quarta-feira, 30 de março de 2016

BRASIL CAI PRA SÉTIMO LUGAR, ESTÁ LONGE DO G-4 DAS ELIMINATÓRIAS E CORRE RISCO DE NÃO IR À RUSSIA EM 18


É verdade que esta classificação geral pode mudar e o Brasil entrar no G-4 das Eliminatórias da Copa do Mundo na Rússia, em 2018, porém com Dunga no comando e o futebol pobre mostrado no empate de 2 a 2 com o Paraguai, em Assunção, não sairá do lugar, nem pra disputar a repescagem, que pela atual classificação seria disputada pela Colômbia, quinta colocada, com 10 pontos. O Brasil é o sexto, como nove.

O time brasileiro pelas convocações de Dunga e pelas escalações deixa muito a desejar. Por exemplo: na lateral esquerda a presença de Felipe Luiz incomoda, pois ele tem jogado muito mal. Dunga fez questão de não convocar Marcelo, do Real Madrid, e desagradou meio mundo, inclusive Zidane, treinador merengue. Sua justificação por essa burrice, ele deu na quinta-feira passada:

 Dunga disse que Rodrigo Lasmar, médico da seleção brasileira, mostraria depois dos jogos as mensagens que trocou com Marcelo sobre sua condição médica, e colocaria fim à polêmica sobre a não convocação do lateral-esquerdo do Real Madrid. O jogador ficou fora da convocação para as partidas contra Uruguai e Paraguai pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

A rodada dupla acabou, mas Lasmar não mostrou nada. Segundo ele, Dunga “se confundiu”, já que sua conversa com Marcelo foi por telefone, na véspera da convocação realizada no dia 3 de março. E que, naquela ocasião, o lateral nem sequer era relacionado há duas partidas, mas estava bem otimista com o retorno ao gramado bem antes de a Seleção se apresentar, o que ocorreu no último dia 22.

O Dunga se confundiu um pouco. Eu conversei com o Marcelo diretamente. Antes da convocação, o contato é muito mais detalhado do que em mensagens por WhatsApp. Na véspera, eu liguei para o jogador e perguntei em que condição ele se encontrava.

Havia dois jogos que ele não era nem relacionado por problema médico. Na recuperação da lesão no ombro, ele acabou sofrendo uma na panturrilha. Ele disse que estava se recuperando bem, que havia possibilidade de jogar no fim de semana, mas que na outra semana haveria jogo com o Roma e, se tudo corresse bem, ele jogaria.

Disse mais Rodrigo Lasmar : O critério de convocar ou não é do treinador, nosso trabalho é passar a condição em que ele se encontrava no momento da convocação.

E Rodrigo está certo. Depois de receber o diagnóstico de Marcelo, Dunga optou por não convocá-lo, e acabou criando polêmica ao justificar sua decisão pelos contatos entre departamento médico e Real Madri.

TRINCHEIRA: Esta é a Seleção de Dunga, cheia de problemas internos criados pelo próprio treinador, sistemático, grosseiro e desinformado.

EUROPA ESTRANHA TAMBÉM THIAGO SILVA FORA DA SELEÇÃO DE DUNGA

A mesma história de Marcelo prevalece no caso de Thiago Silva. O jornal italiano "Corriere dello Sport" apontou Thiago Silva como melhor zagueiro da história da seleção brasileira e isso demonstra como o jogador segue com moral elevada na Europa, principalmente nos países que estão no seu currículo, Itália (Milan) e França (PSG). Mas o defensor não conta com o mesmo prestígio com Dunga, por isso ficou fora das últimas convocações.

Se Thiago vai tão bem no futebol europeu, onde estão os melhores campeonatos do mundo, o que falta para ele voltar a ser chamado pelo técnico da Seleção?

 A explicação pra ausência do zagueiro não passa pela técnica. A dele é acima da média e fica ainda mais em evidência quando falham Miranda e David Luiz, os atuais titulares, como aconteceu no empate frustrante com o Uruguai pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, na semana passada. O problema de Thiago, na visão de Dunga e de muitos outros, é emocional.
Desde os tempos de Fluminense, onde era chamado de "Monstro". Thiago Silva é conhecido pela técnica, claro, mas também pela segurança e pela liderança. Com carreira sólida, chegou à Copa do Mundo no Brasil como capitão da seleção brasileira. 

Mas esses atributos passaram a ser questionados justamente na reta final da competição, quando chorou antes da disputa de pênaltis contra o Chile, pelas oitavas de final, e inclusive pediu a Luiz Felipe Scolari para ser a última opção de cobrador de todo o time, atrás até do goleiro Julio Cesar, por não se sentir confiante. Atitude mal vista para um capitão.

Mais à frente, com Thiago suspenso por acúmulo de cartões amarelos, o Brasil levou a histórica goleada de 7 a 1 da Alemanha na semifinal da Copa em casa. O zagueiro já disse certa vez que a eliminação não foi culpa dele pelo fato de não ter jogado esse duelo. Mas os acontecimentos do torneio acabaram causando certa depressão no então capitão, como já admitiu em entrevista.

A partir do momento em que eu achar que não tenho mais condições, vou ser o primeiro a pedir para não ser convocado. Até então, estou trabalhando para voltar e esse prêmio é uma prova disso"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.