quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

GOULART VIRA CHINÊS, MAS ANTES TEM QUE RESOLVER IMBRÓGLIO NO QUAL METEU CRUZEIRO



NOVO RICO - Feliz da vida, Ricardo Goulart posou com a camisa do Guangzhou Evergrande, por onde jogaram também Muriqui e Conca, porém atrás dele está a nojenta política que chafurda na lama o futebol brasileiro. Existe uma briga judicial entre vários investidores que durante o curto período profissional do atleta ganharam rios de dinheiro com ele. Inclusive o Banco BMG do sr. Ricardo Guimarães. O atacante foi negociado pelos £ 15 milhões pedidos pelos celestes, ou seja, R$ 48 milhões de reais. Uma grana boa, mas desde quando saiu do Goiás pra jogar em Minas, Ricardo Goulart é pivô da pendenga judicial entre um grupo de investidores e o Banco do sr. Ricardo Guimarães. .

MAR E ROCHEDO - Que nem briga do mar com o rochedo; o marisco (Cruzeiro) é que vai tomar na tarraqueta. Esperem e verão. Já nesta disputa citada ele aparece como segundo réu. Aparece na disputa um tal de Higor Luiz Fernandes Souza, empresário do transporte, e que seria dono de 45% dos direitos de Goulart desde a sua formação no Santo André. O BMG diz que tem 50%. E o Cruzeiro, tem o que, meros 5%? Está marcada uma reunião para por fim à pendenga, e pelo que eu soube o Cruzeiro estaria disposto a pagar um valor pela compra total dos direitos. Como? Aí venderia por quanto? Chamem de volta urgente o Alexandre Mattos, mestre em rasteiras nos alheios.

OU BEM LÁ, OU BEM CÁ -
Gilvan do Pinheiro Tavares, presidente celeste, na saída do arrogante Alexandre Mattos informou que assumiria a duas pastas. Ou seja, seria presidente e diretor de futebol. Aconselhei aqui na Trincheira: entra nessa, não presidente, outros tentaram e se deram mal. Ou bem preside, ou bem é subordinado como diretor. Este caso de Ricardo Goulart me cheira coisa mal feita. Dentro dos padrões atuais, perigosos e nojentos, dos bastidores nos negócios do futebol brasileiro, Goulart saiu bem, bom dinheiro. Só que a ninharia entrará no caixa do clube. O resto fica nas mãos de empresários, intermediários, corruptores e fraudulentos. Receita Federal na turma aí, ministro George Hilton.

 O meia Ricardo Goulart é oficialmente apresentado como novo reforço do Guangzhou Evergrande, da China. Segundo os chineses foram desembolsados 15 milhões de euros para tirar o atleta da Toca da Raposa. Depois de se enjoar de comer carne de cachorro pede pra voltar à Pátria amada.

GENTE BOA 


Antes de conhecerem o homem, a mídia da reação direitista já mete o cacete. O pastor George Hilton, baiano, mas mineiro de coração, político aqui, me impressionou desde o primeiro contato que tive com ele, na minha época de TV Record, ao lado do saudoso Carlos Valadares. Tivemos um problema com os bispos mandões que queriam romper unilateralmente nosso contrato. Não topamos, entramos na Justiça e conseguimos uma liminar. Ficou aqui ambiente ruim. George Hilton, que gosta de futebol, ajudou-nos a solucionar a questão. Depois foi um mar de rosas e só deixamos a Record porque os valores delas estão insuportáveis. Pulei fora e logo depois o Valadares. Espero que Hilton se dê bem no Ministério dos Esporte, uma pasta de poucas ideias, e que atrasa do futebol brasileiro pra dedéu.

REVER TAMBÉM SAI 

 Sem jogar há tempos, com problemas de contusão, Rever sobrava no elenco do Atlético. Foi liberado pra acertar com o Internacional, de Porto Alegre. Veja bem a situação deste moço, também. Rever deve acertar um compromisso de quatro temporadas com o colorado. Isso mesmo, quatro. E esta f. aqui no Galo. Será que lá vai jogar este tempo todo e voltar à Seleção? O que me irrita é o seguinte: o Inter comprará 50% dos seus direitos que pertencem ao Wolsburg da Alemanha. A outra metade é do Banco BMG, do senhor Ricardo Guimarães. Na realidade, este senhor é dono de 50% do futebol mineiro. O Atlético receberá na transação uma pequena taxa de "vitrine". Santa Maria do Céu.

BOCA VEM AÍ - Conversei um tempão com meu amigo Edson Paredão, dono do jornal Boca do Povo, que publica minha Trincheira em Sete Lagoas, e ele me garantiu que não desistiu de ser cartola de futebol. Seu time, o MinasBoca, jogará a segunda divisão mineira e fará o coletivo final do Galo, antes do amistoso contra o Borussia, na Cidade do Galo. Presidente do PMDB de Sete Lagoas, Paredão é madeira de dar em doido. Em determinado momento, ele me falou de um político amigo seu e eu respondi: - "Chii, este não gosta de mim e somos inimigos." E ele riu, dizendo: "E eu sou brigado com o pai dele". Ao que completei: "Vamos achar alguém aí que eu ou você não estejamos brigados com ele". 


PERIGO DANADO - Se, esta lamentável condicional, o arrogante Alexandre Santos ainda mandasse no Cruzeiro com certeza Bernard estaria pintando pela Toca. Se não na realidade, mas nas especulações da mídia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.