quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

GALO NÃO GOLEOU, MAS CHEGA AO APROVEITAMENTO 100% NO GRUPO 5 DA LIBERTADORES


O publico alvinegro que lotou o Estádio Independência pra assistir Atlético e Independiente Del Valle, do Equador, com certeza sentiu-se frustrado ou até mesmo roubado quando as emissoras anunciaram as escalações dos dois times: Robinho e Junior Urso estariam no banco de reservas, por decisão de última hora do técnico Diego Aguirre, que anunciou 48 horas do jogo que Robinho estrearia com a camisa 7 do Galo. O ex-santista, realmente, estreou porque a torcida começou a gritar seu nome. Ele e Urso entraram por volta dos 20m. Tremendo conto do vigário em cima da massa que já havia lotado o Independência. No lugar de Robinho, Aguirre escalou o cabeça de bagre Patrick.

PATRICK PROTEGIDO DE AGUIRRE

A Massa Alvinegra, ainda, teve uma esperança com o início esfuziante do Galo, triturando o Independiente e marcando 1 a 0, com três minutos, gol de Lucas Pratto que contou com a ajuda do goleiro Daniel Azcona que falhou no lance. A jogada começou pelo lado direito com Marcos Rocha recebendo um belo passe de Cazales, e quase da linha de fundo viu Pratto dentro da pequena área e cruzou na medida. O goleador argentino desviou pra cima de Azcona, que segurou, mas deixou a bola passar por baixo de seu corpo. O chute foi tão fraco, que a bola nem chegou ir ao fundo da meta. 

O massacre continuou e Luan chegou a fazer 2 a 0, aos 5m, porém o árbitro argentino Fernando Rapalini, ruim de apito que dói, anulou alegando falta de Pratto sobre o zagueiro Mina. A torcida, apesar do 1-7-1 que levou, cantava e incentivava a equipe. No gramado, o show era de Cazales, movimentando para os lados, recebendo e dando passes corretos.

Enquanto o Atlético mandava na partida e pressionava os equatorianos ele não chegavam no gol de Victor, que fez apenas duas defesas  difíceis.

Dos 20m até o final do primeiro tempo, Donizete, Luan, Rafael Carioca, Douglas Santos, ao contrário de Casales matavam os contra-ataques atleticanos com passes errados. Foi quando a torcida conjecturou a entrada de Robinho no lugar de Patrick que só corria e não acertava nada. Veio o segundo tempo, e o Galo voltou com a mesma formação.

Aos 8m, Pratto fez grande jogada pela direita e cruzou, porém Casales furou feio na casa do gol. O Independiente começava a gostar do jogo e já forçava os lados da defesa do Atlético.

Foi aí que Aguiire resolveu mudar, e errou em todas as mudanças. Na primeira colocou Robinhomo lugar de Casales e deixou Patrick em campo. Tome vaias. Aos 20m, resolveu mexer de novo. E o fez equivocadamente outra vez: colocou Junior Urso e tirou Donizete; seu erro aqui foi menor, porque Donizete, também, jogava mal.

Só que ele deixou Patrick e a torcida não gostou. Tome Vaias. Na sua última chance de ficar bem com a torcida, Aguirre tirou Luan e colocou Hyuri aos 30m.

E tome mais vaias: Patrick ficou e foi até ao final do jogo. O placar foi apertado 1 A 0, mas o Galo chegou a 100% de aproveitamento e no próximo jogo enfrentará o Colo Colo em Santiago. Se vencer, classifica-se como primeiro do Grupo 5.

BWA VAI AMPLIAR O INDEPENDÊNCIA

A BWA, empresa paulista que cuida do Independência, anunciou nesta quarta-feira que o projeto para expansão do Estádio Independência já foi aprovado pela Prefeitura e pelo Corpo de Bombeiros. Só falta a autorização do América, mas o presidente Alencar da Silveira Júnior gostou da ideia, porém reclamou dos dois meses de alugueis atrasados. Calcula-se com o Independência ganhará mais 8 mil lugares em arquibancadas montadas.

CLAYTON FALA SOBRE  SUA CARREIRA

Com apresentação no Atlético pra esta sexta-feira, Clayton se despediu do Figueirense. Em entrevista coletiva nesta quinta, em Florianópolis, o meia-atacante mostrou gratidão com o clube que o revelou e demonstrou grande felicidade pela transferência. Clayton ainda ressaltou que o Galo foi o primeiro a procurá-lo e disse da satisfação por poder atuar ao lado do ídolo Robinho.

Tivemos muitas reuniões, tenho que agradecer aos outros clubes que tentaram minha contratação, mas o Galo tinha a preferência. Foi o primeiro que veio ao Figueirense, que procurou meu empresário. Como eles são sérios, têm palavra, deram preferência ao Daniel (presidente do Galo). Chegaram nos valores que o Figueirense queria e é um clube que quero jogar
”, afirmou o jogador.

Tem elenco com excelentes jogadores, sou também grande fã do Robinho desde pequeno. Aprendi a gostar do futebol dele. Estou feliz de ir para o Atlético, os atacantes que têm, todos eles, os meias, zagueiros, é um grupo que sempre achei excelente com um padrão de jogo que sempre gostei”, revelou.
 

Contratado por 3 milhões de euros – o Atlético comprou 50% de seus direitos econômicos –, Clayton encontrará concorrência pesada em Belo Horizonte. Além de Robinho, o técnico Diego Aguirre tem Luan, Juan Cazares, Patric, Hyuri, Henrique, Pablo, Dátolo e Thiago Ribeiro para a posição. Em mensagem para torcida, durante a entrevista, o jovem, de 20 anos, prometeu buscar seu melhor para ganhar a posição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.