segunda-feira, 5 de setembro de 2016

NA ESTREIA DE TITE EM JOGOS NO TERRITÓRIO TUPINIQUIM, SELEÇÃO SE PREPARA PRA NOVA GUERRA CONTRA COLÔMBIA NAS ELIMINATÓRIAS.

Tite preparou o Brasil pra não entrar na dos colombianos.

 ( AGÊNCIA ESTADO) O jogo contra a Colômbia trouxe de volta lembranças recentes, e nada agradáveis, à seleção brasileira. Os últimos confrontos com o adversário desta terça-feira na Arena Amazônia foram pesados e bastante violentos. Existe a perspectiva de que isso se repita do duelo em Manaus e os jogadores foram alertados pra importância de não perder o controle.

O Brasil precisa vencer pra entrar na zona de classificação à Copa de 2018, na Rússia, e um dos itens necessários é não se deixar levar por catimba, provocações e deslealdades. "Não podemos perder a cabeça, temos de fazer nosso jogo em paz, tranquilos. Se estivermos concentrados, um ajudando o outro, com tranquilidade, poderemos fazer um bom jogo", diz o volante Paulinho.

Ele participou da partida nas quartas de final da Copa de 2014 (Brasil 2 a 1), em que Neymar foi atingido pelo lateral-direito Zuñiga e sofreu contusão na vértebra que o tirou do Mundial, e prevê a possibilidade de o jogo de agora ser mais duro.
"Pode ser que haja uma entrada ou outra mais forte, pode ter confronto, choque, mas temos que ter a cabeça no lugar", diz.

Paulinho só tem uma certeza: qualquer que seja a característica do jogo, ele será duríssimo por causa da qualidade técnica dos colombianos.
"Todos sabem a dificuldade que vamos enfrentar, por ser uma grande seleção e ter grandes jogadores" sacramentou Paulinho.

O goleiro Alisson também prefere ver a dificuldade mais pelo aspecto técnico do que por fatores como violência e antijogo.
"Vai ser uma partida dura. A Colômbia cresceu e sempre tenta complicar. Tem o James Rodríguez, que é o principal jogador, mas precisamos neutralizar as jogadas de todos e fazer uma apresentação segura."

EMOCIONAL DE NEYMAR - A maneira como Neymar vai se comportar emocionalmente é motivo de preocupação. Isso porque as partidas contra a Colômbia têm sido uma guerra pro atacante. Além daquele jogo da Copa de 2014, ele foi perseguido em campo em amistoso realizado meses depois em Miami e, na Copa América de 2015, realizada no Chile. Lá, foi provocado durante todo o tempo no jogo em que o Brasil perdeu por 1 a 0.

Neymar acabou expulso após o encerramento daquela partida por se envolver num atrito com o zagueiro Murillo, com Zuñiga e o atacante Bacca. Depois, se desentendeu com o juiz chileno Enrique Osses e toda a confusão lhe custou quatro partidas de suspensão.

Tudo indica que o tom provocativo contra Neymar irá se repetir em Manaus. Aliás, já começou fora de campo. Neste domingo, tanto Murillo quanto o volante Perez disseram "não gostar" do comportamento de Neymar, alegando que o brasileiro procura humilhar os rivais em campo.

Lembraram também do jogo recente pela Olimpíada do Rio, disputado no Itaquerão, quando Neymar deu um pontapé no meio-campista Roa e só recebeu cartão amarelo. Naquela partida, o brasileiro foi alvo de várias faltas violentas na primeira etapa. Os colombianos se revezaram pra atingi-lo.

Os rivais, aliás, estão procurando jogar pro Brasil a possibilidade de haver tumulto.
"Estamos preparados para não entrar em provocações, temos de nos concentrar em jogar a partida. Temos de evitar a provocação", disse o volante Carlos Sanchez à imprensa de seu país.
GALO BUSCA NA BASE OUTRO LATERAL PRA VAGA DE DOUGLAS

Antes mesmo da venda de Douglas Santos pro Hamburgo, da Alemanha, o Atlético já havia encontrado em Fábio Santos um novo dono da lateral esquerda. Porém, a transferência do antigo camisa 6 deixou uma dúvida sobre quem será escalado por Marcelo Oliveira quando Fábio não puder jogar?

