domingo, 28 de fevereiro de 2016

CRUZEIRO E AMÉRICA EMPATAM NO MINEIRÃO E DEIXAM UBERLÂNDIA NA LIDERANÇA DO CAMPEONATO


O placar não poderia ser outro, porque o clássico teve equilíbrio nos dois tempos. O Cruzeiro fez 1 a 0 com Arrascaeta aos 43m da fase inicial, aproveitando um erro total na defesa americana. E levou o gol de empate, também, numa falha coletiva: Bryan, dono de fortíssimo chute de fora da área, juntou-se aos companheiros que chutavam da intermediária tentando surpreender, porém mandando a bola longe da meta. Bryan foi letal: ficou livre, sem marcador no meio-campo cruzeirense, e bateu forte. 

Adiantado, Fábio aceitou, como tem aceitado ultimamente. Os 20 mil torcedores celestes presentes no Mineirão  vaiaram muito quando o árbitro apitou o final do jogo, dois minutos depois do gol do Coelho. Vaias justas porque o técnico Deivid perdeu a disputa com o veterano Givanildo, o empate teve sabor de derrota pra gente de azul.  

Riu por último o Uberlândia, novo líder do Estadual. A equipe do Triângulo alcançou o topo, com 12 pontos, ao bater o Guarani por 2 a 0, no Parque do Sabiá. Em seguida vêm a Raposa (11 pontos), o Atlético (10 pontos e seis gols de saldo) e o Coelho (10 pontos e três gols de saldo).

No próximo domingo, às 18h30, o Cruzeiro visita a Caldense no Estádio Ronaldo Junqueira pela sexta rodada do Mineiro, enquanto o América joga contra o Tricordiano no Soares de Azevedo, em Muriaé, às 16h de sábado. Antes, porém, o alviverde terá compromisso pela Primeira Liga diante do rival Atlético. O jogo de quarta-feira, às 19h30, no Independência, valerá pela terceira rodada do Grupo A.

CRUZEIRO - Fábio; Fabiano, Dedé, Bruno Rodrigo e Fabrício; Henrique, Lucas Romero e Sánchez Miño (Ariel Cabral, aos 23min do 2ºT); De Arrascaeta; Willian (Rafael Silva, aos 32min do 2ºT) e Alisson (Elber, aos 28min do 2ºT) - Técnico: Deivid
AMÉRICA - João Ricardo; Jonas, Alison, Sueliton e Danilo (Bryan, no intervalo); Leandro Guerreiro e Pablo; Osman, Rafael Bastos (Tiago Luís, aos 32min do 2ºT) e Tony; Bruno Sávio (Victor Rangel, no intervalo)
Técnico: Givanildo Oliveira
Gols: De Arrascaeta, aos 43min do 1ºT (CRU); Bryan, aos 46min do 2ºT (AME)
Cartões amarelos: Lucas Romero, aos 44min do 2ºT (CRU); Danilo, aos 32min, e Alison, aos 41min do 1ºT (AME) - Motivo: 5ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Mineirão
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira



GRAMADO RUIM, DESTRUIDO PELO TEMPORAL PREJUDICA MISTO DO GALO E URT VENCE TIME DE VICTOR, ROBINHO, CAZARES E JÚNIOR URSO

O Atlético deixou a liderança do Campeonato Mineiro neste domingo. Em Patos de Minas, sofreu sua primeira derrota na competição pra URT, por 1 a 0. Assim, os comandados de Aguirre permanecem com 10 pontos e foram ultrapassados por América, Cruzeiro e Uberlândia.

Com a maioria dos titulares poupados, o Atlético foi conduzido por Robinho neste sábado. Principal contratação do clube para a temporada, o camisa 7 foi o mais participativo entre os jogadores do time alvinegro. Entretanto, o atacante não conseguiu aproveitar as chances que lhe apareceram e perdeu uns quatro gols.

Sem Lucas Pratto como referência no ataque, o Atlético apostou na movimentação de seus atacantes. Robinho procurou o lado esquerdo para tentar criar chances para o time alvinegro, mas foi o zagueiro Edcarlos, de cabeça após cobrança de escanteio, quem levou perigo à URT pela primeira vez. O meia Dátolo, depois de bola rolada por Cazares em cobrança de falta, também esteve perto de abrir o placar.

Robinho e Cazares ensaiaram tabelas. Se o meia equatoriano não teve oportunidades de gol, o camisa 7 passou perto de balançar as redes na reta final do primeiro tempo. Porém, depois de cruzamento do lateral-direito Carlos César, Robinho “furou” na marca do pênalti. Ele ainda teve outras duas oportunidades, mas um chute de canhota saiu por cima do travessão e outro parou no goleiro Follmann.

