domingo, 7 de dezembro de 2014

FESTA PRA NINGUÉM BOTAR DEFEITO: CRUZEIRO RECEBE A TAÇA E AS FAIXAS DO BI COM MINEIRÃO CHEIO E UMA VIRADA EM CIMA DO FLU



INOVAÇÃO AZUL no comando do capitão Fábio, que ficou no banco e deixou Rafael, seu reserva, de uma partida inteira, a turma cruzeirense inovo na hora de levantar o troféu. O grupo todo, numa roda, com a taça no meio, ao gesto do goleiro capitão, correu em direção dela e a levantou, simbolizando a conquista de todo grupo. Belo gesto bolado por Fábio. Foto de Rodrigo Clemente - DA Press, EM e Superesportes
  
VONTADE DE VENCER - Pergunto:  o que motivava o time do Cruzeiro nesta partida contra o Fluminense, a última do Brasileiro? Só aquela perfumaria inventada pela imprensa. Ganhar e quebrar o recorde do São Paulo na conquista de disputas de pontos corridos. O Cruzeiro venceu, chegou a 80 pontos, botou 10 na frente do vice-líder São Paulo; e daí? Pra mim o time acabou motivado pelo público de 50 mil pessoas, entusiasmado e querendo chegar a conquista com chave de ouro. E, também, pra calar alguns bocas azedas , como este que vos escreve, por críticas de desinteresse e desculpas de cansaço após a derrota na final da Copa do Brasil, pro arquirrival. O sangue nos olhos voltaram neste confronto final e a virada sobre o tricolor por 2 a 1, com belos gols de Nilton e Marcelo Moreno - este, arte digna de se colocar numa placa na parede paulista da Minas Arena.


Moreno, após gol de placa, fica ou volta ao Grêmio. A torcida gritou pra ele- Fica, Fica, Fica. Ele prometeu ficar, sei lá. 





CORREDOR DA FAMA - Esta coisa, vejam bem começou após a derrota na decisão da Copa. O Cruzeiro tinha pela frente Santos, fora,  Grêmio, fora, Goiás, em casa, Chapecoense, fora, e o Flu, em casa. Distava 4 pontos do São Paulo e se perdesse duas seguidas se danaria. Os bocas azedas fizeram previsões pessimistas, com base na atuação contra o Galo. O Cruzeiro ganhou todas e fechou o ano no topo de novo. O melhor time do ano, com o melhor jogador do campeonato, melhor treinador e um Profeta do Acontecido capaz; yo que trené biem. Afinal, não garanti que o time seria B com muitos pontos na frente do SP?
Na hora decisiva, o Cruzeiro fez dos confrontos que apavoravam o Corredor da Fama. Caneco levantado por Fábio. Até nisso a festa foi bonita.

FESTA DE TODOS -  Achei legal o Fábio ficar no banco e deixar o Rafael jogar uma partida inteira. No apito final, todos foram para o gramado: Comissão Técnica, Marcelo Pacote, os já envolvido na barcaça da dispensa, como Dagoberto; o velho Tinga, líder positivo da meninada, etc e etc. Não sei se posso lamentar a ausência de alguém, mas critico a presença do Assessor de Comunicação Social, tremendo aparício, todo aparamentado no fim com faixa e medalha. Jogas de quê? O diretor remunerado, também, não estava no gramado. Viu o jogo, ao lado de um segurança  ( praquê?, ô famoso quem.) nas cadeiras. Tavam lá, também, uns cabeças brancas que não identifiquei. Pra desencargo de consciência corri  ao banheiro e constatei que não era eu mesmo. Via o jogo no meu barraco, sito na última pirambeira do Sant Antão, comendo as minhas goiabinhas vermelhas, lá de Rio Casca. É, vamos lá, dando umas degustadas de Piriquita, portuguesa. Não confundam, é vinho de supimpa qualidade...

AS REVELAÇÕES - Depois de mais uma bela assistência quase da linha de fundo e que originou no gol espetacular de Marcelo Moreno existiu alguém que, ainda, votou em Lucas Silva como a revelação do campeonato brasileiro.  O volante foi bem no campeonato até ser "comprado" pelo Real Madrid. Aí teve um apagão. Porém, não vejo dele a condição de revelação. Isso foi no ano passado, quando entrava e saia, e a gente xingava o Pacote por não colocá-lo como titular. Agora, Lucas é profissional feito. Tem que entrar na Seleção do Campeonato. Como revelação meu voto é de Maike, o lateral mais técnico, no momento, do futebol tupiniquim. E sem a máscara do Marcos Rocha, que se julga clone de uma mistura de Djalma Santos, Carlos Alberto Torres e Leandro, aquele da copa de 82.

TERÁS CORAGEM, PRESIDENTE? - O presidente Gilvan Tavares teve coragem ao correr com  o diretor remunerado Alexandre Mattos, que além de alto salário, queria ser Primeiro Ministro da Toca. Levou pé na bunda, bem dado.  Mas e os gritos da torcida de "fica, fica, fica", pro goleador Marcelo Moreno que o Grêmio de Felipão quer de volta? Qual será o coringa que Gilvan terá nas mangas do paletó pra dobrar Felipão e os gaúchos? Pelo que um amigo meu daquelas paradas me contou: "Bah, meu Rei, os gremistas estão irredutíveis e querem aquele bonde de volta".  Se é bonde, por que não deixam ele com a gente. Depois a gente o vende pros paulistas que sempre gostaram de comprar bondes nas Geraes.

