segunda-feira, 2 de maio de 2016

IMPRENSA ARGENTINA ANALISA DERROTA DO GALO


"Bou deverá ir no banco - o 'Pantera' - recebeu alta e já trabalha com o grupo depois de se recuperar de lesão. Porém, obviamente não tem ritmo pra uma partida que exige tanto, por isso irá no banco"

Depois da derrota por 2 a 1 para o América no último domingo, no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro, o Atlético agora virou a chave e passou a focar a partida de volta das oitavas de final da Libertadores, contra o Racing, às 21h45 desta quarta-feira.

Porém, a derrota alvinegra repercute na imprensa argentina. O portal do diário esportivo Olé, traz uma nota sobre a derrota atleticana para o América, destacando que o Atlético mais uma vez parou em campo, caindo diante do "humilde" América, o que teria deixado o Racing satisfeito.

O jornal mostrou também que a atenção do Racing já está voltada para a partida contra o Galo. O time comandado pelo técnico Facundo Sava foi a campo nesse fim de semana contra o Huracán, pela 13ª rodada do Campeonato Argentino, com apenas dois dos titulares que enfrentaram o Atlético na última semana, no El Cilindro.

O comandante argentino poupou o restante dos jogadores visando o confronto contra o Atlético no meio da semana. O Racing ainda teve dois jogadores expulsos durante a partida: o atacante colombiano Roger Martínez e o zagueiro Yonoathan Cabral. Mas apesar do time reserva e duas expulsões, os comandados de Facundo Sava bateram o Huracán por 1 a 0, com gol de Martínez.

Para o confronto desta quarta-feira, Sava conta com um retorno importante. O artilheiro da última Libertadores, Gustavo Bou, está recuperado da lesão no posterior da coxa esquerda e já treina normalmente com o restante do grupo. Porém, sem ritmo de jogo, deverá começar a partida no banco. De acordo com o portal Olé, Facundo Sava escalará os mesmos 11 que iniciaram a partida no El Cilindro.

AGUIRRE APRESENTA JUSTIFICATIVA




Técnicos de futebol têm uma criatividade incrível pra justificar as derrotas de suas equipes. Diego Aguirre, do Atlético (foto), por exemplo, desaprovou a postura do time na derrota, por 2 a 1, pro América, na primeira partida da decisão do Campeonato Mineiro, neste domingo, no Independência, e na análise depois do jogo, saiu com esta desculpa: o Galo não teve espírito de final e que, ainda, estava com a cabeça na Copa Libertadores, torneio no qual volta a campo nesta quarta-feira, contra o Racing, pelas oitavas de final.

Que Diabo é isso? A Libertadores é uma competição das mais importantes do mundo e disputá-la honra qualquer clube do mundo; bem maior que o Campeonato Mineiro, esconjurado junto dos demais estaduais como os maiores prejudicadores das  pré-temporadas e do calendário nacional. Então, como está classificado nas oitavas de final e joga nesta quarta-feira, no Independência, contra o Racing de Buenos Aires precisando vencer, porque não os jogadores estarem já com a cabeça na Libertadores e longe do Mineiro.

Tem mais, ainda: "façam o que falo, mas não façam o que faço",

Estabelece a filosofia de trabalho de Aguirre. Contra o América, de cabeça na Libertadores desta quarta-feira, Aguirre poupou vários titulares importantes, sob alegação da importância de uma e de outra competição. Escalou Clayton no lugar de Pratto, goleador que melhorou no final o placar até então desfavorável ao Atlético e complicadíssimo pra classificação, ao meter o gol de honra estabelecendo 2 a 1 no placar final do jogo. Deixou de fora, também, Cazares pra escalar Patrick há 45 dias sem jogar, lesionado.

“Nós falamos muito de entrar com espírito de final, mas, lamentavelmente, não nos desligamos do jogo da Libertadores. Não jogamos bem, não tivemos correção como time. No intervalo, nós falamos que eles estavam jogando uma final e a gente estava jogando um jogo normal. Mas é a entrega do segundo tempo que o Atlético tem que ter. Acho que foi merecido pelo menos fazer um gol, e ficamos a um gol de conquistar o título
”, disse Aguirre.

PACOTE NÃO TOPA VOLTAR À TOCA


O vice-presidente do Cruzeiro, Bruno Vicintin, revelou que tentou a contratação de Marcelo Oliveira para assumir o comando técnico no lugar de Deivid, demitido há mias de uma semana. O treinador bicampeão brasileiro pelo clube celeste, no entanto, recusou a oferta, pois deseja trabalhar fora do Brasil. Em entrevista coletiva de imprensa para apresentação de Robinho e Lucas,(foto) nesta segunda-feira, na Toca da Raposa II, o dirigente ainda exaltou o bom relacionamento com o treinador e deixou as portas abertas para o retorno futuramente. 

Em meio a negociações do Cruzeiro pra contratação de novo treinador, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, criticou as investidas do clube celeste por Jorginho. O mandatário da equipe carioca afirmou que a diretoria da Raposa faltou com ética nas tratativas e que espera que o técnico permaneça no Rio de Janeiro.


