quinta-feira, 16 de abril de 2015

OS TIMES SÃO INCONFIÁVEIS , MAS POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, AINDA TÊM BOAS CHANCES DE CLASSIFICAÇÃO



Particularmente, eu não confio nenhum dos dois times das Geraes. Nem Atlético, nem Cruzeiro. Devem se classificar nesta fase de grupos da Libertadores, apesar de estarem com suas lanternas ligadas no amarelo. Mas na fase seguinte, quando os nós apertarão, tiro minha mão do fogo.


DERROTAS TOLAS – As derrotas que ambos sofreram no meio da semana não têm desculpas. Nem na história de arbitragem e nem na sobrecarga do calendário. Claro que  Federação Mineira de Futebol poderia dar um refresco no final desta semana, quando se repetirá a tabela anterior. Galo na quarta-feira e Cruzeiro na sexta. O Atlético fez a viagem mais complicada, indo ao México. O Cruzeiro repete um jogo após o clássico dois dias depois. É soda, amigo!


TIME FRACO – Nenhum dos adversários do final da semana passada me convence. Os azuis perderam pro fraco Huracan (3 a 1) e levaram um passeio, sem qualquer poder de reação. O Galo, em Guadalajara, esteve horrível a ponto do próprio Levir Culpi dizer que nada funcionou.  Perdeu por 1 a 0, porque São Victor esteve impossível com umas quatro ou cinco defesas sensacionais. Ele foi o melhor em campo, junto de Edcarlos. Ninguém mais. Até que o time melhorou alguma coisa com a entrada de Guilherme e Cárdenas, mas Levir cismou de tirar Pratto na entrada de Guilherme e ficou sem opção ofensiva. Carlos foi uma negação. Marcos Rocha fez muita falta.


CLASSIFICAÇÃO NO PREGO – Pra se classificar agora,  o Galo necessita vencer o Santa Fé aqui em BH e tirar o Colo Colo pra brigar no saldo de gols.


PANE NO MOTOR – Pra Levir Culpi, o Atlético depois de duas vitórias seguidas na Libertadores, teve pane no motor. Ao contrário de Marcelo Pacote, que preferiu não assumir qualquer responsabilidade. Botou a culpa no cansaço, no calendário, xingou o gramado e esculhambou o mundo. Só não justificou seus três volantes brucutu e poucos armadores.


LOCUTOR ENDOIDOU – O locutor do Foxesportes, cujo nome não sei, quando o pau quebrava nos dois jogos, em Buenos Aires e no Peru, endoidou e afirmou que "esta é a maior invenção do homem". O futebol? E a penicilina?


COPIADOR FEIO – Depois, o mesmo narrador cometeu um crime muito comum no rádio e na tevê. Imitou o deputado Mário Caixa Henrique, ao dizer numa chamada do jogo do Atlas e Atlético. "Bica eles, bicudo". Isso não é uma criação do meu amigo Caixa?


MILHO PRO GALO – A porta da FMF, Federação Mineira de Futebol, amanheceu coalhada de grãos de milho. Protesto dos torcedores cruzeirenses porque a entidade não protegeu os clubes mineiros adiando o clássico. O Galo foi protegido: joga domingo e na outra quarta. O Cruzeiro joga domingo e de novo na terça-feira. Caro Castellar Neto: aprovei a primeira vez, mas esta agora deu na cara demais...

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.