GOLEADA DE MULHER BONITA -  As marias bonitas, jovens, enfeitadas de azul e branco, tomaram conta do Mineirão na festa do bicampeonato. Esta é uma situação que fica comum nos jogos de Beagá, principalmente nos do Cruzeiro. Penso que a brincadeira atleticana de colocar o apelido de "Marias" na torcida azul tenha sido inspirada aí. Como dizia Vinicius de Morais: "que me perdoem as feias, mas a beleza é fundamental".  Inveja, pura inveja, além de títulos, o outro lado da Lagoa tem vencido quesito "presença feminina". Mas presença feminina, bonita e jovem. Me desculpem...

BANDIDOS HÁ EM TODAS AS PARTES - Em Brasília, então, andam disseminados, culpa da impunidade e dos erros do passado da Ditadura Militar e da Ditadura Pesdebista do FHC. As tais torcidas organizadas precisam ser banidas urgente, para as competições de 2015, por Lei Federal. Com rigores de um Código Penal e aplicadas. Naquele sonolento jogo Botafogo 0 x Atlético 0, no Mané Garrincha, com público de pouco mais de 3.600 presentes, não é que teve sururu. Bandidos das organizadas de ambos os times iniciaram uma briga generalizada no fim do primeiro tempo. Só acabou com a presença da política que distribuiu porrada à vontade. Cinco pessoas, apenas, foram presas. Quatro da torcida do  Galo e um do Botafogo. Depois de assinarem um termo de comprometimento pra comparecerem na Justiça, quando intimados - só Deus sabe quando, afinal em Brasília ainda existe o tal de "sabe com quem tá falando? Sou otoridade federal? E tomem carteiradas...

TRISTEZA BAIANA - O Palmeiras safou-se num empate com o Atlético Furacão lá no ex-Jardim Suspenso.  Fodeu os dois baianos de uma vez só: Vitória e Bahia que morreram abraçados sepultados na Série B, ao lado de Botafogo e Criciúma. Na zona de confusão aí, como costuma chamar Luxa aquela região de briga entre cegos no escuro, foram embora dois campeões brasileiros em eternas crises: Fogão e Bahia. Que descansem em paz...

PARA O ARQUIVO -  Para que fique registrada na história do futebol brasileiro, aqui vai a ficha técnica do jogo Cruzeiro 2 x Fluminense  que será bem guardada pelo meu conterrâneo Mário Sérgio Careca Carraro, tricolor de dar cambalhotas:
CRUZEIRO - Rafael; Mayke, Leo, Manoel e Egídio; Nilton, Lucas Silva, Everton Ribeiro (Marlone, aos 43 do 2ºT), Ricardo Goulart e Willian (Judivan, aos 23 do 2ºT); Marcelo Moreno (Júlio Baptista, aos 36 do 2ºT) Técnico: Marcelo Oliveira
FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Edson, Guilherme Mattis (Kenedy, aos 10 do 2ºT) Elivelton e Chiquinho; Valencia, Diguinho, Wagner e Conca (Walter, aos 29 do 2ºT); Rafael Sóbis (Gum, aos 17 do 2ºT) e Fred - Técnico: Cristóvão Borges

Gols: Fred, aos 33, Nilton, aos 44 do 1ºT; Marcelo Moreno, aos 14 do 2ºT
Motivo: 38ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: domingo, 7 de dezembro de 2014
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Auxiliares: Marcos Rogério da Silva (PR) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO)
Cartões amarelos: Willian, aos 16, Edson, aos 40 do 1ºT; Elivelton, aos 17, Diguinho, aos 37, Valencia, aos 45 do 2ºT
Público pagante: 45.809
Público presente: 46.908
Renda: 
R$ 2.661.430,0

SUCESSO LÁ NO VERDÃO - Nem tanto, Alexandre Mattos. Suas declarações de amor ao Cruzeiro são falsas, tanto que jogou certas exigências, que não me foram reveladas no conteúdo, e que causaram arrepios no Presidente Gilvan do Pinho Tavares a quem você deve este pequeno sucesso que lhe subiu à cabeça após sair do América. Cartola não faz falta. Sugiro ao presidente vitorioso que olhe em outros setores, porque, também, lá existem altos salários jogando contra, espantando cruzeirenses por causa da vaidade, soberba,, desde os tristes tempos dos Perrela.

(Superesportes) No site do Superesportes que sempre deu tratamento VIP ao cartola, não sei por qual motivo, está que Mattos ocupou o cargo de diretor de futebol do Cruzeiro há dois anos e nove meses. Mas por conta das negativas do presidente Gilvan de Pinho Tavares em atender alguns pedidos, o manager do clube estaria disposto buscar novos ares. O Palmeiras será o provável destino.
Na “gestão Mattos"- olha o absurdo da informação, como se ele fosse mandatário - , o Cruzeiro contratou 40 jogadores. Ele fechou quatro das cinco aquisições mais caras da história do clube: o zagueiro Dedé (R$ 14 milhões), o atacante Willian (R$ 10,5 milhões), o zagueiro Manoel (R$ 7,5 milhões) e o atacante Dagoberto (R$ 7 milhões). Que mérito há nisso? Foi ele quem pagou?. Nesse período, a Raposa faturou os Campeonatos Brasileiros de 2013 e 2014 e com Mattos ora de centroavante, ora de armador e ora de goleador e mais o Campeonato Mineiro de 2014. Na última sexta-feira, Alexandre Mattos se despediu de jogadores e funcionários do clube em confraternização na Toca da Raposa II. E todos os contratados, no momento, exceto William, têm merecido críticas e restrições da torcida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.