terça-feira, 5 de abril de 2016

GARANTIDO NA OUTRA FASE DA LIBERTADORES, GALO JOGA PELA PRIMEIRA VEZ NO EQUADOR


( Superesportes) Galo contra o Independiente del Valle, nesta quarta-feira, no horário global, após o último beijo da novela das 9h, Velho Chico, no Estádio Rumiñahui, em Sangolqui. Em sua oitava participação na competição, o Galo finalmente jogará no Equador, único destino ainda não visitado por nenhuma delegação alvinegra na história do torneio mais importante do continente. 
A primeira viagem internacional do Galo na Libertadores foi em 1972, ano da estreia do time na competição,  comandado por Telê Santana foi ao Paraguai e empatou por 2 a 2 com o Olímpia. Na ocasião, o Alvinegro teve cinco jogadores expulsos (Ronaldo, Grapete, Dadá Maravilha, Lola e Oldair) e o jogo foi encerrado por não ter o número mínimo de atletas em campo. O clube acabou ficando sem o ponto do resultado.
Com seis partidas, incluindo uma decisão contra o mesmo Olímpia, o Paraguai foi o mais visitado pelo Atlético na história na Copa Libertadores. Logo após, vem Chile, com cinco jogos, Argentina, com quatro, e Colômbia, com três. Em todos estes jogos, eu estive, ao vivo, pelo menos em dois deles, em cada País.

Além do Equador, o Atlético teve outra visita inédita na Copa Libertadores deste ano. Na primeira rodada, realizada no dia 17 de fevereiro, o Galo foi até Arequipa, no Peru, e venceu o Melgar por 2 a 1, de virada, gols de Rafael Carioca e Patric.

PELA PRIMEIRA VITÓRIA NO EQUADOR

O Atlético não jogou no Equador pela Libertadores, mas já esteve em duas oportunidades no país e o resultado não foi o esperado. Foram duas derrotas, contra El Nacional e LDU, ambas em Quito. Contra o Del Valle, será a busca pelo primeiro triunfo em solo equatoriano.


TRINCHEIRA: Este filho de dona Geralda e Sodico esteve, uma vez, no Estádio Olímpico Atahualpa, em 1976, com o Cruzeiro, naquele ano campeão da Libertadores, que venceu a LDU por 3 a 1 e Joãozinho deu um show de bola na altitude.   

A primeira visita alvinegra aconteceu no dia 2 de setembro de 1992, no estádio Olímpico Atahualpa, pela Copa Conmebol. O Galo foi derrotado por 2 a 0 pelo El Nacional. Já no dia 6 de março de 1997, no mesmo local, o Atlético enfrentou a LDU e perdeu por 3 a 1 em jogo amistoso. O único gol no Equador foi marcado pelo atacante Nilo, revelado pela base do clube.

JOGOS DO GALO NA LIBERTADORES

Jogos no Paraguai: 6 (1 vitória, 3 empates e duas derrotas)

1972 - Olímpia 2 x 2 Atlético
1972 - Cerro Porteño 1 x 0 Atlético
1981 - Olímpia 0 x 0 Atlético
1981 - Cerro Porteño 0 x 1 Atlético
2013 - Olímpia 2 x 0 Atlético
2014 - Nacional 2 x 2 Atlético

Jogos no Chile: 5 (1 vitória, 2 empates e 2 derrotas)

1978 - Union Española 1 x 1 Atlético
1978 - Palestino 4 x 5 Atlético
2000 - Cobreloa 1 x 0 Atlético
2015 - Colo Colo 2 x 0 Atlético
2016 - Colo Colo 0 x 0 Atlético

Jogos na Argentina: 4 (1 vitória e 3 derrotas)

1978 - River Plate 1 x 0 Atlético
1978 - Boca Juniors 3 x 1 Atlético
2013 - Arsenal de Sarandi 2 x 5 Atlético
2013 - Newell's Old Boys 2 x 0 Atlético

Jogos na Colômbia: 3 (1 vitória, 1 empate e 1 derrota)

2014 - Santa Fé 1 x 1 Atlético
2014 - Atlético Nacional 1 x 0 Atlético
2015 - Santa Fé 0 x 1 Atlético

Jogos na Bolívia: 2 (1 vitória e 1 derrota)

2000 - Bolivar 4 x 0 Atlético
2013 - The Strongest 1 x 2 Atlético

Jogos no México: 2 (2 derrotas)

2013 - Tijuana 2 x 2 Atlético
2015 - Atlas 1 x 0 Atlético



Jogos no Uruguai: 1 (1 derrota)

2000 - Bella Vista 1 x 0 Atlético

Jogos na Venezuela: 1 (1 vitória)

2014 - Zamora 0 x 1 Atlético

Jogos no Peru: 1 (1 vitória)


