segunda-feira, 23 de novembro de 2015

INDEPENDÊNCIA VIVEU FINAL DE SEMANA ENTRE TRISTEZA E FESTA, BEM PARECIDO COM A ARENA PALMEIRAS, EM SÃO PAULO.

Comece sua leitura do futebol mineiro do final de semana e o que viu às seis da noite na sua televisão sobre o jogo Palmeiras  1 x  1 Cruzeiro, disputado na Arena Palmeirense. Puta Merda, tudo foi de dar conjuntivite em ambos os olhos  do freguês, usuário contumaz dos jogos de seus times. No sábado à tarde, no Independência, o América na briga por uma vaga no G-4 que o levaria, como levou, à Elite do Futebol tupiniquim, jogou pedra na cruz, furou olho de passarinho. Deixou a torcida que lotou o estádio preocupada, assustada com a possibilidade do adiamento ocorrer outra vez, como acontecera na rodada anterior diante da derrota pro Paraná, por 1 a 0, em Curitiba.

O  adversário Ceará luta pra não  cair. Tal luta não devia importunar ao Coelho de Givanildo de Oliveira. Mas importunou. O América viu o Ceará abrir a contagem e surtou em campo. Não jogou nada e quase toma outros gols, ainda  no primeiro tempo.  Apesar do futebol medíocre e feio que apresentava conseguiu empatar, só Deus sabe como. 

Depois do empate, a tristeza e a preocupação transformaram-se em fé e confiança na virada do placar ou mesmo na sua manutenção que seria suficiente pra voltar com o time de Givanildo à Série B. Foi o que aconteceu! O empate subiu o América e tudo de ruim que sucedera antes virou carnaval de alegria dos jogadores, Comissão Técnica, diretores e torcedores.  Agora é descansar e respirar ares de fé pra que 2015 não seja igual a 2014.

LOGO  DEPOIS, O CRUZEIRO EM SÃO PAULO

Santa Maria do Céu, nem parecia o Cruzeiro um time que lutava por uma vaga na Libertadores; dependia de suas próprias forças e torcia pelos tropeços do Santos, São Paulo e Internacional, principalmente. Porém, torcia pela vitória e conquista do Peixe na Copa do Brasil porque abriria mais uma vaga no 5-4. Mas o que o torcedor viu foi um time embrulhado em erros contra a equipe reserva do Palmeiras. O Cruzeiro fez 1 a 0 num belo gol de Marcus Vinicius e foi só. O que se viu depois foi Agastarreta dando passe de calcanhar pra colocar William Bigode na cara do gol e ele perder. Além de uma frango danado do goleiro Fábio na cabeçada de Lucas Barrios, que ganhou de Bruno pregado no chão. Fábio pulou pra baixo, com os braços encolhidos como sempre acontece nas bolas alçadas na área.

O empate de 1 a 1 foi absolutamente horroroso para os azuis e, também, pro Palmeiras, que jogava com time reserva de olho na decisão da Copa do Brasil, que começa nesta quarta-feira contra o Santos. Quem vencer a competição terá uma vaga na fase de Grupos da Libertadores. Se este time é o que Mano Menezes guarda pra gente visando 2016, que Deus nos ajude!!

TAMBÉM HORROSO TUDO DE GALO X GOIÁS

Vou resumir o jogo Atlético 2 x 2 Goiás domingo no Independência. A começar pelo trio de arbitragemNielson Nogueira Dias (ESP-PE) ; Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ESP-ES) e Nailton Júnior de Sousa Oliveira (CBF-CE) que só fez besteira; deu pênalti de Marcos Rocha. A arbitragem anulou a sua marcação, após o auxiliar garantir ao árbitro que a disputa entre Marcos Rocha e Rafael Forster foi limpa.
Entretanto, o assistente Fabiano da Silva Ramirez não viu no gol de Luan que Jemerson estava impedido e participou claramente do lance.

O pior do jogo foi o goleiro atleticano Victor, que teve uma falha incrível num dos gols do Goiás, perdendo a bola ao tentar driblar o atacante Bruno Henrique; falhou, também, na saída apressada da meta e ser driblado  pelo mesmo Bruno Henrique que fez 2 a 2. Céus foi um domingo de pesadelo!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.