometidos em seus jogos, sete prejudicaram o ataque do Tricolor carioca e 24 atrapalharam seus adversários, favorecendo assim a defesa do Flu.
O saldo dessas falhas da arbitragem é que o Fluminense foi beneficiado em 17 impedimentos a mais do que prejudicado. A maior diferença do campeonato. O Botafogo é o segundo time mais beneficiado por esses erros involuntários dos assistentes-bandeirinhas. Foram 24 impedimentos mal marcados em suas partidas, sendo que seis prejudicaram o ataque alvinegro e 18 os ataques adversários. Saldo de 12.
No outro extremo desse ranking está o Flamengo, seguido de perto pelo Grêmio, que está em disputa direta por uma vaga na Libertadores com o Fluminense. Os bandeirinhas erraram 15 vezes tanto nos jogos do Fla quanto no do Tricolor gaúcho. Mas o Rubro Negro foi prejudicado em 13 oportunidades quando atacava e beneficiado em apenas duas, um saldo de 11 erros contra si.
Os gremistas foram atrapalhados pelos bandeirinhas em 12 ataques e seus adversários em apenas três, um saldo de nove erros a mais contra o time.
Entre as equipes que estão na luta por uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem, Corinthians, São Paulo, Cruzeiro e Internacional estão no mesmo grupo do Grêmio: todas foram mais prejudicadas do que beneficiadas quando os bandeirinhas erraram. Além do Flu, só o Atlético-MG foi mais beneficiado do que prejudicado, com um saldo de quatro marcações.

Dátolo (foto), junto com Jemerson, foram os melhores no Horto.


