segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Cruzeiro domina ações, mas perde oportunidades e só empata partida com o Grêmio no Mineirão

NOVA LIMA - HOSPITAL VILA DA SERRA - APARTAMENTO 607 -O empate sem gols - o  único jogo que não teve gols  na rodada foi este - decepcionou-me, pois o Cruzeiro, mesmo com a retranca arrumada pelo Mano Menezes, que adora  jogar lá atrás. Como não fui ao Mineirão e gostei do comentário do Superesporte vou utilizá-lo como se fosse meu. Enquanto como umas goiabinhas vermelhas lá de Rio Casca, curta aí o comentário detalhado e cheio de informações do Superesportes:

A atmosfera construída pelos torcedores no Mineirão era ideal para o Cruzeiro conquistar a terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro, em jogo contra o Grêmio, neste domingo, e isolar ainda mais o risco do rebaixamento. Apesar de controlar as ações de ataque e apresentar setor defensivo sólido, o clube celeste não conseguiu furar o gol de Marcelo Grohe e terminou os 90 minutos sem marcar. 

Mesmo sem o resultado positivo, o Cruzeiro defendeu o tabu de 18 anos sem perder do Grêmio em casa. O último revés no Mineirão ocorreu no Brasileirão de 1998, quando a Raposa perdeu por 2 a 0, com gols de Scheidt e Rodrigo Mendes, em duelo marcado pelas expulsões dos cruzeirenses Alex Alves e Vagner.

Assim como acontecerá com seus adversários, o Cruzeiro agora descansa até o próximo dia 14, quarta-feira da próxima semana, quando visita o Atlético Paranaense, às 22 horas, na Arena da Baixada. Com o resultado deste domingo, o clube celeste alcançou 37 pontos e seguiu na 13º colocação. 

O jogo

A partida começou com Cruzeiro e Grêmio equilibrando ações de ataque. Aos 4', o mandante quase abriu o placar no Mineirão. Fabiano recebeu livre, carregou a bola até a entrada da área adversária e encontrou Alano, livre de marcação. O jovem meia-atacante, no entanto, errou a finalização. Aos 5'30, foi a vez de o Grêmio avançar, mas o cruzamento de Luan atravessou a pequena área do goleiro Fábio. 

Apesar do equilíbrio, nos lances seguintes o Cruzeiro voltou a levar perigo em três oportunidades. Com Alano, aos 15', quando a bola raspou a trave direita de Grohe; em chute de fora da área do lateral-direito Fabiano, aos 20', quando o goleiro gremista fez defesa segura e, por fim, na finalização de Leandro Damião, da entrada da área, em lance que a bola atingiu o travessão.

Marcando apenas em seu campo de defesa e esperando o erro do Cruzeiro, que propunha o jogo com mais intensidade pelo lado direito, o Grêmio conseguiu levar perigo ao gol de Fábio somente aos 34'. Em cobrança de falta de Galhardo, que alçou bola aérea na pequena área, Geromel desviou de cabeça e quase marcou.

Aos 37', o Cruzeiro respondeu a primeira chance de gol do adversário. Com Alano, mais uma vez, o clube celeste obrigou Marcelo Grohe a fazer excelente defesa. O jovem meia-atacante se livrou de dois marcadores, dentro da grande área, e finalizou no canto direito da camisa 1, que agarrou sem rebote. Embora tenha terminado a primeira etapa com menos posse de bola (48% x 52%), o clube celeste finalizou oito vezes contra apenas uma do rival.O ímpeto do Cruzeiro retornou com o time para a segunda etapa. Logo no primeiro lance, a equipe quase marcou depois de tumulto na pequena área adversária. Aos 7', depois de boa trama, Alano encontrou Willian entrando na área e lançou o 'bigode' que, de cabeça, quase acertou o gol de Marcelo Grohe. 

Com a segunda etapa morna, Mano Menezes decidiu realizar duas alterações táticas. Gabriel Xavier voltou a atuar, depois de sete jogos parado, e substituiu Alano, muito participativo na primeira etapa do jogo. Minutos depois, o treinador chamou Arrascaeta para o lugar de Damião e voltou a ter um time com as características das últimas partidas, quando tinha Alisson disponível.

O jogo seguiu sem chances claras de gol para os dois lados, embora o Cruzeiro comandasse as ações de ataque. Arrascaeta, Willian e Gabriel Xavier tentaram finalizações, mas Marcelo Grohe não teve muito trabalho até o fim da partida. 
 
Fiquei triste. O Cruzeiro completaria cinco jogos invicto, mas com uma vitória e se afastaria do perigo de entrar na Z-4.. Agora tem 37 pontos e está em 13º lugar, ou seja a seis pontos do primeiro da Z-4, o Chapecoense que no fechamento da rodada surpreendeu o mundo da bola ao golear o Palmeiras de Marcelo Oliveira por 5 a 1, na Arena Condá, em Chapecó.

