quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

NO LIXÃO DO BOTAFOGO NÃO SOBROU NADA NEM PRO FLUMINENSE DA RUA DO SAL

LIXÃO POBRE E MALCHEIROSO - Caso o Fluminense da Rua do Sal, meu segundo time em Caratinga - como o primeiro, ECC, nem sei se, ainda, sobrevive -  fosse ao lixão repleto pelos 17 jogadores dispensados nesta quarta-feira, Alex, Anderson, Bruno, Bolatti, Carlos, Ferreira, Hygor, Júnior, Mário (que Mário?) Maicon, Ramirez, Rogério, Rodrigo, Ronny, Wallyson, Yquinho e Zeballos não encontraria nenhum reforço pra disputa do famoso Torneio Monsenhor Rocha. Pra onde esta turma vai então, em 2015? Por aí se vê o que a cartolagem aprontou com o Glorioso Clube da Estrela Solitária, de volta à Segunda Divisão.

FIM DE CASO - Há tempos, já se ouvia cantar pelos lados das Laranjeiras a famosa canção, dor de cotovelo, da inesquecível Dolores Duran, "Fim de Caso".  Não sacam, não, são de outra geração? Seus pais botafoguenses conhecem - Começa assim:
 "Eu desconfio, que nosso caso está na hora de acabar, há um adeus em cada gesto, em cada olhar, nós só temos coragem de falar..."
Este é o fim do caso entre Unimed, com o dinheiro de seus usuários, cobrados por preços absurdos, pra sustentar os 700 mil mensais, só de Fred. Acabou¹ Agora, resta a Fred correr atrás desta fortuna nos clubes que acenam pra ele. Inclusive o Cruzeiro.

AMOR LONGO - O caso entre Fluminense e Unimed foi por 15 anos e trouxe resultados práticos a ambos. A empresa teve maior demanda do seu produto e o Fluminense foi campeão em várias competições. Como todo mundo, penso, também, que o Fluminense, apesar de sua imensa torcida, não terá como suportar a alta folha de pagamento dos craques, sozinho. Medalhões como Fred, Conca, Walter, Rafael Sóbis, Bruno, Wagner, Jean e Cícero terão de caçar rumo. Daqui pra frente, o Fluminense vai trabalhar com os pés no chão e com sua divisão da base. Alô, Segunda Divisão, cadê minha vaga na Terceira? Tricolor já esteve nas duas.

FILME REPETIDO -  O Palmeiras com a Parmalat e o Corinthians com aquele grupo russo caíram neste canto de sereia por alguns anos e após algumas conquistas foram parar na Série B. Talvez, a parceria para todos os times tenham enchido os olhos dos torcedores, com os títulos conquistados. Ainda que o preço tenha sido a segunda divisão, posteriormente.