BANDEIRINHA DE NOVO: - Outra vez o Cruzeiro foi prejudicado por erro de bandeirinha. Luan estava impedido ao marcar 1 a 0 pro Atlético, aos 8m de jogo,  no clássico desta quarta-feira no Independência. Essa irregularidade mexeu com a parte tática do duelo. Contudo, não se pode culpar apenas este lance pela derrota dos azuis (2 a 0) na primeira partida da decisão da Copa do Brasil. O Galo jogou mais e como tem feito nas últimas partidas contra o arquirrival tem tomado pirulito da mão de menino. Não perde uma. Seja no Horto ou no Mineirão. No segundo tempo, Dátolo fez o placar final de 2 a 0. CANECO TÁ NA MÃO? Diante desta vantagem, será que os atleticanos já podem começar a contar com o inédito título de campeão da Copa do Brasil e com a vaga na Copa Libertadores? O que os outros no Brasileiro tiveram que fazer por seis meses, o Galo fez em menos de cinco jogos e ganhou uma vaga das mais importantes. Levir Culpi continua sendo, como ele mesmo gosta de dizer pra criticar os gritos da torcida em certos momentos, "um burro com sorte". Dois heróis pra mim neste clássico: Jemerson e Dátolo. Fizeram uma partida impecável. A torcida alvinegra comemorou a vitória como se fosse a conquista antecipada do título. Foguetório tomou conta de Beagá.
BOCA GRANDE DE KALI - "Coitado do babaca! Acha que bloqueou a renda do Atlético. KKKKKKK!!!", escreveu o presidente do Galo, Alexandre Kalil sobre o bloqueio da renda da final da Copa do Brasil. O  juiz federal da 26ª Vara, André Gonçalves de Oliveira Salce acatou pedido da Receita Federal e determinou bloqueio da renda do jogo.  A dívida fiscal do Atlético é de R$ 190 milhões.
TROPEÇO DO SP - Não foi uma noite totalmente perdida para o Cruzeiro. Em jogo antecipado, São Paulo e Internacional jogaram no Morumbi e houve empate de 1 a 1, gols de Paulão (impedido) pro Colorado e Luiz Fabiano. Os paulistas continuam em segundo no Brasileiro com  63 pontos, enquanto os celestes têm 67 e jogam contra o Santos no final de semana, na Vila Belmiro. O Inter subiu pra terceiro lugar com 57 pontos.
GOLEADA BRASILEIRA - Não me envolvo no ufanismo do pessoal da Globo - Galvão, Caio e Casagrande - com a goleada do Brasil, em Istambul, pra cima da Turquia, uma equipe bem ruim. De qualquer forma, o Brasil fez 4 a 0, com novo show de Neymar. Gostei, também, do Willians e penso que Thiago Silva tem lugar neste time, ao lado de David Luiz. Miranda seria um ótimo reserva pra zaga. Vamos esperar agora o jogo contra a Áustria, mais difícil, na próxima terça-feira.  
REI JÁ FICOU BOM - A internação do Rei Pelé num hospital de São Paulo preocupou até os exames ficarem pontos. Aí os médicos soltaram o boletim final, liberando o Rei. Foi pra casa no final da tarde. Pelé estava apenas com problemas estomacais por causa de alimentação irregular e fora do horário. Vai cumprir a partir de agora uma dieta rígida.
EURICO VOLTA Á ATIVA - Que coisa, hein? A gente imaginava que estava livre de Eurico Miranda e não é que o Conselho do Vasco botou o complicado e enrolado cartola de novo na presidência do clube. Imaginem bem o que vem por aí...
GUARDIOLA É DOIDO - A declaração é do atacante Robben, da Seleção Holandesa e do Bayern de Munich à revista France Footbal. Segundo ele, Pep Guardiola "é um doente do futebol e pode te ligar às três da manhã para falar de tática. Melhorou o Bayern e fez dele mais flexível com vários sistemas de jogo para se adaptar durante um mesmo jogo, deixando-nos cada vez mais imprevisíveis. Mas quando tem uma nova ideia, de madrugada, liga para os amigos e fica horas dependura no telefone explicando suas ideias. Já sofri muito com ele, mas adoro bater papo com Pep."
APELIDO DE PULGA - Este apelido de Pulga que Lionel Messi tolera, ele ganhou nas bases do Barça. No entanto, Cristiano Ronaldo revelou a amigos mais chegados que tem outro apelido para o rival. Os dois sempre negam qualquer rivalidade pessoal entre eles, porém de acordo com o jornalista espanhol Guillem Balague, autor do livro "Messi", a história não é bem assim: CR-7 tem um apelido privado, nada amigável, para o argentino: "Filho da p...." Céus!
INTERESSANTE ACONTECIDO - Eu apenas soube dessa curiosidade no dia seguinte à partida e havia me esquecido quando revi no site do MSN. O zagueiro Bruno Rodrigo, do Cruzeiro, quase no final do jogo contra o Criciúma, levou pancada na cabeça, foi atendido fora do gramado. O Cruzeiro já havia feito às três substituições e passava por grande sufoco. Pediram pra Bruno Rodrigo voltar de qualquer maneira, nem que fosse pra fazer número. Ao terminar a partida, foi entrevistado pela Globo e perguntado quanto havia sido o marcador ( 3 a 1) disse que não se lembrava . O quequéisso, meu Bom?"
SUJEIRA VEM À TONA - Toda porcariada envolvendo Fluminense, Portuguesa e Flamengo, que se safaram do rebaixamento pra Série B, ano passado, exceto à Lusa, parece que voltará à tona. Nesta terça-feira, o Ministério Público de São Paulo anunciou que ex-integrantes da diretoria da Portuguesa receberam dinheiro pra que Héverton fosse escalado de forma irregular. O promotor Roberto Senise, que cuida do caso, chegou a declarar que está convencido de que pelo menos dois ex-dirigentes receberam vantagens.
O inquérito aberto no STJD não foi adiante, apesar de haver a previsão, no pedido de abertura da investigação, de oitiva de diversas testemunhas, incluindo cartolas da Portuguesa e do Flamengo. O texto já cita que "Ministério Público do Estado de São Paulo teria fortes indícios de que ato de corrupção teria motivado a escalação irregular do atleta da Portuguesa de Desportos". Pessoal da direita do PSDB já jogou a culpa na presidente Dilma e perguntou: "Vão dizer que a Dilma, também, não sabia disso?" - Chiii, vai feder carbureto!!!
ESNOBAÇÃO DE RICO - O craque Di Maria ganhou um carro Corvette Stingray avaliado em US$ 100 mil (R$ 256 mil) no dia em que foi apresentado pelo Manchester United,  mas rejeitou o presente dado por um dos patrocinadores do clube. Segundo a imprensa britânica, o argentino não aceitou o "mimo" porque a equipe não começou bem a disputa pelo Campeonato Inglês. Capitão do time, o atacante Rooney teria tomado a mesma atitude.


terça-feira, 11 de novembro de 2014

QUE O FUTEBOL VENÇA A IDIOTICE DE UM DOS MAIORES CLÁSSICOS DO BRASIL SER DISPUTADO NO CURRAL DO HORTO.

