sexta-feira, 7 de novembro de 2014

OS PERIGOS DESTA FINAL DA COPA DO BRASIL E O CRUZEIRO CORRE OS MAIORES RISCOS




 Rodrigo Clemente - DA Press
  Urso Bravo trancou a cara e mandou informar: primeira da decisão será no Horto

Vamos esquecer por enquanto as discussões em torno dos dois clássicos entre Atlético e Cruzeiro na decisão da Copa do Brasil. Até porque existem vários analistas lá fora afirmando que os azuis não sabem a fria em que entraram. Teoricamente, o Cruzeiro tem seis decisões seguidas no Campeonato Brasileiro: são os jogos restantes que terá de fazer e garantir a diferença de cinco pontos sobre o São Paulo. Três destas partidas serão em casa, e três amargas fora, contra o Santos e Grêmio, seguidas e depois contra a Chapecoense. Em casa pega Criciúma, Goiás e Fluminense.
O time de Marcelo Pacote Oliveira terá de vencer três destes jogos pra chegar a 79 pontos e não ter qualquer sobressalto. Se o São Paulo vencer os seis jogos que lhe restam chega a 77 pontos. Por isso, a moçada da Toca teria de se focar numa só disputa para evitar acúmulo de jogos, estresse, desgaste físico, etc, com a soma das duas partidas contra o Galo. O Atlético está numa situação bem diferente. Só aspira o título da Copa do Brasil o que lhe daria automaticamente a vaga na Libertadores 2015, objetivo que ele persegue e deixaria de perseguir no Brasileiro.
A escolha do Independência pro primeiro jogo, apesar de não agradar os atletas do Galo é bom estratégia da diretoria que a esta altura nem pensa mais em dinheiro, num público de 60 mil no Mineirão. Conta com o apoio do sócio torcedor, colocou os ingressos nas alturas e joga no seu melhor terreiro, onde é tido como imbatível. A grande massa de torcedores que terá de assistir à decisão pela TV, no caso desta primeira partida, não concorda com a história de que o Mineirão seja cruzeirense, principalmente após as grandes viradas contra o Corinthians e o Flamengo.  Nada disso sensibiliza o Urso Bravo, que no final de mandato, quer deixar a presidência com outro caneco inédito.
Não quero afirmar - e nem devo - que o fato de jogar no Horto, garantiria previamente a vitória atleticana. Nem que o fato de vencer no Horto, daria o título da Copa do Brasil ao Galo, na segunda partida tendo o Cruzeiro como mandante no Mineirão. São fatores imprevisíveis, até mesmo, como me contou o primogênito Alexandre, o professor Santelmo: "depois de Dilma e Aécio, vem dois clássicos Atlético x Cruzeiro. Se no final de tudo, você estiver com os mesmos amigos, é puro milagre."  Verdade.
LEVIR MESCLA TIME - Contra o Palmeiras, neste sábado, às sete e meia, o Atlético terá uma equipe mista contra o Palmeiras, no Pacaembu. Vários titulares serão poupados. Como eu disse, Levir Culpi usará toda munição agora que chegou a boa hora na Copa do Brasil. Diego Tardelli e Josué estão suspensos e o projeto é não desgastar mais ainda os jogadores que enfrentaram o Flamengo. Afinal, a decisão com o Cruzeiro começa na quarta-feira que vem. Dátolo, Luan, Maicosuel e Douglas Santos, por exemplo, podem até não atuarem contra o Palmeiras, e ficariam no banco. Foram poupados no treinamento de sexta-feira.
Como está em quinto lugar, com 54 pontos, o mesmo que o Fluminense, quarto colocado e, portanto, dentro do G-4, Levir Culpi não descarta totalmente a questão da Libertadores via Campeonato Brasileiro, mas sabe que aqui a disputa é mais complicada do que a Copa do Brasil onde terá apenas duas partidas a cumprir e dentro de sua sede. Qual opção você faria no lugar de Levir Culpi?
XODÓ FOI NO SACRIFÍCIO - O diretor do Cruzeiro, Alexandre Mattos, informou que William, autor de três gols contra o Peixe - um no Mineirão e dois na Vila Belmiro - jogou a segunda partida toda na base do sacrifício. Após uma fase ruim, o xodó da torcida caiu de novo nos braços da massa que foi receber a delegação no aeroporto. Fez festa para William e lamentou a chegada de Dedé, em cadeira de rodas e imediatamente encaminhado a uma clínica.  William colocou-se á disposição de Pacote pra jogar domingo contra o Criciúma, no Mineirão, às sete da noite, e até o primeiro jogo da decisão.

