sexta-feira, 20 de março de 2015

CRUZEIRO JOGOU COMO QUE EMBUCHADO COM A GOSTOSA FEIJOADA DO KLEYTON BORGES


VITÓRIA APERTADA - Vou tentar definir a vitória apertada do Cruzeiro - a primeira na atual Libertadores - sobre o sofrível time venezuelano Mineros por 2 a 0, lá no bom Estádio Puerto Ordaz: ou o time comeu da feijoada do querido amigo Kleyton Borges até se entupir e pedir cama; ou bateu na turma uma preguiça enorme de dividir bola com adversário; ou um temor do tamanho do buraco existente entre os setores do time, pensando que enfrentava o Boca Juniors em La Bombonera.

DEFESA ASSUSTADORA - defesa foi uma tragédia, de Mayke, quase dormindo; passando por Paulo André, becão da roça e estagnando em Nena, conto de vigário do Santos no time celeste. No meio-campo, só William Faria mostrou vontade. Henrique e Arrascaeta se arrastaram em campo e se esconderam. Marquinhos, de novo, o melhor em campo; Damião fez papel dele, marcando o primeiro gol de puro oportunismo, enquanto Alisson, preguiçoso, não saiu do lado esquerdo. Faltou alguém? Léo e Fábio se safaram da ruindade geral.

PACOTE CORRIGE - As mexidas de Marcelo Pacote Oliveira foram providenciais, porque Ceará fechou o lado onde Mayke era uma avenida e Carlos, do outro lado, deu assistência ao insosso Nena e fechou a porta por lá.
Só que o Cruzeiro não acertava uma sequência de três passes e a bola saía lá de trás na base do chão. Paulo André, nesse aspecto, foi disparado o melhor em campo. Furou, deu bico pros lados, chutão pra cima, uma tristeza de dar saudade do Bruno Rodrigo ou do Dedé.

PRÊMIO PRO BAIANO - O baiano Marquinhos teve seu prêmio ao fazer 2 a 0, porém não é meia de ligação. Nem ele, nem Arrascaeta. Nem Alisson. O Cruzeiro precisa, nem que seja de um veterano bom de bola, pra cuidar do setor. Venceu o capenga do Mineros por 2 a 0 e inicia o returno do Grupo 3, com o mesmo time venezuelano, só que no Mineirão. Com cinco pontos, vejam só, os azuis são líderes deste grupo chifrim. Vamos ver como se saí no returno.

CONFIRMAÇÃO DA RUINDADE - Pra não se dizer que estou de má vontade com o Cruzeiro, invicto e líder do Grupo 3, que exaltei mais a vitória do Atlético, ainda dependurado no seu grupo, vou transcrever parte da entrevista de Marcelo Pacote (FOTO do Superesportes) à Rádio Itatiaia;
"Jogamos muito mal. Nesses dois anos e pouco que estamos no Cruzeiro, foi a pior partida. A gente até se preparou muito bem, o trabalho da semana toda visando um grande jogo, mas, não sei por que, a gente não conseguia marcar, não conseguia jogar também. Levamos muito sufoco, ficou um jogo de kamikaze. Poderíamos fazer um gol no contra-ataque, mas poderíamos levar um gol a todo o momento” falou Pacote.

VELHOS EM AÇÃO - Leram aí? E por incrível que pareça o Cruzeiro precisou dos veteranos Charles ( Santa Maria do Céu!) e Ceará pra resolver o problema do buraco defensivo entre o meio-campo e a zaga.
Como analisou Pacote este problema?
“Organizamos um pouco melhor no segundo tempo. Com a entrada do Charles, passamos a marcar um pouco melhor, tínhamos o contra-ataque. Às vezes, quando não pode jogar bem, você precisa ganhar. Os três pontos foram importantíssimos, mas não se concebe uma atuação tão fraca como hoje, porque o Cruzeiro pode muito mais. Por mais que o adversário tenha mudado de técnico, com motivação nova, fizemos pouco. Valeu pela vitória. Vamos nos preparar para os próximos jogos”.

COPA EM DEZEMBRO - Não sei se vou acompanhar uma copa em 2022, daqui a sete anos. Acho que sim, porque estarei com "apenas" 79 anos. Vai ser legal ver uma Copa no final do ano. A Fifa comprou uma briga com o mundo inteiro ao mudar a data, por causa do calor insuportável de 40 graus, no Catar. Clubes. federações, televisões estão p. da vida. Não terão jogos aos 40 graus, mas aos 20.
Leiam o que informam  os sites do mundo inteiro:
"- Depois de seis meses de um quebra-cabeça financeiro complicado, a Fifa oficializou nesta quinta-feira uma mudança histórica e definiu que a Copa do Mundo de 2022 ocorrerá no período do inverno do hemisfério Norte, modificando pela primeira vez a data de seu evento mais importante.
O Mundial do Catar ocorrerá entre os dias 21 de novembro e 18 dezembro, sendo disputado em apenas 28 dias. Geralmente as Copas ocorrem no meio do ano. Mas o projeto se chocava de frente com a Liga dos Campeões da Europa e os clubes já anunciaram que querem compensações da Fifa para modificar suas agendas para encaixar o Mundial.
A mudança é um reconhecimento generalizado de que, ao dar ao Catar a Copa do Mundo de 2022, os cartolas simplesmente ignoraram o fato de que seria impraticável jogar futebol no deserto no verão. Pelos critérios da Fifa, porém, quem organizasse a Copa teria de se comprometer a realizá-la em junho e julho.
Agora, a mudança está definida, deixando os demais países que se candidataram ao evento irritados pela alteração da data depois da escolha. No lugar de enfrentar temperatura acima de 40ºC, a Copa será disputada a cerca de 20ºC.
Outra decisão foi a de que o Mundial de 2022 será mais curto que aquele disputado no Brasil em 2014 para que evite coincidir com o Natal. A ideia original previa uma final em 23 de dezembro. Mas o compromisso foi de que o torneio perderia alguns dias para ser concluído em 18 de dezembro. Assim, os clubes também teriam um prejuízo menor.
Segundo a Fifa, a Copa com início em novembro era "a única opção". Isso porque o mês de fevereiro será destinado para os Jogos Olímpicos de Inverno, em Almaty ou Pequim. A Fifa decidiu não abrir um conflito com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e aceitou evitar um choque entre os dois eventos. Thomas Bach, presidente do COI, havia deixado claro que a entidade não modificaria o período da sua competição.
Já o Ramadã no mundo islâmico começa no dia 2 de abril, o que dificultaria as operações de um evento em um país muçulmano nesse período, preferido pelos clubes europeus. Assim, a Fifa definiu agora, em reunião do seu comitê executivo, pela realização da Copa do Mundo de 2022 entre 21 de novembro e 18 de dezembro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.