Nesta sexta-feira, o treinador revelou quais são seus planos.
Se Fábio Santos desfalcar a equipe por lesão ou suspensão, a aposta de Marcelo Oliveira será num jogador revelado nas categorias de base do Atlético.
 “O mercado nessa posição é carente e precisamos confiar no atleta que foi formado no clube, que passou por todas as etapas. Contamos com o Fábio, e o Leonan é reserva. Eventualmente, contamos com as improvisações do Carlos César ou do Lucas Cândido. Mas apostamos e confiamos no Leonan como reserva”, afirmou o treinador.

Leonan completará 21 anos em outubro. Ele ainda aguarda a primeira oportunidade com Marcelo Oliveira, mas esteve em treinamentos com os profissionais desde que o treinador retornou à Cidade do Galo. No Brasileirão, já figurou no banco de reservas.

Na próxima quarta-feira, Fábio Santos assumirá a vaga na lateral esquerda definitivamente. O ex-jogador do Corinthians será o titular contra o Vitória, enquanto Leonan ficará como opção pro decorrer da partida no Independência.

Além de Leonan, outros jovens jogadores têm conquistado mais espaço com Marcelo Oliveira. Após a transferência de Eduardo pro Internacional, o volante Ralf passou a figurar no banco de reservas.

Marcelo Oliveira promete aproveitar ainda mais atletas revelados pelo próprio Atlético, integrando as categorias de base à equipe profissional.
“Já está sendo mais integrado. Trazemos atletas da base para treinar. Já convoquei um jovem para ficar do banco, o Ralf. Assim que trabalho.

No Palmeiras, foi assim. No Cruzeiro, também: " A base é fundamental pelo custo que o futebol proporciona. Como ex-profissional da base, a gente pensa na base para servir ao próprio clube, mas tem o comercial. Todo clube precisa vender jogadores. Tem outros jovens treinando que podem surgir como solução"salientou Pacote.


 DEPOIS DO GOLPE NA DILMA, TEMER TÁ QUE PASSEIA PELA CHINA

XANGAI - Ao comentar pela primeira vez a decisão do Senado Federal de analisar separadamente a perda de mandato de Dilma Rousseff e a inabilitação dela a cargos públicos, esta não aprovada, durante o processo de impeachment, o presidente Michel Temer afirmou que está acostumado a "pequenos embaraços".
Eu estou acostumando a isso há mais de 34 anos na vida pública e acompanho permanentemente esse pequenos embaraços, que logo são superados. Ontem mesmo, antes de sair de lá (do Brasil), falei com companheiros do PSDB, do PMDB e do DEM e essa questão toda será superada. Não tem a menor dificuldade — afirmou.

Ele evitou fazer juízos de valor sobre a decisão, que foi considerada por muitos parlamentares uma manobra, e disse que, se certa ou errada, trata-se de uma decisão do Senado.

Não se tratou de manobra, mas de uma decisão que se tomou. Eu sempre disse, desde o começo, como (presidente) interino, que respeitosamente aguardo a decisão do Senado Federal. Se o Senado tomou essa decisão, não importa, certo ou errada, tomou a decisão. Então, ela sai agora do plano exclusivamente político para o quadro de uma avaliação de natureza jurídica, o que convém às instituições brasileiras — argumentou ele, completando:

— Quando digo que vamos reconstitucionalizar o país é exatamente isso. Cada poder exerce o seu papel. Claro que essas coisas dependem de um certo tempo.Temer disse ainda que a mensagem que lançou de reunificação e pacificação nacional não é em benefício pessoal, mas pensando no bem dos brasileiros. E classificou como "movimentozinhos" as manifestações de quem se insurge:

Tenho absoluta convicção de que os brasileiros querem isso. Quem muitas vezes se insurge, como um movimentozinho, é sempre um grupo muito pequeno de pessoas, não é? Não são aqueles que acompanham a maior da vontade dos brasileiros.
TRINCHEIRA: - Se dependesse de minha torcida, eu gostaria - e muito - que Temer fosse preso e ficasse pra sempre na China.


 Temer desce do avião na China e devia não subir de volta. Ficar lá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.