terça-feira, 26 de abril de 2016

COELHO SACA RAPOSA DO CAMINHO DAS FINAIS E PROVOCA DEMISSÃO DE DEIVID.

Alguns nomes pro lugar de Deivid já foram sondados.
O técnico Deivid já estava com o pescoço na forca e sua saúde no Cruzeiro dependia de resultado positivo diante do América. Deu negativo. O empate sem gols - 0 a 0 - motivou a diretoria correr com Deivid, fazendo média com a China Azul que não aguentava mais a inexperiência e a incompetência do técnico.

O treinador Abel Braga, consultado, não pode vir porque tem contrato vigente com um clube árabe e Jorginho, no Vasco, tá na lista, porém o presidente Eurico Miranda não pretende soltá-lo, ainda mais que seu time foi campeão carioca. E agora, Gilvan?

TRINCHEIRA: Sugiro Ney Franco, disponível na praça.


RICARDO GOMES NA LISTA


A diretoria do Cruzeiro descartou nas últimas horas, depois de vários contatos, a possibilidade de contratar Abel Braga para o lugar de Deivid. Uma das opções, o ex-técnico do Al Jazira tem contrato nos Emirados Árabes até julho e uma questão de “domicílio fiscal”, quando temporariamente declara impostos naquele país, impede que ele tenha renda no Brasil nesse período. Assim, Jorginho segue como preferido para assumir o comando do Cruzeiro.

Conforme apurou o Superesportes, a cúpula do clube celeste aguarda para as próximas 48 horas uma sinalização do técnico do Vasco de ouvir uma proposta e está disposta a aguardar as duas semanas para o fim do Campeonato Carioca. O clima é de otimismo na Toca da Raposa II. Ex-atleta do Cruzeiro e auxiliar de Joginho no cruz-maltino, Zinho poderá ter papel preponderante na mudança.

Do Rio de Janeiro também vem mais uma opção. Nas últimas horas, o nome de Ricardo Gomes ganhou adeptos entre os dirigentes celestes. O comandante do Botafogo, no entanto, também está na final do Campeonato Carioca e não aceitaria uma transferência antes da decisão do Estadual.

Se concretizar o acerto com Jorginho ou Ricardo Gomes, a diretoria do Cruzeiro já decidiu que Geraldo Delamore, auxiliar técnico fixo do clube, comandará o time no jogo decisivo pela Copa do Brasil, diante do Campinense, no próximo dia 4, no Mineirão. Ele também será o responsável pelos treinamentos até a contratação de um novo treinador.


Marcelo em stand by

Conforme noticiou a reportagem nesse domingo, Marcelo Oliveira também é visto como uma opção, mas sofre resistência de alas importantes no Cruzeiro. Além disso, há grande rejeição ao nome de Juvenilson de Souza, preparador físico de sua comissão técnica. Contudo, teria a negociação mais simples, já que está disponível no mercado e tem aprovação de grande parte da torcida pelas recentes conquistas em Belo Horizonte – os Brasileirões de 2013 e 2014.

Depois de oficializar a saída do técnico Deivid, a diretoria do Cruzeiro convocou entrevista coletiva para a tarde desta segunda-feira, na Toca da Raposa II, mas não deverá apresentar novidades em relação às negociações. Como de praxe, o clube não comenta suas movimentações no mercado.

NOMES DA LISTA AZUL

Quem deve ser o técnico do Cruzeiro na sequência da temporada?
Abel Braga
Adilson Batista
Falcão
Jorge Sampaoli
Jorginho
Marcelo Oliveira
Ney Franco
Renato Gaúcho
Ricardo Gomes

DUNGA CRITICA TROCA DE TREINADORES
O técnico da seleção brasileira, Dunga, criticou nesta segunda-feira as constantes mudanças de treinador no futebol do País e defendeu seu trabalho à frente da equipe nacional. Falando a um público formado principalmente por treinadores e dirigentes de federações do País, Dunga afirmou que a cultura da mudança não pode se restringir ao campo de jogo e foi taxativo: "Nós não queremos ter razão, nós queremos ganhar".

O treinador foi o primeiro a palestrar no evento "Somos Futebol - Semana de Evolução do Futebol Brasileiro", que está sendo realizado na sede da CBF. Dunga falou por cerca de trinta minutos, período em que apresentou o trabalho que vem sendo desenvolvido na entidade e, principalmente, à frente da seleção.

