quinta-feira, 30 de abril de 2015

SUSTO DE ABRAS E A VOLTA DE LÉO SILVA, ASSUNTOS DO GALO ANTES DE PEGAR CALDENSE NA DECISÃO DO MINEIRO 2015 EM VARGINHA


 

CARATINGA - Minha primeira participação num microfone em Belo Horizonte foi na Rádio Itatiaia, ali por volta de 1963, apadrinhado pelo meu conterrâneo e amigo Hamilton Macedo, então narrador e diretor artístico da emissora dos Carneiros. Estreei no jogo Cruzeiro x Renascença, no campo deste, pelo campeonato juvenil. A equipe de esportes da Itatiaia tinha os saudosos Geraldo Augusto e Fernando Sasso, mais o gente boa Roberto Abras e este locutor que vos fala, nas laterais. Nós dois estávamos estagiando de graça. Fiquei por lá um mês até o dinheiro levado de Caratinga, fruto da venda de uns leitõezinhos que eu criava no quintal da ex-rua das Flores. Roberto Abras era o mesmo tipão agora: meio tímido, caladão aos estranhos e brincalhão com os amigos. Sempre me dei muito bem com o Abras.endo

 

FORA DE CASA – A daneira de ficar muito tempo fora de casa dá nisso. Os fatos acontecem aí e a gente não fica sabendo na hora. Fui informado nesta quinta-feira ao abrir o blog do Chico Maia e ele nos tranquilizava: "Falei agora com a Carolina, filha do Roberto Abras. Ele está bem, batendo papo no apartamento no qual se encontra no Hospital da Unimed (Av. Contorno), mas talvez tenha que passar por uma cirurgia no quadril.O acidente foi quase na esquina da casa da família, perto da sede da OAB, na Rua Albita".

 

DIABETES DANADO - Abras  explicou que estava tudo normal, mas teve um "apagão", possivelmente em consequência do diabetes, do qual ele trata há muitos anos. Terá que acompanhar Caldense x Atlético ouvindo a Itatiaia e vendo pela TV. Também tenho diabetes uso 14 comprimidos por dia e sei como a coisa funciona. Estou aqui na República Independente torcendo pra que Roberto Abras volte logo; as transmissões dos jogos do Galo, sem ele, ficam bem sem graça.

 

OPINIÃO DE CRUZEIRENSE – O leitor César Augusto Rodrigues, velho e assíduo participante desta ilibada Trincheira, manda sua opinião: "Prezado Flavio. Sempre atento às suas colunas, ora concordo ou discordando de um tópico ou outro. Mas me chama a atenção quando o senhor fala que o Waldir Barbosa é o entendido na atual diretoria. Me permita discordar deste tópico. Nas contratações do Riascos, do Henrique centroavante, do Bruno Lopes, a situação do Gilson lateral, o comportamento do mesmo em relação a esta amarelada do Cruzeiro com a FMF, me bateu uma saudade dos Perrellas. Incrível.

 

AÍ É DEMAIS – César Augusto chutou de bico pra fora, ao afirmar que "o Waldir Barbosa é um Dimas Fonseca em formato diferente, um torcedor ocupando um cargo que não lhe compete. Nem blindar o Gilvan, como um moço oriunda da imprensa, ele dá conta. Ele não percebeu que o time tem um técnico de futebol muito bom que é o Marcelo, mas não tem um preparador físico à altura do Cruzeiro, haja vista que o time não aguenta mais correr. O Sr. Waldir é mais um que esta agarrado nas tetas".

 

TRINCHEIRA – Respeito sua opinião e a discordância, até porque não sou dono de nenhuma verdade. Mas, também, uso meu direito de pitacar e dizer que escrevi sobre ser o mais lúcido e inteligente do setor de esportes. E sobre as contratações a que você se referiu penso que o erro aí está em compromissos assumidos com empresários, que usam o Cruzeiro como vitrine. Aí, todo mundo tem culpa no cartório. Do presidente ao treinador. Quanto ao time pregar no segundo tempo, concordo.

 

INGRESSOS NO FIM – Restam apenas mil ingressos pro jogo de quarta-feira que vem entre Atlético x Internacional no Horto. Este foi o balanço divulgado pelo Atlético na tarde de quarta-feira e com certeza à essa altura não resta mais nada. Até quando saiu a informação, já se comercializaram 16.060 bilhetes, sem contar com os sócios Galo Na Veia, Preto. Um jogo pra 50 mil pagantes, no mínimo, mas como o Galo não precisa de dinheiro e sim de brigar pelo título da Libertadores, os dirigentes decidiram voltar pro Horto, onde o adversário já chega no gramado morto.

 

REVELAÇÃO SEM PROBLEMA – O técnico Leonardo Condé,grande revelação do futebol mineiro nos últimos anos, terá força máxima contra o Atlético, neste domingo, em Varginha. O lateral-direito Jéferson Feijão, que desfalcou o time no jogo de ida da final, no Mineirão, se recuperou da contusão e voltou a treinar. Feijão, porém, não tem vaga garantida no time titular. No Mineirão, com o zagueiro Marcelinho na lateral e Paulão na zaga central, formação que agradou ao treinador. Condé pode manter o time no estádio Melão, em Varginha.

TEMPO AJUDA LEVIR – Guilherme, Léo Silva e Marcos Rocha eram os problemas do Galo. Não preocupam mais. Até porque Levir Culpi gostou do time sem eles semana passada. Guilherme e Rocha não devem jogar domingo a decisão do campeonato mineiro. Léo Silva, no entanto, está liberado e só depende de Levir Culpi. Vou esperar o telefonema costumeiro de Levir toda sexta-feira, antes de escalar o time pra domingo, pedindo minha opinião. Entendo que o Galo já pode gastar por conta o bicho do título mineiro de 2015, com devido respeito ao time de Condé e à vantagem do empate que ele tem. Decisão é outra coisa. A raça e a determinação que este time de Lucas Pratto e Luan demonstram não deixarão a peteca cair.  

 

MORTE EM CAMPO - O zagueiro Gregory Mertens, que sofreu um ataque cardíaco em campo na última segunda-feira em jogo-treino de sua equipe, o Lokeren, diante do Genk, morreu nesta quinta. O falecimento do jogador de apenas 24 anos de idade foi oficialmente confirmado pelo clube belga. Eu imaginava que esse tipo de morte de atleta de futebol não aconteceria jamais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.