quarta-feira, 17 de agosto de 2016

MORRE JOÃO HAVELANGE, o cartola que botou FIFA PRA ANDAR

    João Havelange

Antes de conhecer João Havelange pessoalmente, eu elogiava o seu trabalho na FIFA que deu status enorme à entidade, com mais associados que a ONU. Depois acompanhei duas entrevistas coletivas dele, uma na Copa da Argentina e outra em Madrid na Copa de 82. Jornalistas do mundo inteiro espremeram o homem de tal ordem, com perguntas fortes sobre enriquecimento ilícito e corrupção na entidade. Havelange falava em francês e nesta hora ficou p.da vida, encerrou a coletiva e se mandou com os microfones atrás dele.
Antes da Copa de 90, ele veio visitar BH e ter uma audiência com o Governador Hélio Garcia. Estive a convite lá no Palácio e depois desci com ele, no carro do Elmer Guilherme, e fomos pra Federação. Lá Havelange fez o lançamento de um livro com sua biografia, de mais de 700 páginas e enorme. Caro. Ele me deu um de presente, autografado. João Havelange morreu nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, aos 100 anos. Nos últimos meses,foi internado por vezes no Hospital Samaritano por contas de problemas de saúde.

Havelange presidiu a FIFA entre 1974 e 1998. Em seguida tornou-se presidente de honra que manteve até abril de 2013, quando renunciou ao cargo simbólico em meio a denúncias de corrupção.
Tendo transitado por esportes como futebol e natação – quando chegou a competir nos Jogos de Berlim 1936 nos 400 e 1500m nado livre – Havelange teve seu ápice esportivo como jogador de polo aquático, tendo conquistado a medalha de bronze no Pan-Americano da Cidade do México em 1955, além da participação nos Jogos de Helsinque 1952.

Presidente da Federação Paulista de Natação em 1948, passou à vice-presidência da Confederação Brasileira de Desportos (CBD), entidade que cuidava de 24 esportes e que depois se transformaria em CBF, em 1952. Se tornou efetivamente o presidente da entidade do futebol brasileiro em 1958, ficando até 1975 e contabilizando os três primeiros títulos mundiais do Brasil, 1958, 1962 e 1970.
Havelange foi membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) durante mais de 40 anos, mas foi em 1974 que chegou ao topo. No ano, o brasileiro foi eleito presidente da FIFA, maior entidade do futebol mundial, e por lá ficou por 24 anos. O brasileiro, primeiro não europeu do cargo, é o segundo que ficou mais tempo na presidência do órgão, ficando atrás apenas do francês Jules Rimet (1921-1954).

É considerado um dos dirigentes de maior sucesso da história do futebol, tendo elevado o domínio da entidade de 146 para 196 nações durante os 24 anos de seu mandato. Sua longínqua trajetória foi manchada em 2013, quando a FIFA divulgou um relatório tornando público um massivo escândalo de corrupção em seus bastidores, envolvendo Havelange e seu ex-genro e sucessor na CBF, Ricardo Teixeira, em esquemas de propinas

FUTEBOL FEMININO CAI NA SEMIFINAL.


                        Marta, eleita 5 vezes a melhor jogadora do mundo
                        não consegue ajudar o Brasil a ganhar o ouro

As jogadoras da Seleção Brasileira feminina de futebol foram embora do Maracanã chorando e com poucas palavras depois da eliminação para a Suécia nos pênaltis, nesta terça-feira, na semifinal do torneio olímpico de futebol dos Jogos do Rio de Janeiro. As duas principais jogadoras da equipe, a meia Marta e a atacante Cristiane, foram duas das poucas a darem entrevista na saída de campo. Ambas defenderam que o trabalho precisa ser valorizado mesmo que não tenha rendido o ouro.

O empate sem gols no tempo normal e na prorrogação, seguido pela derrota nos pênaltis em 4 a 3, com estádio lotado, derrubou o ânimo da equipe e tirou o Brasil da rota pelo título inédito. A equipe também não conseguirá repetir os dois melhores resultados da história no futebol olímpico feminino, obtidos em Atenas-2004 e Pequim-2008, quando o Brasil foi medalha de prata nas ocasiões ao perder pros Estados Unidos.

Depois de ser eliminado nas quartas de final dos Jogos de Londres-2012, o Brasil terá a chance de ganhar o bronze na disputa de sexta-feira. Nas duas outras vezes em que o time disputou o terceiro lugar, em Atlanta-1996 e em Sydney-2000, perdeu ambas para, respectivamente, Noruega e Alemanha.


MEU LIVRO ESPECIAL É DE CONTRADIÇÕES?
                              A capa de meu livro virtual