Jorginho é o preferido da diretoria da Raposa para assumir o clube até o final da temporada. Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, o comandante vascaíno desconversou sobre o interesse do Cruzeiro e preferiu focar suas respostas na decisão do Campeonato Carioca contra o Botafogo, marcada para este domingo, às 16h, no Maracanã.

Questionado novamente sobre o seu futuro, o treinador se irritou com os jornalistas: "Eu acabei de falar agora que eu não gostaria de falar sobre isso. Com todo respeito a vocês, não quero falar sobre isso. É um direito que eu tenho. Não quero mudar o foco. Estamos em uma final contra o Botafogo, que é uma grande equipe, e preciso me concentrar nisso".

Além de Jorginho, a diretoria do Cruzeiro admitiu ter uma lista com outros nomes estudados para sucederem o técnico Deivid. Entre eles, o técnico do Botafogo Ricardo Gomes e Ney Franco o primeiro das fotos abaixo:
- Ricardo descartou deixar o clube carioca em 2016 - e Reinaldo Rueda, treinador do Atlético Nacional, que comentou sua situação no clube colombiano em entrevista exclusiva ao Superesportes.



Ricardo Gomes se nega a deixar o Botafogo este ano, que o Cruzeiro procure outro nome.




NOMES NUMA LISTA

"O Cruzeiro estuda uma lista de nomes. Esses três nomes (Jorginho, Ricardo Gomes e Reinaldo Rueda) são interessantes, mas a relação tem outras opções. São nomes que estão empregados no Brasil e no exterior. O problema é que estão colocando o Jorginho como fechado, como único nome, e isso não é verdade. Estamos estudando ainda, até porque não são operações fáceis, muitos dos pretendidos estão empregados”, afirmou Bruno Vicintin, vice-presidente de futebol do Cruzeiro, em contato com a reportagem.

Enquanto o novo treinador não é definido, o auxiliar técnico Geraldo Delamore comanda o time do Cruzeiro. O próximo compromisso da equipe será no Mineirão contra o Campinense, na próxima quinta-feira, às 21h30, pela partida de volta da primeira fase da Copa do Brasil.

RUEDA É OPÇÃO

O técnico colombiano Reinaldo Rueda, de 59 anos, é atualmente uma referência na América Latina. Depois de dois trabalhos de quatro anos à frente das seleções de Honduras e do Equador, ambos premiados com vagas nas Copas do Mundo de 2010 e 2014, ele assumiu o Atlético Nacional de Medellín em junho de 2015, sucedendo Juan Carlos Osório, com a missão de devolver ao clube o seu DNA de futebol técnico e vistoso.

Em menos de um ano, apresenta bons resultados. Em dezembro, foi campeão colombiano. Nesta edição da Copa Libertadores, o Nacional foi o melhor na fase de grupos, com cinco vitórias, um empate, 12 gols pró e nenhum contra. Já são sete jogos sem ser vazado.
Com trabalho de quatro anos, entre 2006 e 2010, Rueda levou Honduras a uma Copa após 28 anos

A consistência defensiva do Nacional é a prova de que Reinaldo Rueda alia responsabilidade com agressividade e qualidade técnica. Em entrevista recente ao jornal Zero Hora, de Porto Alegre, ele disse que uma de suas ambições no comando do clube é dar “espetáculo para a torcida”, mas com foco nos títulos. Para se reciclar, ele viaja ao menos uma vez por ano à Inglaterra e à Alemanha, onde estudou para ser técnico de futebol.

Por ter esse perfil, Rueda é uma alternativa no Cruzeiro caso Jorginho, do Vasco, e outros técnicos nacionais recusem o convite para substituir Deivid. O nome dele faz parte de uma lista de profissionais que podem ser consultados.

No começo do ano, a diretoria manifestou o desejo de implantar na Toca uma filosofia de jogo baseada em características históricas do clube, como toque de bola e ofensividade. É exatamente isso que Reinaldo faz hoje no Atlético Nacional de Medellín.

"Considero excelente esse projeto do Cruzeiro. É a filosofia com a qual trabalho no Atlético Nacional. Minha ideia sobre estilo de jogo é muito parecida ao que pratica o Atlético Nacional atualmente”,
disse Reinaldo Rueda.


TRINCHEIRA - Rueda já demonstra falta de conhecimento do futebol tupiniquim. Que projeto o Cruzeiro tem?

Apesar dos elogios, fazer Rueda deixar o Atlético Nacional em plena disputa da Copa Libertadores é outra história. Levantar essa taça é sua obsessão. E depois do empate por 0 a 0 com o Huracán, na Argentina, na partida de ida das oitavas de final, é improvável que o time colombiano seja eliminado em Medellín, na próxima terça-feira. 
Entre 2010 e 2014, colombiano comandou Equador e colocou o selecionado na Copa do Brasil
Segundo Reinaldo Rueda, o Cruzeiro ainda não fez nenhuma consulta. “Prefiro não especular. Costumo falar apenas quando recebo propostas oficiais dos clubes. Só nessa situação poderia considerar essa possibilidade (de deixar o Atlético Nacional)”. O contrato do técnico com o clube colombiano vai até dezembro



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.