sexta-feira, 24 de abril de 2015

COMEÇA A DECISÃO DO MINEIRO ENTRE GALO X VETERANA E LEVIR VAI DE FORÇA MÁXIMA PRA EVITAR SURPRESA

 


LEVIR ESCALA O MELHOR – Levir Culpi não quer brincadeira com a decisão do Campeonato Mineiro. Não deixa de citar o título que perdeu quando comandava o Cruzeiro diante do Ipatinga de Ney Franco. Pra evitar surpresas desagradáveis, repete o time que venceu em (2 a 0) o Colo Colo na quarta-feira passada, mesmo que tenha outro jogo pesado e decisivo na quarta que vem contra o Internacional, em Porto Alegre. Léo Silva e Marco Rocha ficam em tratamento. O time que joga contra a Caldense, na partida de ida das finais, terá apenas um volante – Rafael Carioca – que marcou aquele golaço da classificação. Do seu lado estará Dátolo, volante armador. Eu no seu lugar até daria lugar a outros, sem nenhum receio. É o primeiro jogo e no Mineirão. Victor, Patric, Edcarlos, Jemerson e Douglas Santos: Rafael Carioca, Dátolo, Luan e Guilherme; Pratto e Carlos. Na reserva terá Giovani, Carlos César, Jesiel, Tiago, Pedro Botelho, Josué, Leandro Donizete, Cárdenas, Maicosuel, Jô e Thiago Ribeiro. Eu escalaria sem receio Josué, Donizete,
Cárdenas e Thiago Ribeiro. Depois, no jogo de volta colocaria os titulares para volta olímpica.

 

PANO DE FUNDO – Fora da disputa do título mineiro e com uma disputa azeda, a começar dia seis de maio, na Libertadores contra o São Paulo, adversário sempre complicado na vida do Cruzeiro, o meu amigo Waldir Barbosa ocupou o tamborete dos jogos de cena pra anunciar que o clube admite procurar um meia de ligação como reforço nessa fuase agora do mata-mata. Que me desculpe o bom e terno Waldir, mas é conversa de cartola. Não existe tempo pra colocar qualquer reforço à essa altura. Pode haver tempo hábil, mas de adaptação não. Então o melhor que se faz é, ao invés de olhar pro alto, é buscar o olhar pro próprio umbigo e buscar a solução que se tem em casa. O menino Gabriel não seria a solução ideal?

 

LATERAL FURADA – Como não poderá usar Fabrício que já entrou na Libertadores pelo Internacional, e Gilson, emprestado à Ponte Preta, o Cruzeiro terá duas opções pra lateral esquerda: o fraco Mena e o menino Pará, pra mim mais cotado como titular. No entanto, paga o preço da juventude que não agrada Marcelo Pacote, como é o caso de Gabriel. Com um pouco de coragem, Pacote montaria um time forte no pulmão, jovem na vontade de vencer e competente com Pará, Maike, Eurico, Judivan, e Arrascaeta.

 

DIREITO DE FALAR – Claro que o direito de palpitar sobre qualquer assunto o menino maluquinho Luan atropelou a história e a lógica ao sugerir Lucas Pratto, o atual namorado da Massa Alvinegra pra Seleção de Dunga como acontece muito na Europa e outros países com atletas brasileiros naturalizados. Só que o Brasil não tem esse costume. Antigamente, não tinha nem de convocar atleta nosso jogando no estrangeiro. Pratto, 26 anos, foi a grande contratação atleticana, pode até ser artilheiro da Libertadores e o melhor jogador da competição e nem assim será lembrado por Dunga. Talvez seja lembrado pra jogar ao lado de Messi. Em tempo, apenas por curiosidade: existe algum brasileiro que tenha jogado na Seleção Argentina?

 

PITACO DO JOÃO – "Na Libertadores, amigo, não tem escolha: se deseja ser campeão, tem que encarar de frente as onças todas e passar por cima. Em Libertadores todo campo é neutro. Basta observar que Cruzeiro já tirou Grêmio e São Paulo, vencendo no campo deles e bem. Acho que desta vez o Cruzeiro, sofrerá um pouco mais para passar pelo São Paulo, que a meu ver tem individualmente mais nomes importantes, mas se o Pacote souber distribuir bem os seus comandados e jogar com determinação e inteligência, certamente poderá sair de lá com um bom placar para pegá-los aqui no Mineirão e segurar a vaga. Agora eu queria ver o Galo encarar o Estudantes, o time do qual os atleticanos  guardam camisas, bandeiras e tiraram fotos com Verón (já aposentado). Isso é que dá ser vira-lata, e achar que não cresce e ficar torcendo por times que poderão ser algoz do seu em uma competição continental. Vamos ver como acaba isso". – Opinião de João Batista C.

 

CASTELLAR FALA MAIS – Parece que o presidente da FMF, Castellar Neto, não afinou mesmo pra diretoria do Cruzeiro no caso das semifinais do campeonato mineiro. Os azuis cutucaram onça com vara curta. Castellar agora dividiu na canela e afirmou que Gilvan é incompetente politicamente e que se Perrela estivesse na presidência o jogo seria no sábado.

Castellar baseou-se no insucesso do Cruzeiro quanto o pedido de antecipação da segunda partida da semifinal do Mineiro, contra o Atlético. "A decisão da televisão (de manter o jogo domingo e não antecipá-lo para sábado) foi referendada pelo Tribunal de Justiça Desportiva, pela Justiça do Trabalho e eu, particularmente, não consigo acreditar que a Globo, a Federação, a Conmebol e a Justiça Desportiva estejam erradas, enquanto a diretoria do Cruzeiro esteja certa"

E sentenciou: "acho muito mais fácil transferir a responsabilidade e dizer que a data não foi aquela pelo fundamento único de que o presidente é atleticano, em vez de matar no peito e reconhecer a sua incompetência política junto à emissora". Chii, Kalil não perderia uma briga dessas.

 

PERRELA DEFENDE GILVAN – Até esse momento, o nome do senador ZZ Perrela andou sumido do noticiário esportivo e da política, pela inexpressividade de seu trabalho em Brasília. Porém tornou-se personagem da  briga entre Cruzeiro e Federação Mineira de Futebol por causa da citação de seu nome pelo cartola da FMF. Perrela falou o seguinte: "Sobre a declaração de que comigo seria diferente, não vou fazer juízo, mas o Gilvan tem força política também e está fazendo um grande trabalho no Cruzeiro". Ponto final. Chega de briga boba, né!

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.