2016 - Melgar 1 x 2 Atlético

MANDA LOGO PRA FORA
Os cartolas do Tricordiano, time de Três Corações, a simpática cidade do sul de Minas, terra natal de Nina Abreu, assessora de Imprensa da FMF, e de seu irmão, não menos simpático, Renato, amigo de meu primogênito Alexandre, o professor Santelmo, estão despreparado pra participarem da Divisão de Elite do futebol mineiro, conforme mostra esta reportagem do Superesportes e que transcrevo abaixo;

-"O Tricordiano voltou a protagonizar um episódio polêmico no Campeonato Mineiro. Depois de colocar em xeque a credibilidade do torneio, o presidente do clube de Três Corações, Gustavo Vinagre, voltou a atacar a arbitragem. Desta vez, porém, em tom muito mais agressivo. Derrotado no jogo diante do Tupi, nesse sábado, o dirigente invadiu o gramado para cobrar o árbitro Gabriel Murta Barbosa Maciel, que relatou graves ameaças na súmula da partida.

“Você acha que vai vim(sic) aqui e fazer resultado? Eu vou te matar! Eu sou bandido! Vou encher seu carro de bala! Você não sai daqui hoje! Você veio fazer resultado para a Federação. Você conseguiu tudo que você queria seu safado, ladrão!”, teria dito o presidente do Tricordiano, de acordo com relato do árbitro. Além de Vinagre, o supervisor de futebol do clube, Rachid Neto, teria tentado a intimidação. “Babaquice isso tudo! Vai tomar no c* seu safado, ladrão! Fazedor de resultado!”, relatou o árbitro.

A súmula do confronto pelo Campeonato Mineiro é tomada por observações do trio de arbitragem. Em dado momento, Gabriel Murta Barbosa disse que precisou ser protegido por quatro milicianos, além da Polícia Militar, pois corria sério risco com a fragilidade na segurança do vestiário da arbitragem. 

“O vestiário ficou cercado por dezenas de policiais militares e ainda com a presença de quatro milicianos em seu interior junto de nós, a fim de se evitar qualquer problema maior do que os causados pelo presidente do clube, ou até mesmo pelas pessoas que este estava incitando contra nós e também os funcionários da Federação Mineira de Futebol”, relatou.

Expulsões inusitadas

Além dos registros contra Vinagre e diretoria do Tricordiano, o árbitro da partida também contou sobre indisciplinas cometidas por um gandula do jogo e até pelo maqueiro do Estádio Municipal Elias Arbex. “Aos 41 minutos do segundo tempo, excluí o gandula (...) proferindo os seguintes dizeres: ‘Pau no c*, filho da p***! Vamos te pegar depois. Vai se fu***, ladrão, safado!”, relata Gabriel Barbosa.

“Aos 43 minutos do segundo tempo, excluí o maqueiro (...). Quando estava retirando o atleta nº 08 da equipe do Tupi, para ser atendido pelo médico, o fazia sem nenhum cuidado, saindo apressadamente do campo de jogo e quando o jogador pediu a ele que fosse mais devagar o mesmo o retrucou tendo dirigindo-se ao atleta de maneira desrespeitosa, dizendo: ‘Não enche meu saco, vai tomar no seu c*, babaca!’. Momento este em que eu me aproximei e pedi calma ao mesmo e ele me ofendeu dizendo: ‘Vai a m****, babaca! Você é ladrão, filho da p***! Veio pra fazer resultado. Era pra ter dado pênalti aquela hora”.

Zagueiro e capitão do Tricordiano, Paulo Henrique da Costa também foi expulso após a partida por tentar agredir ao árbitro, segundo a súmula da partida. Segundo o árbitro, o defensor também o acusou de tentar "fazer o resultado para eles". "Informo ainda que o atleta estava muito alterado e que só não nos agrediu fisicamente por conta da ação da PM", completou Gabriel.

FMF lamenta

O presidente da comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol, Giuliano Bozzano, lamentou profundamente o episódio e as acusações feitas pelos dirigentes do Tricordiano.

“Ainda não parei para pensar sobre isso (medidas que a Federação poderá tomar). Qualquer ilação, qualquer posição de alguém que fale nesses termos, com esse peso de acusação, são muito graves. Lamento pelo episódio e refuto. A Federação vem fazendo um trabalho sério. Vamos aguardar a posição que pode ser tomada, aguardar mais informações”, ponderou.
Gustavo Vinagre e Rachid Neto, citados pelo árbitro Gabriel Murta Barbosa,não foram encontrados pela reportagem.


TRINCHEIRA: Uma sugestão ao jovem presidente da FMF, Castellar Neto, cuja atuação já tem merecido os maiores elogios: elimine o Tricordiano, porque Três Corações, time de tanta tradição no futebol mineiro, não merece cartolas desta estirpe. Fora com eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.