segunda-feira, 21 de março de 2016

RAPOSA MANTÉM LIDERANÇA COM VITÓRIA SOBRE LEÃO, NUM CLÁSSICO DE FERAS NO MINEIRÃO


Cruzeiro e Villa Nova fizeram o maior clássico entre eles nos últimos  anos, cheio de gols e de emoções, além de confusão e expulsões no segundo tempo. Na primeira fase, apesar de não ter gols, o confronto foi quente à beça. Logo aos 5m, Rafael Silva, impedido, cabeceou livre e mandou na trave direita. A arbitragem ruim validou o lance. Instantes depois, o Leão do Bonfim exigiu do goleiro Fábio uma boa defesa num chute de Fábio Júnior.

TIME VETERANO E EXPERIENTE

O Villa, sob o comando de Wilson Gotardo, ex-jogador e capitão do Cruzeiro, montou uma equipe experiente onde se destacam Mancini, Fábio Júnior, Soares, todos com mais de 30 anos. Só Fábio tem 38. E mostraram resistência na fase final pra comandar o placar por duas vezes: Fábio Jr fez 1 a 0, no primeiro minuto e como ex-cruzeirense não comemorou.

Os celestes só foram empatar aos 23m com o zagueiro Manoel numa cobrança de escanteio. Mas cinco minutos depois, Mancini tabelou com Fábio e marcou 2 a 1, Villa Nova.  Não deu nem pra torcida vilanovense comemorar: dois minutos depois, Rafael Silva empatou de novo, impedido, numa forte cabeçada: 2 a 2. Aos 45m, em novo escanteio Bruno Rodrigo, agora de pé direito, fez o placar final de 3 a 2, pró Cruzeiro.

CONFUSÃO NO FINAL

BEM FEITO - Autor do segundo gol do Villa Nova
Mancini deixou o Mineirão, neste domingo, com poucas razões pra comemorar. O veterano der 35 anos, ex-Atlético, América e Roma, viu sua equipe ceder à virada do Cruzeiro e ainda foi expulso nos minutos finais. Protagonista de uma discussão com o preparador de goleiros do time celeste, Robertinho, ele “salvou” o técnico Deivid.

Mancini recebeu o cartão vermelho logo depois de Bruno Rodrigo marcar o gol da virada do Cruzeiro, por 3 a 2.

Mancini disse ser perseguido pelo árbitro Wanderson Alves de Souza, aspirante ao quadro da FIFA.

“O que houve foi uma má-fé do juiz. Quando levamos o terceiro gol, nem sei o nome dele, da comissão técnica... Cheguei lá e o cara começou a me provocar. Fui tirar satisfação com ele, saber o motivo daquilo, e o juiz me expulsou. Na verdade, o juiz é um cara que vem me prejudicando há muito tempo. Esse cara não tem condição nenhuma de apitar o Mineiro. É lamentável, porque o time lutou, jogou de igual para igual para o Cruzeiro. Vida que segue, ainda estamos no G-4”, disse Mancini
, em entrevista à rádio Itatiaia.

GALO ESQUENTA O CLÁSSICO DO PRÓXIMO DOMINGO.

O capitão do Villa Nova precisou intervir para que o comandante o Cruzeiro não fosse obrigado a deixar a partida.

Assim como mostrou o cartão vermelho para Mancini, o árbitro expulsou errado o técnico Deivid:
Isso mostra como a nossa arbitragem está. O juiz de fora não sabe com quem eu discuti. Ele acabou expulsando o Deivid. Mas a minha discussão não foi com Deivid. Foi pelo fato de esse preparador de goleiros do Cruzeiro, que não sei o nome, me insultar. Você vê como nossa arbitragem é mal preparada. Mas isso não tira o mérito do Cruzeiro. Infelizmente, tomamos o terceiro gol”, complementou.

Provocações

Mancini foi um dos protagonistas do jogo deste domingo. Depois de marcar o segundo gol do Villa Nova, ele comemorou com "esporadas no ar", em clara menção ao Galo, mascote do Atlético, clube que o revelou e arquirrival do Cruzeiro. O meia-atacante ainda fez outra provocação, ao fazer um "nove" com as mãos. O ex-atleticano se referia à maior goleada do principal clássico de Minas Gerais. Em 1927, o Galo derrotou a Raposa por 9 a 2.

O jogão de domingo, no Independência, promete muito, apesar dos desfalques importantes dos dois times: o Galo não terá Victor e Patric, lesionados; Erazo e Cazares, convocados pela Seleção do Equador para jogos das eliminatórias; Douglas Santos e Clayton, convocados pra amistosos da Seleção Olímpica. Pelo mesmo motivo, o Cruzeiro não terá Alisson.
Com seu time titular, o Atlético foi a Juiz de Fora e atropelou o Tupi por 3 a 0, com Robinho tornando-se o herói do jogo e artilheiro do Campeonato Mineiro. Marcou mais dois gols, o quinto em três jogos.  Robinho entrou no intervalo, mas 45 minutos foram suficientes para que ele marcasse dois gols na vitória do Atlético sobre o Tupi, por 3 a 0. Com os tentos anotados em Juiz de Fora, o camisa 7 do Galo se tornou o artilheiro do Campeonato Mineiro, isoladamente. Ele superou Fábio Júnior e Mancini, do Villa Nova, Osman, do América, e Ewerton Maradona, da Caldense, todos com quatro gols.

Quem abriu a contagem foi o argentino Lucas Pratto que voltou a jogar bem. Agora, Aguirre tem a semana toda pra arrumar uma equipe pra enfrentar seu arquirrival no terreiro do Galo, onde a equipe alvinegra dificilmente é derrotada. O Cruzeiro já está classificado pras semifinais com 20 pontos, mas o Atlético precisa de vencer pra passar na classificação geral o seu adversário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.