quinta-feira, 22 de setembro de 2016

MINEIROS PRECISAM UM DO OUTRO E DE VITÓRIAS NESTA 27ª RODADA DO BRASILEIRÃO

Registrou pra história nacional, o escritor das Geraes, Otto Lara Resende, que "o mineiro só é solidário no câncer." Pode ser que sim, como dizia Nelson Rodrigues, amigo e divulgador das obras de Otto, "porém é mais sensato afirmar que não passa de metáfora do discutível jornalista, famoso por suas tiradas desencabeçadas, cujos objetivos eram criar clima de animosidade e discussão entre os meios da cultura tupiniquim."

Certo ou errado, pode-se escrever que neste final de semana quando for disputada a 27ª rodada do Campeonato Brasileiro os nossos três times da Divisão A têm de entrar em campo com um motivador especial em favor do outro. Penso apenas que o América estará sozinho na empreitada, visto que uma vitória sua sobre o Botafogo, no sábado, terá importância vital pra ele, lanterna da competição; meia boca pro Atlético, terceiro colocado, com oito pontos a mais que o time carioca; e boca inteira pro Cruzeiro, 15º colocado, com 30 pontos, e na beira de voltar à Z-4 do Mal. O América segurar o Fogão seria ótimo pra ele, principalmente se os azuis vencerem o Flamengo, em Cariacica.

Neste caso, a equipe de Mano Meneses faria um bem danado pra si próprio e, indiretamente, para o Galo, pois o Flamengo é o segundo colocado, pouco abaixo do Palmeiras, com 50 pontos, ou seja,quatro a mais que o Atlético que enfrenta o Internacional, no Independência e, com certeza, vencerá. Então, irá pra 49 pontos, mantém o Colorado na Z-4 do Mal, impedindo que ele siga o Cruzeiro de perto. E estará a apenas um do vice Flamengo. É uma conta complicada de se fazer, mas fácil de acontecer.

FUTEBOL SEM SANGUE NOS OLHOS

De sã consciência é possível que a gente exclua o América dos jogos ruins vistos no meio da semana. Na quarta-feira, o Coelho venceu o Internacional que tem uma campanha indigna. Debaixo de chuva forte, o confronto foi fraco tecnicamente, o que abaixou a qualidade do espetáculo. Mas, seja dito: não faltou vontade.
As duas equipes correram muito e disputaram a partida cheios de vontade, com sangue nos olhos.

Teve cheiro de clássico, onde tudo acontece, inclusive gols como aquele de Mychel. Ele entrou no meio do segundo tempo, sem a confiança da torcida, pois há meses recupera-se de uma lesão séria. Justo ele que merecia sair como herói. Aos 46m do tempo extra da fase final, Jonas chegou pela ponta-direita e cruzou na área. Mychel3 ganhou dos beques e cabeceou meio de ombro, mandando a bola no ângulo, onde a coruja dorme, do goleiro gaúcho. A vitória por 1 a 0 ajudou ao Cruzeiro que não foi ultrapassado pelo Inter e nem caiu pra Z-4 do Mal.  

ZÉ CHICO PEDE AO SEU PAI DE SANTO PRA ÁBILA VOLTAR A SER GOLEADOR


Abila terá ajuda espiritual agora de um pai-de-santo
Na rua Santa Cruz, antiga rua das Baratas, lá em Caratinga, no meus tempos de adolescente, quando, ainda, jogava futebol no juvenil do EC Caratinga, havia uma série de benzedeiras, nas quais dona Geralda e Sodico confiavam muito. Tanto que me mandavam pra uma delas quando me lesionava. Aqui na Capital, o uso dos pais de santo era costume dos cartolas. Cada qual tinha um de sua preferência e corria pra ele quando a coisa ficava preta no gramado. Não me lembro de mais nenhum deles.
Outro dia, recebi email interessante de uma leitora, Zelita, informando  que seu marido Zé Chico já descobriu como acabar com o jejum de três jogos do goleador argentino Ábila que tem perdido o cartaz com alguns torcedores da China Azul. Zé Chico a informou que seu pai-de-santo prometeu trabalho que fará Ábila marcar duas vezes já contra o Flamengo,domingo, em Cariacica.
Ábila marcou pela última vez no dia 8 de setembro, na vitória por 2 a 0 sobre o América, no Independência, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Contra o Atlético, aos 42min da etapa inicial, quando o alvinegro vencia por 1 a 0, ele perdeu uma oportunidade incrível ao errar, numa finalização de dentro da pequena área, do goleiro Victor. Para o técnico Mano Menezes, esse foi o único equívoco do gringo, que continua com números positivos pelo Cruzeiro: nove gols em 14 jogos.
No primeiro semestre de 2016, Ábila marcou 16 gols em 24 jogos pelo Huracán. Um detalhe curioso é que Wanchope ficou por cinco partidas sem deixar sua marca, sendo duas no Campeonato Argentino e três na Copa Libertadores. O jejum de quase um mês (09/04 a 03/05) foi quebrado justamente com o belíssimo gol de voleio na derrota do El Globo para o Atlético Nacional (COL) por 4 a 2, pelas oitavas de final do torneio continental.

Com relação ao Cruzeiro, o retorno de Ramón Ábila às redes será de extrema importância para ajudar o grupo na luta contra o rebaixamento à Série B. Passadas 26 rodadas, o time azul e branco ocupa a incômoda 15ª posição, com 30 pontos, a dois do 17º colocado Figueirense, que abre o Z4.

SACANAGEM DO ANO, CORINTHIANS FEZ COM CRISTOVÃO

Cristóvão Borges sobreviveu apenas a 18 partidas à frente de um Corinthians em remontagem. A missão não era fácil. Ele teve de substituir o multicampeão Tite justamente no ano em que o presidente Roberto de Andrade foi mais firme em sua política de corte de gastos, negociando vários jogadores e trazendo reposições mais modestas. 
Demitido após três meses, o treinador recebeu o GloboEsporte.com no apartamento alugado onde mora com a esposa, na Zona Leste de São Paulo, dias antes de devolver as chaves ao proprietário. Frustrado por não ter dado certo no cargo, ele lamentou a perda de jogadores como Elias e Bruno Henrique, reconheceu que cometeu alguns erros durante o processo de remontagem e concluiu que o torcedor do Timão ficou mal acostumado com os anos de bonança com Tite e não se preparou para a escassez. 
– É um preço muito alto que o presidente paga e que o treinador também paga. Ninguém valoriza essa coisa do correto, do pagar em dia. Todo mundo quer título e, às vezes, não importa a que preço. Mas pelo o que clube tem de solidez, ainda vai se manter em uma posição boa. Daqui a pouco volta ao G-4. E, na Copa do Brasil, é possível brigar pela forma de disputa.

Em uma conversa de quase uma hora, o treinador de 57 anos, demitido após a derrota para o Palmeiras, por 2 a 0, no último sábado, disse que não guarda mágoas dos torcedores, viu como positiva a curta passagem pelo Timão e ficou emocionado ao falar das várias mensagens que recebeu dos jogadores da equipe após a sua saída.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.