BRUNO RODRIGO DE VOLTA

 
A volta de Bruno Rodrigo tinha que ser saudada com toda volúpia possível. Voltou bem contra o Grêmio, até porque ninguém consegue ter saudade de  Paulo André, aquele cabeça de bagre que o Cruzeiro buscou no Corinthians. Mais uma vez fico com uma matéria excelente do Superesportes. Leiam:

"Prestigiado pelo técnico Mano Menezes, o zagueiro Bruno Rodrigo mal voltou a ficar à disposição do comandante celeste e já será titular, no lugar do suspenso Paulo André, no jogo  contra o Grêmio, no Mineirão.
Recuperado de uma pancada sofrida no joelho esquerdo contra o Vasco, Bruno Rodrigo foi liberado pelo departamento médico esta semana e espera finalmente alcançar uma sequência entre os titulares. O zagueiro vem sendo perseguido por lesões um tanto quanto incomuns, em quedas que o atleta vem tendo no gramado.

"Estou com cabeça tranquila, sempre buscando o melhor. Infelizmente, não consegui uma sequência esse ano. Continuo trabalhando. Foram três lances iguais. Primeiro, contra o Atlético-PR. Depois, contra Figueirense e Vasco, tive a mesma infelicidade. Até brinquei com o Charles que vou colocar o rosto no chão em vez do joelho. A gente se doa bastante nos jogos, então faz parte. Tentamos nos recuperar o mais rápido possível para ajudarmos a equipe", colocou o zagueiro.

E não é apenas Bruno Rodrigo que quer evitar cair neste Brasileirão, tendo em vista que o próprio Cruzeiro está a seis pontos do zona de rebaixamento e ainda corre riscos de cair para a segunda divisão. O zagueiro espera que a equipe cruzeirense consiga repetir as boas atuações das últimas duas rodadas, contra Chapecoense e Coritiba, para que a Raposa se afaste de vez da degola da competição.

"Infelizmente, fiquei de fora (dos últimos jogos). Acontece, faz parte. Foram três vezes a mesma coisa. Fiquei triste, mas estou feliz de voltar. É um jogo importante contra o Grêmio, um concorrente da parte de cima. Esperamos fazer bom jogo, somar três pontos, porque será um jogo tão difícil quanto foi contra o Coritiba", avaliou o defensor cruzeirense. Tomara que fique logo bom, pois penso tratar-se do melhor zagueiro da Toca da Raposa.
 
 
TUPI VAI BEM NA SÉRIE C

A gente tem tão pouca informação sobre a Série C que a informação da classificação do nosso Tupi pra fase seguinte resulta em dúvida: verdade ou mentira? Segundo o que li no site Globo Esportes, o Tupi é o terceiro classificado com 30 pontos. Leiam abaixo:

Classificação final do Grupo B: 
1º Londrina (classificado) - 34 pontos 
2º Portuguesa (classificado) - 30 pontos 
3º Tupi (classificado) -30 pontos 
4º Brasil (classificado) 29 pontos 
5º Juventude - 29 pontos 
6º Guarani - 29 pontos 
7º Tombense - 17 pontos 
8º Guaratinguetá - 16 pontos 
9º Madureira (rebaixado) - 13 pontos 
10º Caxias (rebaixado) 8 pontos

Vice do São Paulo critica Osório
 
Estou de saco cheio com os espaços ocupados pela imprensa da Paulicéia
Desvairada por conta da saída ou não de Osório do São Paulo. Agora mostro mais um episódio  descrito pelo G-1GloboEsportes. Em baixo:

"Pouco mais de uma hora após o empate em 1 a 1 com o Palmeiras, os bastidores do São Paulo voltaram a ficar agitados. Em entrevista à rádio Jovem Pan por telefone, o vice-presidente de futebol do Tricolor, Ataíde Gil Guerreiro, repreendeu as reclamações de Juan Carlos Osorio sobre o desmanche do elenco nos últimos meses e cobrou resultados melhores no Campeonato Brasileiro.
O cartola ressaltou que apenas os volantes Souza e Denílson eram titulares incontestáveis entre os oito atletas negociados pela diretoria desde a chegada do treinador ao Brasil e que algumas baixas foram orientadas justamente pelo Lorde - o garoto Evandro foi emprestado ao Atlético-PR até o fim do próximo ano para ganhar experiência. Outra razão para a bronca de Ataíde foi a declaração de Osório sobre a falta de confiança na diretoria.
- Estamos decidindo uma Copa do Brasil, com chances de ficar no G4, então não posso me indispor com ele. Pior do que qualquer palavra equivocada dele, seria minha atitude. Eu perco muito a paciência com ele, ele sabe. Estouro, mas não na frente dos outros, só internamente. E quando exagero, o que acontece muito, sou o primeiro a pedir desculpas a ele - ponderou.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.