segunda-feira, 22 de agosto de 2016

VÔLEI É TRI NO OURO OLÍMPICO APÓS DERROTAR ITÁLIA NA FINAL







A seleção de vôlei masculina do Brasil serviu de exemplo para outros grupos que se achavam fortes candidatos ao pódio de ouro, mas ficaram no meio do caminho e jogaram a culpa na falta de apoio da torcida e no exagero das críticas. Como fez o futebol masculino. Cresceu no momento exato e conquistou a Medalha de Ouro. O certo é assim mesmo: calar as vaias e tapar a boca e sumir com a desconfiança da torcida. Vejam o exemplo de Bruninho.
A medalha de ouro é a coroação de Bruninho na Seleção Brasileira Masculina de vôlei. O levantador de 30 anos e capitão da equipe tinha batido na trave nas duas últimas edições, em Pequim (2008) e Londres (2012), quando ficou com a prata ao perder na decisão para Estados Unidos e Rússia, respectivamente.

Após a derrota em Londres, de virada, o ponteiro Giba afirmou que Bruninho estava pronto para assumir a responsabilidade na seleção, que não contaria mais com muitos dos veteranos daquela equipe. E ele já tinha no currículo os títulos de Mundial, Copa do Mundo e Liga Mundial. Faltava o ouro olímpico para preencher seu currículo. Naquele momento, Bruninho chorou no segundo degrau do pódio. Agora, as lágrimas são de alegria.

"Passou um filme de toda minha vida, de muitas pessoas que eu gostaria de agradecer, de todos os jogadores que tive ao meu lado, dos treinadores, das pessoas que estiveram presentes nos momentos mais difíceis, como Londres e Pequim, de tanta coisa que a gente escutou. Era o momento, de certa forma, da redenção”, disse.

Pesava ainda sobre o atleta o fato de ele ser filho de Bernardinho. Talentoso, tinha de provar mais que os outros justamente para evitar que as comparações apontassem escolhas movidas pelo lado pessoal, como se ele fosse protegido. E foram as derrotas olímpicas que amadureceram o atleta como capitão
.
Já Wallace, que marcou 20 pontos na partida, festejou o fato de a equipe ter saído do momento de pressão e revertido a situação na própria Olimpíada. “Nós treinamos muito. E mudamos a postura dentro de quadra. A partir dali, a equipe cresceu e agora temos a medalha de ouro”, afirmou.


NEYMAR É GROSSO COM TORCEDOR

Neymar só tinha motivos para comemorar a medalha de ouro conquistada com a Seleção Brasileira após a vitória nos pênaltis sobre a Alemanha, nesse sábado, no Maracanã. Foi dele o gol de falta do empate por 1 a 1 no tempo normal e ainda o último pênalti da série que confirmou a conquista nacional. Mas, após o feito, o craque se dirigiu a um torcedor no Maracanã e começou a xingá-lo. O jogador precisou ser contido por seguranças.

GALO ASSUME A VICE LIDERANÇA DO BRASILEIRO

Depois de se recuperar e bater o Atlético-PR por 1 a 0, no duelo matinal deste domingo, no Independência, o Atlético ficou na torcida por tropeços de concorrentes mais próximos, pra fechar a rodada perto do topo do Campeonato Brasileiro. E foi o que ocorreu: Palmeiras e Santos não venceram e beneficiaram o Galo, que terminou na vice-liderança.

Com 38 pontos, o Atlético só é superado pelo Palmeiras, que ficou no empate com a Ponte Preta, por 2 a 2, em casa, e perdeu a chance de manter a folga na liderança. O Galo poderia ser ultrapassado pelo Santos, mas o Peixe levou a virada do Coritiba (2 a 1) no Couto Pereira, parou nos 36 pontos e fechou a rodada em quarto.

Na próxima rodada, o Atlético terá duelo contra concorrente direto pelo topo. Vai a Porto Alegre encarar o Grêmio, domingo, dia 28, às 16h. Para alcançar a liderança, terá que vencer e torcer por novo tropeço do Palmeiras, que vai enfrentar o
fluminense, no mesmo dia e horário, no Mané Garrincha, em Brasília.
O Galo teve dificuldades. Marcou o gol com Robinho, de pênalti, mas viu o goleiro Victor salvar a equipe com importantes defesas.

Foi um jogo difícil, perigoso, porque a bola parada deles é muito boa e tem a velocidade de contra-ataque, mas temos que comemorar muito, pois nos dá uma condição boa, e discutir esses ajustes para termos um jogo mais regular”, analisa o técnico Marcelo Oliveira.

“Não precisava ser com tanta dificuldade, sofrimento e drama por causa do coração do técnico, mas isso faz parte do jogo. Mérito para o Atlético Paranaense que montou um time com jovens muito velozes, deu muito trabalho”, completa.

O técnico ressalta que a queda no ritmo do time no segundo tempo não foi uma orientação para poupar forças. “Talvez, inconscientemente, uma possibilidade de proteger o resultado e o adversário que vem para cima, e até deixou contra-ataques, que não aproveitamos.”

HORÁRIO INGRATO

        Marcelo Pacote Oliveira tá puto com o horário das 11horas, coisa da Globo Esportes.




Já horário da partida, desgastante para as duas equipes, foi mais uma vez questionado por Marcelo Oliveira. O Galo é o time que mais vezes jogou às 11h no Campeonato Brasileiro, até o momento.

Eu não sei exatamente porque se decide assim. Pode ser relacionado à popularidade do Atlético, que sempre tem estádio cheio neste horário, e deve vender bastante os jogos. Mas eu acho sacrificante. Tenho receio de um dia o jogador cair e passar mal. Deveria rodar mais e olhar muito pelas regiões do país. Eu sei que os jogadores gostam de ficar mais tempo com a família no domingo e o torcedor vem prestigiando, mas eu acho preocupante no aspecto físico.” Destacou Pacote.