Os tempos eram outros, o Independência apenas parte da história das Copas do Mundo e lembrança da época em que o futebol mineiro não superava nem às propostas do América do Rio, do Bangu, do Madureira, etc.  Até que em 1965, todo sabem, a coisa mudou. Nessa fase,  de fora pra dentro. O futebol mineiro contava com dirigentes amadores, apaixonados, porém inteligentes, astutos, como, Felício Brandi, Carmine Furletti, Fábio Fonseca, Elias Kalil e outros.  A lista é grande, bem selecionada entretanto. Cada qual com a sua importante fatia nessa gloriosa história.
Nenhum deles cometeria essa loucura, essa estupidez, de jogar-se uma decisão nacional nesta quarta-feira, às 10 da noite, pela primeira vez entre Atlético e Cruzeiro, na importância da Copa do Brasil no Independência, ignorando o Mineirão. Nenhum deles cometeria o desatino que será cometido agora de deixar de fora da decisão parte das torcidas, nas duas partidas, incluindo o Mineirão. Nenhum deles cobraria o exagero que se cobrou nos ingressos do jogo no Horto, preços elitizados, pra justificar a estupidez do retorno ao anteontem.
Não se pode analisar a questão pelo ângulo apenas financeiro ou de segurança, ou técnico, este favorável ao Galo. É preciso analisá-lo pelo lado da tradição. Atlético e Cruzeiro sempre foi jogado no melhor estádio. Na época do Independência, era lá. No Mineirão, sempre foi lá, exceto quando algum absurdo das caduquices dos cartolas do futebol ou da política, obrigaram que o clássico fosse jogado fora de Belo Horizonte.
Não existe nada favorável à realização deste clássico no Independência. Mata a rivalidade e aumenta o perigoso do massacre de uma torcida sobre a outra. Nos jogos, os adversários terão apenas 10% da carga de ingresso. Ou seja, quem for burro o suficiente pra se aventurar  num desses dois jogos, corre o risco de ser massacrado.
O correto seria os dois jogos no Mineirão, a divisão de 50% pra cada torcida, com policiamento competente, comprometido, realmente, com o seu dever de segurança pública, sem aquela história de cortar seis mil lugares no meio exato da arquibancada pra evitar brigas.
Claro que se pode cobrar da Imprensa a omissão de se manifestar francamente e com isenção das medidas tomadas pela tal Minas Arena, empresa paulista colocada no direção de nossa principal praça de esportes graças à uma concorrência estranha e mal explicada. O Mineirão foi jogado no chão precipitadamente pra se construir outro mal acabado, entregue a interesses paulistas, somente como semente de uma campanha política que se avizinhava. Era preciso mostrar que o choque de gestão era coisa séria. Que mentira! O Mineirão tornou-se uma fogueira que queimou dinheiro à rodo dos contribuintes mineiros. Foi inaugurado antes da saída do Governador candidato a Senador Aécio Neves, e depois fechado novamente porque precisava de uma reforma estrutural, descoberta a tempo, no valor de R$ 850 milhões.
Nenhum órgão da Imprensa, exceto esta pequena e frágil Trincheira, levantou a voz contra as besteiras que se fazia ao derrubar os dois estádios ao mesmo tempo. A censura financeira comia solta, com verbas canalizadas pelo Palácio da Liberdade. Dona Andreia Neves só liberava verba praquem falasse bem do irmão governador. A Minas Arena tornou o Mineirão um castelo paulista, onde os de fora podem tudo e a Imprensa de casa não pode nada.