Também Everton Ribeiro foi substituído na Vila Belmiro antes do fim do jogo, por problemas musculares. No entanto, não preocupa tanto quanto o zagueiro Dedé que passará por uma ressonância magnética no joelho direito.

PÁGINA POLICIAL - Nesta página, reproduzo a matéria completa do Superesportes sobre o assalto sofrido pelo Cruzeiro, do qual foram levados R$ 300 mil. Leiam e vejam como andam as coisas nesta Capital do Doutor Lacerda e na Segurança Pública do PSDB:  Polícia Civil desvendou um assalto a uma empresa de segurança ocorrido no dia 4 de outubro, na Pampulha. Na ocasião, foram levados mais de R$ 300 mil do Cruzeiro, que disputava uma partida no Mineirão contra o Internacional. Dois homens foram presos suspeitos de participação no crime. Um deles é o responsável pela supervisão de pessoal da empresa e o outro, pastor auxiliar em uma igreja evangélica. Eles foram apresentados pela polícia na manhã desta sexta-feira.
De acordo com a Polícia Civil, o funcionário da empresa de segurança, Deivison Ribeiro Silva, e um colega, saíram com o dinheiro em dois malotes na noite do crime. Ao todo, eram R$ 325.865 mil, obtidos com a venda de ingressos para a partida. Em um carro blindado, eles seguiram para a sede da empresa, onde os malotes seriam guardados e entregues para o gerente administrativo do Cruzeiro no dia seguinte.
No entanto, ao chegarem à garagem, eles foram abordados por um assaltante, que os obrigou a deitar no chão e não reagirem. O outro supervisor que estava com Deivison foi ameaçado com uma arma e tratado com truculência durante o assalto. Obedecendo o criminoso, Deivison desembarcou do blindado e entrou no carro do assaltante com o dinheiro. Assim que conseguiu se libertar, a primeira vítima foi procurar ajuda. Deivison disse que foi abandonado em Contagem e chamou a polícia logo em seguida.
Parte do dinheiro do assalto e dois carros comprados depois do crime foram apreendidos
INVESTIGAÇÃO O caso foi repassado à Polícia Civil no dia 19 de outubro. Imagens do circuito interno de segurança ajudaram a identificar o outro criminoso e levantar a suspeita de participação de Deivison. Segundo a polícia, o homem não foi tratado com a mesma truculência que a verdadeira vítima. Outro detalhe que chamou a atenção dos investigadores é que o assaltante, posteriormente identificado como Alessandro Afonso da Silva, estava com uma bíblia na mão. Durante a apuração, os investigadores conseguiram ligar Deivison a Alessandro, que é pastor.
De posse dos mandados de prisão, os policiais prenderam a dupla no dia 29. Deivison foi encontrado na BR-040, perto do Bairro Califórnia, e Alessandro no Bairro Coqueiros. Os dois são amigos de infância e trabalharam em outras empresas de transporte onde, por duas vezes, Alessandro teria sido vítima de roubo, o que levanta a suspeita de que os casos possam ter sido golpes como o que aconteceu na Pampulha.
Segundo a delegada responsável pelo caso, Talita Martins, parte do valor roubado foi recuperado. São R$ 150 mil em dinheiro, dois veículos adquiridos por eles, no valor de R$ 70 mil. Também foi apurado que Alessandro pagou R$ 100 mil em dívidas de cartões, banco e contas. Em depoimento, ele também revelou ter doado R$ 10 mil para a igreja, mas o pastor disse que o templo recebeu R$ 2 mil. Deivison disse não ter gastado sua parte no roubo, por medo. Indiciados por roubo, ele e o comparsa foram levados para o Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) da Gameleira.

ÚLTIMA HORA; - Uma informação que me chega agora, de última hora. A Justiça do Rio de Janeiro rejeitou a denúncia de tráfico e envolvimento com tráfico e formação de quadrilha do Ministério Público contra o Imperador Adriano. Safou-se dessa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.