Atendendo convite da Amazon.com.br da qual sou usuário por meio do meu Kindle, leitura virtual, escrevi o livro "O Dia No Qual a Lua Ensinou as Mulheres Como Amar", que será enviado esta semana para Nova York. Este livro de contos será exclusivo da Amazon, vocês que têm table ou kindle podem adquiri-lo por preços bem baratos.
Antes preciso explicar por que optei por "O dia no qual a Lua ensinou as mulheres como amar". Coisas da ficção, visto que ninguém consegue ensinar a s mulheres o saudável jogo do amor puro e verdadeiro. Muito menos a Lua que vive à noite e como iria ensinar de dia? Obra de Deus. Quando criou o mundo, Ele, também, criou a Lua e o Sol. Um reinaria à noite, brilharia ao lado das estrelas, seria cantada em versos e prosa pelos poetas,  seresteiros e enamorados. Só não contava que os dois, também, se enamorassem. Aí complicou  que contava na dicotomia do tempo: o Rei Sol faria o dia claro e bonito e a Rainha Lua iluminaria as noites, daria vida à escuridão forçada pelo recolhimento pra descanso do Sol.
Então, surgiram as eclipses quando um deles invadia o horário do outro para encontros amorosos. Deus proibiu tais encontros e a ordem não foi cumprida. A Lua morta de ciúmes, porque o Sol aproximou-se da Terra para namorá-la,resolveu invadir às suas expensas o território e o horário do Sol para vingar-se da Terra com uma Eclipse duradoura. Cochichou no ouvido do Sol que topou a parada.
Num certo dia ensolarado, com os seres humanos todos aproveitando as praias e as jornadas de prazer, a Lua comentou: "é hoje". Atravessou as poucas nuvens e partiu em direção ao Sol. Sem maiores delongas, cobriu-o. Era uma Lua cheia, muita cheia e o Sol se encolheu pra sofrer a cobertura do  amor. A Terra escureceu e espalhou sua escuridão para todos os lados. Aí, os casais que aproveitavam o dia claro de raios solares, gostaram da noite escura e resolveram copiar a Lua. O mundo todo amou e aumentou razoavelmente a população infantil.
Tá explicado, acreditem ou não!

CAMPANHA RUIM DO CRUZEIRO OFUSCA O FUTEBOL DE ARRASCAETA

Sob o ponto de vista individual, 2016 está um ano perfeito pra Arrascaeta. Além da artilharia do elenco do Cruzeiro, com nove gols, o uruguaio lidera o ranking de assistências, com 11 passes. Ele participou diretamente de quase um terço dos 61 tentos da equipe na temporada. Arrascaeta fez tudo isso em 34 jogos. Os números são significativamente melhores que os de 2015, quando o gringo anotou nove gols e deu quatro assistências, mas em 43 apresentações.

O bom momento particular do camisa 10, porém, ainda não foi
 capaz de levar o Cruzeiro a conquistas importantes. O time fracassou no Campeonato Mineiro (saiu na semifinal), na Primeira Liga (foi eliminado na fase de grupos) e briga contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. É o antepenúltimo colocado, com 20 pontos, e amarga péssima campanha como mandante (duas vitórias, quatro empates e quatro derrotas). 

O empate de domingo por 2 a 2 com o Coritiba, no Independência, tornou ainda maior a pressão por bons resultados na sequência da competição, a começar pelo duelo do próximo domingo, às 18h30, contra o Figueirense, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Depois de visitar o Figueirense no Sul do país, o Cruzeiro enfrentará, em sequência, mais três concorrentes contra o Z4: Santa Cruz (domingo, 28/8, às 11h, no Mineirão), América (quinta-feira, 8/9, às 21h, no Independência) e Botafogo (domingo, 11/9, às 16h, no Mineirão).

Ó ALEMANHA, PODE ESPERAR QUE A SUA HORA VAI CHEGAR CANTOU A TORCIDA BRASILEIRA DEPOIS DA GOLEADA POR 6 A 0 SOBRE HONDURAS

Rio de Janeiro - Enfim, na semifinal, o Brasil conseguiu colocar em prática tudo aquilo que não vinha conseguindo nesta Olimpíada. Jogou bem, impressionou a torcida e conquistou uma vitória tranquila por 6 a 0 sobre Honduras, que havia eliminado a Argentina. Pela segunda vez consecutiva, a Seleção chega à final dos Jogos. Em Londres-2012, enfrentou e perdeu o ouro para o México, terminando com a prata. A decisão será no sábado, às 17h30, no mesmo local, o estádio do Maracanã.

A vitória foi um alívio pela maneira como aconteceu. O primeiro gol veio aos 15 segundos, fruto de uma marcação adiantada a partir da cobrança de meio de campo de Honduras. Neymar dividiu a bola com o goleiro e contou com a sorte para que ela voltasse para o gol. Nervoso, o jovem time hondurenho nem parecia aquele que eliminou a Argentina. Foi amplamente dominado, deixando o claro o abismo de qualidade que há entre as equipes.

O resto do jogo foi uma festa. No campo e na arquibancada. Os gols foram saindo com facilidade, empolgando a torcida na arquibancada. Mais de xx mil pessoas foram ao Maracanã, ontem, enfrentando o forte calor que assolou o Rio de Janeiro. Gabriel de Jesus, marcando duas vezes, fechou o placar no primeiro tempo em 3 a 0. Por causa do calor, o ritmo até o fim da etapa inicial caiu bastante.

No segundo tempo, o Brasil deu continuidade ao seu ritmo, porém, administrando bem o físico, devido ao calor. Num ritmo de mais toque, do que condução de bola que antes, a seleção foi chegando e os gols voltaram a sair. Marquinhos, após escanteio, Luan, em grande jogada de Gabigol pela direita do campo, e Neymar, cobrando pênalti, já nos acréscimos, marcaram, finalizando a goleada por 6 a 0. 


No fim do jogo, em coro, o Maracanã disse o que espera na final olímpica. Os brasileiros pediam a Alemanha, que enfrenta a Nigéria pela outra semifinal. "Ô Alemanha, pode esperar, a sua hora vai chegar", gritavam os torcedores.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.