De quem é a ideia de se proibir, até para os jornalistas, o estacionamento em torno do estádio? Pelo que sei agora, todo jornalista tem que ligar antes pra alguém da Minas Arena, tomar benção e a carteira da AMCE não vale mais nada. Depois, devidamente cadastrado, recebe uma senha que lhe dá direito de estacionar no estádio pagando R& 30,00. Aí vem minha dúvida: de quem é esta ideia? Eliminou-se o estacionamento da Imprensa pra obrigar a turma que vai trabalhar a pagar R& 30,00 de estacionamento. Sugere que o autor da ideia esteja levando por fora.
No Independência nem estacionamento tem para os profissionais da Imprensa. Têm que deixar o carro longe da praça de esportes, achacado pelos flanelinhas, sem policiamento e os imbecis dos cartolas que entram direto no estádio, ignoram que o cronistas esportivos estão mais expostos que os atletas e tão sujeito quanto eles a agressões  de alguma destes bandidos que se transvestem de torcedores. E o Sr. Alexandre Kalil acha tudo muito normal e até no Mineirão, com apenas 10% dos ingressos a favor de sua torcida, sente-se seguro, com mil seguranças e colocando o carro diretamente num estacionamento especial.
A PM lavou as mãos e o Ministério Público demonstrou que não tem força coisa nenhum. Em defesa do Cidadão deveria impedir a realização de um jogo de tal proporção, num estadinho parecendo curral, com a possibilidade de uma das torcidas - a do Cruzeiro, claro - ser massacrada, ou que a grande parte da China Azul marque encontro em derredor do Estádio e ali, mas poucas saídas existentes, promova uma praça de guerra. Quando morre um cidadão honesto, que foi a campo apenas assistir seu time jogar, e é morto por gangs uniformizadas, quem responderá por isso? Alexandre Kalil e sua diretoria? A CBF? O MP, a Polícia Militar? A Justiça que manda soltar os bandidos?
O futebol brasileiro que havia crescido depois do  Mineirão, de fora pra dentro, agora se apequena de dentro pra fora. Não dá pra defender mais a cartolagem que tomou conta do futebol mineiro nas gozações da grande imprensa. Quem perdeu tempo, como eu, de ficar vendo o programa da ESPN, Mesa Redonda, sabe o que digo. Por incrível que pareça foram coerentes e disseram tudo que é verdade e que estou comentando agora, com as palavras cuspidas pelo meu cérebro enraivecido e inconformado. Quem paga R$ 200 pra ir ao Independência, sem nenhum conforto, sem segurança, é louco ou está a fim de se envolver em confusão. Pagar então R$ 400 é doido comprovado e precisa ser internado imediatamente.
Por isso, prefiro - já que não vou mesmo a estádio algum dirigido por esta súcia que está por aí - e vou à Câmara  Municipal prestigiar a festa do Orlando Augusto, meu companheiro de Jogada de Classe, na TV Horizonte, pela entrega de seu título de Cidadão Honorário da Capital.

Por isso tudo aí, peço, suplico, em nome de uma classe de profissionais competentes, que o novo Governador Fernando Pimentel interfira na ditadura da Minas Arena. Que determine à sua Procuradoria estudos para estabelecer os limites de público no Horto, em nome da segurança pública no Estádio e fora dele. Que, por enquanto, mantenha conversação de alto nível do o prefeito Lacerda - que o Senhor Governador ajudou a se eleger e depois viu a presidenta Dilma ser traída por ele - a fim de restabelecer o estacionamento em torno do Estádio. 

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

DOMINGO DE FOLGA DO LEVIR CULPI


Até em seu domingo de folga, depois da vitória por 2 a 0 com o time reserva em cima do Palmeiras, o técnico do Atlético, Levir Culpi, que andou tirando leite de pedra e agora tá garimpando diamante bruto pra lapidação em favor do Galo, teve sorte. Foi presenteado com os encantos e os sorrisos, a simpatia e a beleza de duas das minhas seis netinhas: Maria Tereza, a mais nova, e Ana Flávia, 13 aninhos. Pra felicidade do pai Flávio Júnior, que, quando repórter setorista da TV Globo, deu-se muito com com Levir, conseguiu estas fotos para a posteridade.

