sexta-feira, 22 de abril de 2016

GALO PEGA URT NESTE SÁBADO




Neste sábado, o Galo joga contra a URT de Patos de Minas por uma vaga nas finais do Campeonato Mineiro. Empatou a primeira partida lá e este filho de dona Geralda não tem a dúvida de que goleará a URT na segunda partida deste sábado. Também o Atlético conheceu na noite desta quinta-feira o seu adversário nas oitavas de final da Copa Libertadores. Como era esperado desde que ficou definida a quarta posição geral, o Galo enfrentará o Racing, da Argentina, na próxima fase da competição 
continental. A vitória do River Plate sobre o Trujillanos, por 4 a 3, confirmou o clube de Avellaneda como rival do Alvinegro.


TRINCHEIRA: O primeiro jogo do Galo nas oitavas de final acontecerá no próximo dia 27, no Estádio Juan Domingo Perón, em Avellaneda. A partida ainda não tem horário definido, porém será uma pedreira. Se repetir as últimas atuações o time de Diego Aguirre terá uma grande surpresa.
Com os resultados desta quinta-feira, os dois últimos classificados às oitavas foram definidos. No Grupo 1, River Plate e São Paulo avançaram. O Tricolor enfrentará o Toluca nas oitavas de final.

OUTROS BRASILEIROS
Os outros brasileiros nas oitavas de final são Corinthians e Grêmio. O time paulista, terceiro melhor da primeira fase, enfrentará o Nacional, do Uruguai, decidindo a vaga em Itaquera. Já o time gaúcho jogará a primeira partida contra o Rosário Central, da Argentina, em casa. O Palmeiras é o único time do país a cair na primeira fase.

As oitavas de final reservam dois confrontos que aconteceram na fase de grupos. Melhor geral da primeira fase, o Atlético Nacional, da Colômbia, volta a enfrentar o Huracán, da Argentina. No Grupo 4, os colombianos venceram por 2 a 0 fora de casa e ficaram no empate sem gols em casa. 

Já o segundo melhor primeiro da Libertadores também voltará a enfrentar um rival da fase de grupos. O Pumas, do México, voltará a jogar contra o Deportivo Táchira, da Venezuela. No duelo que aconteceu na Venezuela, vitória dos donos da casa por 2 a 0. No jogo realizado no México, goleada dos mandantes por 4 a 1.

Se avançar para as quartas de final, o Atlético enfrentará o vencedor de Toluca, do México, e São Paulo. O primeiro jogo acontece no Morumbi e a partida de volta no Estádio Nemesio Diez.

OS CONFRONTOS DAS OITAVAS DE FINAL DA COPA LIBERTADORES

Atlético Nacional (melhor 1º) x Huracán (pior 2º)
Pumas (2º melhor 1º) x Deportivo Táchira (2º pior 2º)
Corinthians (3º melhor 1º) x Nacional (3º pior 2º)
Atlético (4º melhor 1º) x Racing (4º pior 2º)
Toluca (4º pior 1º) x São Paulo (4 melhor 2º)
Boca Juniors (3º pior 1º) x Cerro Porteño (3º melhor 2º)
River Plate (2º pior 1º) x Independiente del Valle (2º melhor 2º)
Rosário Central (pior 1º) x Grêmio (melhor 2º)

EMPATE DO CRUZEIRO FAZ DEIVID BALANÇAR DE NOVO

Em sua estreia na Copa do Brasil, o Cruzeiro não passou de um empate, por 0 a 0, com time misto do Campinense. Na avaliação do goleiro Fábio, a equipe paraibana criou dificuldades para os mineiros a partir do momento em que poupou titulares.


A gente veio preparado. Jogar sem responsabilidade é muito mais fácil. A equipe do Campinense estava toda atrás, e a gente teve de sobressair em cima dessa dificuldade. Chamando a responsabilidade do jogo, isso é mais difícil”, analisou o capitão cruzeirense.

Embora possa parecer contraditório, Fábio apontou evolução do Cruzeiro quando o zagueiro Leo foi expulso. “Quando perdemos um jogador, o Campinense acreditou no jogo e nos deu mais oportunidade de jogar, tanto que tivemos três oportunidades. Por pouco, não tivemos um resultado melhor”, acrescentou.