PEPINO ENORME - Presidente eleito no Atlético pra substituir Alexandre Kalil, o menino Daniel Nepomuceno, 36 anos, recebeu invés do Galo de Prata que coube com justiça ao Urso Bravo, recebeu tremendo pepino. Onde arrumar grana pra pagar o décimo terceiro, os salários de novembro e dezembro, e os direitos de Arena pra lá de atrasados. Os cofres de Ricardo Guimarães não estão mais à disposição por falta de garantias reais. O dinheiro de Bernard, que viria resolver tudo e que chegou a quase cair no cofre do Galo, liberado pela Receita Federal, foi bloqueado de novo. Pior: Kalil baixou o cacete no Juiz de Direito Federal que barrou a saída do dinheiro.
PVC DEIXA ESPN - O comentarista Paulo Vinícius Coelho anunciou sua saída da ESPN por meio do Facebook. Como no mercado da bola, no da imprensa existe, também, a janela de transferência do fim do ano. Não tão endinheirada como a do futebol, mas tem seus bons trocos. PCV saiu de férias, fazendo segredo, bobagem. Voltará em janeiro e na Fox esportes.  Na ESPN, PVC estava desde 2000, participando do Bate-Bola, Linha de Passe, transmissões e Loucos do Futebol. O canal que tem boa equipe de esportes, exceto por conhecidos medalhões, perde bastante com a inteligência e o poder de captar informação de PVC.
SORIN NO PEDAÇO? - Nas especulações sobre o novo diretor remunerado do Cruzeiro surgem vários nomes. Juan Pablo Sorin, comentarista legendado na ESPN, é um deles. Principalmente por seu currículo na preparação da função de mannager e de treinador, quando jogou na Europa. Sem discriminação, mas pra Sorin ser diretor remunerado no Cruzeiro precisa podar aquele cabelo e jogar fora o rabo de cavalo tão comum entre os boleiros argentinos. Outro nome que sobra na lista, com apoio de vários conselheiros, inclusive os irmãos Metralha - Zezé e Alvimar - é o competente e meu amigo Waldir Barbosa. Tem cacife, mas seria bom os Perrela não meterem o bico pra não queimar o rapaz.
QUE TRAÍRA! - Maria Antonieta de Las Nieves, a personagem Chiquita, daquele programa enjoado que o SBT mantém no ar como "Chaves", personagem do comediante mexicano Roberto Gomez Bolaños chutou o pau da barraca tão logo o seu amigo foi enterrado. Segunda ela, o a viúva Bolaños teve vários casos de amor, botando caprichados chifres no comediante. e nas ex-mulheres dele. Foi amante de Chaves quando ele ainda era casado com Graciela Fernandes, sua primeira esposa.
Florinda Meza, a dita-cuja atual de Chaves, segundo Chiquita. andou pulando a cerca com quase todo elenco e principal com Quico e até com o produtor do programa, Enrique Segoviano. Por enquanto, fala Chiquita numa entrevista a uma emissora de tevê na Venezuela, Florinda quietou o facho, fingindo-se de luto e sem frequentar as rodas sociais.  Santa Maria do Céu, como tem fofoca neste meio de televisão e rádio...
 INVASÃO NA ITATIAIA - A ação de dois policiais civis, lotados na delegacia de Confins, entrando à força, quebrando a roleta de segurança, e invadindo o programa do Eduardo Costa. para prender o marido da vereadora enrolada da cidade perto do aeroporto, serviu pra destacar a importância do jornalista na imprensa brasileira. Eduardo resistiu, levantou-se de sua mesa e passou a narrar os acontecimentos. Ouviu os primeiros atingidos e interviu quando os policiais algemaram o rapaz. Ação bestial, lembrando bem como agia os agentes do DOPS depois da quartelada de 31 de Março. Não havia respeito às leis, como não houve neste caso. Eduardo exigiu-lhe a apresentação de um mandado de prisão e que os policiais deixassem o estúdio da emissora, o recinto da casa e fossem esperar o procurado lá fora. Não obedeceram e um deles chegou a ameaçar de prender Eduardo Costa, também. Contra a força não há resistência e o rapaz foi levado. Várias autoridades da Polícia Civil e o próprio Governador - como é que se chama mesmo o nosso governador de plantão? - prestaram solidariedade ao diretor presidente da emissora, Emanuel Carneiro. Prometeram abrir sindicâncias para se apurar de onde veio a ordem de invasão. Até porque os policiais falavam ao celular, pegos pelas câmeras de segurança, antes de quase passarem por cima do porteiro.  Sabem o que vai dar tais sindicâncias, dentro do corporativismo da Polícia Civil? Nada.
BLOQUEIO HUMANO - Não quero ensinar Pai Nosso a vigário, e nem ir além da ação dos incompetentes policiais, porque tenho amigos na Polícia Civil, gente muito séria, profissionais de dar inveja a qualquer outra polícia brasileira. Mas eu gostaria de sugerir que no ato em que os dois tiras saíram do estúdio com o rapaz algemado poderiam encontrar uma barreira humana de funcionários e jornalistas da casa, fechando os corredores de acesso à redação e ao estúdio, aprisionando os imbecis no bloqueio, com Mané e Pato à frente. Só desfazendo o ato de defesa da inviolabilidade da Casa do povo e da democracia, quando o Governador ( cumé que ele se chama mesmo?) ou algum nome da prateleira de cima da hierarquia da Polícia Civil chegasse à rádio.  Ideia boa, ou grande besteira que escrevi, caro Mané?

AÇÃO HOLLYDIANA - A ação dos policias, falando sempre ao telefone, lembrou-me, quando narrada pelas testemunhas da casa, as ações de policiais civis americanos, submetidos sempre às vontades do Prefeito ou de um Chefe corruptos. Lá a Policia é municipal e quando a Imprensa resolve botar os podres dos poderes pra fora, eles vão lá, sem mandado, prendem e arrebentam. Por isso, penso que os dois policiais, sob ordens superiores, correram á emissora, cometeram todas aquelas ilegalidades, porque Eduardo Costa entrevistava o rapaz, cuja mulher, vereadora, fora presa e ele se dizia sofrer ameaças. Antes que botasse a boca no trombone a ordem veio pelo celular. "Invadam e prendam o safado..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.