domingo, 9 de novembro de 2014

FOI DIFÍCIL, MAS CRUZEIRO VENCEU CRICIÚMA E MANTEVE DIFERENÇA EM CIMA DO SÃO PAULO

EU TINHA CERTEZA DE QUE o Cruzeiro não teria, também, facilidade diante do Criciúma, lanterna do Campeonato, mas que eu vi jogando otrodia com bom acerto. Da expectativa, passei pra tremedeira: o Criciúma abriu a contagem logo no início do jogo com o garoto Lucca, que esteve na Toca da Raposa ano passado e foi dispensado. No lance, contou com sua velocidade e talento, mas, também, com uma furada ridícula de Bruno Rodrigo.
Tive raiva à tarde, com o Vitória de Ney Franco perdendo gols incríveis e depois entregando o jogo para o São Paulo vencer por 2 a 1, quando poderia ter ficado pelo menos com o empate. Pensei comigo: "hoje não é dia de sorte do Cruzeiro".
Pra complicar veio a chuva que favorece mais o time que defende. O Cruzeiro,sem alguns titulares importantes, principalmente sem seu artilheiro Marcelo Moreno, no banco, pecou nas finalizações. Ou os atacantes chutavam pra fora ou davam chance ao goleiro Bruno do Criciúma de aparecer com boas defesas. O primeiro tempo foi assustador. A torcida do São Paulo vibrava com placar de 1 a 0 pró Criciúma, porque a vitória diminuiria para apenas dois pontos a vantagem cruzeirense. que naquele momento era de 64 a 62, com a vitória paulista em Salvador.
No segundo tempo, Marcelo perdeu Egídio e não tinha Samúdio no banco. Mandou buscá-lo nas cadeiras. Entrou com Marcelo Moreno, primeiro, em lugar de Egídio, até a chegada de Samúdio. O time cruzeirense acertou o pé e virou o placar por 2 a 1, gols de Moreno e Ricardo Goulart, os artilheiros da equipe. O Criciúma não se entregou e continuou atrás do gol de empate, desperdiçado por Maurinho, com Fábio no chão, após soltar a bola. Por fim, William aproveitou uma boa jogada de Goulart pela esquerda e fez 3 a 1, fechando o placar. O Cruzeiro chegou a 67 pontos, manteve a vantagem de cinco sobre o São Paulo
Faltam agora cinco jogos pro Brasileiro acabar. São 15 pontos em disputa e o Cruzeiro, depois de enfrentar o Atlético na primeira partida pela decisão da Copa do Brasil, terá de sair do Mineirão pra fazer dois duríssimos jogos fora de casa. Santos, na Vila Belmiro, e Grêmio, em Porto Alegre. O time de Felipão, terceiro colocado, com 57 pontos, goleou o Internacional neste domingo, no Estádio Olímpico, por 4 a 1 e tirou o Colorado do caminho. O Galo que venceu o Palmeiras sábado por 2 a 0, com time reserva, está em quarto lugar, também com 57 e um saldo de gols menor. Portanto, os dois jogos seguintes do time de Marcelo Pacote Oliveira serão decisivos para o sonhado bicampeonato.
FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO 3 X 1 CRICIÚMA
Cruzeiro - Fábio; Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio (Marcelo Moreno); Nilton e Henrique (Samudio); Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e Willian; Júlio Baptista(Willian Farias)- Técnico: Marcelo Oliveira
Criciúma - Bruno; Luis Felipe, Joílson, Fábio Ferreira, Rafael Pereira (Bruno Lopes), Giovanni, Serginho (Maurinho), Martinez, Lucca, Cléber Santana e Cortez (João Vitor)
Técnico: Toninho Cecílio
Gols: Lucca (Criciúma). Marcelo Moreno, Ricardo Goulart e Willian (Cruzeiro)
Cartões amarelos: Cortez e Giovanni, Rafael Pereira (Criciúma). Maike (Cruzeiro)
Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: domingo, 9 de novembro, às 19h30
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (CBF-ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (CBF-ES) e Vanderson Antonio Zanotti (CBF-ES)
Renda e público pagante: R$ 1.187.572,00 / 28.475