Com empate por 0 a 0, o Cruzeiro é obrigado a vencer a partida de volta, no Mineirão, em 4 de maio. Um novo empate sem gols levará a decisão para disputa de pênaltis. Qualquer outra igualdade dá a vaga à equipe paraibana.

NO MINEIRÃO SERÁ DIFERENTE

Fábio crê que a equipe celeste poderá melhorar o rendimento quando jogar com time completo. “Em Minas, são 11 contra 11. Sabemos da dificuldade quie teremos mesmo no Mineirão. Temos de condições de fazer jogo melhor com 11 jogadores e buscar o resultado”, disse.

Hoje se tornou mais difícil por o Campinense jogar sem responsabilidade. Colocaram uma equipe mista e jogaram no erro contra o Cruzeiro. Tivemos muita dificuldade no primeiro tempo. Quando achamos que o jogo poderia se tornar mais difícil, com a perda do Leo, o jogo se tornou melhor para nossa equipe. O Campinense saiu para o jogo, tivemos mais espaços e chegamos três vezes”, complementou.

FRUSTRAÇÃO TOTAL


O Cruzeiro frustrou todas as expectativas de quem esperava supremacia do tetracampeão da Copa do Brasil diante do time misto do modesto Campinense, finalista da Copa do Nordeste, mas que nem sequer tem vaga garantida na Série D do Campeonato Brasileiro em 2016. Na noite desta quarta-feira, no estádio Amigão, em Campina Grande, o que se viu foi um time descompactado e sem inspiração no empate por 0 a 0, na Paraíba, em partida válida pela primeira fase da competição nacional. 
Como não conseguiu alcançar os dois gols de diferença no placar, o Cruzeiro receberá o Campinense em Belo Horizonte. O jogo de volta da primeira fase da Copa do Brasil estava marcado para o dia 27 de abril, mas em função da final da Copa do Nordeste acabou adiado para 4 de maio, no Mineirão. 
Com 'população' estrangeira menor nesta quarta-feira, já que o técnico Deivid optou por Fabrício e Elber nas vagas de Sánchez Miño e Arrascaeta, o Cruzeiro não mostrou a supremacia que era esperada desde os minutos iniciais diante do modesto Campinense, que optou por escalar equipe mista. Embora com mais posse de bola, o clube celeste se mostrou pouco incisivo e chegou a tomar um susto aos 14’, quando Fábio precisou intervir em cobrança de escanteio do adversário.

Descompactado enquanto atacava e sentindo falta de criatividade no meio-campo, o Cruzeiro não conseguia carregar a bola até a área do adversário e muito menos mostrou capacidade de finalizar ao gol do Campinense com qualidade – foram apenas cinco chutes, mas sem qualquer perigo à meta de Gledson. No fim da primeira etapa, foi o time dono da casa que voltou a assustar. Aos 44’, Magno bateu de longe e acertou a trave de Fábio.

Ciente de que poderia conquistar um bom resultado mesmo com time misto no Amigão, o técnico Francisco Diá optou por qualificar a equipe um pouco mais e colocou o meia Roger Gaúcho na volta do intervalo. E logo o Campinense protagonizou mais um lance importante. No primeiro minuto da segunda etapa, Leo falhou e, na recuperação, acabou fazendo falta em Adalgiso Pitbull. Como era último homem, o zagueiro foi expulso pelo árbitro Flávio Rodrigues.

Com um jogador a mais no campo de jogo, o Campinense passou a marcar pressão e foi para cima do Cruzeiro, se abrindo um pouco no setor defensivo. Aos 6’, Roger Gaúcho cruzou na cabeça de Pitbull, que levou muito perigo ao gol de Fábio. Esperto no contra-ataque, Elber arrancou no lance seguinte, penetrou na área, mas errou a finalização. Aos 19’, em nova saída rápida, Alisson deixou Romero na cara do gol, mas o volante, livre de marcação, desperdiçou a chance.

Embora com um jogador a menos, o Cruzeiro teve suas melhores oportunidades na segunda etapa do jogo. Elber, que praticamente não pegou na bola nos primeiros 45 minutos, buscou o jogo e, ao lado de Alisson, promoveu mais alguns lances de perigo. Mas a inspiração chegou tarde demais e o placar acabou mesmo registrando o 0 a 0.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.