Pressionado pela campanha ruim do Brasil nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2018 - a seleção é apenas a sexta colocada, com nove pontos em seis rodadas -, o técnico fez um paralelo com a fase de classificação ao Mundial de 2010, quando ele também comandou o Brasil. Dunga lembrou
que, daquela vez, o Brasil chegou à sexta rodada com a mesma pontuação de agora. Na ocasião, o time brasileiro acabou se classificando em primeiro.

"A gente gosta de mudar de treinador, mas cadê nossas convicções?", questionou o técnico. "Todo mundo quer mudança, mas só falam de mudança dentro de campo. Todo mundo tem que mudar."

Para ele, a pressão da tabela pode ter um lado positivo. "Você forma um grupo vencedor nas dificuldades. Ele fica cascudo", defendeu, apontando ainda para a falta de experiência do grupo. Segundo Dunga, dos 35 jogadores que já foram convocados para os jogos das Eliminatórias, apenas Daniel Alves, Miranda e Filipe Luís já estiveram em campo por essa fase de classificação anteriormente. "Solução pra hoje não tem. Parece que nós sempre nos classificamos (para a Copa) com facilidade, e não foi assim. Nossas classificações sempre foram com dificuldades."
DEIVID IMPROVISA MUITO

Além da obrigação de vencer por dois ou mais gols de diferença, o Cruzeiro teve de lidar com problemas para definir sua escalação. Com Mayke e Fabiano lesionados, Deivid optou por improvisar o volante Henrique na lateral direita.

O treinador também não pôde contar com o zagueiro Leo e o volante Lucas Romero, que sentiram uma indisposição após o retorno de Campina Grande, onde a equipe empatou com o Campinense, na estreia da Copa do Brasil. Assim, Bruno Viana e Federico Gino foram titulares.

Deivid mudou também a estrutura tática da equipe e optou por formação mais ofensiva. Escalados nas pontas, Elber e Alisson foram os principais responsáveis pelos ataques do Cruzeiro no primeiro tempo. O time celeste dominou a posse de bola, mas de forma infrutífera.

Numa das poucas oportunidades para balançar as redes, Bruno Rodrigo aproveitou cobrança de falta e marcou de cabeça. Porém, um impedimento mal marcado anulou o gol cruzeirense. Ineficiente na tentativa de levar perigo ao América, o Cruzeiro obrigou o goleiro João Ricardo a apenas uma defesa na etapa inicial, aos 38 minutos, em chute de longe de Fabrício.

No segundo tempo, o América se fechou ainda mais, com a entrada do volante Ernandes na vaga do meia Rafael Bastos, que se lesionou. Já o Cruzeiro buscou ainda mais o ataque. Deivid substituiu o volante Ariel Cabral pelo atacante Rafael Silva.

A improdutividade cruzeirense não mudou mesmo com as mudanças de Deivid. E a má atuação do Cruzeiro gerou impaciência da torcida, que ofendeu o treinador e o presidente Gilvan de Pinho Tavares.

O primeiro lance de grande perigo no segundo tempo aconteceu apenas aos 36 minutos, quando Fabrício acertou a trave. No fim, o time celeste ainda manteve a pressão, mas não conseguiu superar a defesa do América, que passou ilesa nos dois jogos da semifinal.


GALO JÁ NA ARGENTINA PRA PEGAR UMA PEDREIRA HOJE

O Atlético tem pedreira pela frente no caminho do bicampeonato da Copa Libertadores: dois jogos contra o tradicional Racing de Buenos Aires, um dos times de maior torcida na Argentina. Por isso, apoiado na força da torcida e num ataque bem ofensivo, o Racing põe à prova a força do Galo em dois confrontos decisivos, que valem vaga nas quartas de final da competição sul-americana. O primeiro duelo já é nesta quarta-feira, 27, às sete e meia da noite, na Argentina. O jogo de volta está marcado pra Belo Horizonte, no dia 4 de maio, às nove e quarenta e cinco da noite.

TRINCHEIRA: Minha bola de Cristal que aponta o Galo como campeão mineiro de 2016, não quis brilhar, ainda, quanto a participação dos atleticanos na Libertadores, atrás do bi. Também pudera, o time deste ano não oferece grandes expectativas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.