Na saída para o intervalo, Robinho se queixou do gramado no estádio do Mamoré, que foi casa da URT neste sábado. “Acabei perdendo o gol, mas o campo está muito ruim. A gente não sabe se chuta de primeira ou se domina. O primeiro tempo foi ótimo, a gente se movimentou bem. Temos de fazer de tudo para matar o jogo no segundo tempo”, disse.

No começo da etapa final, Robinho teve nova chance para marcar seu primeiro gol com a camisa do Atlético. Em boa jogada pelo lado direito, Cazares cruzou, e o atacante cabeceou com força, mas à direita da meta defendida pela URT. 

Depois de desperdiçar boas chances para abrir o placar, o Atlético passou a ser ameaçado pela equipe de Patos de Minas. Na primeira oportunidade, Victor fez boa defesa em chute de Baloteli. No entanto, aos 24 minutos, o goleiro do Galo foi “traído” por desvio de Eduardo na barreira e não conseguiu evitar o gol de falta do lateral-esquerdo Fabinho Alves: 1 a 0.

Robinho ainda teve três chances para empatar. Na primeira, depois de limpar a marcação, chutou fraco, e Follmann fez a defesa. Depois, tentou finalização colocada, mas por cima. O atacante ainda foi parado pelo goleiro da URT ao tentar aproveitar rebote de um chute de Dátolo. Diante da ineficiência ofensiva, o Galo retorna de Patos de Minas com sua primeira derrota no Estadual.

Na quarta-feira, o Atlético encerrará sua participação na Primeira Liga diante do América. O time comandado por Diego Aguirre voltará a campo no Campeonato Mineiro no próximo domingo, diante do Tombense, às 16h, no Independência.

URT 1 X 0 ATLÉTICO

URT: -
Follmann; Alex Muricy, Mauro Viana, Robinho e Fabinho Alves; Leandro, Ramos, Possebon (Leomir) e Carlos Magno; Baloteli e Rafael Magalhães (Fábio Santos)
Técnico: Ademir Fonseca

ATLÉTICO: - Victor; Carlos César, Edcarlos, Tiago e Lucas Cândido (Pablo); Júnior Urso, Eduardo, Cazares e Dátolo; Hyuri (Thiago Ribeiro) e Robinho
Técnico: Diego Aguirre

Motivo: Quinta rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Bernardo Rubinger de Queiroz, em Patos de Minas (MG)
Árbitro: Cleisson Veloso Pereira
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Magno Arantes Lira
Cartão amarelo: Posebon, Ramos, Carlos Magno, Alex Muricy e Follmann (URT); Lucas Cândido, Júnior Urso, Eduardo, Edcarlos e Pablo (Atlético)
Gol: Fabinho Alves (URT), aos 24 minutos do 2º tempo
MAIS GENTE NOVA NA DIRETORIA


O Cruzeiro tem novo diretor do departamento de negócios internacionais O ex-jogador do clube, entre o fim da década de 80 e início dos anos 90, Daniel Teixeira assumirá o cargo deixado por Pedro Moreira, que substituiu Benecy Queiroz como supervisor de futebol. Conheci Daniel em Nagoya, Japão, onde jogava no time local. Ele foi buscar o pessoal da Imprensa, no hotel, e mostrou toda a cidade mais bombardeada na Guerra; foi tão destruída que as duas cidades japonesas onde os americanos jogaram bombas atômicas, Hiroshima e Nagasaki. Moço culto e estudioso, fez sucesso no futebol japonês..
Daniel Teixeira foi atacante do Cruzeiro sob o comando de Ênio Andrade. Depois de deixar a Toca da Raposa, ainda jogou na Alemanha, no Japão e em Portugal. A carreira como jogador foi encerrada em 2007, no FC Union Berlin.

No mesmo clube em que “pendurou as chuteiras”, Daniel Teixeira exerceu funções ligadas à gerência de marketing. Entre aos anos de 2007 e 2010, cursou “Sportmanagement” na Studieninstitut Düsseldorf, também na Alemanha. Ele ainda conta com uma graduação em Administração de Empresas, no Brasil, e a licença B no Curso de Treinadores da UEFA, obtida através da Federação Alemã de Futebol.

BENECY GANHA EFEITO SUSPENSIVO

O Cruzeiro confirmou que o ex-supervisor de futebol Benecy Queiroz obteve efeito suspensivo da punição de 90 dias referente às declarações de “compra de arbitragem” na década de 1980. A partir desta terça-feira, Benecy volta a trabalhar no clube, mas na área administrativa. Pedro Moreira segue no cargo de supervisor.

O efeito suspensivo integral foi concedido pelo auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), José de Arruda Silveira Filho. A data para recurso da Procuradoria-Geral ainda não foi divulgada. Julgado em 27 de janeiro, Benecy Queiroz já cumpriu 25 dos 90 dias estabelecidos pelo STJD.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.