sábado, 8 de novembro de 2014

GALO ESTÁ MESMO INFERNAL: TIME RESERVA BATE NO PALMEIRAS DENTRO DO PACAEMBU E VOLTA AO G-4

SE LEVIR CULPI, por questão de lógica, focou mais na decisão da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, a partir de quarta-feira que vem, o Espírito Alvinegro não quis nem saber: baixou na moçada escalada pra vestir o manto sagrado do Galo atropelou os titulares do Palmeiras, no Pacaembu, por 2 a 0, e com muita autoridade. 
O placar foi aberto aos 38m do primeiro tempo, com o novato Tiago (foto), de cabeça, aproveitando a cobrança de falta perfeita de Dodô, o melhor em campo.  O zagueiro marcou seu segundo gol no Galo. O Galo Doido parecia jogar no Horto; fez o gol e só levou dois sustos com o atacante Henrique, em chutes defendidos por Victor, o único titular em campo.
E olha que a partida era de extrema importância para o Verdão paulista ainda ameaçado pelo rebaixamento com 39 pontos ganhos. Dodô foi o nome do jogo e no início obrigou ao goleiro Fernando Prass a fazer a primeira defesa difícil do jogo. Victor trabalhou nos lances de Henrique. No primeiro dele, Valdívia lançou Henrique, que driblou Victor, mas chutou por cima da meta. No  lance seguinte, num cabeceio de Henrique, Victor fez defesa difícil. Foi só.
No segundo tempo, aos 21m, Dodô tabelou com Pedro Botelho e na saída de Fernando Prass tocou no canto fazendo Galo 2 a 0, placar final.  Como o Fluminense foi derrotado pelo Coritiba por 1 a 0, no Couto Pereira, o Galo voltou ao G-4, provisoriamente, com 57 pontos.

FICHA TÉCNICA - PALMEIRAS 0 X 2 ATLÉTICO

Palmeiras - Fernando Prass; João Pedro, Tobio, Nathan e Victor Luis (Juninho); Renato, Marcelo Oliveira, Mazinho (Diogo) e Valdivia; Allione (Mouche) e Henrique. -  Técnico: Dorival Júnior
Atlético - Victor; Alex Silva, Tiago, Edcarlos e Pedro Botelho (Douglas Santos); Pierre, Leandro Donizete, Eduardo e Rafael Carioca (Paulinho); Dodô e Marion. -Técnico: Levir Culpi
Gols: Tiago (38min/1ºT), Dodô (21min/2ºT)
Cartão amarelo: Pierre (ATL)
Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Pacaembu, em São Paulo
Data: Sábado, 8 de novembro, às 19h30
Árbitro: Emerson Luiz Sobral (PE)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Clovis Amaral da Silva (PE)
TEM JEITO NÃO COELHO - O América enganou a torcida com uma provável reação que o levasse ao G-4 da série B, apesar dos pontos perdidos no tapetão, sob o comando de Givanildo Oliveira.  Porém, voltou a jogar mal neste sábado e empatou em casa, no Horto, em 1 a 1 com o Icasa. Aí a porca torceu o rabo. Abaixo a ficha técnica da partida:

AMÉRICA 1 X  1 ICASA

AMÉRICA - João Ricardo; Pablo, Adalberto, Renato Santos e Gilson; Leandro Guerreiro (Júnior Negão), Andrei Girotto, Tchô (Renan Oliveira) e Mancini (Bruninho); Willians e Obina. Técnico: Givanildo Oliveira
ICASA - Busatto; Naylhor, Carlinho Rech e Gilberto; Albano, Ivonaldo (Dodó), Rodrigo Vitor, Lucas e Zeca; Nilson (Núbio Flávio) e Erik. Técnico: Vladimir de Jesus
Gols: Gilson (37' 1T), Lucas (37' 2T)
Cartões amarelos: Rodrigo Vitor (11' 2T), Nayllhor (30' 2T), Lucas (44' 2T), Renato Santos (45' 2T)
Motivo: 34ª rodada da Série B
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte
Data: sábado, 8 de novembro de 2014, às 17h20
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ/FIFA)
Auxiliares: Rodrigo F. Henrique Correa (RJ-ESP) e Wagner de Almeida Santos (RJ-CBF)



sexta-feira, 7 de novembro de 2014

OS PERIGOS DESTA FINAL DA COPA DO BRASIL E O CRUZEIRO CORRE OS MAIORES RISCOS




 Rodrigo Clemente - DA Press
  Urso Bravo trancou a cara e mandou informar: primeira da decisão será no Horto

