quarta-feira, 29 de abril de 2015

ESQUENTOU TEMPO REALMENTE: FUTEBOL MINEIRO JÁ BRIGA ATÉ NOS BASTIDORES DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA

  

CARATINGA - Depois do disse-me-disse do Cruzeiro com a FMF e com a entrada de Alexandre Kalil, o Urso Bravo, na discussão, formando no pelotão de defesa do jovem presidente da entidade, Castellar Guimarães Netto, nova polêmica balança as estruturas do futebol mineiro, agitando o Tribunal de Justiça Desportiva por conta da absolvição do zagueiro Leo Silva, expulso no clássico, ao desferir potente pontapé no saco do ataque Leandro Damião. Tal decisão foi desclassificada pelo ex-presidente do TJD, Sérgio Murilo Braga, porque a prova do vídeo-tape não foi exibida, onde claramente se vê a agressão. Claro que se fosse jogador importante da Caldense, o Tribunal aceitaria e mandaria ferro no coitado. Em se tratando do zagueiro atleticano, ela foi descartada. O atual presidente do TJD, Manoel de Souza Barros, outra figura desconhecida deste filho de dona Geralda e que caiu de paraquedas agora no futebol das Geraes, rebateu a suspeita e acusou Braga de agir por questões pessoais e políticas.

Será que até na FMF e no Tribunal a coisa vai girar em torno de política? É preciso explicar isso às torcidas...

 

GALO EM BRASÍLIA – Outro gesto de estupidez crônica de torcidas organizadas provocou a perda de mando de campo do Galo no STJD . Time terá de jogar sua partida contra o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro, fora do Independência e Mineirão, dia 17 de maio, na segunda rodada. Tudo por causa da confusão que aprontou, junto dos cruzeirenses, ano passado, dia 21 de setembro, pela 23ª rodada do Brasileiro. Atleticanos e cruzeirenses utilizaram bombas numa confusão entre eles e quebraram cerca de 100 cadeiras do estádio. Esta punição já é do Tribunal pleno e não cabe recurso.

Por isso, o Galo agendou o confronto pro Mané Garrincha, em Brasília. Ou seja, um campo neutro.

SANTOS ESCRAVIZA LUCAS – O presidente do Santos, Modesto Roma, filho do grande Modesto Roma, que comandou o Peixe na época áurea de Dorval, Mengalvio, Coutinho, Pelé e Pepe, campeão de tudo que disputava no País, exceto da Taça Brasil de 1966, na qual levou uma ferrada de conforme do Cruzeiro de Dirceu Lopes, Tostão e Piazza, bateu na mesa e falou gritando numa coletiva na Vila Famosa, quando lhe perguntaram sobre o interesse do Cruzeiro pelo meia Lucas Lima.

Foi contundente: "Já avisei ao Gilvan que Lucas não vai pro Cruzeiro e nem será vendido pro Exterior no meio do ano".

 

GRITARIA GERAL - Os repórteres resolveram lembrar ao senhor Modesto que os direitos econômicos do craque pertencem à empresa Doyen Sports, que torce pela transferência dele pro time celeste, o cartola santista berrou mais alto ainda: "Os direitos federativos são do Santos, e o Santos não abre mão do atleta. Ele pode ter até 100% dos direitos ligados a investidores, mas ele é do Santos, não sai do Santos".

Quanta bobagem! O contrato de Lucas Lima termina em julho e ele pode ir depois pra onde quiser.

 

ATÉ ONDE, MEU DEUS?O jovem torcedor do Palmeiras, Cláudio Fernando Morais, que acompanhado da namorada foi ao jogo de domingo contra o Santos e vibrava com a vitória de seu time por 1 a 0, teve morte cerebral confirmada pela Secretaria de Saúde de SP. Atacado Por torcedores da Torcida Jovem Santista, armados de barra de ferro e porretes, Cláudio foi espancado até ser acudido pelos agentes da estação do Metrô e levado para o Hospital Santa Marcelina, no Bairro Leste da Capital em estado gravíssimo. Enquanto isso, governos federal, estadual, órgãos de segurança e Ministério Públicos, além da Justiça, batem cabeça e fazem discursos políticos sobre a violência no futebol sem tomar nenhuma atitude séria.

 

ESCONDENDO JOGO – O Cruzeiro tem usado uma estratégia bem amadora pra conduzir a história dessa contratação do meia armador e que devia acontecer no início do ano, mas os responsáveis pelo futebol comeram mosca. Agora vêm as especulações, porque a diretoria não tem um nome específico, de credibilidade, pra ocupar o posto de diretor de futebol. Quem mais entende lá é o Waldir Barbosa, mas qual é a sua autonomia, depois que o Presidente afirmou que assumiria, também, a diretoria de esportes. Falaram de nomes descartáveis como Valdívia e até comprometedores como Ronaldinho Gaúcho. Alex do Internacional teria sido oferecido e descartado por Marcelo Pacote Oliveira. Colocaram Beneci Queirós, que não sabe nada, pra falar pelo clube. Que bobajada!

O nome que poderia ser a solução, Gedoz, ex-companheiro de Arrascaeta, foi oferecido por 7 milhões de dólares e o Cruzeiro correu da raia. Então não quer solucionar nada. Quer é fazer pregações. Ou então esconde o jogo.

 

TORCIDA ACORDA – Só que a unanimidade do presidente Gilvan do Pinho Tavares, infelizmente, despencou no meio da torcida. Não era pra tanto. Bicampeão brasileiro e vice da Copa do Brasil era pra ser mais respeitado pelos torcedores. A manifestação exigindo sua saída e dos demais diretores me pareceu precipitada. Porém a morosidade e a indecisão de Gilvan não ajudarão em nada o Cruzeiro na Libertadores e no Brasileiro. Tenho certeza que o nome de Gedoz surgiu de novo nas manchetes como pano de fundo, a fim de amaciar as críticas nas manifestações. De qualquer forma, antes que seja tarde, Gilvan tem que dar uma resposta de peso. E ela não poderá vir através de meias medidas como Valdívia e outros famosos comem-quietos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.