TRINCHEIRA: Marcelo Pacote tá coberto de razão. É desgastante jogar neste horário; realmente o time sentiu e as defesas de Victor fizeram a diferença. O gol foi de Robinho, batendo pênalti, bem arrumado pelo árbitro.

GALO EXPLICA A SAÍDA ABSURDA DE EDUARDO, 21 ANOS
Canso-me de afirmar neste quintalzinho de opiniões, que as bases dos nossos times maiores da Capital estão todas nas mãos dos agiotas, aqueles que dizem salvar os clubes nos momentos de aperto financeiro. O Cruzeiro tem uma pá de jovens atletas espalhados pelo mundo afora  e que saíram em troca de minguados. O Atlético agora fez a besteira: entregou o volante Eduardo, 21 anos, de graça ao Internacional porque só tinha 35% dos seus direitos econômicos. O resto está nas mãos de empresário, aposto em Ricardo Guimarães.
                               Eduardo, ex-Galo ou de empresário
Com Fernando Bob suspenso, Rodrigo Dourado na Seleção olímpica e Anselmo lesionado, o técnico do Internacional, Celso Roth tinha Fabinho, Charles e Jair à disposição pra armar o Colorado que iria  o São Paulo.Devido a isso, o treinador  ganhou o reforço: Eduardo Henrique, de 21 anos, que foi anunciado pelo clube na tarde desta quinta-feira.

O volante, que estava no Atlético, foi um pedido do ex-técnico colorado Paulo Roberto Falcão, e a nova direção de futebol, capitaneada pelo ex-presidente Fernando Carvalho, encaminhou as negociações. Eduardo foi reserva da Seleção Brasileira Sub-20 que disputou o Sul-Americano de 2015, sendo titular apenas na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia.
Emprestado pelo Coimbra, clube do fundo de investimento BMG, (não falei em R.Guimarães?) ele tinha contrato com o Galo até o último dia 15. Porém, não houve acordo pra renovação. O Atlético era dono de 35% dos direitos do atleta e receberá uma compensação financeira.

TIME MORRE NO FINAL DO JOGO

Vou passar pra vocês , algumas verdades que tirei da entrevista de Mano Meneses após a vitória do Cruzeiro por 2 a 1 sobre o Figueirense, em Floripa. Estava 2 a 0, quando resolvi tomar banho, mas fiquei com aquela intuição na cabeça. "A pior defesa do campeonato ainda não levou gol. Vai levar, e espero que seja apenas um, pois faltam dois minutos pro jogo acabar". E levou.. Se houvesse uma prorrogação maior, levaria o vergonhoso empate. Vou deixar pra Mano Meneses contar;

   Mano até rezou em Floripa pra evitar o gol de empate do Figueira

Mano Menezes permanece com os pés no chão, sabe que quatro jogos sem derrota e a vitória neste domingo, por 2 a 1, contra o Figueirense, fora de CASA, não podem ser motivos para acomodação do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Fora da zona de rebaixamento, pelo pelos de forma provisória, já que o Vitória enfrentou o Corinthians nesta segunda-feira, o clube celeste mostra maior organização e crescimento com o passar dos jogos. O treinador gaúcho comemorou muito o triunfo no Orlando Scarpelli.

Avisei aos jogadores que resultados como aquele contra o Coritiba, quando deixamos escapar uma vitória, acontecem e que tínhamos que estar preparados para fazer pontos e construir vitórias também fora de casa. Num lugar onde os adversários não tinham vencido até então, isso valoriza nossa vitória. Com bom desempenho de equipe, sofreu pouco e só no fina
l”, disse Mano, que criticou a postura de seus comandados nos instantes finais da partida.

O time parou de jogar um pouco, ficou tocando a bola sem objetividade e a gente não pode fazer isso no futebol, se não dá muita moral para o adversário. De toda forma, os jogadores estão de parabéns, entenderam o que tinham que fazer, a maneira como precisávamos ser mais simples e por isso conseguimos a vitória. Estamos muito contentes e eu principalmente”, complementou.


Desde que chegou ao Cruzeiro, Mano Menezes só perdeu na estreia, por 2 a 0, diante do Santos, na Vila Belmiro. O treinador venceu duas, contra Internacional e Figueirense, e empatou outras duas, diante de Corinthians e Coritiba. “A gente não pode escolher contra quem vai pontuar. Não faz diferença se são adversários de cima ou de outro lugar da tabela, o importante é pontuar. Se pudermos pontuar sempre, é bom. Se pudermos de três pontos, melhor ainda”, ressaltou. 

“NOVO AR” E AMBIÇÕES


Na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 23 pontos, o Cruzeiro ainda está longe de novas ambições na competição a não ser a fuga do rebaixamento. Mano garantiu que o clube sairá dessa situação e projetou novos objetivos caso o primeiro passo seja dado com rapidez. “A gente vem aqui fora da zona de rebaixamento, dá uma respirada, enxergamos como está, e acho que os jogadores vão gostar. A gente pretende ficar aqui fora o resto do campeonato”, brincou. 

O que temos que fazer agora é sair dessa situação. Vou repetir uma frase que disse no ano passado: o que vai determinar se temos que ambicionar mais ou não é a velocidade que vamos sair. Mas que vamos sair, vamos sair”, garantiu.

Depois de deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro com a vitória no Sul, o Cruzeiro torce por uma derrota do Vitória contra o Corinthians, nesta segunda-feira. O rubro-negro passará a Raposa em caso de empate ou triunfo no Itaquerão, em São Paulo. O próximo compromisso de Mano Menezes é companhia é no domingo, dia 28, diante do Santa Cruz, no Mineirão, em partida válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.