Vamos esquecer por enquanto as discussões em torno dos dois clássicos entre Atlético e Cruzeiro na decisão da Copa do Brasil. Até porque existem vários analistas lá fora afirmando que os azuis não sabem a fria em que entraram. Teoricamente, o Cruzeiro tem seis decisões seguidas no Campeonato Brasileiro: são os jogos restantes que terá de fazer e garantir a diferença de cinco pontos sobre o São Paulo. Três destas partidas serão em casa, e três amargas fora, contra o Santos e Grêmio, seguidas e depois contra a Chapecoense. Em casa pega Criciúma, Goiás e Fluminense.
O time de Marcelo Pacote Oliveira terá de vencer três destes jogos pra chegar a 79 pontos e não ter qualquer sobressalto. Se o São Paulo vencer os seis jogos que lhe restam chega a 77 pontos. Por isso, a moçada da Toca teria de se focar numa só disputa para evitar acúmulo de jogos, estresse, desgaste físico, etc, com a soma das duas partidas contra o Galo. O Atlético está numa situação bem diferente. Só aspira o título da Copa do Brasil o que lhe daria automaticamente a vaga na Libertadores 2015, objetivo que ele persegue e deixaria de perseguir no Brasileiro.
A escolha do Independência pro primeiro jogo, apesar de não agradar os atletas do Galo é bom estratégia da diretoria que a esta altura nem pensa mais em dinheiro, num público de 60 mil no Mineirão. Conta com o apoio do sócio torcedor, colocou os ingressos nas alturas e joga no seu melhor terreiro, onde é tido como imbatível. A grande massa de torcedores que terá de assistir à decisão pela TV, no caso desta primeira partida, não concorda com a história de que o Mineirão seja cruzeirense, principalmente após as grandes viradas contra o Corinthians e o Flamengo.  Nada disso sensibiliza o Urso Bravo, que no final de mandato, quer deixar a presidência com outro caneco inédito.
Não quero afirmar - e nem devo - que o fato de jogar no Horto, garantiria previamente a vitória atleticana. Nem que o fato de vencer no Horto, daria o título da Copa do Brasil ao Galo, na segunda partida tendo o Cruzeiro como mandante no Mineirão. São fatores imprevisíveis, até mesmo, como me contou o primogênito Alexandre, o professor Santelmo: "depois de Dilma e Aécio, vem dois clássicos Atlético x Cruzeiro. Se no final de tudo, você estiver com os mesmos amigos, é puro milagre."  Verdade.
LEVIR MESCLA TIME - Contra o Palmeiras, neste sábado, às sete e meia, o Atlético terá uma equipe mista contra o Palmeiras, no Pacaembu. Vários titulares serão poupados. Como eu disse, Levir Culpi usará toda munição agora que chegou a boa hora na Copa do Brasil. Diego Tardelli e Josué estão suspensos e o projeto é não desgastar mais ainda os jogadores que enfrentaram o Flamengo. Afinal, a decisão com o Cruzeiro começa na quarta-feira que vem. Dátolo, Luan, Maicosuel e Douglas Santos, por exemplo, podem até não atuarem contra o Palmeiras, e ficariam no banco. Foram poupados no treinamento de sexta-feira.
Como está em quinto lugar, com 54 pontos, o mesmo que o Fluminense, quarto colocado e, portanto, dentro do G-4, Levir Culpi não descarta totalmente a questão da Libertadores via Campeonato Brasileiro, mas sabe que aqui a disputa é mais complicada do que a Copa do Brasil onde terá apenas duas partidas a cumprir e dentro de sua sede. Qual opção você faria no lugar de Levir Culpi?
XODÓ FOI NO SACRIFÍCIO - O diretor do Cruzeiro, Alexandre Mattos, informou que William, autor de três gols contra o Peixe - um no Mineirão e dois na Vila Belmiro - jogou a segunda partida toda na base do sacrifício. Após uma fase ruim, o xodó da torcida caiu de novo nos braços da massa que foi receber a delegação no aeroporto. Fez festa para William e lamentou a chegada de Dedé, em cadeira de rodas e imediatamente encaminhado a uma clínica.  William colocou-se á disposição de Pacote pra jogar domingo contra o Criciúma, no Mineirão, às sete da noite, e até o primeiro jogo da decisão.

Também Everton Ribeiro foi substituído na Vila Belmiro antes do fim do jogo, por problemas musculares. No entanto, não preocupa tanto quanto o zagueiro Dedé que passará por uma ressonância magnética no joelho direito.

PÁGINA POLICIAL - Nesta página, reproduzo a matéria completa do Superesportes sobre o assalto sofrido pelo Cruzeiro, do qual foram levados R$ 300 mil. Leiam e vejam como andam as coisas nesta Capital do Doutor Lacerda e na Segurança Pública do PSDB:  Polícia Civil desvendou um assalto a uma empresa de segurança ocorrido no dia 4 de outubro, na Pampulha. Na ocasião, foram levados mais de R$ 300 mil do Cruzeiro, que disputava uma partida no Mineirão contra o Internacional. Dois homens foram presos suspeitos de participação no crime. Um deles é o responsável pela supervisão de pessoal da empresa e o outro, pastor auxiliar em uma igreja evangélica. Eles foram apresentados pela polícia na manhã desta sexta-feira.
De acordo com a Polícia Civil, o funcionário da empresa de segurança, Deivison Ribeiro Silva, e um colega, saíram com o dinheiro em dois malotes na noite do crime. Ao todo, eram R$ 325.865 mil, obtidos com a venda de ingressos para a partida. Em um carro blindado, eles seguiram para a sede da empresa, onde os malotes seriam guardados e entregues para o gerente administrativo do Cruzeiro no dia seguinte.
No entanto, ao chegarem à garagem, eles foram abordados por um assaltante, que os obrigou a deitar no chão e não reagirem. O outro supervisor que estava com Deivison foi ameaçado com uma arma e tratado com truculência durante o assalto. Obedecendo o criminoso, Deivison desembarcou do blindado e entrou no carro do assaltante com o dinheiro. Assim que conseguiu se libertar, a primeira vítima foi procurar ajuda. Deivison disse que foi abandonado em Contagem e chamou a polícia logo em seguida.
Parte do dinheiro do assalto e dois carros comprados depois do crime foram apreendidos
INVESTIGAÇÃO O caso foi repassado à Polícia Civil no dia 19 de outubro. Imagens do circuito interno de segurança ajudaram a identificar o outro criminoso e levantar a suspeita de participação de Deivison. Segundo a polícia, o homem não foi tratado com a mesma truculência que a verdadeira vítima. Outro detalhe que chamou a atenção dos investigadores é que o assaltante, posteriormente identificado como Alessandro Afonso da Silva, estava com uma bíblia na mão. Durante a apuração, os investigadores conseguiram ligar Deivison a Alessandro, que é pastor.
De posse dos mandados de prisão, os policiais prenderam a dupla no dia 29. Deivison foi encontrado na BR-040, perto do Bairro Califórnia, e Alessandro no Bairro Coqueiros. Os dois são amigos de infância e trabalharam em outras empresas de transporte onde, por duas vezes, Alessandro teria sido vítima de roubo, o que levanta a suspeita de que os casos possam ter sido golpes como o que aconteceu na Pampulha.
Segundo a delegada responsável pelo caso, Talita Martins, parte do valor roubado foi recuperado. São R$ 150 mil em dinheiro, dois veículos adquiridos por eles, no valor de R$ 70 mil. Também foi apurado que Alessandro pagou R$ 100 mil em dívidas de cartões, banco e contas. Em depoimento, ele também revelou ter doado R$ 10 mil para a igreja, mas o pastor disse que o templo recebeu R$ 2 mil. Deivison disse não ter gastado sua parte no roubo, por medo. Indiciados por roubo, ele e o comparsa foram levados para o Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) da Gameleira.

ÚLTIMA HORA; - Uma informação que me chega agora, de última hora. A Justiça do Rio de Janeiro rejeitou a denúncia de tráfico e envolvimento com tráfico e formação de quadrilha do Ministério Público contra o Imperador Adriano. Safou-se dessa.